MENU

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018 - 11:11Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10″: RESPEITEM AS MENINAS

46 comentários

  1. kalil disse:

    Prezado FG, boa noite.
    Filosofando sobre o ‘politicamente correto’, imagine ai:
    - Vão tirar as modelos femininas dos salões de automóveis também?
    - E os calendários com mulheres em poses sensuais?
    - As propagandas de cervejas com mulheres seminuas? (lembra da gotinha?)
    Aham…
    :o|
    Essa humanidade tá ficando chata pacas!
    Abraço.

  2. Flavio Costa disse:

    Tirou meu comentário babaca?

  3. Flavio Costa disse:

    Nada a ver com respeito, mesmo porque em todos os segmentos e lugares, sempre terão engraçadinhos metidos à besta! As grid girls fazem parte da tradição da F1, e é o trabalho delas! Se os caras não são chegados em mulher, problema de cada um. O fato é que o mundo e a F1, estão cada vez mais chatos, com esse politicamente correto hipócrita! Saudade da F1 sem frescuras!

  4. Mauro disse:

    Não consigo concordar. Óbvio que o respeito não só as meninas como para tudo e todos vem em primeiro lugar. Mas é aquela velha história existe uma absoluta minoria (principalmente na F1) que vai lá chamar as garotas de gostosa o que nós fazemos? Eliminamos esta minoria boçal? Tiramos o animal do ambiente para ele refletir? Não, a gente acaba com uma fonte de renda e mercado de trabalho de centenas, talvez milhares ao redor do mundo. Por causa de umas goiabas bichadas vc derruba o pé inteiro?

  5. Garlet disse:

    Vai quem quer. Elas vão porque gostam. Mulher adora aparecer, mostrar os peitos, se sentir desejada. Isso é NORMAL. Não vejo problema nenhum nas GRID GIRLS. Me pareceu DECISÃO DE BAITOLAS, que se sentem invejosas em relação ao poder da mulher, a beleza feminina. Que mundo mais estranho vivemos hoje, bonito é ser gay, nada contra mas estão forçando a barra. Daqui a pouco mulher vai ter que andar de Burca, e viado vai poder andar pelado.

  6. René G Barreto disse:

    buenas, ontem assisti seu vídeo e não quis opinar de pronto, preferi um pouco de reflexão; embora tenha gostado dos seus argumentos de 2018 (!), hoje, uma coisa ficou estalando na minha cabeça: “alguma gridgirl foi consultada sobre o assunto?! “de novo”, é um monte de homens decidindo o que é melhor para as mulheres…..”, então do modo como parece ter sido, não gostei dessa decisão.

  7. Luciano disse:

    Esses caras são um bando de baitolas.
    Alguém perguntou as meninas?
    Que povo chato.

  8. sandro disse:

    O que eu penso está diretamente contra o que você pensa e elas mesmas respondem. http://esporte.ig.com.br/automobilismo/2018-02-01/grid-girls-protestam-f1.html

    • Rico disse:

      Não há nada mais machista do que homens e mulheres defensoras do chamado empoderamento feminino dizendo o que outras mulheres podem fazer ou não. Interessante ouvir as pessoas antes de tomar uma decisão que afeta a vida das mesmas. Li e reli muitos comentários machistas contra as GridGirls no twitter por elas defenderem o direito de decidir se querem ou não trabalhar como grid girl, sendo que a grande maioria foi emitida por “feministas” e por defensores do politicamente correto. Recomendo aos ativistas do politicamente correto ler a opinião da primeira engenheira chefe de tripulação a vencer Le Mans, já que aparentemente a opinião das grid girls está sendo relativizada através de esteriótipos.

      https://twitter.com/Leena_Gade/status/959278616595976192

  9. John Player disse:

    Bom, se grid girls, pilotos, atletas, jornalistas, atores, músicos vão começar a chorar e vão ter de mudar de profissão porque vão acabar com a sua profissão “por causa
    do desrespeito de uma MINORIA, por receber vaias, ser alvos de piadas ou criticas, então vamos parar com tudo.
    Ao invés de punirem quem é desrespeitoso (deve ser uma grande MINORIA), vão acabar com as grid girls!
    Então, logo quando uma criança sofrer bullying na escola, ela será convidada a não voltar mais para a escola e o praticante do bullying segue a vida tranquilamente na mesma escola.
    Estão punindo as “vítimas”!!.
    Que mundo bizarro, fresco, e cada vez mais sem graça isso aqui está viarando
    Absurdo.

  10. Julio disse:

    E na boa, o que ira mudar tendo ou não as meninas? Absolutamente nada. Eu torço mesmo é por pegas entre 4 ou 5 carros na ponta, torço pelo fim da hegemonia de uma ou duas equipes, por toques, por brigas acirradissimas dentro e fora da pista.

  11. John Player disse:

    Nada mais MACHISTA, CONSERVADOR E FASCISTA do que os “argumentos” dos hipócritas do “feminismo” e da “defesa das mulheres” meste caso do fim das grid girls.
    E os HOMENS que apoiam isso são os maiores hipócritas já criados na raça humana.
    Os maiores cafajestes são aqueles que se escondem atrás da máscara do “politicamente correto” e “defensores dos direitos” das mulheres.
    Trama todo mundo como se fossem CRIANÇAS IGNORANTES, que precisam ser GUIADOS, de preferência pelo ESTADO, com regras criadas POR UMA MINORIA, sem ao menos consultar a opinião de quem será afetado por essas “regras”.
    DUVIDO que consultaram a opinião das grid girls…
    Mas quem apoia essa IMPOSIÇÃO, ainda faz pose de “democrata”.
    Ridículo.

  12. Brabham-5 disse:

    A CHATICE EXTREMA do “politicamente correto” está numa proporção ridícula, e ESTÁ SUFOCANDO E MATANDO a graça de TUDO. Dos esportes ás artes.
    É muita gente querendo pagar de “esclarecido” querendo enfiar goela adentro de todo mundo o que deve ou não deve ser “correto”.
    Todo mundo sabe onde estão os limites do bom senso.
    Agora fica esse FASCISMO DISFARÇADO de “‘politicamente correto” fazendo engolir “regrinhas” que meia dúzia de histéricos, oportunistas e sensacionalistas estão criando.
    Sem esquecer das femiazzi hipócritas. “Vadias”!
    Fico com as palavras das ex-Grid Girls:
    Rebecca Cooper, que já trabalhou cinco vezes como grid girl.:
    “Então o inevitável aconteceu, baniram as grid girls da F1. É ridículo que as mulheres que dizem estarem “lutando pelos direitos das mulheres”, estão dizendo o que se pode ou não fazer, nos impedindo de realizar um trabalho que amamos e temos orgulho de fazer. O politicamente correto enloqueceu.”
    “Uma peça de mobiliário com roupa”, “objetificando sexualmente a mulher”, “provocativo”, “eu nunca deixaria minha filha usar uma roupa de grid girl”. Esses são alguns dos comentários que vi hoje. As pessoas não fizeram suas pesquisas direito, já que essas são as minhas roupas nos últimos cinco anos na F1.”

    Quem também se manifestou sobre o assunto foi a engenheira Leena Gade, tricampeã de Le Mans pela Audi.

    - Sobre as grid girls. Não entendo a lógica de quem está de fora. Vocês se deram ao trabalho de se perguntar poque não temos engenheiras, mecânicas e pilotas? Acontece por uma educação pobre. Não me usem de “exemplo” de uma mulher que chegou onde queria. Meu esporte é cheio de mulheres que “chegaram lá” em um local dominado por homens, e não foi pela “sexualização das mulheres”, mas pela nossa paixão e porque acreditamos em algo que queríamos fazer.

    - Grid girls representam marcas, patrocinadores e times. Elas têm noção dos produtos e são pagas para captarem potenciais clientes e oportunidades. Muitas usam o dinheiro para complementar a renda ou pagar por educação. A era de mulheres seminuas já passou há muito tempo e, mesmo que não, eu não teria mudado de ideia, pois tinha pais e professores que me apoiavam na minha escolha.

    - Banir essas mulheres de ganhar dinheiro não é igualdade. Parem de pensar por nós no esporte. Pergunte a garotas nas escolas se elas gostariam de trabalhar com automobilismo e porque elas acham que engenharia, relações públicas, chefia de times e pilotagem não são para elas. Eu aposto que é porque os amigos dizem que é impossível. Banir grid girls é politicamente correto e será tão bem-sucedido quanto a revista playboy banindo nudez #Corrijaoproblemareal – ironizou.

    Lucy Stokes, grid girl de motovelocidade
    - Eu amo o meu trabalho. Eu sou respeitada, bem paga e orgulhosa de representar o time para o qual trabalho. Não é certo que niguém, incluindo feministas, julgue nosso trababalho quando estãod eixando tantas mulheres sem emprego. Onde está a igualdade e o empoderamento nesse caso?

    Michelle Westby‏, ex-grid girl, hoje pilota dublê e competidora de drift
    - Se não fosse pelo meu trabalho gird e como modelo promocional, eu não estaria onde estou agora, em um ambiente dominado por homens, trabalhando como pilota dublê e competindo como pilota de drift, inspirando e influenciando outras mulheres a não se intimidarem neste ambiente. Eu recebo mensagens o tempo todo de garotas dizendo o quanto eu as motivo e o quanto elas têm vontade de pilotar, achando que nunca seriam aceitas. O que as pessoas não percebem é que temos um grande conhecimento dos produtos que promovemos. Cabe a nós decidir se estamos ou não confortáveis na roupa que teremos de usar. Usamos mais roupas do que adolescentes nos supermercados. Hoje não trabalho mais de grid girls, mas pensar que um monte de meninas perderam um renda importante porque feministas pensam que sabem de tudo, quando não sabem de nada, é frustrante..

    • Renato disse:

      Nossa, muito grande. Vou esperar sair o filme.

      Concordo com o Flavio. Bom acabarem com as grid girls. Quer manter os empregos delas? Coloca elas para entrevistarem familias nas arquibancadas.

      Tira as grid girs e coloca os V12 de volta… que tal? Afinal, é automobilismo. Se quiser ver mulheres bonitas em trajes sumários, tem outros lugares pra isso.

      []‘s

  13. sandro disse:

    Respeito seu comentário no video, mas nada a ver, as chamam de gostosas, transformando as meninas em objetos, aff……são mulheres bonitas que estão la fazendo seu trabalho, embelezando os grids, que o mundo mudou, que os homens são mais fortes,,,,,,,,,(sic) ……..você levou isso muito a sério, não é porque babacas as chamam disso ou daquilo que são o que acham que são….daqui a pouco, do jeito que está pensando ninguém num estádio de futebol vai poder xingar o juiz….ou mandar o bandeirinha pros inferno……é feio, sim,….o respeito é o mesmo pra um Arbitro e para uma Grid Girl……..ou para as mulheres você acha que o respeito deve ser diferenciado? respeito é respeito, então vamos acabar com os árbitros e bandeirinhas (auxiliares, como queira).

  14. Giovanni disse:

    Não é só a questão dos comportamentos inaceitáveis, machistas, etc que uma grid girl sofre. A Liberty também está considerando o fato de que hoje há inúmeras formas mais produtivas de conquistar espaço e ganhar dinheiro do que exibindo um corpo, fato comprovado pelas próprias mulheres.

    Por exemplo, se analisar nos últimos anos, a maioria das pessoas aprovadas nos mais difíceis concursos são do gênero feminino, inclusive em cargos historicamente masculinos como delegados e policiais. No Rio Grande do Sul, a relação entre delegadas e delegados nos últimos dez anos passou de 1 para 10, para praticamente 1 para 1,

  15. João Paulo Toledo PIza disse:

    Concordo com exatamente tudo que disse Flavio, mas elas faram falta pelo simples fato de que elas embelezavam e embelezam por onde passam seja na F1 ou na Av. Paulista !!

  16. pedro araujo disse:

    muito bom, gomes

    nao vejo muito os videos, mas o titulo me atraiu, e o assunto confirmou meu interesse

    inclusive o conceito de “correto” no lugar do “politicamente correto” é excelente, vou adotar…

  17. Eric arruda disse:

    Concordo 100%
    Excelente vídeo

  18. Jonny'O disse:

    Sou contra, acho que é jogar o problema pra debaixo do tapete.

    Acho um absurdo o desrespeito , quem é idiota ou tem atitude idiota tem que ser punido!

    Estamos caminhando pra esconder as pessoas, assim logo terremos burcas , ninguém vai poder mostrar o corpo porque isso vai constranger quem se acha gordo, feio , magro , branquelo , vermelho, amarelo , careca …..etc

  19. Alexandre Neves disse:

    Estava inspiradíssimo! Belo video, texto, verdades. Minha esposa, que nem acompanha automobilismo, adorou!

  20. Iago disse:

    Bom vídeo, porém discordo do argumento principal. Imagina tirar assistentes e árbitras do futebol por causa do comportamento lixo do público? Estariam punindo mais ainda as vítimas do desrespeito. Gostava mais da ideia do grid misto, com meninos e meninas.

  21. rafaelle disse:

    O respeito é a mais difícil das virtudes.
    Acabei respondendo respostas de 2015,(falta de atenção, desculpe).
    Ótimo testemunho de coragem! Eu já agi com falta de respeito com as mulheres e disso me envergonho, mas os que se dizem amigos me aplaudiam.
    Quem não ria com os discos do Costinha…

  22. Mario disse:

    Concordo com você porém acho que fecha uma porta para as meninas que apesar de terem os babões lá falando asneira encaram aquilo ali como um trabalho sério. E aquela parte ali que antecede a largada talvez não seja significativo no tempo total de trabalho delas. Eu acho que faz parte do “circo” da F1, não os xingamentos, mas as garotas com a publicidade ali no grid. Ainda bem que temos a Moto GP. Abraço

  23. Beto Carpini disse:

    Ótima colocação. Acima de tudo respeito com o próximo. Eu, particularmente, vou a corridas para ver carros e ultrapassagens. As grid girls para mim, não fazem a menor diferença. Nunca fui a Interlagos para ver grid girls.
    Seria muito mais interessante se Liberty colocasse os carros enfileirados, no estilo Le Man, no grid, para o público, passasse pelo local e visse todas as “maquinas”

  24. Marcelo Ventura disse:

    Segundo o discurso (correto) hoje, “a mulher pode ser o que ela quiser.”
    Mas será mesmo que pode?

    • Marsal Almeida disse:

      Pelo jeito não, ela não pode ser Grid Girl, no Uol tem entrevista com duas q são contra está medida, respeito a opinião, mas o problema é o comportamento desses “50 homens” q desrespeitam elas no autódromo, na padaria, na praia e etc., eu lamento, desfile de moda e concurso de Miss estão com os dias contados.

    • Marcelo Ventura disse:

      Perfeito, Anderson. Estas pessoas acham que a proibição irá curar a doença de alguns. Desde que o mundo é mundo, o ser humano tem várias doenças. A cura delas será por estes métodos, como se fosse uma epidemia? O que se precisa cuidar é do indivíduo doente.
      E aí, o direito que uma mulher tem de ser modelo, de usar um evento assim para promover o seu trabalho,
      lhe é retirado.

  25. Leonardo Amorim disse:

    Olá Flávio, está agitado hoje !!! Seguinte concordo integralmente com você, entretanto estive matutando, nestas discussões todas ninguém botou um microfone na boca nas meninas (pelo menos eu não vi) e ouviu delas o que elas pensam, o que tem a dizer enfim. Acho que tirar sem ouvir, estaríamos também tratando-as como objeto.

    • Ricardo Bigliazzi disse:

      Isso acontece em qualquer lugar do Brasil. A coisa tá meio sem controle mesmo. Cada um para si e ninguém é de ninguém.

      Segue o jogo, quem quiser continuar a ver mulheres bonitas e um aparente alto astral tem que migrar para a Moto GP, por lá continua tudo na mesma, com festa e alegria no rosto de todos os integrantes do circo da motoGP.

      • Roberto Beatlemaniaco disse:

        Quem quiser continuar a ver mulher bonita….olha só o argumento preconceituoso do machista Bigliazzi. Mulheres feias, gordas e velhas não têm direito a nada neste mundo, né ? Esse negócio de grid girls já DISCRIMINA as próprias mulheres na origem da coisa. É igualzinho a concurso de miss.

      • Ricardo disse:

        Roberto, Roberto, quer dizer que as feias, gordas e velhas sofrem bullyng porque existe desfile de moda, concurso de miss e existia grid girls onde desfilam bonitas, magras e jovens? Bah, que mundo pirado este em que estou vivendo. Pobre de mim que sou gordo, velho e feio então. Cara, existem pessoas bonitas fisicamente e feias. O fato de haver um concurso que premia as bonitas humilhas as feias então? Ah cara, neste caso a solução é não fazer um concurso que abra espaço para as feias, mas fornecer terapia para cada um se aceitar como é. Eu queria ter um iate ancorado em Angra, mas sorry, não tenho dindin para isso. Logo, abaixo aos iates ancorados lá que humilham a mim que sou um pobre rapaz latino americano sem dinheiro no bolso!

      • Gustavo disse:

        Não, Roberto problematizador. Ninguém quer ver as gordas feias não. Quando foram perguntar o que as próprias grid girls acharam da medida…

        https://globoesporte.globo.com/motor/formula-1/noticia/furiosas-grid-girls-se-manifestam-contra-decisao-ridicula-da-formula-1.ghtml

      • Marcus disse:

        Roberto, cada um tem um padrão de beleza meu caro… Quem disse que mulher gorda é feia? reveja seus conceitos, pois a discriminação partiu de você…

  26. Mauro Sousa disse:

    Todo mundo sabe que, do ponto de vista político, o Flavio é alinhado com a esquerda. Mas tudo que ele comentou hoje, nesse vídeo, não tem a ver com Esquerda ou Direita. Ou com ‘organizações feministas malucas’ como já comentaram la no youtube… É tudo uma questão de bom senso! Simples assim.
    Ta cheio de cara quarentão que vai para o autódromo e fica gritando ‘gostosa isso’, ‘gostosa aquilo’ por três horas. E acha normal. Mas quando volta pra casa, fica puto quando o filho de 19 anos do vizinho chama a filha dele de 18 de ‘gostosa isso’, ‘gostosa aquilo’…
    Nesse assunto, eu não discordo do Flavio não.

  27. Robertom disse:

    Considerar a mulher um objeto está na cabeça de quem não as respeita.

    • Ricardo disse:

      Qual foi a primeira coisa que te aproximou da tua mulher, namorada, ficante? Tu olhou para ela, né? Obviamente após encetar a primeira conversa com ela, outros aspectos se sobreporam, afinidades, gostos, outras questões mais abstratas. Mas antes disso, teve que ter uma aproximação, flerte, essas coisas, né? Cara, isso tá ultrapassando todos os limites. Daqui a pouco o cara vai sair preso por paquerar alguém porque a está objetificando. Antes que a polícia política da patrulha me trole, estou tentando ponderar que na fala de muitos, fica difícil estabelecer a linha que separe o assédio grotesco (ô gostosa para as grid girls) com simplesmente olhá-las – porque como argumentei acima, via de regra, num relacionamento, aquele primeiro olhar muitas vezes te motiva a buscar aquela pessoa.

  28. Infelizmente vai acabar porque a nossa raça de homo sapiesn não está evoluindo de maneira natural, era até compreensível no passado algumas atitudes primatas….mas já estamos em 2018…. o planeta a cada evolução de tecnologia é um salto de 1000 anos e para cada passo de moral é 0,5 ano.

    • peter disse:

      Concordo plenamente com vc.
      Outro dia li uma estória linda no G1 sobre um cara que conseguiu entrar no curso de medicina de USP via SISU, embora que apenas tinha desfrutado educação pública. Família pobre, trajetória difícil, enfim…
      Nunca passei por um anti-climax tão grande quando li os comentários dos leitores. Na maioria foram comentários cheios de ódio e muitas vezes racistas. Não costumo ler G1, e foi um choque total. Pensei exatamente nisso… Atitudes primatas. Moral zero. As pessoas nem refletem mais. Dessa forma eu não vejo saída.

  29. Marcelo disse:

    Bom dia Flavio,

    Até ontem eu tinha uma visão sobre o assunto, mas devo concordar com você.
    Pois a visão que tem ta assistindo pela TV é uma e quem assisti a corrida perto do grid é outra.

    Frase simples,

    Liberdade, responsabilidade e respeito.

    Usaram a liberdade sem responsabilidade e perdeu o respeito .Como consequência se perde a liberdade.

    Abs.

  30. Marques disse:

    Parabéns Flávio.
    Temos que repensar no mundo e em nossas posições dentro desse mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>