MENU

terça-feira, 1 de maio de 2018 - 12:03Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10″: SENNA, 1994

57 comentários

  1. Anselmo Coyote disse:

    Lula livre! Yes!
    Vídeo legal. Uma turma boa estava lá.
    Abç.

  2. CRSJ disse:

    Senna era feliz na McLaren e não sabia ficando obcecado em ser piloto da Williams em 1992 e 1993 quando chegou sua vez no ano seguinte a coisa ficou um pouco complicada sem parte da eletrônica que tinha antes sendo banida com o novo regulamento de 1994 tendo que consultar o Professor Prost e engolir o novato e atrevido Michael Schumacher que vinha vencendo as duas primeiras corridas de 94, ainda sem citar Ímola onde Senna sai de cena e o Schumacher se torna o favorito absoluto daquele campeonato de 94 até a FIA dá uma mãozinha no inexperiente Hill colocando ele como adversário direto do mesmo Schumacher.

  3. Marcelo Saldanha disse:

    Flávio, você já pensou em digitalizar essa gravação e publicá-la no seu blog?

  4. Romeo Nogueira disse:

    Ao todo, 16 jornalistas brasileiros estavam em Ímola naquele fatídico 1º de maio de 1994. Flavio Gomes (na época, pela Folha de S.Paulo), Nilson Cesar (Jovem Pan), Marcelo D’Ângelo (Rádio Eldorado), Mário Andrada e Silva (Jornal do Brasil), Luiz Roberto de Múcio (Rádio Globo), Reginaldo Leme (TV Globo), Galvão Bueno (TV Globo), Roberto Cabrini (TV Globo), Jayme Brito (TV Globo), Celso Itiberê (O Globo), Lívio Oricchio (O Estado de S. Paulo), Alex Ruffo (fotógrafo free-lancer), Lemyr Martins (Quatro Rodas), Éder Luiz (Rádio Bandeirantes), Cândido Garcia (Rádio Bandeirantes) e Wagner Gonzalez (Agência Beepress). No momento do acidente, o
    repórter Pedro Bial estava em Londres, onde era correspondente da TV Globo, mas poucas horas depois chegou a Bolonha, juntamente com o cinegrafista Sérgio Gilz. O cinegrafista que fez as famosas imagens de Senna no box da Williams, minutos antes da largada, Armand Deus, é francês.

    • Romeo Nogueira disse:

      Corrigindo: 15 jornalistas! No material da Revista Warmup nº 49, seção 20 nos 20, Éder Luiz, que listei como um dos que estavam em Ímola, revela que, na verdade, não estava no local. “Naquela corrida, eu estava com uma gripe muito forte, e a Bandeirantes acabou optando que eu fizesse do estúdio. Eu fazia todas as corridas ‘in loco’, mas nessa corrida eu não estava”, diz o locutor. Flavio, um técnico de som da TV Globo, Claudinho, havia viajado com vocês para Aida, na corrida anterior, mas nem no site Memória Globo consegui confirmar se ele fazia parte da equipe que cobriu o GP de Ímola/1994, embora aqui estamos falando especialmente dos jornalistas, e talvez até tenha mais gente da produção – principalmente da TV Globo.

  5. Thiago da Silva disse:

    Oww Flávio, eu sei q vc sabe, essas suas gravações são muito valiosas cara! São relatos preciosíssimos pra quem é fã do Senna ou de F1 de uma forma geral. Digitaliza isso e publica no site com o devido destaque, por favor. Gente do mundo inteiro ia querer ouvir isso, vc ia atrair todos os holofotes pro seu site, ou aqui no blog, ou no youtube… caramba, 24 anos se foram, faça esse favor a todos, por gentileza.

  6. Antonio Seabra disse:

    Curioso pensar que Schumacher, rei das estatísticas, apenas 4 anos depois de sua diagamos “morte em vida” não seja tão lembrado e tão decantado – mundialmente – quanto o Senna., 24 anos depois de morto.
    Seria pelo maior carisma do brasileiro ? Ou talvez pelo fato de seu acidente fatal ter sido transmitido ao vivo para todo o mundo ? Ou ainda porque a grande maioria das poles e vitorias do brasileiro terem sido mais disputadas e mais dramáticas do que as do alemão ? Ou quem sabe porque a família fez e faz questão de não dar publicidade ao drama do alemão ? Não sei o que dizer, nem o que pensar.
    Mas o fato é que a morte de Ayrton ainda desperta muito mais comoção do que o infinitamente triste drama do piloto alemão.

    Antonio

  7. É um milagre suas fitas não terem sido desmagnetizadas, com este tempo todo.

  8. Lucas disse:

    Ótimo video! Lula livre!

  9. Ademir Antunes disse:

    Parabéns . Acho importante falar desse mito sempre .aguardo amanhã pelo completo dos bastidores de imola 94. E #Lula livre

  10. Luis felipe disse:

    Porra Flávio.. ouvindo 10 minutos voce.curioso pra deixar pra.amanhha !!! Karai vei ! Rsrs

  11. Rodrigo disse:

    Interessantes essas histotinhas in loco, já que não tem mais muita ponta pra puxar do assunto.

    Uma coisa que eu percebo é que nos sites da gringolândia a coisa vai mais no sentido de homenagear o cara com uma compilação dos melhores momentos da carreria dele como piloto; por aqui, o pessoal parece que idolatra a batida.

  12. Roger Siqueira disse:

    Flavio, depois, se possivel. Comente qtos titulos vc acha q ele ganharia mais se estivesse vivo. Penso q se continuasse na williams, teria mtas chances em 94 ate pq o hill brigou ate a ultima corrida, bem como 96 e 97 seriam mamata. Um abraçao!

    • MarcioD disse:

      Roger, penso exatamente o mesmo que você, a Williams tinha um bom carro nestes anos e ele era muito superior à Hill e Villeneuve campeões de 96 e 97. Depois um outro titulo seria mais difícil por causa da idade, 38 e porque ele teria que mudar de equipe. Para Ferrari não daria, pois já estavam trabalhando para Schumacher e numa volta para Mclaren ele teria de enfrentar um Mika( campeão 98/99) muito mais novo.

  13. Alexandre Arias disse:

    Flavio, por favor, digitalize essas fitas antes que elas se percam. Mesmo que você nunca as divulgue, não deixe esse pedacinho da história da F1 se perder!
    Meus parabéns pelo excelente trabalho!

  14. Julio disse:

    Na boa, eu acho que esse negocio de falar do Senna nesta data ja deu, dissecaram todo esse assunto, nao tem mais o que se falar e o que mostrar. Flavio, tudo que escutei de você ou li de outras pessoas não passa de mais do mesmo. Acho que esta na hora de deixar o cara descansar.

  15. cesar disse:

    Flávio, Lula Livre no Palácio do Planalto em 01 de janeiro de 2019

  16. Pedro Augusto lima disse:

    O carro da Williams não era péssimo como você menciona. Esse caso na verdade não ocorreu, pois a Williams tinha sim um bom carro naquele ano, a prova disso é que Hill(praticamente um estreante) companheiro de equipe de Senna em 1994, lutou até a última corrida depois que foi descoberto que a Benneton de Schumacher ainda estava usando componentes proibidos naquela temporada de forma camuflada. Sim. A Williams tinha um carro que precisava ser desenvolvido e foi desenvolvido durante aquele ano.
    Então, a declaração de Senna não confere quando ele alega que “logo em minha vez cagaram o carro”, com todo respeito ao nobre repórter, mas, me parece que esse vocabulário pertence mais a sua retórica, sr. Gomes.
    Acho que vcs jornalistas precisam respeitar mais a ausência alheia ou pelo menos a memória de quem já se foi. Falar que Senna usou essas palavras é de uma audácia, falta de respeito e ética na busca desenfreada por audiência.
    Enfim, lamentável e pobre a sua abordagem ao tema. E você tem toda razão quando alega que o vídeo ficou grande, corroboro contigo, pois para se contar uma mentira, temos que inventar várias inverdades e isso demanda tempo. Mostra aí a gravação de Senna falando isso(“logo na minha vez cagaram o carro”) no seu “gravadorzinho”.

    • Flavio Gomes disse:

      Vai tomar no cu, rapaz.

      • Roberto Mota disse:

        Posso estar errado,.mas me lembro de uma entrevista de Edgard Mello em 1994 (ele era gerente, administrador do autódromo, o Flavinho pode me corrigir se errado eu estiver) que numa visita de Senna à ele no autódromo, no começo de 94, ele falou isso mesmo. Me corrija se errado eu estiver, Flávio, mas acho que essa expressão ele falou sim. E reconheça que você se equivocou, Pedro.

    • Segafredo disse:

      Porra Pedro…..tu é muito sem noção mesmo. A declaração de Senna se refere ao início da temporada. É logico que durante a temporada e principalmente depois da morte dele a equipe foi consertando as deficiências que tinha o carro. É fato e unânime que no início o carro era sim a cadeira elétrica que Senna mencionava. A própria equipe reconheceu isso na época. Patrick Head deu declarações que teriam muito trabalho para deixar o carro com o mínimo de dirigibilidade.

    • basilio disse:

      Aff, tem viúva do Senna que exagera. Que dizer que ele não falava palavrão, não peidava, não arrotava, nada que maculasse o seu intocável heroísmo? Cara, tu pode até ter vontade de dar a bunda pra ele, mas pelo menos se controle, afinal ele já não está mais entre nós, que coisa feia essa bajulação.

    • Eu ainda me surpreendo que pessoas como esse Pedro aí existam.. É incrível.

    • Rodrigo disse:

      Aí. É por causa de caras assim que o pessoal começou a pegar birra do Senna ao longo dos anos. Esses sennistas de Youtube parecem aquela ala mais chata dos fãs do Raul Seixas, precisamente os que menos sabem do legado do cara. Chato, muito chato.

    • perna quebrada disse:

      O cara usa uma pseudo eloquência pra tentar desmentir uma história de um jornalista que acompanhou Senna por anos.

      O FG foi delicado na resposta.

    • Mark disse:

      Rapaz, vc deve ser novo, lembro muito bem desse comentário da declaração do Senna na época, ele estava extremamente insatisfeito pq esperava pegar um carro igual o que o Mansell teve. Mas o Senna já tinha 2 anos que estava insatisfeito com a Maclaren e com a direção da F1(Balestre), quase foi para a Indy(talvez como forma de pressionar), pq a Williams com a suspensão ativa tinha boa vantagem nas corridas e os carro eram claramente desiguais. E a cada ano, a partir da década de 90, surgia algo tecnologicamente novo nas equipes e não havia tanto controle como existe hoje, faziam na surdina e ficava por isso mesmo. Só que o Senna ao chegar criou muita expectativa e se frustrou muito com o carro que pegou. Mesmo assim “brigou” com o carro e conseguiu fazer as poles das 3 primeiras corridas, mas na pista a Benneton passou a ser a Williams das temporadas passadas, só que com o controle de tração, usado irregularmente, e o Senna não sabia, mas desconfiava, A falta do filtro de abastecimento foi outra irregularidade da Benneton que levou o Shummacher a abastecer mais rápido e passar nos boxes o Senna no GP do Brasil. Provavelmente esses, dentre outros, sejam motivos pelos quais muitos pilotos não gostem do Schummacher, que era um bom piloto e estrategista, mas usou desses artifícios para se dar bem e talvez a história mostrasse outros números se ele guiasse 100% dentro do regulamento. Creio que se os carros de F1 fossem iguais desde sempre e não houvesse o fator político da F1 atrapalhando, sem saudosismo, o Senna teria ganho quase todos, senão todos, os campeonatos que disputou.

  17. Regis disse:

    Grande Senna! Fatalidade terrível… Lembro como se fosse hoje. Assistindo a corrida e de repente aconteceu. Aquela mexidinha na cabeça e depois totalmente estático. Foi dureza para mim que estava vendo pela tv. Nem imagino como foi para quem como você estava no local, Sr. Flávio. Pra não falar só da última página da historia do Senna, fico com a melhor lembrança que tenho que foi a corrida que ele ganhou mas não levou, no Japão em 1989. Ele acelerou demais aquele dia.

  18. Alberto disse:

    Parabéns Flavio Gomes! Em primeiro lugar pelos comentários sempre ponderados sobre o Senna, sem aqueles chiliques dos pachequinhos de plantão. Da mesma forma, parabéns por se posicionar politicamente sem se preocupar com os coxinhas que só repetem o que a Globo e a Veja publicam

  19. Fernando Souza disse:

    Teria o halo salvado a vida do Senna?

  20. Jeff disse:

    Desculpa incomodar, sou eu novamente. Tenho o link salvo na minha barra de favoritos.

    http://revistawarmup.grandepremio.com.br/edicoes/49/index.shtml

  21. Jeff disse:

    Buenas. Lembro que em 2014 você abasteceu o blog com vários e ótimos posts sobre esta efeméride. Obvio que o blog e’ seu, mas se me permite a sugestão, por que não coloca os links daquelas matérias? São sensacionais.

  22. Leo Filho disse:

    Somente um comentário, continue assim, sincero e firme. Parabéns

  23. Segafredo disse:

    Flávio, vc não acha que está na hora de parar de dizer: ……”especialmente aqui no Brasil….” ??

    Em cada canto do planeta o cara é sempre lembrado porra!!

  24. Bola da Vez disse:

    Vinte e quatro anos e parece que foi ontem!

  25. Trotta disse:

    Companheiro Gomes como sempre muito enfático no início ao fim! Mandou bem companheiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>