GIRA PRÉDIO, GIRA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

terça-feira, 5 de junho de 2018 - 21:28Arquitetura & urbanismo

GIRA PRÉDIO, GIRA

predioquegiraMOSCOU (que frio, cacete!) - O Marcos Cocenza, de Curitiba, manda a notícia: nove dos 11 apartamentos daquele prédio esquisito cujos apartamentos eram/são giratórios, vão a leilão por preços muito mais baixos que na época do lançamento, em 2004. Vão sair na faixa dos 650 a 700 mil reais, arredondando; quando o prédio ficou pronto, eles custavam mais de 2 milhões de têmeres-golpistas. Diz uma lenda que a Xuxa tinha um apartamento nesse prédio, não sei se é verdade. Mas quero saber de vocês aí da capital paranaense: alguém já morou nesse prédio? Os apartamentos parecem ótimos e eu gosto dessas maluquices.

Parece que a construtora teve/tem problemas. Se chama Moro. Oxe. Não me espanta.

Enfim, contem tudo. O que não falta na Rússia é prédio estranho. No Brasil não são tantos. Daí minha curiosidade. Algum de vocês já entrou nele? Gira mesmo? Faz barulho? Como é o mecanismo que faz essa bagaça girar?

Tirem minhas dúvidas, estou absolutamente sem tempo para pesquisar nada!

25 comentários

  1. L. Campos disse:

    Pelo que eu li uma vez, Moro é um sobrenome super comum no Paraná..

  2. Marcos disse:

    Prédio de vanguarda, tão vanguarda que veio antecipando o boom imobiliário do bairro Campina do Siqueira, um projeto vanguardista da construtora, em que somente a estrutura hidráulica não gira, mas de uma época em que era sonho que Curitiba tivesse um PIB só menor que São Paulo, e apesar da capital paranaense ter um PIB alto, seria em Floripa, no Jurerê Internacional, que este prédio deveria ter sido construído e tido compradores com potencial de gastar 2 milhões.

  3. Giovani disse:

    A Vantagem desse tipo de construção é evitar o ponto de stress geopatogenico, e se houver alguma radiação nociva (causadora de cancer por exemplo) vc pode posicionar sua cama e poltrona em um local saudável.
    E Fica a Dica: Cancer te cura e e gratuita.Conheça o Metodo Kovacsik.
    https://www.youtube.com/watch?v=6W2cEtoklZo
    https://www.youtube.com/watch?v=o838_Grim9s
    https://www.youtube.com/watch?v=LqEI4Re1L5w

  4. Eduardo Britto disse:

    A história (muito interessante!) do restaurante giratório no centro de São Paulo, no Largo do Paissandu, está aqui: http://saopaulominhacidade.com.br/historia/ver/6862/Giratorio%2B-%2BO%2BRestaurante

  5. Guilherme disse:

    Pensava que era projeto do Neymaier

  6. Jonatas disse:

    Tem esse restaurante giratório na Carolina do Sul, EUA. Dizem as más línguas que as pessoas enjoam ao comer lá. A questão é saber se os comensais passam mal devido à rotação do andar, ou porque a comida é ruim mesmo.

    https://www.wltx.com/article/news/sky-high-spinning-restaurant-gives-columbia-diners-a-great-view/101-551014838

  7. Julio Campanha disse:

    Tive a oportunidade de conhecer o prédio quando da sua construção, em 1997 (ou 98), eu ainda era aluno do curso técnico (integrado ao então ‘segundo grau’) em Edificações do antigo CEFET-PR, muito antes de eu me formar em engenharia civil. O prédio já estava totalmente erguido, porém sem as plataformas giratórias instaladas. Na época, havia um protótipo em escala do sistema giratório na sede da construtora Moro (que nada tem a ver com o juiz). O sistema é muito simples: roldanas e engrenagens, porém o objetivo do protótipo era simular pormenores como os “trancos” na partida ou parada dos motores, que poderiam fazer com que uma xícara de café sobre uma mesa derramasse nesses momentos, por exemplo. Foi desenvolvido um sistema de embreagens para solucionar tais problemas. Outro quebra cabeça para a engenharia era o sistema elétrico, pois por se tratar de um loft giratório em formato de rosca e sem paredes, como colocar as tomadas no chão sem precisar de quilômetros de cabo que se enrolariam e desenrolariam? A solução adotada foi a de se utilizar uma rede semelhante ao sistema de um carrinho de choque de parque de diversões, com as tomadas sempre conectadas à base energizada por pinos deslizantes, tornando possível o apartamento girar indefinidamente, seja no sentido horário ou anti-horário. Até os vidros foram pensados de forma que reflitam a luminosidade de forma diferente em cada posição, causando um efeito pra quem está na rua. O apartamento conta com o centro fixo, onde se concentram cozinha e banheiro, na parte externa da “rosca giratória” há outra parte fixa onde ficam os elevadores e escada, além de área de churrasqueira e mais um banheiro.
    Realmente é uma esquisitice muito à frente do seu tempo, porém extremamente interessante! Sim, eu também adoro maluquices. Apenas para atualizar, não houveram lances no leilão de hoje (6/6/18) e os apartamentos vão para novo leilão dia 13/6/18 e estão com desconto de 40% sobre a avaliação, com isso você pode ser o feliz proprietário de um desses apartamentos pela bagatela de 378 mil reais.

  8. RAFAEL LAIMER BILIBIO disse:

    Gomes,
    em Veranópolis, RS, existe um restaurante giratório, me parece com mecânica similar. Nunca imaginei isso para um apartamento. Interessante.

  9. Eduardo Britto disse:

    Precisa ser muito maluco, tipo rasgando dinheiro, pra achar que um mecanismo desse vai durar muito sem dar altas despesas de manutenção e consertos… Sem falar no enjoo… Cada uma!

  10. Julio Lima disse:

    E eu ainda fico imaginando, com essa traquitana toda de motores e escambau, o valor do condomínio nesse prédio…

  11. Julio Lima disse:

    Engraçado é o subtítulo da manchete:

    Lances serão a partir de R$ 630 mil, bem abaixo do preço de lançamento, em 2004, que ***girava*** em torno dos 2,3 milhões

  12. Fábio Varassin disse:

    Pelo menos quem morar lá pode afirmar: não Moro na cadeia.

  13. Ivo Rettor disse:

    Construtora MORO ? Isso não diz nada ???!!!… Talvez queiram fazer uma troca: um apartamento giratório por um triplex na beira mar ….( DESCULPEM A PIADINHA INFAME) tal o apetite dessaq gente por imóveis……..
    Gostaria de saber quanto seria a taxa de condomínio nesse prédio…..??? Tu sabes FG???
    Esse apartamento é o tipo da coisa inútil que só serve pra mostrar que o cara é um otário que tem muita grana pra gastar….. é o mesmo que comprar uma Ferrari no Brasil: NÃO TEMOS ESTRADAS QUE SEJAM ADEQUADAS AO DESEMPENHO DUM CARRO ASSIM sem falar dos quebramolas e ruas esburacadas, os paranaenses que me perdoem, mas o PAraná tá cheio de babacas!!!! Outra coisa impossivel de se ter é conversível apesar de sermos um dos paises mais ensolarados do mundo mas nao temos civilidade e cultura o suficiente pra isso…..

  14. Rogério disse:

    “Os apartamentos parecem ótimos e eu gosto dessas maluquices.”

    Poderia fazer minhas as suas palavras, mas prefiro trocar “maluquices”, “prédios diferentes”. Aliás, deixo aqui a minha sugestão para criar um novo tipo de post, o “Prédios Malucos”, ou melhor, “Prédios Diferentes”. Aproveite que você está na Rússia e comece a nova seção mostrando alguns prédios diferentões daí…

  15. Marcos disse:

    Já tive o prazer de estar nos restaurantes giratórios de Vegas (no Stratosphere), Berlim e no de Santiago (esse, meio caído já). Fiquei sabendo de um pertinho de Bento Gonçalves-RS, pretendo ir em breve.

    Os restaurantes, ao menos, giram mais rápido. Acho que em 20min vc dá uma volta inteira. Você estranha nos primeiros minutos, mas depois é como andar de navio, sobretudo pra sair do centro (estático) e “pular” na parte giratória. Eram bem silenciosos, pelo que me lembro.

    Esse prédio ficou meio sem sentido, porque tem um monte de edifícios mais altos em volta…

    Fico imaginando a conta de luz.

  16. murilo medeiros disse:

    O Mercado imobiliário tem dessas aventuras – a de testar um produto na prática, na aventura mesmo. Nesse caso de Curitiba, deu merda. Em outros casos pode dar certo, mas é pura tentativa e erro.

    O mercado automobilístico tem há séculos uma prática muito mais inteligente… a de investir pesado em pesquisa, construir e expor protótipos em feiras, para entender a aceitação de mercado.

    Construir um protótipo de um apartamento é caro? Duvido. É mais barato do que um carro.

  17. Alex Tadeu Moreira Santos disse:

    Até poucos anos atrás o prédio estava completamente abandonado, todo pixado. Pelo visto deram uma reformada nele…

    Como já disseram, nunca ninguém morou no prédio. A construtora não conseguiu vender todos os apartamentos – aliás, não sei se chegou a vender algum. Devido ao fracasso comercial, a construtora entrou em crise e acabou falindo.

    Ao menos conseguiram concluir as obras do prédio.

  18. Luciano Balarotti disse:

    Flávio, este “monumento ao mau gosto” é um dos grandes embustes do mercado imobiliário curitibano em um bairro que tem o belo nome de mossunguê e para as incorporadoras virou a cafonérrima ecoville.

    Ninguém mora ou morou no prédio da Moro

    Ele tem uma torre fixa na parte interna onde ficam cozinha, banheiro e elevador e toda a parte radial livre de paredes

    O sistema que faz cada andar girar é semelhante ao que existe em alguns terraços de outros prédios e um giro completo leva algumas horas

    A ideia era aproveitar da melhor forma possível a luz solar e a bela vista do prédio mas em resumo é um paraíso para os novos-ricos caronas da cidade, aqueles que acham que Miami é o centro do mundo

  19. Lucas disse:

    Sim ele gira. Existem mecanismos motorizados na base dos lofts que fazem com que eles girem ao gosto do morador.

    O que ocorreu é que essa belezura ficou pronta, só que com apartamentos custando R$ 2 milhões em 2004, dava mais ou menos R$ 2.700 o metro quadrado numa época que as residencias desta mesma região tinham um costo de mais ou menos R$ 1.500 o metro quadrado.

    Resultado: não conseguiram vender nada. Até hoje nunca ninguém residiu nestes apartamentos. Virou tipo um prédio mal assombrado, cheio de lendas urbanas e coisas do tipo.

    Obviamente a construtora se deu mau na história, e agora estão indo a leilão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>