PAIÊ! | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 21 de maio de 2018 - 16:15F-1

PAIÊ!

RIO (abaixo de zero)A McLaren recebeu uma injeção de capital de 200 milhões de harrys & megans, o que dá mais de um bilhão de têmeres-golpistas.

O dinheiro veio do canadense Michael Latifi, magnata do setor alimentício, que passa a ser sócio do grupo sediado em Woking e que tem como ponta de lança, obviamente, a equipe de Fórmula 1.

Latifi tem um filho.

Ele se chama Nicholas, tem 22 anos e corre na F-2.

Nicholas já andou fazendo uns testes na Force India semana passada em Barcelona.

Papai gostaria de ver Nicholas na F-1.

Nicholas gostaria de correr na F-1.

Então, papai comprou uma parte da McLaren.

Motor Racing - Formula One Testing - In Season Test - Day 2 -  Barcelona, Spain

66 comentários

  1. LEONARDO MENDES DE LIMA BARROS disse:

    Podem apostar, Norris e Latife pilotarão pra Mclaren em 2019. Alonso vai pra indy em 2019 com a própria Mclaren. Vandoorne terá que procurar algum lugar ou ser terceiro piloto, talvez se Norris perder o título da GP2 pode ainda ter uma sobrevida de 1 ano…Tudo se encaixa…

  2. Eduardo Aranha disse:

    Logo, logo teremos uma nova equipe: F1 Rent-a-Car

  3. Takashi Kawazoe disse:

    Enquanto o mundo tenta aprender Mandarim é bom o pessoal da F1 aprender logo o idioma canadense.

  4. Luiz AG disse:

    Mimimi. Andrea de Cesaris se manteve anos graças a Marlboro, de quem o pai era distribuidor na Europa. Até o brasileiro Pedro Paulo Diniz teve apoio da Parmalat, o qual o pai vendia o leite em sua vendinha…

  5. Felipe disse:

    e o norris einh!!! acho que vai dar ruim!!!

  6. Joao paulo disse:

    Quem tem papai rico…..

  7. joel lima disse:

    Quando vejo a atual trajetória da McLaren, temo estar revendo o filme da Lótus. Quando comecei a ver F1, em 86, era uma equipe que podia lutar por vitórias, mas não campeonato. E com a ida do Piquet em 88, fazendo a equipe ter piloto e motor campeões de 87, parecia indicar o renascimento. Que nada. Ali foi o ponto de ladeira abaixo da equipe. E ainda bem que o Piquet saiu a tempo para ainda terminar a carreira de forma digna na Benneton. Parece o mesmo filme feito agora por Alonso. Espero que esteja eu errado.

    • Rafael N disse:

      Joel, a Mclaren foi CAMPEÃ em 84,85 e 86 (lauda, Prost e prost)

      • Paulo F. disse:

        McLaren que de original tinha muito pouco, esta. Estava mais para Project 4. Já com Ron Dennis no comando.

      • joel lima disse:

        Rafael N, quando vi sua resposta percebi que esqueci de colocar Lótus após o trecho “em 86″, Eu estava me referindo a Lótus de 86 e não a McLaren, que, como você bem observou, já tinha começado o seu domínio da década de 80, tendo como fecho de ouro um dos recordes da F1 que acho que não viverei o suficiente pra ver quebrado = uma única equipe vencer 15 de 16 corridas, 93 por cento dos gps da temporada, em 1988 – o que equivaleria hoje a ganhar 19 das 21, mais ou menos.
        Obrigado pela leitura atenta ao meu texto.

      • Rafael N disse:

        Ahh sim, Concordo plenamente com o que vc disse sobre a Lotus, Joel

        E Paulo, o carro de 84 (já sob as asas de Ron Dennis) era tão bem nascido, mp4-2, que os carros seguintes seriam campeões também, mp4-2 B e 2C

  8. Guilherme disse:

    01 Bilhão pro filho correr na F1… !!!!! ….
    Difiicil até de comentar algo, nem da pra culpar a equipe heheheheh.
    Se continuar a surgir pilotos com pais bilionários daqui a 5 anos a formula 1 vai ser um caos.

  9. Carlos Pimenta disse:

    Até bem pouco tempo, comprava-se a vaga, agora compra-se a Equipe.

  10. Paulo F. disse:

    Voltamos (ou retrocedemos) ao tempo do Slim Borgudd e do Rikky von Opel

  11. Claudio Mourão disse:

    Vai acabar que só as equipes de fábrica ou a Red Bull conseguirão fazer um campeonato sem vender vaga, o resto estará ferrado….

  12. Cesar Luis disse:

    Esporte motor sempre envolve grana.
    Na F1, antigamente existia um peso maior quanto ao talento. Mas hoje algumas equipes são obrigadas a dar preferência ao dinheiro do que ao talento. Equipes maiores ainda priorizam o talento, afinal os bons resultados trazem muito dinheiro (direta e indiretamente).
    Mas mesmo os mais talentosos, que não pagam para correr, no início de carreira pagaram muito. Não é qualquer um que consegue manter um kart, ainda mais para competir.

  13. Clayton Araujo disse:

    Teve uma época que as equipes brigavam para ter um bom piloto. Hoje, os “pilotos” brigam, digo, pagam para ter um assento em qualquer equipe. Fazer o que? Outros tempos. Tudo tem sua evolução.
    Tomara que essa injeção de grana dê uma alavancada na McLaren que há muito tempo não faz nada digna de uma grande equipe.

  14. Ricardo Bigliazzi disse:

    A Mclarem anda parecendo o Itaquerão.

    “Bunita” por fora mas cheio de problemas por dentro

    Alguém consegue entender como a Equipe Inglesa consegue amargar anos e anos sem um patrocínio descente?

    Por isso que comparo com o Itaquerão, quem colocaria no nome estampado em uma equipe que não evolui, que possui um piloto extremamente questionável em princípios morais (“Sr. Eu não sabia…”) e que não da mostras que é capaz de evoluir técnicamente?

    Sem querer ser catastrofista, parece que a Mclarem caminha na mesma trilha que a Williams (um gigante tecnológico incompetente nas pistas).

    Como a F-1 se faz com grana, muita grana, não dá para recusar a ajuda de investidores.

    Pergunta do dia: O Vandoorme também entra com grana para a Mclarem??? Ou é cria técnica da casa?

  15. Leo Santos disse:

    Isso não vai ficar assim! Vou fazer uma aquisição hostil! Será que aceitam pagamento em pão de queijo e figurinhas da copa de 86?

  16. Cristiano disse:

    Bom, se o rapaz não for ao menos 4º ou 5º esse ano na F2 (já foi 5º ano passado) nem terá pontos para Super Licença. Está em 9º. Da mesma forma que a Honda vem tentando formar alguém depois que voltou pra F1 e até agora nada. Ao menos papai Stroll foi mais inteligente e bancou equipe inteira na F3 Euro, com dois pilotos coadjuvantes para ajudar o filho a alcançar o título. Coincidência ou não a FIA deixou de premiar o campeão da F3 com os pontos suficientes pra F1 a partir desta temporada. E pra ser subordinado do Alonso pode ser Vandoorne ou qualquer outro, enquanto ele estiver na equipe outro não se cria mesmo. Pra ver o que custou a empáfia da McLaren…

  17. Fábio Amparo disse:

    Não poderia haver melhor título para o post…. Rs

  18. CHAGAS disse:

    Esse Latifi é péssimo. Acho que nem o dinheiro o coloca na F1.

  19. tavarez disse:

    #capitalismodeberço

  20. Alfredo disse:

    O interessante são os comentários como se isso fosse novo na F1. Dei uma pesquisada “rasa” e o ÚNICO cara não abastado que encontrei na F1 foi um tal de Lewis Hamilton, que o pai teve de trabalhar inclusive de garçom e em três empregos pra bancar o filho no cart, que devido a sua excepcional qualidade foi “adotado” pela Mercedes desde jovem e o resto da história já sabemos.
    Todos os outros pilotos eram filhinhos de papai e os mais antigos (naquela época era normal, mas seriam “coroas” hoje) eram caras de mais idade que eram lordes, ou grandes empresários.
    Automobilismo é um negócio caro e F1 é MUITO caro. Não se consegue bancar as categorias anteriores a ela sem gastar muita, muita grana. Não existe favelado na categoria. é um esporte elitista (É um esporte???) e fim de papo.
    Alguns compram um time diretamente no fim da escada, mas todos pagaram um ingresso caro para cada degrau do show.
    Então parem de ficar abismados, enfurecidos, apavorados com o que papai do Latifi ou do Stroll fez. Todos os papais pagaram para terem os filhinhos sentado naqueles carrinhos, incluindo o papai do Senna e do Piquet.

    • Leovegildo Fernandes disse:

      Um cara que escreve que o pai do Piquet bancou sua carreira, dá atestado de ignorância total sobre automobilismo.

      • hermes de meneses pires neto disse:

        Piquet é filho de médico e ministro da saúde…
        Rico sim.. não milionário..
        Até porque, naquela época, não precisava ser…
        O Pai pode até não ter bancado a carreira internacional dele, mas ele só pode se dedicar a isso por ser filho de ricos.
        Do contrário teria de trabalhar pra comer.

      • Leovegildo Fernandes disse:

        Hermes… Vai estudar, vai. O cara corria escondido do pai, com um nome diferente. Tudo bem, o cara tinha uma cama pra dormir e comida na mesa. O que mais ele tinha de paitrocínio? Vai pesquisar a história de Piquet e você vai ver que tá falando m…

    • CHAGAS disse:

      Adotado pela mercedes?

    • Felipe Fugazi disse:

      O pai do Raikkönen dirigia tratores e a mãe era professora.
      O Rolf Schumacher pai do Michael e Ralf Schumacher trabalhava na construção civil (vulgo pedreiro) e a mãe cuidava da lanchonete do kartodromo de Kerpen.
      Mas de resto o que você escreveu está corretíssimo.
      Parabéns pela clareza.

    • Vagner disse:

      Cara, eu estava esperando terminar de ler os comentários para digitar quase o mesmo que você… Quanta inocência desse povo…

    • Quanto ao Piquet eu acredito que ele esteja falando do Nelsinho que teve sim muito apoio financeiro do Nelsão, tricampeão e tal, mas é um baita piloto que após aquela mancha na carreira soube se reinventar e tá lá na Fórmula E batalhando com uma enceradeira.

      Quanto a Senna, não sei o volume, mas ele teve sim um bom aporte financeiro. No livro do Helio Castroneves ele conta que eles chegavam para competir no kart e Senna sempre tinha dois três motores e dois, três jogos de pneus novos enquanto Helio tinha no máximo um novo e ainda um baiano chamado Tony que estava nas mesmas condições do Helio.

      Mas é óbvio também que não adianta dar o melhor equipamento para um braço duro. Senna também era um grande piloto e aproveitou a oportunidade que o dinheiro da família lhe propiciou.

    • Antonio disse:

      Inclua o Piquet fora dessa (KKK). Papai nunca apoiou o filho, que começou a correr com o nome de Nelson Piket pra ver se dava uma enganada na família (santa ingenuidade Batman).

    • Alex disse:

      Massa entrou na F1 sem dinheiro. Barrichello idem. Di Grassi também. Pizzonia, Vc fala muita besteira. Dos brasileiros os únicos que entraram patrocinados eram Senna (sobrinho) e Piquet (filho).

    • atila disse:

      Não se trata de ser pobre ou rico. É certo que F1 é um esporte (e é, SIM, um esporte) de rico e não existe piloto pobre. A questão é o piloto PAGAR pra equipe pra ter um carro. É muito diferente de um piloto de qualidade, como o Vettel, Hamilton, RIcciardo, Alonso, que são contratados pelo talento e habilidade. O piloto que tem que pagar pra correr é porque não tem capacidade pra ser pago. “Comprar uma equipe diretamente no final da escada” não é mero detalhe, uma pequena diferença a outros pilotos não pagantes.

      Uma outra coisa: piloto pagante não é algo novo na F1. A bem da verdade, sempre existiu em equipes pequenas – Osella, Forti Corsi, Sauber, Footwork, Minardi, etc. A questão é equipes grandes como Williams e, ao que parece, McLaren, estarem necessitando de pilotos pagantes hoje em dia. Sinal de que a coisa vai mal.

  21. Celio ferreira disse:

    F1 está no caminho errado . Mercedes ameaçando se juntar a Ferrari e sair , se
    as normas de 2021 não agradar. Será que um dia teremos um campeonato
    paralelo só de montadoras e a F1 cheia de filhinhos de papai e pilotospagantes

    • Ricardo Bigliazzi disse:

      Não podemos esquecer que a F-1 sempre carregou a alcunha de “Circo da F-1″.

      Tudo é espetáculo e tudo é grana. Grana para atuar, grana para assistir, grana para fabricar, um pouco de grana para ganhar, grana, grana, grana.

      Pode ter certeza que a Ferrari e Mercedes estão a lutar por privilégios técnicos, simplesmente para continuarem a permanecer como as principais atrações do espetáculo. Elas querem tudo, menos seguir a trilha que Williams e Mclarem estão a seguir. Trilha de perda de protagonismo e de GRANA!

  22. Alowlt disse:

    Em termos de desempenho, o pior piloto filhinho de papai, de todos os tempos, foi um brasileiro: Pedro Paulo Diniz. Chegou até a fórmula 1 sem uma única vitória no currículo, em nenhuma fórmula. Esses caras endinheirados de hoje pelo menos chegam até a F1 com algumas vitórias e até títulos. Mas é um negócio caro. Alguém tem que bancar o sonho.

  23. Iuri Jacob disse:

    F1 ladeira abaixo. Que fase!
    Triste demais.

  24. Mauricio disse:

    Essa terá o mesmo destino da Williams. Que se danem, a despeito de suas belas histórias na categoria, as equipes que se vendem.

  25. perna quebrada disse:

    Quando virar piloto de verdade, Verstappen vai nadar de braçada.
    Os atuais campeões vão se aposentar em breve e só vai sobrar pagante e filho de papai pra correr…
    Vai conseguir uns dez títulos sem fazer força.

  26. Rafael N disse:

    Bom tema para um GP as 10, FG….você poderia nos dar sua opinião para esse tipo de situação, o “Combo Net Plus” de pai triliardáio + filho piloto de talento questionável+ altas quantias para equipe…..será que é bom para a F1? Bom para a equipe no curto, medio, longo prazo?

  27. clodoaldo lelli disse:

    ei el melhorzon do grid o nicholas y más rápido que usted

  28. Jonatas disse:

    Lamentável, ainda que inevitável, o caminho sem volta que esse esporte tomou. É a Parreirização da F1, onde talento é um mero detalhe.

  29. Lagerbeer disse:

    Stroll e esse Latifi são canadenses …. que raios … vou lá trabalhar de garçom !

  30. Valter disse:

    A F1 sempre foi um esporte para ricos e alguns “pobres” conseguiram através de muito talento e sorte ingressar nesse seleto grupo. Com os custos atingindo níveis estratosféricos é “normal” bilionários investirem em equipes para seus filhos “brincarem. Nada contra. Cada um faz o que quer com seu dinheiro. Se eu fosse bilionário e meu filho tivesse o desejo de correr, investia meus bilhões de euros na Ferrari ou na Mercedes AMG

    • Eduardo Aranha disse:

      “A F1 sempre foi um esporte para ricos” não tem qualquer sustentação. A F1 está próxima de completar setenta anos. Pelo menos nos seus primeiros 50 anos, ou seja mais de 70% era muito raro ter piloto pagante..

  31. Amaral disse:

    E quer dizer que o Latifi filho vai passar a perna no filho do Chuck Norris? :-p
    Papa Latifi podia se juntar com Papa Stroll, já que ambos são canadenses, compravam logo a Mclaren inteira e faziam uma Maple Leaf Racing da vida, com hack de dinheiro (quase) infinito, e botavam os dois herdeiros pilotando. Apesar de que preferiria o Robert Wickens, que tá andando demais na Indy nesse ano.
    O Canadá inteiro entraria em festa. Só Jacques Villeneuve é que não iria curtir. Mas ele não curte mais nada, mesmo…
    E Alonso? A hora que ele ficar desempregado, Michael Andretti chuta um piloto dele no dia seguinte pra dar um cockpit pra ele. Ou faz mais um carro. Mole. E se bobear faz um pro Vandoorne também.

  32. LUCIO disse:

    Cris Amon disse uma vez ” Se meu pai não fosse rico, jamais teria me tornado piloto

  33. Rodrigo Santiago disse:

    Esse rapaz bem que podia gostar de jogar no meu time de futebol. Merecia a camisa 10.

  34. ABL disse:

    Cris Amon disse um vez ” Se meu pai não fosse rico, jamais teria me tornado piloto”

  35. Danilo Candido disse:

    …e então a Mclaren caminha pela mesma trilha da Williams.

  36. Jota disse:

    F1 deixou de ser um esporte há muito tempo.

  37. GUILHERME disse:

    E eu tentando arrumar dinheiro para recomprar meu fusquinha 67/67 ….

  38. Luciano Hansen disse:

    Vai virar uma categoria de filho de pai rico.

  39. ABL disse:

    Chris Amon disse uma vez ” se meu pai não fosse rico, eu jamais teria me tornado piloto”

  40. Rafael Lima disse:

    Ron Dennis jamais aceitaria uma obscenidade dessas.

  41. Paulo disse:

    Mais um Stroll a caminho…

  42. zempa disse:

    A F1 tem que rever tudo. Com esse nivel de gastos fica impossível um piloto entrar sem carregar muito dinheiro.

    Do jeito que está a F1 vai virar um esporte de pilotos medíocres mas com a carteira cheia de grana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>