YES, WE CARE (3) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 9 de julho de 2018 - 22:01F-1

YES, WE CARE (3)

MOSCOU (volta, rotina) – Pela primeira vez em anos o textão pós-GP ficou para o dia seguinte e acho que devo explicações aos cada vez mais parcos leitores deste blog — migrou todo mundo para as redes sociais, é uma tristeza; mas resistiremos.

Como estamos, nós da Fox, numa programação de Copa que respeita o fuso horário brasileiro, ontem, assim que terminou a corrida, tive de sair correndo para algum programa ao vivo que já não lembro qual era. E depois teve outro, e quando pude sentar para escrever o dia já tinha amanhecido e eu precisava fazer algo necessário para os seres humanos, que é dormir para poder acordar algumas horas depois — e retomar a rotina dos longos programas ao vivo.

Enfim, está explicado. Chega de conversinha.

Foi muito bom o GP da Inglaterra, de novo porque um protagonista se deu mal na largada e teve de remar a corrida inteira para chegar onde seus rivais já estavam desde o início. Desta vez, a vítima foi Lewis Hamilton, que levou um toque de Raikkonen nos primeiros metros da prova, caiu para último e garantiu o espetáculo. Passou todo mundo e terminou em segundo, não muito distante de Sebastian Vettel — que ampliou sua liderança no campeonato e alcançou 51 vitórias na categoria, como Prost.

O alemão da Ferrari fechou a sequência de GPs europeus em três domingos seguidos com 50 pontos marcados (um quinto, um terceiro e uma vitória), contra 43 de Lewis (uma vitória, um abandono e um segundo). Tem 171 agora, contra 163 do inglês. Estava 14 pontos atrás após o massacre da Mercedes em Paul Ricard, que abriu a série. Na Áustria e na Inglaterra, virou o jogo e agora está oito na frente. É um bom campeonato. E que bom que o Imprevisível da Silva, parente próximo do Sobrenatural de Almeida, agiu com desenvoltura nessas últimas duas corridas.

Silverstone viveu um fim de semana de calor incomum e muito sol, mesmo para o verão britânico. No domingo, a temperatura ambiente bateu nos 28°C com 53°C no asfalto. Um teste rigorosíssimo para os pneus, que acabaram tendo papel decisivo no resultado final.

Hamilton começou a perder a corrida por ter largado mal, dando a Vettel a chance de pular na frente e ficando sujeito a algum ataque insano de quem vinha babando atrás. No caso, o ataque partiu da outra Ferrari, de Kimi, que calculou mal uma freada e acabou acertando o #44, que rodou para desespero dos torcedores ingleses.

Aqui, abra-se um parêntese razoavelmente longo. Ao final da prova, Hamilton insinuou que Raikkonen bateu nele de propósito. Citou uma “estratégia interessante” da Ferrari. Foi deselegante. Mas se apressou, no dia seguinte, em corrigir o erro. Pediu desculpas e escreveu, numa de suas redes sociais que já não sei qual é, que “de vez em quando a gente fala umas merdas”. Está desculpado. Mas não estão perdoados pela verborragia três dirigentes da Mercedes, a saber: James Allison, Niki Lauda e Toto Wolff. O primeiro, ex-Ferrari, falou que o que Kimi fez foi “deliberado”. O segundo esbravejou dizendo que não é “nada engraçado” o que aconteceu. O último especulou: ou foi de caso pensado, ou incompetência, mesmo. Sustentar tais opiniões é diminuir o valor de Vettel, primeiro, e colocar em dúvida o caráter de um piloto como Raikkonen, que todos conhecem há séculos e é incapaz de baixarias desse tipo — não faz nem por ele, imagina se o faria na condição de vassalo da equipe para ajudar o companheiro. Enfim, falaram demais e falaram bobagens. Foi um incidente de corrida dos mais comuns. Kimi admitiu que errou e se desculpou. Foi punido com 10s no pit stop e não reclamou. Fechado o parêntese, sigamos.

A recuperação de Hamilton foi empolgante e levantou o público em Silverstone — 340 mil pessoas nos três dias, um espanto. Na sexta volta, já estava em décimo, entrando nos pontos pela primeira vez, 25s atrás do líder Vettel. Na 11ª, livrara-se de todos os adversários de segundo e terceiro escalões e aparecia em sexto, na rabeira da turma da ponta — lá na frente estavam Sebastian, Bottas, Verstappinho, Raikkonen e Ricciardo, este 13s à frente do inglês.

Na volta 14 começaram os pit stops, com a entrada de Kimi nos boxes para pagar o pênalti. Só na 21ª Vettel parou, e Hamilton esticou seu stint até a 25ª, quando sua borracha macia já estava abrindo o bico. Voltou em sexto de novo, já com pneus médios. Em tese, seria corrida para apenas uma parada. Mas na 31ª Ricardão entrou de novo para colocar um segundo jogo de macios. O calor e o ritmo fortíssimo dos ponteiros estavam judiando dos pneus e tudo indicava que todos teriam de fazer o mesmo que o australiano.

Só que veio um safety-car, na volta 32, por conta de uma batida de Ericsson. Quase todo mundo aproveitou e foi para os boxes. Menos os dois pilotos da Mercedes. Era uma aposta bem arriscada. Bottas assumiu a liderança com pneus médios usados, com Vettel de macios novos em segundo e Lewis em terceiro também com pneus médios já bem rodados. Depois deles apareciam Verstappen, Raikkonen e Ricciardo — que se deu mal porque parou um pouco antes –, todos com macios novos.

Os pneus da dupla prateada aguentariam até o final? Era a grande pergunta que se fazia nos boxes dos dois times protagonistas da temporada. A relargada aconteceu na volta 38, mas nem deu tempo de acelerar direito porque na 39 Sainz Jr. e Grosjean bateram e novo safety-car foi necessário para limpar a pista. E ele só saiu na 42ª. Essas nove voltas em fila indiana e ritmo lento ajudaram a Mercedes, sem dúvida. Deu para poupar um pouco de borracha e garantir um final de prova sem ter de parar de novo. Só que os demais tinham borracha mais aderente, fresquinha e reluzente. Segurá-los seria tarefa inglória.

As últimas voltas, com Mercedes/Ferrari/Mercedes/Ferrari separados por fios de cabelo foram alucinantes — a Red Bull, sem a mesma velocidade de reta, ficou um pouco para trás. Na 47ª, Sebastian fez uma manobra brilhante e passou Valtteri, que logo depois perderia a posição também para Hamilton e Raikkonen. Os pneus do #77 já não aguentavam mais. Kimi, com mais algumas voltas, talvez conseguisse passar Lewis, também. Mas não deu tempo. Ficou em terceiro. Bottas, Ricciardo, Hülkenberg, Ocon, Alonso, Magnussen e Pérez fecharam os pontos.

“Ganhamos na casa deles!”, festejou um mui sorridente Vettel no pódio, ao lado de um Hamilton contrariado e cabisbaixo. Foi mesmo uma grande vitória, de um piloto que tem cometido seus erros neste ano, sim, mas que pode ser acusado de qualquer coisa, menos de não lutar. Sebastian tem sido um leão em 2018. É o que tem garantido a emoção de um Mundial de altos e baixos, que teve em Silverstone, sem dúvida, um de seus altos.

Ah, o “Sobre ontem…”, com o rescaldão do GP, fica para amanhã. Ou, no meu fuso, para hoje, só que mais tarde. São 4h aqui…

101 comentários

  1. Iam Cantarino disse:

    Olá, cadê o “Sobre Ontem…” de Silverstone? Queremos!

  2. Gustavo disse:

    Provavelmente, em parte, você tem razão,

  3. Leo disse:

    Discordo absolutamente de muitas opiniões suas, mas essa é a vida, não? Se todo mundo concordasse em tudo, seria um saco. Apenas continue, que continuaremos apreciando.

    Cadê o sobre ontem???

    PS: O layout novo do site é muito bonito, mas está muito ruim de navegar. Pessoal do UX precisa dar uma revisada nisso, pois está difícil achar as ultimas notícias, principalmente quando se está lendo uma matéria no celular. Organizar as matérias por data, talvez com menos imagens nos links (ou a opção de visualizar lista ou thumbs) nas páginas internas é uma opção que acho que devem considerar. Muitos cliques para chegar até onde se deseja, o anterior era muito mais funcional que o novo. Seguiram demais a linha do motorsport.com e eles estavam a anos luz da funcionalidade/facilidade que era o layout anterior do amado e diariamente visitado GP. Fica a minha crítica construtiva =)

  4. Marcus Vinicius dos Santos Lins disse:

    FG, você disse “Ah, o “Sobre ontem…”, com o rescaldão do GP, fica para amanhã. Ou, no meu fuso, para hoje, só que mais tarde. São 4h aqui…”…

    Ainda aguardando o “Sobre ontem”. É uma coluna muito boa!

  5. Foi delicioso Vettel vencer na Inglaterra. Vencendo na casa do rival. E olhem gente aonde é a próxima corrida? Tcham tcham tcham… Na Alemanha! Na casa do Vettel. O Hamilton vai fazer DE TUDO pra ganhar e dar o troco. Esse duelo é o melhor desde Senna x Prost. E tem pelo menos mais uns 5 anos pra acontecer. Os amantes do automobilismo agradecem.

  6. Paulo Pinto disse:

    Vitória maiúscula do Tetracampeão consecutivo! A cara de baiacu de Hamilton mostrou a dimensão da derrota em casa.

    #FerrariFodástica!

  7. Vanni Rebonato disse:

    Flavio,

    para mim a corrida termina depois de ler o teu blog e… esta de Silverstone foi particolarmente longa… passei a noite em branco esperando ler o teu comentário !

    Um abraço

    Vanni

  8. G.h. disse:

    Sou comentarista esporádico, porém leitor aciduo. Em um mundo de opiniões engessadas, opiniões verdadeiras teem muito mais valor. Admiro o blog, as opiniões esportivas e também as políticas, mantenha-as.
    Abraço!

  9. Alfredinho disse:

    Hulkenberg à frente de Alonso.

    Já se foi o tempo em que o espanhol disputava títulos com Vettel e perdia. Agora disputa o sétimo lugar com outro alemão e está perdendo.

  10. Paulo Fonseca disse:

    Prezado F&G : Em tempo de copa do mundo de futebol, somente os fortes continuam a prazerosa e divertida leitura do Blog.Para os fanáticos que assistiram o GP da Inglaterra, foi uma corrida muito interessante. A Equipe Ferrari , conseguiu beliscar pontos preciosos da Equipe Mercedes-Benz. Fatores determinantes, Calor, escolha dos compostos , estratégia. Entre os dez finalistas, Vettel ( foi espetacular) ,Hamilton ( Sensacional), Raikkonen ( fez show de competência ), Bottas ( ficou descalço ), Riccardo-Red Bu l( correndo e jogando xadrez, fazendo pontos importantes, a Ferrari, vai perder a oportunidade de ter seu talento) Hulkenberg-Renault , fazendo pontos e trabalhando muito , Fernando ( El Fodon), marcando presença, Magnussen a Equipe Hass, dando passos certos.
    O Melhor da corrida : Vetel, Hulkenberg , Magnussen.
    A grande sacanagem da corrida foi a punição de Raikkonen, em dez segundos.
    O Pior da corrida Strol e Sirotkin – Equipe Willians

  11. j2c disse:

    Todo dia aqui, e só não no twitter pq me bloqueou. Acho q pq eu ficava enviando tudo q achava interessante ;-)

  12. Chupez Alonso disse:

    Uma coisa é Ve44el de pneus novos (e Räikkönen) passar o Bottas. Outra coisa é o Hamilton com os mesmos pneus usados e com o mesmo carro passar.

    Ficou claro que houve uma ordem de equipe para inverter as posições. Coisa que a Ferrari não fez no GP passado.

    Aliás, a Mercedes este ano deu ordem até na equipe dos outros, como em Mônaco.

    Estranho ver a Ferrari ser a mocinha. Em todo caso, se não jogar as mesmas cartas da Mercedes, vai ficar difícil ganhar o campeonato.

    Hamilton virou o Valentino Rossi da F1. Só sabe reclamar e por a culpa nos outros quando não ganha.

    Bem feito.

  13. Leo D. Guedes disse:

    Blz de corrida, pelo menos não foi monótona e teve ultrapassagens, apesar de ser briga só entre 4 pilotos, já é algo. O Hamimimilton chorar rios não é novidade, qualquer merreca que não saia do jeito dele já motivo para um alagamento de lágrimas, agora os chefes da Merça engrossarem esse coro é vergonhoso, ainda mais em relação ao Kimi-Mito, o cara não é desses, tipo Alonso e Schumacher, por exemplo.
    Por fim, tamo sempre aqui no site, vendo as matérias e acompanhando a programação, enquanto o FG resistir com site continuo contando como fonte primária para automobilismo. Rede social … nem falo nada… na verdade eu apenas digo que rede social de cu é rola.

  14. Francisco Picorelli disse:

    Continue por ai, que continuarei por aqui, diariamente.

  15. Flavio Gomes disse:

    Se for por isso, é por uma ótima causa. E a boneca aí, que um dia jurou nunca mais visitar o blog, por que anda por aqui?

  16. Luiz caco disse:

    Para quem acompanha automobilismo desde 1.970.
    Ainda não encontrei nada parecido com o seu Blog. Resista, pois vc tem seguidores fiéis. Abraços

  17. Alan Bezerra disse:

    Resista, Flávio! Por favor!

  18. Kate disse:

    Olá Flavio, por favor resista, sou sua leitora desde o Warm up, sua análise completa o meu fim de semana de Formula 1, gosto de você, sinto falta da sua parceria com o Fábio Seixas nas transmissões da BAND; no jornalismo esportivo hoje em dia, é tudo “um monte de nada”, quanto à corrida estou ficando sem paciência com essa gentalha, se existe um Piloto Leal e limpo neste grid o nome dele é Kimi Raikkonen, a vaia que ele recebeu no pódio doeu no meu coração, Sebastian, Max e Lewis podem fazer de tudo, no máximo o que recebem de punição é 5 seg… ridículo, foi acidente de corrida, ele vai deixar essa categoria em breve e a meu ver ele não tem substituto, um grid cheio de “divas” e “frescos”.
    Ice Kiss
    Kate

  19. J Fernando disse:

    Comento pouco, mas acompanho o blog sempre.

Deixe uma resposta para Leo D. Guedes Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>