MENU

segunda-feira, 2 de julho de 2018 - 13:29Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10″: VIVAM AS QUEBRAS!

16 comentários

  1. Gabriel P. disse:

    Falando em quebras, batidas e o imponderável, quem se dava muito bem com isso nos anos 70/80 era Emerson Fittipaldi, enquanto os outros iam quebrando, batendo e etc. pelo caminho, ele ia avançando e de repente lá estava ele em primeiro e ganhando corridas, não à toa tinha o apelido de Rato.

  2. CRSJ disse:

    A Mercedes hoje não é uma equipe 100% perfeita e está levando sorte com as falhas de Vettel e Ferrari com o Hamilton, enquanto o Bottas acaba ficando com os azares de corrida e falhas da equipe.

  3. Roberto disse:

    FG,
    Que o campeonato ficou melhor com os infortúnios dos pilotos não restou dúvida.
    Porém há diferenças:
    Hamilton até o momento perdeu pontos por causa da equipe na Astralia, China, Canadá e agora Áustria, sendo que nesse último caso teve a quebra; e
    No caso de Vettel, em Baku, China e França foi culpa dele com erros bisonhos como aconteceu no ano passado.
    Aí, chega no fim do ano fica difícil. Um piloto que não erra e outro que errou varias vezes disputando ponto a ponto o campeonato.
    Porque no final das contas o que vale é o resultado.
    É só uma opinião.
    A gente torce sempre para que vença o melhor.

  4. clodoaldo lelli disse:

    bons tempos aquele o cara liderava com uma volta de vantagem pro segundo colocado mas não dava pra desligar a tv de repente podia subir aquela fumaça toda e já era ou seja só acabava na bandeirada

  5. Fernando Monteiro disse:

    Flávio, enquanto ouvia você falar, eu estava assistindo – ainda estou – o Gp da Austria de 1981 no antigo circuito de Zeltweg. Arnoux, Laffite, Prost, Piquet, Pironi, Villeneuve… Aquilo sim era pista, altíssima velocidade com subidas, descidas, curvas de alta na entrada de reta e curvas também de alta na saída da reta, os carros contornando essas curvas colados uns aos outros em alta velocidade, Aquilo era automobilismo… O que que fizeram com este traçado, que bosta, estragaram tudo…

  6. Adélio disse:

    Flávio, “viva” as quebras. :-)

    • Flavio Gomes disse:

      Não. É “vivam”, mesmo. Mas como não estou a fim de usar um tom professoral aqui, sugiro que busque expressões semelhantes na internet mesmo, como “vivam os noivos!”, ou “vivam os revolucionários!” ou ainda “viva o Brasil, vivam os brasileiros!”. Eu poderia escrever “um ‘viva’ às quebras”, por exemplo, mas aí a construção é outra e o “viva” deixa de ser verbo que tem de concordar com o sujeito (no caso, “as quebras” na frase original; na segunda, “quebras” deixa de ser sujeito e passa a ser objeto indireto: [Flavio deu] um ‘viva’ às quebras; quem dá dá algo a alguém, lembra?. O “viva” aí passa a ser uma interjeição). Enfim, eu escrevi certo, óbvio, porque isso sei fazer bem. Se quiser saber mais, sugiro um link bacana: http://www.migalhas.com.br/Gramatigalhas/10,MI127961,101048-Viva+os+brasileiros+Ou+Vivam+os+brasileiros

  7. Ivo Rettor disse:

    No fim das contas até agora ( 3/3/3) a RBR ganhou tanto quanto FERRARI e Mercedes, tem equipe boa, pilotos idem, poderia estar lutando pelo título sim mas faltou confiabilidade nos carros e velociade final por isso Ver e Ric não estão tendo chance de lutar pelo título……

    • Paulo Pinto disse:

      Os pilotos da Red Bull estão dividindo os pontos e isso é prejudicial na luta pelo campeonato. Falta à equipe, além de evitar as quebras abestadas, a escolha por aquele que vai disputar o título. Isso não acontece nas outras duas equipes que, com certeza, se distanciarão cada vez mais da equipe das latinhas, salvo algo extraordinário.

      • CHAGAS disse:

        Concordo em partes.
        Vettel é disparado melhor que Kimi em processo de aposentadoria. Fácil escolher o número 1.
        Hamilton é mais talentoso que Bottas e tem mais tempo de casa, o que deixa a equipe confortável em “pender” para um lado.
        Já na RBR, a diferente é pouca à favor do moleque, que tem muito mais talento e velocidade que Ricciardo, mas o australiano compensa com experiência, e regularidade. Fica difícil determinar o número 1, e eles continuarão tirando pontos um do outro como você salientou.
        Mas no final das contas todos queremos uma política como a da RBR. Deixar o pau comer na pista.

      • Paulo Pinto disse:

        É por causa dessa política que o Canguru Terceirizado e o Moleque Atirado continuam coadjuvantes nas disputas de título.

      • McLaren-12 disse:

        Deixe os apelidos com FG.
        Ele é bom nisso.
        Você não!

      • Paulo Pinto disse:

        Eu sou bom de apelidos e você sabe disso.
        Dois exemplos:
        Allez Alonso! – Vicellez.
        Segafredo – Sennafredo.

  8. joel lima disse:

    Quando comecei a ver F1 , em 86, ver carros quebrados num canto da pista em que não oferecia perigo fazia literalmente parte da paisagem. As equipes já contavam com isso – o anormal era haver muito poucas quebras mesmo nos carros vencedores. E isso dava um equilíbrio durante a temporada, evitando duma equipe e-ou piloto se desgarrar.
    Pro piloto é uma desgraça, mas pro público as quebras são sempre bem vindas, o que dá um tempero à disputa da temporada

Deixe uma resposta para Paulo Pinto Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>