MÔNACO, 1988 | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sexta-feira, 18 de maio de 2018 - 0:37F-1

MÔNACO, 1988

RIO (crashed at Portier) – Sensacional isso que o Ricardo Divila mandou. Um mapa do GP de Mônaco de 1988 preenchido por engenheiros da McLaren durante a corrida, com anotações manuais sobre acerto do carro de Ayrton Senna, os tempos volta a volta, até o abandono na 67ª volta. Vocês conseguem entender todos os códigos e informações?

mapamonaco

35 comentários

  1. CRSJ disse:

    Esse mapa valeria muito mais hoje se o Senna não tivesse jogado essa corrida fora.

  2. Antonio disse:

    E tem gente que discorda de que formula 1 era muito mais difícil nessa época..
    Imaginem essas informações sendo colhidas durante a prova na mão e sendo passadas ao piloto por que tinha de modificar a pilotagem sem recursos tecnológicos.

  3. Felipe Fugazi disse:

    - Nesse mundo tão digital chega a ser estranho ver uma simples folha de papel preenchida a caneta.
    Definitivamente vivíamos em outro mundo 30 atrás…

    - Imagina como devia ser na época do Emerson, Jim Clark, Jack Brabham, Fangio…
    Eram anotados em papiro? Hieróglifos? Pinturas ruprestes na parede dos boxes?

  4. Mauro Oliveira disse:

    1 – Tyres: pressão dos pneus(em psi) 19 na frente, 17 atrás
    2 – Roll bar: barra estabilizadora, controla a rolagem para os lados 2 a 6 na frente e 6 atrás(monaco, o carro tem que gingar muito pela frente nos hairpins)
    3 – Springs: molas(medidas da mclaren, não dá pra imaginar o que, mas muito duro não era, circuito de rua)

    4 – Damper: amortecedores. os de competição tem como regular. B(de bound, “compressão”) médio e R(Rebound, descompressão). A aderencia mecanica está aqui meus amigos, rodas que não descolam do asfalto dependem dessa configuração

    5 – Castor: Caster ajuda na reação da direção se mais, mais reativo o carro é na dianteira, mas quanto mais, mais pneu se vai
    6 – Toe in: quanto mais, mais o carro responde( se faz isso virando as rodas dianteiras “pra dentro”. outro comedor de pneu, nas traseiras quanto mais mais velocidade, mas é um ** essa medida porque se você mexe na dianteira(F) a traseira é envolvida e se mexe na (R)traseira, a dianteira muda a atitude
    7 – Ride Ht: Altura do solo(não entendo a medida, mas é em mm) em monaco não dá pra ficar muito baixo, senão raspa o tempo todo
    8 – Front wing: asa dianteira. por motivos óbvios, medida 11 de 11( a mais alta possível
    9 – Rear wing: high……todos já sabem
    10 – brakes: intensidade com que se freia.
    11 – Brake duct: abertura de ar para os freios. Freios de competição só funcionam bem quando ficam de 300º a 600º, aí precisa modular pra que os freio nem derretam, nem fiquem frios.
    12 – diff: Diferencial. Medida da mclaren. Não sei que medida é essa, mas diferencial é importante a forma como as rodas tracionam depende muito dessa regulagem
    13 – Fuel start – Combustível no início da corrida. suponho que sejam 147 libras(peso) que dá uns 66 quilos de combustível.
    14 – Gears – relações de marchas. aí tem dedo do piloto, que escolhe de acordo com sua maneira de dirigir

  5. GASTAO disse:

    Na verdade não é difícil de entender: é difícil paca!

  6. Ricardo Bigliazzi disse:

    Seria legal ver a folha do Prost para analisar as diferenças.

  7. Edison disse:

    Estive trabalhando na Magneti Marelli em Venaria Reale (Torino) durante alguns meses entre 2008 e 2011. Um engenheiro italiano, que trabalhou na Ferrari, mostrou-me um mapa parecido referente a uma corrida do Alboreto. Na época acho que entendi alguma coisa desse cabeçalho. Hoje tá difícil.

  8. Oldair Coan disse:

    Caramba!!!!
    O cara estava colocando quase um minuto no segundo colocado quando bateu!!!!

  9. Glaucio disse:

    Só entendi os tempos de volta e a diferença pro segundo colocado! Mas achei muito legal

    • Rafael N disse:

      Toda a parte superior se refere exclusivamente ao BÒLIDO e suas configurações (Setup)

      Pressão de pneus, Alturas Front e Rear, Angulos de Camber Esquerdo Direito, Barra Estabilizadora F/R….etc

  10. Luciano disse:

    O Rodrigo Mattar trouxe informações interessantes sobre o tema: http://rodrigomattar.grandepremio.com.br/2018/05/30-anos-depois/

  11. Leonardo Barbosa Koerich disse:

    Os dados do acerto do carro são coisa de grego para mim. Só entendi a pressão dos pneus e das asas. Mas a anotação volta a volta é muito legal. Lá estão

    Volta, Tempo da volta (anotado só os segundos), posição de corrida, tempo para o carro da frente (não sei o que são aquelas anotações, W88, W89, etc), tempo para o caro atrás, combustivel (as adições devem ser combustivel economizado) e voltas para o final (laps to go).

    Dá para ver que o Senna estava tão a frente que parece ter cometido um erro na volta 53. Depois pisou fundo fazendo voltas abaixo dos 27.

    Muito legal.

    Obrigado por trazer essa preciosidade para nós. Sinto que os engenheiros se divertiam mais preenchendo esses dados lá em 88 do que vendo um monte de gráfico em tempo real hoje em dia.

  12. sandro disse:

    Diferenças minimas nos tempos de volta com câmbio manual e em Mônaco….o cara era bom mesmo, sem mimimi.

  13. Mauro Oliveira disse:

    Sim, aqui em casa eu tenho um simulador de FIA GT e as configurações são parecidas

    vou copiar e testar em monaco pra ver se o patrão entendia mesmo

  14. Boemer disse:

    “Crashed at Portier” kkk….
    Dormiu no volante

  15. murilo medeiros disse:

    A notar:

    1. Abriu vantagem ininterruptamente até a volta 25!
    2. Abriu quase 3 segundos de vantagem nas voltas 45 e 60 !
    3. Da volta 60 até a batida (7 voltas) manteve a vantagem variando por volta dos 54 segundos, ou seja… já não estava se aproximando para dar uma volta no Prost.

    Nas configurações, a anotação HIGH para R. WING demostra o uso máximo de downforce na traseira.

  16. zempa disse:

    A evolução de tempo é absurda.

    Mas dificilmente ele conseguiria dar uma volta no Prost. O carro estagnou em 54 segundos de distancia do francês.

    Se ele ganhasse essa prova imagina o rebosteio que seria dentro da equipe.

  17. Abdo disse:

    Entre as voltas 57 e 60 ele socou o pé na bota, aí dá pra ver que nas voltas seguintes tira o pé, possivelmente hora que recebeu a comentada ordem do Ron Dennis pra aliviar. Aí carimbou o guard-rail.

  18. Stefano disse:

    Que achado! Como a diferença pro “profexô” foi aumentando volta a volta…ver em detalhe os ajustes do carro que colocou 1,5s na classificação, só incrível define isso!

  19. O que significa Aeon?

    O que está escrito nos itens Misc? 2 full o quê?

    Por que as voltas 26 e 29 foram marcadas?

    O que está escrito acima do número da volta 53? Accident?

    O que são aquelas inscrições na coluna que fica entre a da posição do piloto na classificação da corrida e a da diferença em relação ao rival?

    Acredito que o WXX seja a temperatura da água, já que, quando o tempo de volta é baixo, significa que o piloto andou rápido, consequentemente, mais ar circulou no sistema de refrigeração.

    Já as inscrições BPX, CMX, e 0XXX, não faço a mínima ideia.

    Tem um erro de impressão na planilha. Está escrito Castor, em vez de Caster.

    • Rafael N disse:

      Vamos tentar traduzir aos poucos

      O que são aquelas inscrições na coluna que fica entre a da posição do piloto na classificação da corrida e a da diferença em relação ao rival?

      Parece ser uma coluna de medição de temperaturas
      W Water
      O Oil

      Sera que BP é Brake Pressure? Talvez esteja mais pra BOOST Pressure
      CM3 “deve” ser Combustion MAP 3

      Castor angle é o mesmo que Caster angle, ambos são aceitos (caster é mais comum)

      Essa volta 53 deve ter acontecido algo que fez subir o tempo de volta pra 33s….tem outras voltas com um T também…deve ser Traffic

      Cara, sério, vou imprimir isso e fazer um pôster

  20. Ricardo Bigliazzi disse:

    Dá para entender muita coisa, pena que não esta registrado o numero do motor, mas dá para ver nro. chassi, nível de gasolina, relação de marchas, setup de asas, pressão dos pneus, setup de suspensão, freio, “volta a volta” com parciais de tempo, distancia para o segundo colocado, posição a cada volta (1. lugar),

    A coluna depois da “coluna P” é uma incógnita, bem como o dado na coluna “Fuel”, acho que pode ser setup aplicado mas não sei se isso já existia na época.

    Muito legal.

    • Affonso disse:

      Eu acredito que o FUEL nesse “computador de bordo manual” marque a sobra do tanque em relação ao final da corrida (ex: volta 60 de 78, no tanque marca 6,22 – esses 6,22 pode ser a sobra em relação ao número de voltas totais da corrida – Monaco tem 78 voltas, o que indica que o carro teria gasolina para 84 voltas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>