MENU

sábado, 21 de outubro de 2017 - 11:43F-1

TUDO & NADA

SÃO PAULO (é sempre assim, um ou outro) – A seção “Na Garagem” de hoje lembra o histórico dia 21 de outubro de 2007, em Interlagos. Foi quando Kimi Raikkonen conquistou o título mundial pela Ferrari — último da equipe italiana, diga-se — com grande ajuda de Felipe Massa e apenas um ponto à frente dos dois pilotos da McLaren, Hamilton e Alonso, que no final daquela temporada nem se falavam mais. Alonso, todos lembram, rescindiria seu contrato com o time inglês por conta dos atritos com o novato Lewis e voltaria à Renault no ano seguinte.

Aquele dia foi tudo para Kimi, sem dúvida. E, ao mesmo tempo, nada para outro personagem marcante de Interlagos, Rubens Barrichello. Numa Honda que não andava, com uma pintura esquisita e sem patrocinadores, o piloto encerrou sua participação no campeonato com zero ponto. Desde a estreia pela Jordan, em 1993, isso não tinha acontecido: passar um ano zerado. E não voltaria a acontecer nos Mundiais seguintes até 2011, quando deixou a categoria como piloto da Williams.

Kimi largaria a F-1 também algum tempo depois, para voltar na Lotus, ganhar corridas e retomar a carreira na Ferrari, onde segue firme e forte. OK, firme, talvez não tão forte. Rubens foi para a Indy, não deu muito certo, ancorou na Stock e lá está, ganhando corridas e até um título.

São as voltas que o mundo dá. E dez anos atrás parece tanto tempo que dá a impressão de ter sido em outra vida.

rb2007honda

8 comentários

  1. Dez anos já passaram do último título da Ferrari e do único título do Raikkonen na F-1 conquistado bem no estilo roleta russa em cima dos erros dos outros. Dez anos se passaram da estreia do Menino de Ouro chamado Lewis Hamilton que se atreveu a lutar pelo título logo na sua primeira temporada deixando o Maquiavélico Alonso louco da vida, e só não conquistou aquele título logo de cara porque não soube ser cerebral nas duas últimas provas daquele campeonato de 2007. Dez anos se passaram em que o Rubinho naquela equipe nanica da Honda ficou zerado num campeonato em que oito pontuavam numa corrida, esse campeonato de 2007 o Rubinho não vai querer lembrar nem em pesadelo. O Felipe Massa que acabou decepcionando naquele campeonato de 2007 ficando em quarto e fora da decisão em Interlagos não fez mais do que sua obrigação cedendo a vitória pro Haikkonen que nem precisava se esforçar em duelar com ele porque a troca de posições já estava dentro do Script da Ferrari.

  2. Atenágoras Souza Silva disse:

    Seus comentários e postagens sobre a equipe Honda na época era muito hilários!
    Postava fotos de projetos de asas de avião em carros de corrida, e falando que o engenheiro em questão foi contratado pela Honda, e assim por diante. :-)

    Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
    Atenágoras Souza Silva.

  3. Araujo disse:

    Esse carro da Honda de 2007 foi apropriadamente chamado de “acidente ecológico”.

  4. moisesimoes disse:

    - Difícil saber quem foi pior: o pessoal de marketing e publicidade ou o pessoal de engenharia desse carro. Deveria ser “myearthnightmare.com”.

    Quanto ao campeonato, foi tão bom quanto o do ano seguinte, a contar que com aquele Honda “orelha de dumbo” em 2008, Rubinho conseguiria um pódio épico no GP da Inglaterra, o último pela Honda até hoje, se estou certo. Bons tempos.

  5. renato perossi disse:

    Flávio, esqueceu de Barrichello na Brawn em 2009?

  6. Fábio Mendes disse:

    Grande título de Kimi em um dos campeonatos mais equilibrados da história!
    Quem sabe volte a ficar forte e ganhar corridas!

  7. AutoCircuito disse:

    Há 10 anos a Honda também passava vergonha! Interessante! Com um ex-Ferrarista ao volante! Interessante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>