MENU

segunda-feira, 30 de outubro de 2017 - 18:34F-1

FOTO DO DIA

piquezao87

RIO (lembranças…) – Foi numa sexta-feira, primeiro treino classificatório para o GP do Japão — naquela época, valiam os tempos de sexta e sábado para formar o grid. Mansell bateu forte na sequência de “S” de Suzuka e, por conta do acidente, foi vetado pelos médicos para a corrida.

Com 12 pontos de vantagem na classificação, Nelson Piquet, seu companheiro de Williams, conquistou o título sem nem precisar correr. Faltavam duas provas — Japão e Austrália –, e Nigel não poderia mais alcançá-lo, já que uma vitória valia apenas nove pontos.

Tricampeão, Nelson alinhou em quinto no grid naquele domingo, e acabaria abandonando com problema de motor depois de 46 voltas. Tudo bem. A taça estava garantida. Antes, fora campeão em 1981 e 1983, as duas vezes pela Brabham. Primeiro, com motor Ford. Depois, com BMW. Ao ganhar em 1987 com Honda, fechava uma incrível série de títulos com três motores diferentes.

No ano seguinte, Piquet trocaria a Williams pela Lotus, apesar da condição de campeão que, em tese, sugeria a permanência onde estava. Mas o clima na Williams era o pior possível, depois de meses de atrito com Mansell e com a ala que defendia os interesses da rainha no time. Lutar contra um inglês numa equipe inglesa era pesado e Nelson já não estava mais a fim.

Além do mais, a Honda estava deixando a equipe para se juntar à McLaren. Na Lotus, o brasileiro seguiria com os japoneses, que já estavam lá desde a temporada anterior. Já a Williams viveria algum tempo no purgatório com os fracos motores Judd, até se acertar de novo algum tempo depois com a Renault. Não valia a pena.

Hoje o tricampeonato de Piquet faz 30 anos. Todo respeito e reverência a um dos maiores de todos os tempos.

77 comentários

  1. Marcus - Franca disse:

    Esse carro era/é bonito…

  2. Pedro Sartório disse:

    Renault??????

  3. Hoje o Brasil só resta recordar os Títulos do passado da F-1 porque o presente é negro, nebuloso.e ainda incerto. O Piquet seria Tetracampeão se a Williams não o jogasse pro alto em 1986, mas veio 1987 e Piquet foi Tri se vingando da Williams e derrotando agressivo e irregular Mansell no acúmulo de pontos!

  4. Anderson Leite disse:

    Nem tem mais o que comentar aqui sobre o excelente piloto….

    dá até dó dos carros de hoje, vendo essa lindeza aí !!!!! Incrível !!!

  5. Cleverson disse:

    Pelo que contam… Ron Dennis e Piquet na mesma equipe era algo que dificilmente daria certo. Sobre a Benetton campeã em 1994… quem começou o desenvolvimento dela foi o Nelson ainda em 1991. Sabia muito o vascaíno.

    • McLaren-12 disse:

      Não só isso, Piquet ajudou no desenvolvimento da roda há cerca de 10.000 anos. Indiretamente ele é responsável por todos os títulos, de todos os pilotos, de todas as categorias do automobilismo.

  6. Marcelo de Castro disse:

    Que carro lindo!!

  7. Bola da Vez disse:

    Ganhar assim, com adversário acidentado? Até minha vó ganharia! Ora, qualé.

  8. Carlos Pimenta disse:

    Uma coisa é fato, que o Mansell, acelerava uito, em velocidade Pura ele era quase imbatível. Mas dois momentos marcantes naquela temporada: 1) O Piquet entrando a mais de 250 km nos boxes no GP do México, não, não tinha limite de velocidade, bateu o recorde. Imagina, você nos boxes e passa um míssil a 250…. 2) A antecipada na Alemanha, acho eu, Piquet entra antes e os boxes preparados para receber Mansell, dai o mundo todo vendo o Patrick Head, dando chilique com uma prancheta na mão. Realmente, uma guerra de nervos, e o Piquet, aguentou tudo, sem ir chorar no Frank, já que esse recuperava do acidente, O cara é PHODAA

  9. Mario Gasparotto disse:

    Me lembro deste dia. Meu pai comprou o jornal, o que era raro, e tinha o desenho da pista de Suzuka na matéria, pois seria a primeira corrida de F-1 naquela pista. Achei estranho a parte da “intersecção” e perguntei pro meu pai se iria ter um farol ali!! Eu tinha 10 anos! rsrs Ai ele explicou que uma pista passava por cima da outra. Bons tempos!

  10. Brabham-5 disse:

    Pra quem não lembra (ou não quer lembrar) ou não sabe quem foi Nelson Piquet, divido aqui com vocês (com a permissão do Flavio Gomes) esse vídeo que achei no youtube, que tem comentários do jornalista Marcelo Courrege.
    Vale a pena.

    https://www.youtube.com/watch?v=GzCNOBHZRa8

  11. Mateus/SP disse:

    Ê Piquet! Boas lembranças…deixou a Williams pra ser o piloto mais bem pago da F-1 na Lotus. Garantiu a aposentadoria, ele mesmo admite, mas pegou um carro ruim de doer…Acho que os amigos já falaram tudo por aqui. Um cara que nem de longe tem o reconhecimento que merece, por não fazer concessões, por ser autêntico, por não assumir o papel de queridinho da mídia. Por tudo isso gosto ainda mais do Piquet.

  12. CHAGAS disse:

    O Piloto mais técnico que vi correr. Sensacional!!! Parabéns Piquet.

  13. Antonio Rico disse:

    Piquet para presidente do Brasil !
    Eu votaria nele.
    Empreendedor, a favor da livre iniciativa.
    Pra varrer o esquerdismo do Brasil de uma vez.

  14. Léo disse:

    Além de ser um piloto Fodástico, tinha respostas na ponta da língua quando tentavam “cutuca-lo”.
    A melhor frase dele foi, quando tentavam fazer comparações ou lhe pedir opinião sobre um determinado piloto:
    “Nunca precisei ser campeão batendo no carro de outro piloto”!!!!

  15. Brabham-5 disse:

    O PIQUET FAZIA TUDO ISSO, E SEM CHORORÔ, SEM BANDEIRA DO BRASIL NO COCKPIT, SEM NOVELA, SEM DRAMALHÃO, SEM MIMIMI DE “VITIMA DE COMPLÔ” (mesmo com a equipe inglesa jogando contra), sem aparição no Domingão do Faustão, sem entrevista no fantástico, sem especial do Esporte Espetacular, sem namorada apresentadora de tv….
    SEM MAIS.

  16. Brabham-5 disse:

    Quem entende DE VERDADE sobre automobilismo e a história dos campeões da F1 tem no mínimo MUITO RESPEITO e SABE que Nelson Piquet foi/é um dos maiores e melhores pilotos de todos os tempos da F1.
    Deveria ser muito mais valorizado e respeitado no Brasil.

  17. Brabham-5 disse:

    “Grid dos campeões: O GloboEsporte.com montou infográfico em forma de grid com os principais campeões da categoria, usando o número de vitórias como critério de desempate para quem tem mesmo número de títulos”.
    (No tal grid em primeiro aparece Schumacher, ao lado Fangio, na segunda fila, Hamilton em TERCEIRO (!!) e Prost, na terceira fila: Vettel em quinto, Senna em sexto, quarta fila para Jackie Stewart e Niki Lauda; quinta fila para Nelson Piquet (nono) e Jack Brabham, sexta fila: Alonso e Jim Clark, sétima fila: Mika Hakkinen e Graham Hill, oitava fila: Emerson Fittipaldi e Alberto Ascari).
    Alguém aí viu?
    Discordo totalmente desse grid, por alguns motivos:
    1. O número de GPs/temporada de F1 eram bem menores que o atual. Ou seja, as oportunidades de marcar poles, melhores voltas, recordes de pista e vitórias eram bem menores, principalmente dos anos 80 para trás;
    2. Os carros da F1 “do século passado” eram muito mais sensíveis, haviam mais quebras e abandonos, inclusive por falta de combustível, entre outras “panes”;
    3. O nível de competitividade entre carros, equipes e pilotos era muito maior que da F1 “moderna”. Havia mais equilíbrio, maior era o número de pilotos e equipes brigando por títulos e vitórias. E por ai vai.
    Lewis Hamilton entre os 3 maiores da história é piada de mau gosto. Uma vitória de Piquet nos anos 80 com a Brabham, pela dificuldade e pelo equilíbrio das temporadas daqueles tempos (contra as maiores e mais ricas Renault, Lotus, Williams, McLaren e Ferrari e pilotos como Gilles Villeneuve, Niki Lauda, John Watson, Carlos Reuttmann, Alain Prost, Alan Jones, Keke Rosberg – MUITO MAIS HABILIDOSO QUE O FILHO NICO), Nigel Mansell, entre outras feras – vale pelo menos 3 vitórias do Hamilton com a Mercedes hoje em dia.
    Usei o Piquet como exemplo, mas a idéia serve também para todos os citados como rivais do Piquet ali nos anos 80. E de lá para trás a coisa só engrossava no equilibrio.
    (Mas só pelo fato de colocarem nesse “grid” o Schumacher na “pole”, o Vettel á frente do Senna, e o Piquet á frente do Alonso já me deixa bem satisfeito! )
    Hehehehe! Chorem viúvas! Gol da Alemanha!
    #asviuvaspiram
    Hahahaha!! :

  18. Victor disse:

    Todas as homenagens a nosso primeiro tricampeão mundial, um piloto completo e cerebral.

  19. Acarloz disse:

    Pra mim o melhor dos brasileiros e um dos melhores de todos os tempos.

  20. Anselmo Coyote disse:

    Não dava para concentrar apenas em ser veloz estando tão envolvido com o desenvolvimento do carro, o que de fato havia naquela época, o que valoriza mais ainda os títulos.
    Piquet é um piloto que não só correu e foi campeão, mas transformou o automobilismo, a forma de preparar carros, a dinâmica das corridas, e com isso abriu um leque de estratégias que não existia antes de introduzir seus “inventos” nesse esporte.
    Realmente Piquet foi um transformador.
    Parabéns, velho rabugento.
    Vc é o cara.
    Abs.

  21. Gus disse:

    Três títulos com duas equipes e TRÊS motores diferentes…hoje os cabras ganham quatro seguidas na equipe dominante (Vettel), ou alcançam o tetra com um carro 1.6 em oposição aos 1.4 do resto do grid e já são chamados de “os melhores pilotos de todos os tempos”, ou “melhor que Senna” (fase Vettel)…
    Outros tempos, outro tipo de gigantes.

    • Fernando disse:

      Exato, outros tempos, outro tipo de gigantes. Isso quer dizer que épocas diferentes não devem ser comparadas. Piquet correu contra pilotos como ele, e venceu, e foi um dos melhores do seu tempo, mas nunca correu contra os pilotos atuais. Não é possível saber que “era” de pilotos teve os melhores. Com estatísticas relativas é possível saber um pouco mais, e ele não seria um dos melhores, mesmo assim são contextos incomparáveis.

    • Brabham-5 disse:

      Que implicância com alemão!
      Tudo que você “discursou” ai em tom de critica ao Vettel serve para o Lewis Hamilton também! Mas você só citou o Vettel.
      Vamos ver: O Vettel se diz mais fã do Piquet do que de Senna. O contrário de Hamilton, que é tiete do falecido.
      Será por isso sua “memória seletiva” para criticar o Vettel e esquecer que o Hamilton só conquistou campeonatos com um carro ACIMA dos rivais? Além do mais o Vettel não perdeu um titulo para um “picolé de chuchu” como Nico Rosberg seu colega de equipe…
      Pelo contrário, Weber, Ricciardo, Raikkonen (todos esses MELHORES que Rosberg) não conquistaram títulos ao lado de Vettel na RBR e agora na Ferrari (Raikkonen)…
      Que coisa hein?
      “Elas” sempre se revelam nas “entrelinhas”.

  22. Fumio Kurihara disse:

    Aquele era um tempo que ver as corridas na TV tinha sabor de ver disputas duras mas eticas. A qualidade dos pilotos estava nos ajustes de treinos, a dificuldade dos diversos tipos de pistas. Não tinha programa de computador para impor as condições da volta perfeita, dava para escutar o ronco dos V8, 10, 12 e turbo. Hoje não vejo mais. São 3 equipes e 6 pilotos.

  23. GuilhermE disse:

    Essa combinação de cores é uma das mais lindas e espetaculares da F1. Vida longa ao Piquet! E a Honda, hein? Há 30 anos iniciou uma série de títulos (87, 88, 89, 90 e 91), mas agora é ridicularizada publicamente. “Que fase!”, já diria Milton Leite!

  24. Jovino disse:

    Foi um dos campeonatos mais difíceis q já vi. Piquet desenvolveu a suspensão ativa do williams mas com a dificukdade de Mansel em assimilar a Eletronica embarcada, a williams até por influencia maléfica de John Bernard, desistiram do williams ativo e voltaram com o normal para ajudar o piloto inglês. Soma-Se a isto a super concorrência de Senna e Prost mais a pancada que o piquet deu na tamburelo que afetou sua tocada pelo resto da vida. Mesmo assim, correndo contra o time, na raça, no talento, venceu toda a equipe e ganhou este campeonato, que, no início, parecia fácil.

  25. Ricardo Bigliazzi disse:

    Nelson Piquet, um monstro!

    – Campeão com Ford, BMW e Honda.
    – Campeão com Goodyear e MIchelin.
    – Campeão com “carros asa” e “carros normais”.
    – Primeiro Campeão da “nova era turbo”.
    – Revoluciona com a re-introdução do reabastecimento e repagina todo o processo de troca de pneus.
    – etc, etc, etc.

    Se esse cidadão fosse Italiano ou Inglês seria idolatrado como um Deus.

  26. joao disse:

    O melhor e o mais sincero campeão que o brasil já teve.

    Sem papas na língua, foi escanteado pela mídia por não ser o bom moço e não dizer o que eles queriam.

    Demorei muito tempo para desconstruir o mito Senna na minha cabeça, e este lugar foi tomado pelo Piquet pai.

    • valter disse:

      Escanteado pela midia entenda-se Galvão Bueno que ficou com muita raiva de Piquet porque ele não se “vendia” ao babão. Lembro de Piquet dizendo em uma entrevista que Galvão entendia de F1 o mesmo que Piquet entendia de futebol, ou seja, nada. Galvão ficou puto.

  27. Thiago Sabino disse:

    Combinação perfeita… carro veloz, constante, e com um volante dos melhores dos anos 80.

    O carro é lindo. Dos mais bonitos da F-1 em todos os tempos. Combinação certeira de proporções ( sua parte traseira faz lembrar, mesmo que de longe, os perfis dos malogrados Brabham de 85, e o imbatível MP4/4 de 88), cores – essa combinação é absurdamente linda….

    Junte-se a isso, um cara que entende como pouquíssimos de mecânica e como aplicar isso no desenvolvimento de um carro, e pronto. Se a Williams não tivesse praticado o fratricídio em 86, e dado o título de bandeja pro Prost, talvez o Nelsão seria tetra… hipóteses…

    Fora que ele tem essa viatura em casa. O trabalho pra trazer pro Brasil foi coisa que não foi fácil não….

    E longe do que diz a lenda, que ele tinha dado um role com o bicho em Brasilia, o carro não tem motor nem câmbio. Sir Frank o deu, mas oco por dentro. Ainda assim, trazê-lo pro BR, foi foda. Um amigo me contou os detalhes…

    Viva Nelsão. Trinta anos do Tri.

  28. moisesimoes disse:

    - Grande Nelson Piquet! Esse sim, não teve vida fácil e conseguiu com maestria ser campeão de F1 três vezes. Seria campeão da Indy 500 e conquistaria mais coisas, não fossem os acidentes na Tamburello e o das 500 milhas. É imperdoável a FIA “esquecer” de Piquet.
    Meu caderno de 12 matérias (eheh), acho que da 7ª/ 8ª série, era a foto desse carro, claro, com o Piquet ao volante, mas vindo de frente engolindo uma reta. Era o tempo que eu ficava ansioso pra saber qual capa de caderno usaria durante o ano, já que eu não podia escolher. Outros tempos. Decorava os patrocinadores, ICI, CALMA (doido pra saber o que era e ainda não sei), CANON, MOBIL… Saudades dele que, depois de um tempão guardado, mofou e tive que jogar fora.

    • Thiago Sabino disse:

      Vamos la´

      ICI – produtos químicos industrializados (tintas, polivinílicos, etc)

      Calma – divisão da General Electric de computadores focada nas áreas de cartografia, mecânica e arquitetura. Nota que ao lado da logomarca, há um emblema da GE.

      Os outros são autoexplicativos.

      Valeu.

    • Luciano disse:

      Você parece fã do Senna. “Se ñ fossem os acidentes, teria conquistados mais coisas”

      Fas do Senna pensa igual. Pra eles, Senna ganharia 10 campeonatos de F1.

  29. JP disse:

    Lembro deste título. No porrão da Tamburello eu ainda morava na úmida e velha Mogi das Cruzes, encravada entre a Serra do Mar e a de Itapeti. Vivia com a rinite atacada, um horror. Já em Suzuka eu era uma criança feliz, morando na pequenina e ensolarada Santa Branca, não muito distante de Mogi. Bons tempos….

  30. Eduardo Duartte disse:

    Olhando agora essa matéria e a minha linda miniatura da Williams FW11b parece que foi ontem essa conquista do Piquet que na minha opinião foi o melhor piloto brasileiro a alinhar um carro no grid.

  31. Yorkshire Tea disse:

    Engraçado é que, no documentário recém-lançado sobre a Williams, um dos membros da equipe afirma categoricamente que ninguém na equipe suportava o Nigel Mansell. O bicho era muito chato.

    Outra coisa, nos créditos durante a prova do México, listaram os multicampeões, mas esqueceram do Piquet. Sacanagem!

  32. clodoaldo lelli disse:

    nesses tempos a williams fazia campeões hoje junta punhados de de grana e ajuda pilotos brasileiro terem um fim de carreira melancolico rubinho e massa

  33. Wanderson Marçal disse:

    Piquet é um tricampeão meio renegado pelo meio e pelo seu país. Ontem mesmo a F1 colocou a tabelinha dos tricampeões e o seu nome não estava lá. Sei que o Piquetzão faz uns discursos direitistas e tal, acho que mais por fruto do seu meio, mas faz todo sentido um cara autêntico como ele não ser reverenciado como devia num meio tão repleto de malas como na F1 (o Hamilton ontem celebrando o título e mandando indireta desmerecendo o coitado do Rosberg que o havia parabenizado… O Vettel reclamando de tudo e todos o tempo todo…) e num país que tem se transformado em algo tão careta como o nosso.

    Piquet foi o último campeão da F1 old school, que falava o que pensa, que era um racer, que não comprava discurso pra satisfazer patrocinador, que não dava pelotas pra tevê oficial. Tem minha eterna admiração.

    • Ricardo disse:

      Discursos direitistas e tal..?? Nunca tive essa percepção. Mas é uma opinião, não é?

    • marcio sousa disse:

      Bacana essa descrição do Piquet. De fato, não havia percebido isso ainda: Piquet foi o último campeão “romântico” da F1.

    • Luiz AG disse:

      Impressionante como nesse país se coloca política em tudo, até culinária deve ter prato de esquerda e de direita.
      Isso vai afundar o país, junto com todo mundo que acha que seus ideais estão certos e dos outros estão errados.
      Os esquerdistas acharão que esse meu discurso foi de direita. Os direitistas, por sua vez, acharão que é de esquerda.
      Pouco importa.
      Parabéns Piquet e obrigado por nos dar alegria. Um dos mais inteligentes pilotos que já existiram.

    • Fernando disse:

      …”Sei que o Piquetzão faz uns discursos direitistas e tal, acho que mais por fruto do seu meio”…

      Por favor meu caro, qual o problema se um sujeito é direitista? Numa democracia é proibido ser de direita? E fruto do seu meio? Quer dizer que Piquet era “Maria vai com as outras”? Claro que não! Não acho que Piquet era de direita e não me lembro de declarações “direitistas” dele. Não acho Hamilton e Vettel malas, eles apenas vivem no seu tempo. E não acho que nosso país esta ficando careta. Trata-se apenas de uma reação da “direita exagerada” contra os “exageros da esquerda”, minha opinião, claro. De resto concordo, jornalista não perdoa que os trata como deve, a F1 não perdoa autenticidade, e ele também tem minha admiração.

    • Mario Gasparotto disse:

      Campeão old school! Esta ai uma boa definição do Piquet. Foi mesmo um divisor de águas. Até o Prost e o Mansell que ganharam títulos depois, já estavam mais conectados com os novos tempos. Piquet não, era um garagista no mais amplo sentido!

  34. joel lima disse:

    Acompanhei o GP Japão ouvindo de madrugada o rádio. Dois meses antes, a tv tinha pifado e meu pai só teria um dinheiro sobrando no final do ano pra arrumá-la com o décimo terceiro.. Era uma coisa comum na minha época, morador da região periférica de sampa = tv queimada ficar um tempo até ser consertada. Conseguíamos ficar sem tv e não morríamos (rs) – algo que não pode ser compreendido nessa tecnolOrgia que nos obrigam a viver (rs). . E foi através dessa tv pifada que descobri a transmissão da bandeirantes am, se não me engano o narrador era o Éder Luís e os comentários do grande Edgar Mello Filho e o seu estilo “Sílvio Luiz” de comentar, que me fazia rir.
    Pena que Piquet comeu o pão que amassou na Lotus – indo bem no momento em que se iniciava sua decadência que não teve mais volta, até o fechamento. Se por algum lance do destino, Piquet tivesse ido com o motor honda pra Mclaren, certamente mais um título ele teria no currículo.

  35. Pablo disse:

    Comecei a acompanhar a F1 para valer nesta temporada por causa do meu pai, um torcedor fanático pelo Prost. Vi algumas corridas de 86, mas a temporada 1987 foi aonde comecei a gostar da F1 para valer e desde então nunca perdi uma temporada. Acho essa Williams um dos carros mais bonitos de todos os tempos.

  36. José Angelo disse:

    Se o Piquet tivesse a obstinação pela vitória como tinha Senna e Schumacher, poderia ter vencido pelo menos mais 2 ou 3 campeonatos. Não era um velocista como Senna, mas ainda era muito rápido, reunia a porção certa de velocidade, arrojo, paciência, astúcia, constância, perícia além de exímio conhecedor do funcionamento do carro todo.

    O mais incrível na minha opinião, não são apenas os feitos dos 3 títulos e vitórias, mas a forma como foram conquistadas. 2 equipes, 3 fabricantes de motores (com 2 tipos diferentes, aspirado e turbo) e 2 fabricantes de pneus, Além de ter desenvolvido os Pirelli até vencer em 85. Feito para poucos. Além de tudo isso, ainda fez a maior ultrapassagem da história sobre um dos melhores da história e reconhecidamente um dos mais difíceis de ser ultrapassado. Piquet é muito foda! Muuuuito foda!

    • Ricardo disse:

      Isso mesmo. Tricampeão em diversas situações bem diferentes (realçou a sua competência intrínseca), diferentemente do modo como foi o seu incensado sucessor.

    • Léo disse:

      Se tivesse a obstinação pela vitória como tinha Senna e Schumacher?
      Com tanta obstinação os 2 foram campeões o mesmo número de vezes que Piquet
      Piquet usava a inteligência e astúcia em um bólido e fora dele curtiu ao máximo tudo que a F1 podia lhe dar, basta ver a seleção mundial de modelos que ele “pegou”. Heheheheu

  37. AS disse:

    Vida longa ao Tri-Campeao !! … eterno idolo.

  38. Saima disse:

    O Piquet disse que, na verdade, o Mansell teve liberação para correr e o Frank Williams até insistiu com ele. Mas o bigode teria amarelado porque “sabia que ia tomar ferro”. Palavras do próprio Piquet, que disse ainda que no final da temporada já se sentia melhor depois do acidente em Imola e conseguia enfrentar o Mansell em condições de igualdade.
    Não foi a maior rivalidade da História da F1, mas é minha preferida, pessoalmente.

    • Cristiano disse:

      Tem mesmo essa história de que o Mansell poderia correr, mas a gente nunca sabe quando é lorota do Piquet ou não.

      • Saima disse:

        Nunca saberemos com certeza. Mas o Piquet só não correu em Imola porque foi pública e explicitamente vetado pelo Dr. Watkins. Imagino que se essa disputa de título fosse com o Senna ou o Prost, e eles tivessem tido o mesmo acidente que o Mansell, teriam corrido sim ou insistido para isso se proibidos. O Mansell sempre foi dramático e não tinha emocional forte.

  39. Emmanuel disse:

    De fato, caro blogueiro, um dos maiores de todos os tempos!

  40. Alessandro Neri disse:

    Perfeito Flavio, para ninguém esquecer: ” um dos maiores de todos os tempos”, e três títulos com três motores diferentes. Foi o primeiro campeão com um motor turbo na F1 é sempre bom lembrar também. Piquet foi um gênio das pistas. Gênio.

  41. Nícolas disse:

    Não sei se alguém mais percebeu, mas o nome do Piquet simplesmente não apareceu nas DUAS VEZES que a FIA jogou na tela durante o GP do México, a lista dos campeões com três títulos ou mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>