MENU

terça-feira, 3 de abril de 2018 - 16:31Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10″: NOVOS FORMATOS

18 comentários

  1. Aldinei Andreis disse:

    Porque não deixar apenas os pilotos reservas andarem na sexta-feira, em uma sessão apenas a tarde.

  2. Felipe Fugazi disse:

    - Formula 1 deveria ser um esporte.
    - Todo esporte deve ser divertido.
    - Pra ser divertido, deve ser simples.
    Portanto…
    - Motor forte e simples, que qualquer montadora sabe fazer.
    - Corrida mais curta, algo próximo de uns 200 km de duração… pau puro, sem econômia de nada.

  3. Que tal liberar o número de motores para pelo menos 10 por ano?

    Com 20 corridas e 3 motores por ano quem vai se arriscar a estourar um motor na sexta para “fazer bonito” e ter que correr 18 corridas com um só motor? No caso limite, o cara põe um motor zero na sexta, estourou (por qualquer razão que seja), põe um novo para o domingo, dá uma pancada e destrói o 2º motor, Lascou-se, vai ter que correr o resto do campeonato com um motor só ou largar com uma volta de atraso de tantas punições.

    Durabilidade do motor eu tenho que me preocupar com os dos meus carros que tem que durar 250k km, carro de corrida não é para isto…

  4. Hanri disse:

    Já que é para mudar eu faria:
    Sexta – Treino 01
    Sexta – Classificação Corrida no Domingo
    Sabado Warm Up
    Sabado – Corrida de 01 hora com grid invertido em relação a corrida anterior. (Daria visibilidade para equipes pequenas e geraria ultrapassagens com Vettel e Hamilton vindo do fundo – 10 pontos para o lider reduzingo em 1 ponto até o décimo)
    Domingo – Corrida com 305Km com o Grid da Sexta.

  5. Rafael Chinini disse:

    coisas simples que mudaria.

    - ponto extra para pole position e/ou volta mais rapida do treino (pois as vezes a volta do Q2 é melhor).
    - por enquanto mudaria o treino de Mônaco, porque toda vez “ai ele me atrapalhou” maior frescura etc…façam um sistema diferente em Mônaco.

  6. Glauco Tavares disse:

    Tantas mudanças, planos, discussões e projetos, até parece que a F1 era uma categoria irrelevante e falida que foi comprada por $1,00 e agora o novo dono precisa mudar tudo para evitar sua extinção. Se um dia os gênios do Liberty comprarem a Coca Cola eles vão mudar a receita, o logo e as cores, as embalagens…etc ??? Estes cretinos correm serio risco de destruir a F1 e passar no rabo toda grana que investiram no negocio.

  7. SandroKaram disse:

    Eu gosto dos treinos da FE. Grupos dividido em sorteio, se classificam os 5 melhores e uma voltinha para cada um e pronto. Talvez tivesse mais surpresas. Quanto a sexta todas as categorias não fazem treino livre. A indy, a FE, a MtoGp tudo não tem pelo menos 2 treinos livres, porquê a perseguição com a F1

  8. Adilson disse:

    Ué, estou vendo aqui várias pessoas (nos comentários desta e de outras postagens) que falavam que o problema era o Bernie. E que com os americanos a coisa ia melhorar. E que a F1 ia voltar aos áureos tempos. Alguns, agora, pedem a volta do Bernie… Bem, o fato é que a F1, bem como as outras categorias de automobilismo, estão fadadas à extinção. Mesmo os elétricos. Apesar do grande lobby contrário (vide a imensa repercussão dos acidentes com carros autônomos nas últimas semanas), alguém realmente se imagina possuindo um carro daqui a 20 anos? A mim, parece como o telefone fixo. De bem à peça de museu.

  9. Erik disse:

    Vou chutar o balde agora!
    E se… fizessem primeiro o treino de classificação oficial no sábado para a formação da corrida normal no domingo e… depois do treino oficial, ainda no sábado, fizessem uma corrida curta com o grid recém definido TOTALMENTE INVERTIDO!!! Seria divertido uma corridinha de 10-15 voltas, com as equipes pequenas dando as caras na tv, e os grandões tendo de se virar nessas poucas voltas pra passar todo mundo. Daria pra essa mini-corrida uma pontuação valendo 1/4 da normal e tudo certo!
    Por mim, fariam motores mais baratos e sem limitações, acabariam com esse halo horroroso, etc, mas sabemos que não voltarão atrás na tecnologia…

  10. Brabham-5 disse:

    Esses caras da Liberty Media não vão sossegar até descaracterizar totalmente, matar e enterrar a F1.
    Só IDÉIAS IDIOTAS.
    Por favor, devolvam a F1 para os europeus!

  11. D disse:

    Tenho duas sugestões:

    1 – Manter a maldita relevância para indústria automobilística – Eliminem os pilotos e motores à combustão. Metam umas merdas de drones pra correr com transmissão exclusiva por “lives” do instagram.

    2 – Foda-se a relevância, isso foi consequência. Não é a essência da F1 – Motores V8 ou V10 com tecnologia “barata’ – qualquer Judd, Cosworth, Hart, Mecachrome, Repco, Climax, BRM, Gurgel e o escambal pode fazer o motor.
    Pro inferno com a porra do carbono, mantenham apenas a célula de sobrevivência e elementos de absorção de impacto em fibra de carbono. O resto, meu irmão, fibra de vidro, alumínio, madeira balsa, garrafa PET, etc. Freio de carbono? nem a pau. De aço mesmo, vamos ver quem tem mais culhão pra atrasar a freada.
    Pneus liberados pra velocidade, se não precisar fazer pit stop, eliminem. Mas deixem livre quem quiser reabastecer ou trocar a borracha em uma estratégia diferente.
    Eliminem o HALO, se piloto reclamar que pode se machucar ou até morrer, diminuam alguns milhões do salário e instalem a trapizonga pesada só no carro dele. Reincidentes devem ser demitidos e substituídos por verdadeiros talentos que fariam isso até de graça.
    Tragam a F1 de volta para a Europa. Mais corridas em pistas de verdade não seria nada mal. E por fim, pra conquistar os EUA, uma corrida por ano em ovais não seria injusto pra ninguém, pois nenhum dos carros foi projetado com isso em mente e se alguém projetar um carro que ande bem só pra esquerda, teria vantagem apenas em 1 corrida.

    Pronto, falei.

  12. D disse:

    Tenho duas sugestões:

    1 – Manter a maldita relevância para indústria automobilística – Eliminem os pilotos e motores à combustão. Metam umas merdas de drones pra correr com transmissão exclusiva por “lives” do instagram.

    2 – Foda-se a relevância, isso foi consequência. Não é a essência da F1 – Motores V8 ou V10 com tecnologia “barata’ – qualquer Judd, Cosworth, Hart, Mecachrome, Repco, Climax, BRM, Gurgel e o escambal pode fazer o motor.
    Pro inferno com a porra do carbono, mantenham apenas a célula de sobrevivência e elementos de absorção de impacto em fibra de carbono. O resto, meu irmão, fibra de vidro, alumínio, madeira balsa, garrafa PET, etc. Freio de carbono? nem a pau. De aço mesmo, vamos ver quem tem mais culhão pra atrasar a freada. Pneu tá ok.

  13. Martinho Franco disse:

    Que tal cobrarem preços populares nas sextas-feiras?

  14. César Rodrigues disse:

    Acho que a F1 poderia deixar o TL1 como está. O tempo médio do TL2 e TL3 serem usados para definir a ordem de entrada na Classificação. Sendo disputadas no Q1 as posições de 16º a 20º, recebendo o 16º um ponto. No Q2 a disputa pelas posições de 10º a 15º, recebendo um ponto o 11º e dois pontos o 10º. E no Q1, a disputa pela pole, valendo um ponto para o P3, dois para o P2 e três pontos para o P1. Também seria bacana um ponto extra para: melhor volta da corrida e para o piloto com maior números de ultrapassagens.

  15. Cláudio Cruz disse:

    Caro Flávio, já que você abriu para sugestões, aí vão:
    -Menor dependência da aerodinâmica, a aderência tem que ser mecânica, assim os carros podem andar no vácuo do que vai à frente, podendo contornar as curvas mais perto, usando as retas para ultrapassar.
    -Uso obrigatório de 3 tipos de pneus por corrida, aumentando as possibilidades de estratégias diferentes usadas em momentos diferentes. E cada tipo de pneu deve ser utilizado por um número mínimo de voltas. Não vale dar uma volta e trocar.
    Acho que só com esses dois ítens já iria apimentar as procissões.

  16. fernando disse:

    Flavio, semana de motoGP na Argentina (que inveja), nao rola um comentario ou alguma coisa no blog ??? abracos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>