DICA DO DIA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sexta-feira, 29 de setembro de 2017 - 17:57Dica do dia

DICA DO DIA

Cartoonist Gary Varvel: Erasing the Confederate FlagRIO (nada muda) – Ótimo o texto do Pedro Henrique Marum no GRANDE PREMIUM sobre a questão que está dividindo o esporte norte-americano nas últimas semanas e opõe, de um lado, atletas que não se furtam a protestar contra a onda nazista, facista e supremacista que tomou conta do país a, do outro, os declaradamente racistas manda-chuvas da Nascar.

Bom para refletir e entender muita coisa.

41 comentários

  1. Czar disse:

    Vejo no mundo e no Brasil muita gente saindo do armário.

    Não, não o armário do homossexualismo, mas o armário da extrema direita.

    São pessoas barulhentas e que perderam a vergonha de gritar orgulhosamente que são preconceituosas, pois sabem que serão defendidas por uma quantidade inédita de simpatizantes.

    É assustador e desanimador perceber o quão perto estas pessoas estão. São colegas (alguns quase amigos), parceiros de trabalho e até família.

    São as “pessoas de bem”.

    Resta saber se isso é somente mais um ciclo de tendências na história da humanidade ou se estamos mesmo mais próximos do fim do mundo.

  2. Carlos Andrade disse:

    Muito boa a matéria.

    Como historiador e fã de automobilismo, não deixei de lembrar ao ler da história de Wendell Scott, o primeiro piloto negro da Nascar, em plena década de 1960.

    Uma das histórias mais cruéis e belas do esporte: teve uma única vitória em 1963, não reconhecida pela direção da corrida, única e exclusivamente por racismo.

    Esse documentário conta bem quem foi, e o quanto a Nascar precisa chegar pelo menos no século XX.

    https://www.youtube.com/watch?v=rnPvPqPYyHA

  3. Goos disse:

    Colin Kaepernick com todos os seus erros e acertos, é um herói.
    Que não se cala e inspira!
    E está sem emprego, mas não abaixa a cabeça.
    Não existe patriotismo, esta palavra babaca e medíocre como é outra, nacionalismo, sem cidadania e respeito.
    E ainda assim são duas palavras que, pelo manos à mim, me causam asco.
    Sou patriota por gente, não por pano e pedaço de terra.
    Kaepernick, é mais macho, ou mulher, ou o que quer que seja, que todos os atletas brasileiros juntos em seu mutismo corporativo.
    Você vê atletas no Brasil se posicionando?
    Pouquíssimos.
    Claro que não é fácil viver de esporte e ser ligado diretamente a patrocínios e incentivos de governos federal / estadual / municipal, que podem retaliar.
    Viver não é fácil, é duro e sempre se tem escolhas à fazer, posições á serem tomadas em momentos chaves.. É assim na vida de todo ser humano, trabalho, vida pessoa, esportes. Sempre tem o momento em que você é instado a tomar posições difíceis às mais do que você, por um grupo até.
    Na maioria das vezes escolhas fáceis levam a… corrupção.
    É fácil esquecer que antes de ser esportista se é um cidadão, vive-se em sociedade.
    Vi aqui nas olimPIADAS atletas OLIMPICOS que disseram, em plena TV horário nobre que as praias não são poluídas são apenas lixos sólidos (Luiz Lima da natação), uma atleta do remo que disse que a lagoa não tem águas polúídas, porque já caiu nela e não aconteceu nada… o tradicional egoísmo brasileiro tão sinônimo de corrupção.
    E isto só para começo da quantidade de colocações absurdas para defenderem as realizações dos dois eventos caça níqueis, COCÔpa e olimPIADAS que ajudaram a destruir o estado e a cidade do Rio de Janeiro. Basta lembrar as declarações canalhas e absurdas do Edson Arantes, o Pelé, e Ronaldo “Fenômeno”…
    Existe coisa maior acontecendo fora daqui, atitudes sendo tomadas. Inspirações a algo maior.
    Quando um cara como Colin Kaepernick da NFL, milionário, se ajoelha em protesto durante a execução do Hino Nacional da nação mais poderosa e desigual do mundo, com o ser humano mais louco e escroto de sua história no comando, ele arrisca sua vida e a perder tudo que conseguiu e à ser perseguido até o fim. Como aconetec agora.
    Outros agora o seguem.
    A NFL se ajoelha
    A NBA se ajoelha
    O Pearl Jam se ajoelhou em show.
    Roger Waters e toda sua banda se ajoelharam em show.
    Pharrell Williams se ajoelhou em show.
    Dave Matthews e sua banda se ajoelhara.
    E a fila cresce.
    Imagine se todos o fizerem, estes como Dump os chamou em tv e mídias de “FILHOS DA PUTA” e que mereciam serem demitidos… qual esporte sobrará nos EUA?
    Natação por certo, boa parte dela tomada por idiotas como Lochte e seus amigos, e esta bosta caipira de Nascar.
    Os “filhos da puta”, segundo Trump e seus adoradores, ajoelhados em protesto levantam a voz cada vez mais alto, na terra “dos livres e dos fortes e desiguais”.

  4. Brabham-5 disse:

    Ué? Não é o “automobilismo norte-americano” o modelo a ser copiado?
    Elogiam tanto o “clima amador, de cooperação”…
    Lembro do Nelsinho Piquet tendo de enfrentar sozinho um outro piloto gringo e toda sua equipe numa briga que o piloto pasta de amendoim provocou e ninguém da equipe do Nelsinho foi ajuda´-lo.
    Por mim… Nascar é uma bosta mesmo.

  5. Douglas Borges Oliveira disse:

    A Nascar é racista sim! Mas o texto fala do “americano médio” do “redneck” nisto o texto é fraco e pobre. Jornalisticamente sem fundamento. Pede para o iniciante Marum confirmar dados antes de escrever, como já comentado no Twitter, “vem morar no Kansas” para depois falar do “americano médio”. Sobre a Nascar, o texto é coerente.

  6. Bullet disse:

    Isso tudo é muito relativo. O fato é que o mundo não mudou nada nos ultimos 100 anos, estamos prontos para mais uma guerra. Então vamos aos fatos sobre racismo, nazismo. 1) Na época da escravidão, os próprios negros matavam uns aos outros, e vendiam escravos para os brancos, Hoje, na Africa, tribos inteiras matam umas as outras, mulher , crianças, tudo a facão. Em moçambique, na decada de 70, criavam porcos e deixavam nas ruas, para comer cadaveres, e depois serviam de janta tb. Então isso é fato. Sobre o Nazismo, atualmente, os Judeus são os maiores exportadores de armas no mundo, eles são grandes responsáveis pelas guerras, controlam os bancos, a mídia, a industria do remédio (medicina) etc etc $$$$$$$$$$$$$. O NAzismo é apenas um clichê, que vai ser usado por muitos anos para justificar outras atrocidades, sejam elas econômicas, culturais (imbecilização do povo brasileiro na atualidade atraves de programas para retardados exibidos pela emissora REDE BOBO). Enfim, sempre existe o outro lado da moeda. O fato é que o “BONZINHO”, sempre vai tirar proveito disso. Mas Santo mesmo, nenhum é.

  7. Marcus - Franca disse:

    Mesmo sendo utópico, só penso o seguinte.
    O mundo precisa acabar e recomeçar novamente do zero.
    Simples assim

  8. Léo disse:

    Análise muito inteligente sobre uma, das várias atitudes irracionais e estúpidas do “salvador do mundo”!

  9. Fabio disse:

    Sou fã dos textos do Flavio Gomes e equipe do Grande premio desde que o blog era Blig e o grande premio ainda era warmup…. já tem tempo. Concordo em tudo com o Danir. Estive entre junho à agosto nos Estados Unidos e pude ver muita gente insatisfeita porém muito mais satisfeitos. No sul e em New Englad. Vivemos uma liberdade que hj em dia qq um é um “fotógrafo” ou “jornalista”, Mas achei este texto ao mesmo tempo interessante assim como um tanto tendencioso. O presidente Trump pode não ser um ícone de popularidade mas será que ele é mais carniceiro de que regimes cubanos, chineses ou norte coreanos ?

    PS.: Espero que este texto possa ser publicado e entenda que não estou defendendo um ou outro. Apenas expressando que foi um texto totalmente direcionado a um lado.

  10. Luciano Basso disse:

    Se você dissesse que o texto é seu eu iria acreditar. Considere isso como um grande elogio aos dois.

  11. Adriano Silva disse:

    Bom texto. Só precisamos ter cuidado ao transpor realidades e contextos.
    Vamos evitar essa dualidade estúpida que tomou conta do país – ninguém pergunta mais “o que você pensa sobre” um assunto ou situação, a pergunta é “se você é contra ou a favor”. Para daí jogá lo automaticamente em um dos lados da contenda. As redes sociais vendem a ideia de que temos que ter uma opinião formada – e absoluta- sobre algo 5 minutos após ler um texto ou um “post”. Nada mais falso e impreciso. Opinião exige análise. E reflexão. E não pede unanimidade.
    Ademais, a destacar a pouca ou quase inexistente manifestação política ou social de nossos atletas em qualquer esporte, e aqui não discuto as razões. No automobilismo
    (a Stock é prodiga nesse perfil), o futebol também (a copa de 2014 sacramentou a vocação nata da seleção para ser carro chefe de propaganda de qualquer governo – o que estragou foi o 7x 1), e a própria Olimpíada.
    Pra terminar, nada me parece mais simbólico na Nascar do que o pódio das corridas Texanas, onde o vencedor se fantasiava como Cowboy e dava tiros pra cima. Enquanto tomava o “melhor leite deste lado do Arkansas, filho”.

  12. Fã Nipônica disse:

    O texto é sensacional e, infelizmente, 100% fiel a essa triste realidade! Realmente estamos regredindo enquanto sociedade, mas eu ainda acredito que seja possível reverter essa epidemia de estupidez.
    E novamente quanto ao texto, nessas horas a gente vê que o Grande Prêmio é muito mais do que um site de automobilismo, é um verdadeiro veículo de Imprensa (com o I maiúsculo, daquele tipo que está em extinção no Brasil e no mundo), com jornalistas que honram a profissão.

  13. Yorkshire Tea disse:

    Excelente matéria.

    Aliás, por falar em esporte, provavelmente serei bastante injusto, mas, além da Joana Maranhão, não me lembro de nenhum outro atleta que tenha se manifestado contra o golpe. Atleta e ex-atleta paneleiro é o que não falta.

    • pedro araujo disse:

      verdade…

      mas acho que o ambiente em esportes de alto rendimento nao é muito afeito a presenca de discussoes ou debates criticos em relacao ao mundo ou aos respectivos paises.

      a rotina desses atletas é muito massificante pra dar espaco para contemplacao ou espirito questionador

      tipo ambientes militares. esporte de alto desempenho envolve muita disciplina…

      a proposito, yorkshire, sou colega seu em varios espacos de comentarios de blogs importantes/interessantes…

      por acaso voce frequenta o cinegnose? recomendo…

      um abraco, bicho

  14. Danir disse:

    Olá Flavio. Se o Trump soltar um “pum sólido”, vão dizer que é racismo pela cor do cocô em relação ao cheiro. O texto nâo leva em consideração o outro lado, nem o contexto político. O fato de não ser racista nem supremacista branco, nem nazista, nem fascista nem comunista, não implica que se deva concordar com o que certas pessoas dizem e fazem; independente de cor, religião, preferencia sexual ou paixão clubista. Principalmente se forem formadores de opinião, como super atletas, astros pop, modelos famosas pilotos e personalidades em geral. Eu gostaria de saber em qual pais “socialista” existe liberdade como na América, onde os inimigos do pais podem dizer o que pensam e ofender os símbolos nacionais de forma impune, ou os descontentes podem ofender o presidente eleito legalmente e dentro da regra do jogo. Em Cuba, na China, na Venezuela, na Russia, na Coreia do Norte? Brincadeira. Lá eles já estariam mortos ou mofando em uma prisão daquelas de botar mêdo. As mesmas pessoas que se ajoelham ou que apoiam tal atitude, falam de liberdade de opinião e de expressão, democracia e o escambau, e ao mesmo tempo ficam a vontade para depredar o campus de uma universidade quando alguem de outra posição política tem marcado um debate ou exposição de idéias. Dois pesos e duas medidas. Eu não sei se você vai publicar ou não este comentário. Algumas vezes aproveitei o fato de você colocar neste espaço que é teu, comentários sobre política, que não são o escopo do blog, e portanto me senti livre para colocar meu pensamento a respeito. Nunca faltei com o respeito, pois considero que todos têm o direito de opinar e apresentar idéias, com argumentações que tenham começo, meio e fim. O texto do Pedro Henrique não coloca fatos e premissas com uma apresentação que justifique o que está dizendo; ele simplesmente coloca a opinião dele como se fosse uma verdade absoluta e inatacável. Eu francamente não concordo, e como vou continuar frequentando este blog, pois sou um entusiasta de tudo que se relaciona a automoveis e competição automobilistica, se você me permitir democraticamente discordar, com certeza vou enviar alguns comentários, que não serão de seu agrado, mas serão pertinentes. Boa Sorte, sucesso em sua nova residência e saúde.

    • Cláudio Cruz disse:

      Iria ainda mais longe.
      Do berço da escravidão, pasmem, a Africa, ninguém fala.
      Os negros, antes de saírem da África, já eram escravos, pasmem, mais uma vez, dos “IRMÃOS” negros.
      Entendo a escravidão algo nojento. Não se escraviza um ser humano.
      Vamos parar com essa mania de querer ficar bem na foto, ser politicamente correto.
      Temos que ser politicamente honestos.
      Tem alguém gritando pelas atrocidades praticadas na África, pelos Africanos contra seus pares?
      Vamos parar com essa demagogia.
      Deixo uma sugestão:
      Respeitem antes de exigir respeito.
      As obrigações vem antes dos direitos, não o contrário.

      • pedro araujo disse:

        ja comecou com pemissa historica errada, tratando a africa (sub saariana, pois se referindo à populacao negra) como “berco da escravidao (“tecnologia dos negros que o branco somente reaproveitou”)

        tratando um problema atual geobpolitico criado pelo branco e suas fronteiras em linha reta separando tribos como culpa das mesmas.

        esses argumentos nao sobrevivem a 2 minutos de explanacao historica séria

    • pedro araujo disse:

      danir, meu garoto, achar que nos EUA pode-se dizer o que pensa ou ofender os simbolos do país impunemente é de uma ingenuidade de quem nao sabe mesmo o que ocorre pelo mundo…

      qualquer duvida pergunta pro quaterback dos 49s de sao francisco, só pra citar um exemplo:

      https://www.google.com.br/amp/s/www.cartacapital.com.br/internacional/protesto-de-jogadores-negros-na-nfl-mostra-falacia-da-era-pos-racial/@@amp

      no mais, se quer antitese de china, cuba, coreia do norte, favor se dirigir à escandinavia. o resto é tudo tutela amansada das siglas de sempre, NSA sendo a mais forte hoje em dia

    • pedro araujo disse:

      ops, agora sim comento depois de ler o texto do marum.

      entao: o marum contextualiza as origens da nascar, exemplifica atletas de hoje e do passado que sofreram e sofrem represalias, cita a postura desleixada do trump no caso dos protestos neonazistas e da nascar quanto à bandeira confederada em contraposicao à reacao contra o quaterback, e o denir vai la e escreve como se o texto fosse 20 paragrafos da afirmacao “a nascar/EUA/mundo sao racistas”

      ah, pelamordedeus, denir!!!

    • Traction avant disse:

      Eu concordo com você. O texto é superficial e generaliza de forma equivocada ou exagerada simples percepções do autor. Não se deve misturar discordância do comportamento do atual presidente com desrespeito aos símbolos da sua nação. Os símbolos são importantes sim. O autor chama de “Estados Unidos real”, sem nenhuma justificativa, pessoas que afirma que são racistas, dando a entender que a maioria da população é racista. Isso é um exemplo da generalização equivocada (sem estar baseada em evidências) a qual me referi. Não menciona que o último presidente antes de Trump foi negro, e por dois mandatos. Em que país da Europa (do Ocidente ou do Oriente), ou mesmo na América do Sul, isto já ocorreu? O buraco é muito mais embaixo de onde o texto mirou…

    • Luciano Basso disse:

      Danir:

      Gostaria de dialogar com você, achei sua resposta ao texto coerente e educada, apesar de discordar dela. A base deste meu pensamento estava na França na revolução e foi base para a constituição americana. Lá, como você bem disse é permitido falar e defender qualquer tipo de idéia,ao contrário de muitos países do chamado 1o mundo. Com certeza é melhor ser assim do que não poder dizer nada.

      No meu entender o problema que o Marum levanta é que o mundo da Nascar (e dos esportes de elite) não só defende idéias racistas mas é racista de fato, o que é deplorável e crime mesmo nos EUA. Para ele isso é tão claro que não precisa de muitos argumentos. E eu concordo com ele.

      Mas eu concordo com você quanto a radicalização que existe dos dois lados (existe racista não radical) transformando tudo em ofensa.

    • Nilton disse:

      Respeitosamente, entendo que teu comentário não foi pertinente, a despeito da tua pretensão.

    • Alfredo Aguiar disse:

      Você mora nos USA cidadão? Porque eu vivo nos Estados Unidos e o que vejo é um Presidente que não honra o cargo e usou o palanque para chamar os atletas que protestavam de Filhos da Puta. Um Presidente vagabundo racista que antes disso veio a público defender os neo nazistas, que acha que os negros da NFL são macaquinhos de circo e que uma vez que recebem seus cheques dos brancos ricos tem que ficar calados e entreter os que lhes pagam o salário. Se hoje existe a possibilidade de negros se manifestarem na América, te garanto que não foi “dada” pelos red necks, foi conquistada com o sacrifício de muito sangue e porrada, do cadáver de Luther King e de todos os que se opuseram a chibata e ao tronco. Se dependesse dos red necks Americanos, os negros jogariam o NFL e voltariam para a senzala amarrados em correntes. Os times não são compostos de loirinhos de olhos azuis porque os negros jogam muito melhor.
      Você é outro filho da puta, não argumento com racista. Você representa o lixo da humanidade, com palavras macias e uma mente doentia e porca. Vá se tratar e se phoder seu verme!!!
      (espero que já que o senhor blogueiro publicou a mensagem do verme racista, também publique a minha resposta. Obrigado)

      • Alfredo Aguiar disse:

        By the way. A matéria do Pedro Henrique Marum é uma obra de arte do jornalismo.

      • Fernando disse:

        Tanta gente “dialogando” civilizadamente com o Danir e o seu comentário/opinião, mesmo discordando, e vem você aqui vociferar, agredir e ofender. É esta sua argumentação? Ou são suas premissas erradas? Porque você vive em um país que é tão ruim assim? É dinheiro? É salário? Mude-se daí. Para que somar quando se pode dividir não é mesmo? Pessoas como você estão tornando o diálogo impossível, acabam com a troca de ideias, estão acabando com o Brasil. Em tempo a matéria é apenas tendenciosa, toma a parte como o todo, como quase sempre. A Nascar é apenas a Nascar.

    • wilson costa disse:

      o comentário mais sensato que li até agora, o seu danir.

    • rafaelle disse:

      “onde os inimigos do país”,,,E você se diz não fascista.

      “Cuba, na China, na Venezuela, na Russia, na Coreia do Norte? Brincadeira.”

      (procure saber do caso em Guantánamo que os americanos “sugaram” o intestino de um sujeito que não podia nem se sentar no tribunal. Colocaram o cara do avesso, se é que entende).

      Os romanos respeitavam mais as outras nações do que os americanos hoje no mundo.

      “As mesmas pessoas que se ajoelham ou que apoiam tal atitude…ou exposição de idéias. Dois pesos e duas medidas.” SOFISMO seu.

      “não coloca fatos e premissas com uma apresentação que justifique o que está dizendo”
      Não leu ou não quer ler. Mas já entendeu.

      Pra você uma obra prima do “American Dream”
      https://www.youtube.com/watch?v=Oz4NBiaxxBY

      Assista Bumfights e viva a América, viva a liberdade de mentira.

      • Danir disse:

        Ninguem que tente violentar (lato sensu) outrem merece algum tipo de consideração, como e o caso do psicopata no filme, que está atingindo alguem de sua própria etnia, Este caso ou o episódio de Guantãnamo não podem definir ou servir de exemplo do povo americano. Caso contrário o que dizer do que ocorreu na China, no Camboja, em Cuba, na Russia ou na Alemanha? Sem falar dos outros. Estas simplificações matam qualquer conversa séria a respeito. Devo condenar os negros e fazer julgamentos rigorosos baseado no fato de que os escravos eram fornecidos aos mercadores por negros que atacavam aldeias rivais para tal fim? O fato de apontar esta verdade histórica me coloca como racista ou supremacista ou inimigo dos negros? Fáça-me o favor. Uma coisa é certa, não sou politicamente correto e penso que os fatos devem ser discutidos sob a ótica do bom senso, e não jogados para baixo do tapete, sob o pretexto chinfrim que o interlocutor é racista, ou algo parecido. Definitivamente não me esquivo da discussão e várias vezes já discuti o assunto com pessoas negras sem maiores problemas ou não me toques.

    • Igor Dusse disse:

      Ok. Os EUA “foram” o país que mais incentivou a liberdade de expressão e inclusive foi este aspecto que eles venderam ao mundo.
      O que o Marum escreveu é que tem uma boa parte da população americana, o principal público da Nascar, que não concorda com esta visão propagada pelo mundo mas esta: O verdadeiro cidadão americano é branco, vive nas pequenas cidades e altamente patrióticos. Para estes a expressão tem que ser restringida no que se refere aos símbolos patrióticos.

    • Danir disse:

      Primeiro quero agradecer ao Flavio por publicar o meu comentário. Gerou polêmica e mostrou q1ue existem pessoas defendendo os dois lados da moeda. Ponto para Nelson Rodrigues e sua opinião a respeito de unanimidade. Minha opinião continua a mesma, Trump não é o meu idolo político, mas com certeza não é o que dizem o que ele é. É só olhar para o seu discurso e analizar suas palavras com relação ao que dizem ou interpretam que ele disse. O caso da Coreia do Norte é um exemplo típico; ele disse que aplainaria a C.N caso esta agredisse algum aliado na Asia ou a América, e logo disseram que ele queria uma guerra nuclear. Esta atitude firme e definida provocou uma reação da China refreando o ditador de merda, que só existe porque a China subsidia. Puro nonsense. Quanto ao racismo, não dá aceitar os argumentos de quem fala em supremacistas brancos e ao mesmo tempo ignora a ação do Black Lives Matter ou a patrulha ideológica nas universidades.. Os dois são deploráveis e são insuflados por uma mídia amestrada que defende interesses totalmente antiamericanos, e que são alimentados desde o final da Segunda Guerra, nas universidades americanas sob a influencia marxista da escola de Frankfurt. Por favor procurem ler a respeito, comparando o que é dito com os fatos históricos. O KKK, não é aliado dos republicanos como está colocado no artigo da carta capital. Seus lideres ou representantes em diversas ocasiões reafirmaram seu apoio aos (pasmem voces) democratas. O assunto é longo e meu maior interesse neste espaço é automóvel. Só gostaria de colocar, que conheço muito bem minhas origens, naõ sou filho de chocadeira, Tenho 18 paises no meu log book de viagens, incluindo uma residência em Londres, longas permanências na China, no Oriente Mèdio na América, em em outros pontos do globo, sempre atuando como profissional. Quando surge algum assunto que me disperte o interesse, eu procuro fontes de informação bem amplas, e não me fio em professores ou mentores, embora ouça o que eles têm a dizer. Não dá para conversar com quem não tem assunto e me chama de filho da puta ou racista. Provavelmente tenho mais amigos negros do que o Pedro Araujo ou o Alfredo Aguiar juntos. Uma Boa Noite a todos e lembrem-se, estudem e não ofendam pessoas que vocês não conhecem, só porque ela pensa diferente. Mais uma vez obrigado ao Flavio por publicar o meu comentário. Provavelmente se nos conhecêssemos seríamos amigos apesar de aparentemente estarmos em lados opostos da trincheira.

      • pedro araujo disse:

        o problema, danir, é tratar um texto que contextualiza sim um problema e entrega uma linha coerente de desenvolvimento de raciocinio como se estas caracteristicas nao existissem. daí minha falta de paciencia

        certamente tenho menos amigos negros, e com certeza conheço muito menos lugares no mundo

        mas solipsismo nunca foi boa base de argumentacao que eu respeitasse, e nao vai ser dessa vez que vai acontecer (a proposito, estava confundindo solipsismo com sofismo, acabei olhando na wikipedia)

        no mais, carniceiro por carniceiro o obama nunca deixou de ser tambem, vide guantanamo e o aumento do contingente estrangeiro dos eua na sua gestao

        no mais #2: sugiro ler sobre a gerra da coreia pra entender como é facil o menino ditador da coreia do norte manter os EUA como inimigos mortais na mente dos norte coreanos. dica: 1/6 da populaçao morta, decorrente de bombardeios em alvos civis (conceito de guerra total que o general mcarthur implementou, ou tentou implementar, nao lembro direito)

        falando em conceitos: o que o moleque (nem tao moleque mais) da coreia do norte esta fazendo nao é nada de novo: está desenvolvendo um arsenal com objetivo de poder de persuasão. ele sabe que nao adianta obedecer tratados de desarmamento ou de nao proliferacao nuclear, que se for de interesse ECONOMICO, os EUA invadem a coreia do norte. vide sadam e suas inexistentes armas de destruicao em massa, ou o gadaffi (quando eu era novo, os jornais escreviam kaddafi), irã/contras, ou mais recentemente a tentativa frustrada de derrubar o cara da siria (inclusive mandando armas e recursos pro ISIS atraves da arabia saudita)

        politica é isso. nao tem santo.

        no mais #657, morar ou visitar paises estrangeiros nos da um tipo de experiencia, da qual prezo muito, inclusive. ter amigos de outras etnias e origens (e especialmente de outras classes sociais, o que na verdade é tao importante quanto, e nisso até que meu hobby me deu certa chance) tambem nos enriquece

        mas daí a achar que nossas experiencias explicam a zona de mundo em que vivemos, é um caminho muuuuuito longo…

        por isso minha falta de paciencia

        e, claro, tambem por contra argumentar um texto usanfo defeitos wue ele nao tem, oras!!!

      • pedro araujo disse:

        ih, cacete, pensadores da escola de frankfurt antiamericanos infiltrados em universidades dos EUA… KKK republicana ou democrata, Black Lives Matter…

        muita preocupação com a manutenção do american way of life vindo de um brasileiro, na minha opinião

        (antes que as pedras venham: meu hobby é 30% baseado na cultura americana. e 90% do que eu uso nesse hobby vem ou é cópia do que vem de lá. portanto, do pecado anti-americanista não padeço)

        bom, temos vários rebotes McCarthistas hoje espalhados pelo mundo, Denir, acho que a luta anti-comunista está bem viva no momento, fique tranquilo.

        o problema é o Keynes assombrando os economistas, o Hobsbawn atrapalhando os historiadores, o Chomsky que nem morreu ainda…

        ah, esses esquerdistas ignorantes…

  15. Paulo Cunha disse:

    Excelente texto, parabéns ao Marum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>