MENU

quarta-feira, 22 de novembro de 2017 - 18:43Kombi & cia.

KOMBI DO DIA

kombimultada

RIO (e chove…) – Olha, na verdade postei a foto da Kombi apenas para vocês lerem o release que recebi (o Detran vive mandando esses releases) e, ao final, fazer uma pergunta que espero, sinceramente, que alguém seja capaz de responder:

Policiais militares da equipe de busca e apreensão do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), que atua no Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), apreenderam nesta quarta-feira (22) uma Kombi com R$ 25,8 milhões em multas.
O veículo, fabricado em 2008, está registrado em São Paulo e pertence a uma empresa. São 2.278 infrações municipais e estaduais, sendo a maior parte por excesso de velocidade e porque a pessoa jurídica responsável pelo veículo não indicou o condutor que cometeu as infrações.
A apreensão ocorreu na avenida Aricanduva, zona leste de São Paulo. O veículo, que não estava licenciado, foi removido ao pátio Auto Shopping São Paulo (Pátio Leste) e poderá ir a leilão. O valor arrecadado será descontado do total de débitos. O restante da dívida permanece em nome do proprietário.
De acordo com a legislação vigente, quando a pessoa jurídica (empresa, por exemplo) não indica o condutor que cometeu a infração, o valor da multa é multiplicado pelo número de vezes que aquela mesma infração se repetiu nos 12 meses anteriores.
Ou seja, se o veículo foi multado por avanço de sinal vermelho dez vezes no último ano e a empresa não fez a indicação do motorista, será aplicada a multa de R$ 293,47 multiplicada por dez, totalizando R$ 2.934,70.

OK. Tem de apreender mesmo e pronto. A pergunta é a seguinte: como é que alguém paga R$ 25,8 milhões em multas? O leilão, obviamente, não faz nem cócegas no valor. A empresa dona do carro assume uma dívida desse tamanho? Qual empresa, tirando as gigantes dos vários mercados e setores da economia, tem esse valor para pagar multas? Digamos que essa Kombi, o que é provável, pertença a uma pequena transportadora, ou a um mercadinho, ou a uma marcenaria. Ninguém tem essa grana. O que acontece com a empresa? Vai à falência? OK. Mas e aí? Quem assume essa dívida? Ela não será paga, claro, mas então acontece o quê? Esse valor infla os números oficiais do governo, como se o Estado tivesse créditos a receber?

Contadores, especialistas, analistas, economistas, manifestem-se!

36 comentários

  1. ALBERTO TADEU SIMON disse:

    Flávio, não sei se você é fã de churrasco, mas tenho certeza de que você faria um, com o material adequado:

    http://www.materiaincognita.com.br/serralheria-artistica-churrasqueira-de-aco-com-formato-de-kombi/

  2. antonio stricagnolo disse:

    Bem simples,havendo fiscalização na rua o que não tem o veiculo ja estaria recolhido e havendo leilões constantes e rapidos o que não tem o carro ja teria pago as primeiras multas e os proprietarios que abusam da incompetencia do estado não fariam mais isso.

  3. Renato disse:

    Eu não me conforme com o fato da kombi pagar o pato (com o perdão das, agora, mal palavras). Ela vai apodrecer quando, poderia ser valorizada naquilo que é real.

  4. JJunior disse:

    As multas realmente servem como crédito para que o estado/municipio utilizem como garantia de empréstimos bancários…

    Não é (totalmente) verdade que os débitos prescrevem com 5 anos. Se for ajuizada a cobrança, não prescreve nunca.

    Apenas se não for ajuizada, a prescrição será de 5 anos.

  5. Adolfo disse:

    Isso se chama MARKETING – parece que a Polícia, CET, o poder público está multando e apreendendo os “maus” motoristas. Não está. Não passa de propaganda. É como as “mega-blitzes” – prendem 20 pessoas procuradas, quando tem 500 mil foragidos. Pegam um carro que deve 25 milhões e tem 25 milhões de carros devendo 1000 reais…

  6. Alexandre disse:

    O que acontece com a empresa?
    Resposta: Geralmente já quebrou faz tempo e não existe mais.

    Vai à falência?
    Resposta,: Se ainda não tiver ido, sim

    OK. Mas e aí? Quem assume essa dívida?
    Resposta: Pode ser passada aos sócios, caso a quebra da empresa não tenha sido regular.

    Ela não será paga, claro, mas então acontece o quê? Esse valor infla os números oficiais do governo, como se o Estado tivesse créditos a receber?
    Resposta: Sim. Após 5 anos sem achar bens ela prescreve e é excluída da dívida ativa.

  7. Rafaelle disse:

    Eu nunca entendi porque não limitam a velocidade dos carros na fábrica. Seria tudo melhor.
    Câmbio melhor, menor desgaste, melhor fluência do transito, drástica redução de acidentes, economia para o cofres públicos, seguros mais baratos, menor stress social, … e tantas coisas. E vou mais longe os carros deveriam (minha opinião) vir com modo cidade e modo rodovia. No modo cidade ficariam limitados a 50 km/h.
    Chega de louco querendo ganhar tempo nas ruas!!!

    Lembro de uma frase na base aérea de Anápolis. ” Nunca faça do seu Atraso a minha Urgência.”

    • Boer disse:

      Isso é algo que eu discuto e defendo desde que tinha tirei minha CNH. Por que não limita a velocidade dos carros e ponto? Grande parte das coisas ruins do trânsito se resolveria.

      • Carlos João disse:

        Imagina você tendo que fugir de uma situação de perigo (um carro na contramão por exemplo) e seu carro limita a 50 km/h.
        Está respondido a sua pergunta.

      • Bruno Bracetti disse:

        Pq e a maior idiotice que já vi. Dentro de uma mesma cidade existem vários limites de velocidade, de acordo com a região. O mesmo vale para estradas. O que se tem que fazer é educar os motoristas e ter mais critérios na liberação das CNHs. Talvez assim tenhamos veículos lentos na faixa da direita e a faixa da esquerda liberada para quem quiser andar mais rápido, estando ou não acima do limite (que pode mto bem ser justificado com uma emergência, alguém passando mal, etc).

    • Por que não limitam a velocidade dos carros na fábrica?

      Porque é fácil de ser removido. Os carros europeus são obrigados por lei a saírem de fábrica com velocidade máxima limitada a 250 km/h, mas é só o cliente sair da concessionária e alterar a ECU. Mais uma vez o Estado intervindo e criando uma lei que não funciona na prática.

      Os carros deveriam vir com modo cidade e modo rodovia. No modo cidade ficariam limitados a 50 km/h.

      Como você obrigaria alguém a usar o modo cidade na cidade? Mais uma vez o Estado intervindo e criando uma lei que não funciona na prática.

      • Bruno disse:

        Pq e a maior idiotice que já vi. Dentro de uma mesma cidade existem vários limites de velocidade, de acordo com a região. O mesmo vale para estradas. O que se tem que fazer é educar os motoristas e ter mais critérios na liberação das CNHs. Talvez assim tenhamos veículos lentos na faixa da direita e a faixa da esquerda liberada para quem quiser andar mais rápido, estando ou não acima do limite (que pode mto bem ser justificado com uma emergência, alguém passando mal, etc).

  8. luigi disse:

    Lendo os comentários ,chego a conclusão de um antigo bordão, pronunciado por uma comediante de sotaque gringo ,era e ainda é a mais pura verdade. Pois ,brasileiro é muito bonzinho , mesmo. Principalmente por aqueles que os leva pela coleira,ou seria mais apropriado , pelo cabresto!
    Pois é de conhecimento público mundial que nas grandes cidades brasileiras os radares de velocidade são colocados em pontos estratégicos ,não para segurança dos usuários da via , mas sim para arrecar dinheiro com a indústria da multa, pois os valores de velocidade indicadas como máxima admissível seriam muito adequadas no tempo em que o Ford model T era o que tinha de mais avançado em dinâmica automotiva para os carros mais populares. Tem inúmeras vias com limites de velocidades ridiculamente baixos para os padrões atuais(mas põe muita a amostra em que século está a cabeça de algumas “propriedades”)

  9. AS disse:

    ,,, e a culpa vai cair em cima da Kombi que nao tem nada a ver com as imprudencias, negligencias dos seus motoristas.

  10. Herik disse:

    Será que o dono(s)/motorista(s) adoram reclamar da tal “indústria da multa”?

  11. Ricardo Talarico disse:

    Respondo sua pergunta com outras perguntas.

    Por que razão as autoridades não vão ao endereço do proprietário do veículo, efetuar a apreensão, antes das multas atingirem esse valor absurdo ?

    Por que razão os radares que “lêem” as placas dos carros para multar por infrações ao rodízio não são utilizados para localizar um veículo que está com multas acumuladas, impedindo que a soma dos valores chegue a esse valor absurdo, que dificilmente será recebido ?

    • Ricardo Bigliazzi disse:

      Quanto a leitura das placas e paralisação dos carros logo depois isso já é feito em algumas rodovias, quem nunca viu um guarda a parar carros de forma aleatória na Rodovia Imigrantes antes do inicio da descida da Serra do Mar, antes deste posto da policia rodoviária existe um radar desses. Normalmente você ve o carro que estava a sua frente nos ultimos 10 quilometros ser parado, nem você imagina o que aconteceu mas o policial sabe que o carro esta irregular. Essa tecnologia esta em uso desde 2010 no Estado.

      Quanto a pagar as multas, bem, é um dever do cidadão.

      Se isso existe como crédito a inflar o “resultado do governo”? Não, não existe esse tipo de contabilidade.

  12. Mario Neto disse:

    É tipo as punições de perda de posições na F1.
    Chama o Alonso que ele é craque nisto e vai te explicar.

  13. Acarloz disse:

    É mais uma conta que ninguém paga, ou todos pagamos, nem sei.

  14. Rafael Travassos disse:

    O nosso admirado prefeito está tentado captar dinheiro no mercado através de debêntures usando como garantia multas ainda não aplicadas. Gênio.

  15. Rizzo disse:

    Sobre a dívida, o valor é inscrito na dívida ativa e a Prefeitura tentará cobrá-la pelas vias formais. Não conseguindo, isso é inscrito como crédito de difícil recuperação ou perda.
    Ademais, não vi comentários no sentido de que esse carro pode não ter sido executor de tantas infrações, mas sim, ter sido usado como receptor de multas de outros. Em outras palavras, aquele cidadão de bem que, para não ter sua carteira suspensa por excesso de pontos, pagou para alguém e esse alguém transferiu esses pontos para o registro da pobre Kombosa. Doce ilusão de nosso cidadão de bem achar que os pontos simplesmente sumirão.

  16. GERSON TREML disse:

    Para a cobrança desse débito o munícípio terá que inscrever o débito em Dívida Ativa e posteriormente ajuizar execução fiscal.
    Caso o proprietário não tenha bens suficientes para serem penhorados e posteriormente expropriados, o processo será suspenso por um ano.
    Ao fim desse ano poderá ser arquivado.
    Contando cinco anos do arquivamento haverá a prescrição da dívida.
    De uma maneira simplificada, é dessa forma que as coisas funcionam.

  17. Nelson Pasini disse:

    O tal Gedel Vieira Lima, isso aquele dos 51 milhões no bunker/apartamento, num ato de redenção poderia pagar as multas da empresa dona da kombi e sobraria um troco de 22 milhas em Themers atuais. Nada mal não é.
    Pasa

  18. Williams Head disse:

    O que acontece na verdade, Fávio, é a institucionalização da frase: “Os bons sempre pagam pelos maus”.

    As multas são caras, os juros são altos, porque as pessoas ruins não pagam multas e nem juros. Vide perdão de dívidas que mês sim, mês não, os Clubes de Futebol e os grandes bancos recebem do governo. Clubes e bancos que pagam verdadeiras fortunas em salários para jogadores e diretoria.

  19. Flavio Bragatto disse:

    O que é mais engraçado é que quem “deve ao estado”, é o carro, e não o dono/condutor.
    Isso deixa claro uma situação de impunidade, afinal o dono é devedor, mas pode andar livremente por aí, até que caia num comando deste tipo.
    Essa Kombi com 25 Milhões em multas, eu acho que é um recorde, mas tem muito carro aí, com licenciamento vencido e dívidas na casa dos R$ 10 mil, só por causa de um IPVAzinho (4% do valor venal) e meia duzia de multas, que, exceto as que tem foto, o resto faz parte da “indústria”.
    Multas, licenciamento vencido, IPVA e DPVAT não pago, fazem o carro ser preso, e não o dono! O carro não tem culpa de ter um dono que não pode arcar com os custos para mantê-lo. O documento deveria ser liberado para que o dono pudesse vender o carro e quitar suas pendências com o estado.
    Bloqueiem a CNH, o Titulo de Eleitor, CPF, sei lá… mas liberem o documento do carro que não tem culpa.

    • Lucas Soares disse:

      ISSO MESMO VAMOS BLOQUEAR TUDO NA VIDA DO CARA!!!!! E TRAVAR A VIDA DELE IMPEDINDO ASSIM QUE ELE CONSIGA SUSTENTAR SUA FAMÍLIA. CARA SABEMOS QUE ELE ESTÁ ERRADO, MAS PORÉM GOSTEMOS SIM OU NÃO, ESSE VALOR NÃO VAI E NEM DEVE SER RECEBIDO. MORAR NA RUA COM A FAMÍLIA PQ BLOQUEOU O CPF E ELE NÃO CONSEGUE NEM ALUGAR UMA CASA? NÃO CONSEGUIR EMPREGO PQ NÃO TEM NEM TÍTULO DE ELEITOR E NÃO PODER PRESTAR UM CONCURSO PÚBLICO ? PARCEIRO A VERDADE NUA E CRUA E ESTA A DIVIDA DEVE SER PERDOADA EM VALOR FINANCEIRO OU COBRAR ALGO APENAS SIMBÓLICO E EXIGIR DO PROPRIETÁRIO AULAS DE TRÂNSITO E SERVIÇOS SOCIAIS. AGORA QUERER COBRAR MAIS DE 20 MILHÕES, BUSCAR CASA FERRAR COM A VIDA DE UM CARA AI JÁ BEIRA AO RIDÍCULO DE GENTE QUE SE ACHA HONESTÍSSIMA DEMAIS E QUER SAIR PRENDENDO BATENDO MULTANDO PUNINDO TODO MUNDO. ALGUÉM AQUI NÃO PAROU PARA PENSAR QUE 20 MILHÕES EM MULTAS PARA UM CARRO FABRICADO EM 2008 NÃO É UM VALOR NO MINIMO ABSURDO ? ESSE VALOR CAIRIA EM MAIS DE 90% CASO SE RETIRE A LEI DE MULTIPLICAÇÃO DOS VALORES PELA FALTA DE CONDUTOR, AI O VALOR JÁ SERIA MUITO MAIS BAIXO E DEPOIS EU VEJO UMA INEFICIÊNCIA DO ESTADO AFINAL PRA TER TANTAS MULTAS O MOTORISTA DEVERIA ANDAR ERRADO O TEMPO TODO SEMPRE FURANDO SINAL SEMPRE, ESTACIONAMENTO EM LOCAL PROIBIDO E ACIMA DA VELOCIDADE SEMPRE, NESSE CASO A POLICIA E INCOMPETENTE DE DEIXAR TANTO TEMPO ESSE VEÍCULO RODANDO. SE FALA DEMAIS NO LIBERALISMO AMERICANO MAS SE FOSSE NOS ESTADOS UNIDOS ESSE VEÍCULO TAVA APREENDIDO NO PRIMEIRO ANO. E BASICAMENTE COMO VOCÊ ACHA UMA NOTA DE CEM REAIS NO BOLSO DA CALÇA LAVADA SEM ESTAR ESPERANDO ENCONTRAR DINHEIRO PERDIDO; PRIMEIRO VOCÊ FICA FELIZ DEPOIS DESCOBRE QUE OU VOCÊ E MUITO RICO E TEM TANTO DINHEIRO QUE NEM SABE PARA AONDE ELE VAI E GASTA PACAS OU SEGUNDO VOCÊ DESCOBRE QUE E UM PÉSSIMO ADMINISTRADOR FINANCEIRO. O ESTADO E ISSO ELE ACABOU DE MOSTRAR QUE E HORRÍVEL PQ DEIXA UM VEÍCULO RODANDO COM TANTAS MULTAS E AGORA FA A APREENSÃO E FICA TODO MUNDO FELIZ DIZENDO OLHA SÓ A PREFEITURA DO DORIA ESTÁ TRABALHANDO HAAA VAI CAGAR!!! O POVO GOSTA DE FUDER COM AS PESSOAS COMUNS QUANDO VEEM CASOS ASSIM AGORA QUANDO O TEMER PERDOA DIVIDAS DE BANCOS QUE NÃO PERDOAM A DIVIDA DO ESTADO AI O TEMER TA CERTO PQ E PARA MANTER A ECONOMIA AQUECIDA. KRA TROUXA E DEM ACHA QUE ISSO VAI VIRAR ALGO E DIGO MAIS SR. DORIA DEVERIA SER QUESTIONADA SOBRE O USO DE SERVIÇO PUBLICO PARA SUA PUBLICIDADE. JÁ DEU PASSOU DA CONTA.

  20. Paulo disse:

    Quando se trata de dívida bancária, que é um contrato certo, a justiça pode penhorar seus bens, exceto sua residência, se for seu único imóvel e você residir nele. Se a dívida é de um milhão de reais e o único bem no seu nome, incluindo contas correntes, for, por exemplo, uma motinho que valha 5.000,00, o juiz pode desistir da penhora por que ela vai te causar um ônus e não vai resolver o problema, até o ponto em que ele pode declarar a dívida como impagável e encerrar o processo. Depois de 5 anos seu nome fica limpo no SPC, mas fica para sempre sujo naquela instituição bancária. Se fizermos uma analogia, a “pena” seria não mais poder fazer nenhum negócio envolvendo os governos municipais, estaduais e federal credores dessas multas.

  21. Marcelo Saldanha disse:

    Boa noite, Flavio. Gostaria de saber como posso mandar duas foto de kombis que tirei em Portugal para você. A propósito posso também enviar uma foto de posto de gasolina para barcos?

  22. paulo pro disse:

    Basicamente uma brecha que ninguém quer (ou tem o interesse) em resolver: Carros em nome de empresas. Faça isso e fique acima do CTB pagando uma taxa variavel anual que engorda os cofres e voce não sera impedido de dirigir. Pq ja vi casos de veiculos que eram leasing em nome de pessoas que nao tinham carta e não houve nada disto de multiplicar o valor da multa por x vezes que ela foi efetuada. Se vc não aloprar como o dono da kombi, vc nunca “perderá” sua carta e contribuirá para nossos governantes

    • jao tibao esperto disse:

      Nenhuma empresa vai ficar alisando cabeça de funcionário pagando multa por eles.

      Onde em trabalho, por exemplo, – uma empresa média e privada -, as multas são todas passadas para os motoristas, e assim também vão os pontos. A empresa nem cogita pagar (por mais q tenha vindo a ordem pra ele ‘ir rápido’, e isso ter causado a multa)

      Isso só faz algum sentido se o infrator for dono da empresa e ele não tiver nenhum interesse em vender o veículo depois…porque senão, é prejuízo do mesmo jeito.

  23. Rafael P Chinini disse:

    igual quando uma empresa qualquer de telefonia por exemplo, paga alguma multa de milhões por prejuízo aos usuários…mas os usuários mesmo não tem retorno dessa grana em nada. vai pra algum buraco negro do governo

  24. Saima disse:

    FG, a dívida permanece, é inscrita como dívida ativa com a prefeitura como credora. Ela pode cobrar judicialmente, botar no SPC etc.

    http://www.dividaativa.pge.sp.gov.br/da-ic-web/pages/generico/IPVA_duvidas_frequentes.htm

  25. Wesley Andrade disse:

    Sinceramente, não sei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>