MENU

terça-feira, 14 de agosto de 2018 - 19:57F-1

EL FODÓN

SÃO PAULO (há vida por aí) – A primeira vez que olhei com alguma atenção para o tal de Fernando Alonso foi numa corrida de F-3000 na Bélgica, há exatos 18 anos. Foi sua única vitória na categoria, e não foi uma vitória qualquer. Aliás, não foi um sábado qualquer, aquele. O título da temporada seria decidido naquela prova, com a disputa restrita a Bruno Junqueira e Nicolas Minassian. O brasileiro, da Petrobras Junior, precisava de um quarto lugar, apenas. O francês, da Supernova, tinha de vencer de qualquer forma e torcer para um mau resultado do rival.

alonso2000Foi uma corrida muito tensa. Bruno terminou apenas em nono, com o adversário flertando com a vitória. Mas no fim das contas Minassian terminou em terceiro, atrás da dupla de uma certa Astromega — que corria com carros amarelos, um deles patrocinado pela Telefónica espanhola. O primeiro colocado, Fernando Alonso, um rapaz de 19 anos. O segundo, um belga de 30 anos já veterano chamado Marc Goossens — que tinha estreado na F-3000 em 1994, pulou alguns campeonatos, e voltou na virada do século.

Bruno foi o campeão. Mas, por alguma razão, foi o tal de Alonso que saiu de Spa com jeito de que no ano seguinte estaria na F-1, ainda que tivesse terminado o campeonato apenas em quarto lugar. Talvez porque na etapa anterior, na Hungria, tivesse chegado em segundo. Sei lá. Até então, tinha um mísero ponto no campeonato. Bruno, o campeão, incrivelmente já não era mais cotado para ascender, já que meses antes havia sido preterido numa espécie de vestibular da Williams — cliente da Petrobras — em favor de um garoto desconhecido de nome Jenson Button.

Parênteses aqui. Turma boa, aquela da F-3000 no ano 2000. Além de Bruno e Minassian, campeão e vice, disputavam o campeonato meninos como Mark Webber, Justin Wilson, Tomas Enge (que eu chamava, no rádio, de checo-jamaicano), Sébastien Bourdais, Jaime Melo Jr., Enrique Bernoldi, Ricardo Maurício, Stephane Sarrazin… Alguns deles engataram carreiras internacionais sólidas, como Wilson, Webber e Bourdais. A dupla da Red Bull Junior era brasileira — Bernoldi e Ricardinho. A marca dava seus primeiros passos no automobilismo, ainda não estava na F-1 — a equipe só faria sua estreia em 2005 –, mas já demonstrava que tinha más intenções para o futuro. Enfim, foi um grande ano para a categoria. Fechados os parênteses.

E, de fato, no ano seguinte era Alonso quem dava suas primeiras aceleradas na F-1. Entrou como piloto pagante — talvez seja melhor dizer “financiado”, já que o dinheiro não saía de seu bolso, nem do de sua família — na Minardi, com forte patrocínio da mesma Telefónica.

Não se pode dizer que tenha feito um campeonato brilhante. Mas quem, na Minardi, seria capaz de? Seu melhor resultado foi um décimo lugar na Alemanha. Como apenas os seis primeiros pontuavam, na época, terminou o ano zerado, assim como os dois companheiros que teve no time de Faenza naquela temporada: Tarso Marques, por 14 corridas, e o inesquecível malaio Alex Yoong, nas últimas três.

Alonso, pelo menos, largava na frente de Marques constantemente. Foram apenas duas derrotas para o brasileiro em grids. Tarso, deve ser dito, sempre foi citado pelo espanhol como figura importante em seu início de carreira. Com ele, costuma dizer o asturiano, aprendeu muito — embora o paranaense tivesse uma experiência restrita a 12 GPs pela mesma Minardi nos já distantes campeonatos de 1996 e 1997. Só que milagre ninguém faz. O que tinha era uma boa perspectiva de futuro por conta do apoio da patrocinadora espanhola, que resolveu ir adiante com ele fechando um contrato de piloto de testes da Renault para 2002. Ele chegou a andar de Jaguar, também. Mas acabou com os franceses.

Em 2003, era titular do time azul, ganharia seu primeiro GP, na Hungria, e em 2005 e 2006 conquistaria o bicampeonato encerrando a sequência de cinco títulos de Schumacher na Ferrari.

O resto é história, como se diz. Alonso virou “El Fodón” nas palavras chulas deste blogueiro, porque sempre achei o cara foda, mesmo. É senso comum afirmar que o espanhol não ganhou tanto quando poderia porque fez escolhas erradas ao longo de sua trajetória. Seus números, embora impressionantes — dois títulos, 32 vitórias, 97 pódios, 22 poles em mais de 300 GPs — não estariam à altura de seu talento.

Tendo a concordar, porque ao fim e ao cabo é o que aconteceu, mas cito apenas uma escolha talvez equivocada, ao menos do ponto de vista técnico e profissional: a saída da McLaren depois de apenas um ano com os prateados, em 2007, pelo simples fato de não suportar a convivência com Hamilton, ou com o que ele representava. Mas hoje é fácil afirmar que a volta à Renault era uma aposta alta demais. Só que, àquela altura, nem era tanto. As duas eras hegemônicas que se sucederam na F-1, da Red Bull e da Mercedes, não eram propriamente um padrão para a categoria e não estavam muito claras no horizonte. Tanto que depois do período de domínio de Schumacher e da Ferrari, quatro equipes diferentes ganharam campeonatos nas temporadas seguintes: a Renault, com ele mesmo, depois Ferrari (com Raikkonen, 2007), McLaren (Hamilton, 2008) e Brawn (Button, 2009).

Alonso-Interlagos-2005-2

Foi só em 2010 que a Red Bull passou a enfileirar vitórias e títulos, e mesmo assim Alonso conseguiu três vice-campeonatos defendendo a Ferrari com ardor e paixão. Sair de Maranello para retornar à McLaren foi um erro? Pode ser que sim, mas quais seriam suas opções? Ele já tinha cinco anos de vermelho, e apesar do esforço não conseguiu ser campeão de novo. E ninguém imaginava que a Mercedes iria se impor como se impôs com o início da era híbrida, deixando migalhas para o resto.

Alonso fez apostas. Mas não foi só ele. A McLaren também apostou na Honda e caiu do cavalo. E qualquer outro caminho que ele tomasse a partir de 2015, quando voltou a Woking, daria mais ou menos na mesma coisa se ele não tivesse uma Mercedes nas mãos. E a Mercedes nunca pensou nele. Não precisava.

A verdadeira mudança de rumo na carreira Alonso foi encontrar no ano passado ao decidir disputar as 500 Milhas de Indianápolis. Apaixonou-se pela corrida, mais do que pela categoria. Foi a Le Mans neste ano e se apaixonou de novo. Dois novos amores em dois anos. Era chegada a hora de deixar o velho amor para trás.

Alonso fará falta pelo talento que tem. É sempre bom ver um piloto excepcional guiando o que for. Mas para um cara como ele, a distância cada vez maior das vitórias deve aborrecer. Fernando não ganha um GP há cinco anos. É muita coisa para um sujeito que sabe que executa seu ofício em altíssimo nível.

Tem uma frase famosa do escritor e cineasta francês Jean Cocteau (1889-1963) que diz: sem saber que era impossível, ele foi lá e fez. Na F-1, ela não se aplica. Sabendo que é impossível, Alonso resolveu que não é mais o caso de ir e tentar fazer.


O vídeo de despedida de Alonso é muito bonito na sua simplicidade e singeleza. Até agora, nenhuma palavra foi dita sobre o futuro. É possível que dispute a temporada da Indy em 2019. É possível também que ele tenha algum projeto voltado exclusivamente para Indianápolis, com a participação em algumas provas em ovais para adquirir a experiência necessária para vencer a grande corrida dos EUA. Por enquanto, o que se sabe é que ele segue com a Toyota no WEC. Onde quer que resolva correr, será seguido por milhões de fãs. Alonso tem 37 anos. Mansell foi campeão na F-1 com 39 e na Indy, com 40. Pilotos, hoje em dia, são atletas muito mais preparados do que eram há 25 anos. O espanhol tem muita estrada pela frente, ainda. Mas o que conta, a essa altura da vida, é a motivação. Essa será sua busca, agora.

116 comentários

  1. GIOVANI disse:

    O cara é gênio, vai ser um perda enorma para F1.

    Vou acompanhar onde estiver.

  2. Vai Vettel! disse:

    Alonso, depois de tantas escolhas erradas, acabou trocando as bandeiras quadriculadas pelas bandeiras azuis.

  3. Marciano de Brito Silva disse:

    Acho que Alonso está sentindo o mesmo que Piquet que disse que abandonou a F1 quando se percebeu no meio do grid e olhava para o lado e via o De Cesaris. Alonso, olha para um lado e vê o Stroll, olha para o retrovisor e vê o Sirotkin… olha pra frente e vê o Ocon… É dose!!! Só pode desmotivar-se mesmo…

  4. Chupez Alonso disse:

    Texto incompleto.

    Não há como falar do Picaretonso sem falar na pior picaretagem da história da F1: CingapuraGate.

    Já vai tarde. Deveria ter ido naquela época junto com seu mentor Flavio Briatore.

    Vamos rir de quem, agora?!

  5. Joao disse:

    Melhor piloto da era moderna da F1, igualando ao Fangio como o GOAT. Simplesmente aposentou o “xumáquer”. Abs

  6. Carlos disse:

    Eu duvido que volte. O problema principal de Alonso permanece: nenhuma equipe de ponta quer Alonso hoje em dia. E a McLaren voltar a ser uma equipe vencedor em breve é pouco provável.
    Que seja feliz.

    Mas fora a dança das cadeiras, a F1 não vai ser afetada pela sua saída. Independente dos motivos, já faz muito tempo que Alonso é um coadjuvante e só é notícia pelas declarações e conversas no rádio.

  7. Vai Vettel! disse:

    Foi batido por Hamilton em 2007 e por Vettel entre 2010 e 2013. Resolveu ir pra casa depois de tanto apanhar.

  8. Glauco Tavares disse:

    Alonso é gênio, do marketing pessoal! O cara está saindo da F1 por absoluta falta de opção, nenhuma equipe se interessa por ele por conta de seu caráter destrutivo e mesmo assim o fã clube dele (imprensa Inclusa!!!) Faz parecer que ele escolheu deixar a F1. Como pode nenhuma equipe querer o melhor piloto do grid, o racer, aquele que tira leite de pedra, o extra série….??? Simples, ele não é nada disso! É apenas um cara negativo e arrogante, alguém que diante de um problema esculacha publicamente o carro, a equipe, o motor, os parceiros… E não faz nada para ajudar na solução.
    Agora o gênio da raça vai para Indy e já vou adiantar aqui o discurso dele e de seus fanboys (imprensa inclusa!!!). Se der certo ele é gênio, o melhor de todos os tempos, fodão…. Etc se der errado a culpa será da equipe, afinal são novatos e inexperientes. Previsível demais, patético demais… Lamentável!
    Pra fechar, alguém realmente acredita que Alonso estaria buscado a tríplice coroa caso estivesse na Ferrari ou Mercedes? O cara tá fazendo uma puta fumaça para esconder o próprio fracasso e tem um monte de entendidos comprando o mico.

  9. CRSJ disse:

    Com as portas completamente fechadas nas outras equipes que estão melhores do que a McLaren o Alonso acaba ficando cansado de ficar mais um ano do que seria em 2019 de pilotar um carro nanico, como ele já venceu esse ano as 24 Horas de Le Mans, isso prova que a felicidade dele nas pistas está fora da F-1 principalmente nesse momento.

  10. Bola da Vez disse:

    Chegou como El Fodón e sai como El fodido.

  11. Alfredinho disse:

    Alonso cansou de dar passagem para Hamilton e Vettel a cada volta que levava dos líderes.
    E o sofrimento ainda não acabou. Ainda faltam 9 corridas disputando posições no pelotão intermediário.

  12. Ivan Drumond disse:

    A Indy ganha muito com essa transferência. Acho que Alonso tmb. Bom pra todos na minha opinião, até pra F1. Ver Alonso sofrendo o martírio em carros ruins não tem graça nenhuma (com exceção dos rádios, impagáveis!).

  13. André Fonseca disse:

    Piloto mais superestimado da História da F1!!!

    Foi campeão com “recursos” que outras equipes não tinham, como os pneus EXCLUSIVOS da Michelin para a Renault em 2005 e 2006, além do amortecedor de massa.

    Isso sem falar no “Cingapuragate”…

    Fora isso, sobra ter a Ferrari anos a foi só pra ele, sem ganhar nada (Petrov ano 2010 manda um abraço) e levar pau de um novato na categoria!!!

    HUAHUAHUAHUAHUAHUA

    E não vamos esquecer que liderou a Indy 500 somente no meio da corrida, onde os pilotos da categoria só poupam equipamento para o final e, clássico na história do Picaretonso, ganhou LE MANS com um regulamento feito exclusivamente para a equipe dele ganhar!!!

    Ou seja, sem ajuda que outros não possuem, Picaretonso não é nada.

    • Alberto disse:

      Entre as opiniões de todo o jornalismo mundial esportivo e a sua prefiro a primeira opção. Se não gosta do Alonso é um direito seu, agora ficar diminuindo o que o cara já fez e faz com um carro de corrida não da né?

      • Alfredinho disse:

        Tua opinião é muito “importante”, Alberto. Continue assim, nos presenteando com essas “ricas” opiniões.

      • André Fonseca disse:

        Todo “jornalismo mundial”???

        HUAHUAHUAHUAHUAHUA

        Picaretonso só é alçado como “melhor do grid” aqui em terra brasilis, que precisa de um piloto com sangue “latino” para ganhar cliks e likes.

        Lá fora é colocado como um grande piloto. Ponto, nada de “melhor da geração”.

        A sorte dele aqui no Brasil é que não tem nenhum brasileiro com chances de ganhar alguma coisa na F1. Na verdade, nenhum brasileiro na F1.

        Se tivesse apenas “um brasileirinho contra o mundo” na F1, Picaretonso seria tratado aqui da mesma forma que é lá fora.

  14. Paulo F. disse:

    Ta mais com cara de até logo do que adeus. Lauda fez isso. Alonso tem talento mas é melhor no marketing do que piloto.

  15. Thiago Azevedo disse:

    Pois é, uma pena ele aposentar guiando bem desse jeito. Não acho impossível ele voltar se a Mclaren fizer um carro ótimo.

    Acho que os vacilos do Alonso são relativos não apenas às escolhas, mas também aos comportamentos.
    A mania que ele tem de lavar a roupa suja fora de casa (as reclamações em relação ao carro via rádio) é uma. Imagine como fica o clima na equipe depois.
    Ou então ele ter dedurado a Mclaren quanto à espionagem. Talvez seja o certo dedurar, mas torna o quesito lealdade questionável. Quem vai querer contratar um cara assim?
    A treta com Hamilton, também. Pode ser que o carro não estivesse do jeito que o espanhol gosta de guiar (e não estava mesmo, era notório), mas ele tem que sentar e descer a bota, sem reclamar. Naquele ano ele empatou com o Hamilton e perdeu no critério desempate. No lugar dele, eu nunca sairia da equipe enquanto não batesse o Hamilton. O inglês é bom, mas dá para dizer, com tranquilidade, que o espanhol é melhor. Seria o caso de não pensar muito e apenas acelerar que o resultado viria. Vacilou.

    Por essas que nenhuma equipe grande (que já possuam bons pilotos) contrataria o Alonso.

    Eu estava em Interlagos na despedida do Schummy e deu para ver o que o Alonso freia depois do Deusmelivre. El fodón, mesmo.

    A torcida é para que ele vença logo as 500 milhas de Indianápolis, que a Mclaren faça um bom carro e faça o convite para ele regressar.

  16. Eltontoptec disse:

    O “gatão” da Mônica subiu no telhado e deu linha.

  17. Clayton Araujo disse:

    Se tiver um carro bom nas mãos será campeão na Formula Indy. Anotem aí.

  18. Adriano Silva disse:

    Ótimo piloto, concordo, ok. Mas acho que no currículo de Alonso deve constar sempre Singapura 2008. Com o domínio e influência que sempre demonstrou sobre as equipes que defendeu, somados à sua obsessão em ser sempre o melhor dos melhores, fica quase impossível acreditar que não estava a par do que foi feito para garantir sua vitória naquele GP. E do episódio até hoje muitos carregam cruzes: Nelsinho (o banido), Briattore e mesmo Massa pelo “efeito colateral” do resultado, mas sobrou do episódio um límpido e incólume Alonso.

  19. Zé Maria disse:

    Viajando na maionese. . .ou talvez não:
    Gil de Ferran e Alonso se tornaram grandes amigos por conta das 500 milhas do ano passado. . .
    Defenestrado o Bouiller, quem chegou para tentar arrumar a casa? Gil!
    Encantado pela possibilidade da tríplice coroa, o que pretende agora o espanhol?
    Gil ainda é muito próximo de um certo Roger Penske, portanto basta apenas um telefonema. . .
    Aposto meus 8 dedos e 2 polegares que ano que vem o Alonso estará competindo pelo Team Penske na F-Indy.
    E meus 10 artelhos qua a chapa do irregular e instável Will Power já começou a esquentar. . .
    Zé Maria

  20. Brabham-5 disse:

    Stoffel Vandoorme vai poder correr agora como piloto MESMO da equipe, cara direção da McLaren?
    O mínimo que deveriam fazer, por respeito ao rapaz, era deixar ele mais um ano na equipe, agora sem o Alonso roubando toda a atenção.
    A McLaren precisa usar o mesmo modelo da RBR. Investir em pilotos jovens e com potencial para serem campeões de F1.
    O modelo da RBR (com ambição), não o da Williams (que só pensa em $$$ para sobreviver e nada mais) e seus pilotos pagantes.

  21. Brabham-5 disse:

    Os engenheiros e mecânicos da McLaren respiram aliviados. DE NOVO.
    O mesmo que sentiram após a primeira passagem do espanhol por lá, o mesmo que sentiram os mecânicos e engenheiros da Renault e da Ferrari espanhol “se fue” das respectivas equipes.
    Quer valer que no ano que vem a McLaren MELHORA e seus mecânicos e engenheiros vão trabalhar com muito mais vontade e PAZ?
    A F1 sobrevive sem a presença de Alonso.
    Talentoso, sem duvida. Mas uma figura mais do que desgastada na categoria.
    Que se fixe em outra categoria e volte a vencer.
    Porque já encheu o saco tanto mimimi e tanta patada de Alonso e de seus fãs.

  22. Paulo Rickli disse:

    Se fizer todas as corridas de 2019 na Indy por uma equipe razoável será campeão .
    Pode até não vencer Indianápolis , por uma serie de razões e acasos , mas o campeonato …

    • Pedro Paulo disse:

      Vai quebrar a cara… kkkkkkk Vencer o campeonato…. Esse povo que só assiste F1 acha que as outras categorias é um circo igual a F1, onde um carro anda 1, 2 seg mais rápido que os outros. Dá nem pra saber quem é ou não bom piloto de verdade.

  23. Paulo disse:

    Nunca gostei dele.. .

    Ganhou dois titulos na Renault em uma equipe dirigida pelo seu empresário nada suspeito e com polêmicas inclusas (a historia do amortecedor em 2006)

    Depois só mostrou que era um mau caráter em um nível que nem Prost, nem Senna ,nem Schumacher conseguiram chegar…

    Plantou aquilo que colheu e vai sair pela porta dos fundos.

    É um ótimo piloto? claro.. mas nada além.

  24. Felipe Fugazi disse:

    “I’m not a driver.
    I’m a racer.”

  25. Alberto disse:

    Fico lendo os comentários e rindo de quase todos aqui.
    O mundo do jornalismo esportivo elogia e massageia o ego de Fernando Alonso ao extremo pela sua capacidade de pilotar um carro de corrida. (Eu também acho que ele esta um pouco acima dos demais na F1). Chega nos blogs ou em reportagens o que se vê é brasileiros falando mal do profissional. É sabido de todos que Alonso não é flor que se cheire, mas não reconhecer que o cara sabe dividir uma corrida em começo, meio e fim? ele com certeza esta entre os 15 maiores pilotos da historia da F1,
    Desejo sorte a ele, e quem sabe com as novas regras para 2020 ele não volte a F1 como fez Prost, Kimi e Schumacher. Talento de sobras ele tem, basta ter um carro competitivo nas mãos.

    • Alfredinho disse:

      Dividir uma corrida em começo, meio e fim? Alonso sabe mesmo!

      COMEÇO: Largar com o carro preparado para uma parada fora dos padrões, sem peguntar o motivo.
      MEIO: Ir para os boxes em consonância com a batida maldosa do companheiro de equipe, sem saber de nada.
      FIM: Aproveitar o lucro ganho e partir para a “vitória”, feliz da vida com a surpresa do destino.

    • João disse:

      É provavelmente o maior de todos, o fóton de las galáxias, o pica de las asturias. Ele deveria vir correr na consagrada Corrida do Milhão ano q vem em um carro bolha com patrocínio de empresa farmacêutica. Se pá emendava um romance com a Cleo Pires.

  26. Markonikov disse:

    “convivência com Hamilton, ou com o que ele representava” … representava o quê? o talento puro? moleque deu pau no “el fodon” na temporada de estreia e a desculpa era que a mclaren dava preferência para ele … como tem preconceito com o hamilton …

    • Alberto disse:

      “Que pau” Hamilton deu em Alonso? kkk terminaram empatados em números de pontos e critério de desempate Hamilton em segundo, mas segundo é o primeiro derrotado. Aff muito mimimi. O que Hamilton, Vettel ou mesmo Schumacher sem um carro campeão na mão? Analisem primeiro. “Um ótimo piloto e nada a mais”, o que mais um carro de corrida precisa? de um ótimo piloto horas. Comportamento dele realmente é duvidoso, agora não concordar com o que o cara faz na pista ai é demais.

    • Murillo disse:

      Gostaria de saber que pau foi esse que o Hamilton deu no Alonso. Se me lembro bem a temporada terminou 109 para Hamilton e 109 para Alonso com Raikonnen campeão com 110 pontos.

      • Alberto disse:

        O povo delira com isso Murillo! sem contar que Hamilton copiava o setup de Alonso e foi por isso ele chutou o balde. Hamilton perdeu para Nico com o mesmo equipamento, ele só esta no lugar certo na hora certa. Ficou alguns anos amargando sem ganhar titulos tambem aff.

      • Viúva Solitária disse:

        E eu quero copiar o teu setup, Albertinho! Só não vale chutar o balde na hora H.

      • André Fonseca disse:

        “Que pau foi esse”???

        Simples…

        Quando Picaretonso começou a pilotar um F1??

        E Hamilton???

        Uma vez encontrada essa resposta, quando Hamilton fez o mesmo número de um piloto que já era Bicampeão (FAKE) da F1???

        Precisa desenhar???

        Tomou um pau de um novato no ano de estréia desse novato na F1!!!

        HAUHUAHUAHUAHUA

  27. clodoaldo lelli disse:

    se a mclaren evoluir ano que vem confirma que o problema era ele

  28. Guilherme Costa disse:

    Me cheira a um ano(s) sabático(s) caso acertem a mão no carro do ano que vem, ou no carro de 2020-21-22… :

    “Sei que eles retornarão mais fortes e melhores no futuro, e esse poderia ser o momento para que eu volte à competição – isso me deixaria muito feliz.” ALONSO, Fernando

  29. Bascuia disse:

    O cara esteve envolvido em dois dos maiores escândalos da F1, ganhou dois títulos com um carro que andava sozinho, não conseguiu ultrapassar o Petrov (PETROV!) em 2010 pra ser campeão, saiu da McLaren em 2007 porque não seria páreo, jamais, para o Hamilton. Marqueteiro de primeira qualidade. Ótimo piloto, mas só isso. Saiu pela porta dos fundos de todas as equipes por onde passou. Vai pra Indy, nossa, que fantástico. Vai continuar com a Toyota no WEC, nossa, deve ser muito difícil ganhar as 24h de Le Mans com a única equipe de fábrica. Piada.

    • Markonikov disse:

      Concordo … picareta igual ao Schumacher … Hamilton e Vettel nunca ganharam nenhum título roubado igual essas lendas …

    • Junior xavier disse:

      Concordo em gênero, número e grau com você amigo.
      Parabéns pela análise.

    • Murilo Medeiros disse:

      Copo meio vazio ou copo meio cheio. Eu escolho copo cheio. É top 3 de sua geração para 99% dos que entendem de automobilismo. Para muitos (e pra mim), foi o melhor de 2005 pra cá.

      Ganhou campeonato porque tinha o melhor carro? Sim. Todos os campeões tem o melhor carro, sempre é assim. Pilotos ganham corridas, carros ganham campeonatos.

      Hamilton, Vettel, Button, Kimi e Rosberg. Pra mim, Alonso foi melhor que todos esses.

      • Alberto disse:

        O pessoal aqui é difícil entender isso. A imprensa mundial toda achou ruim para a F1 se aposentar. Mas os caras aqui estao certos kkk fanfarrões mesmo

      • Bascuia disse:

        Nófa, como ela é entendida de automobilismo. Matemática que se f… né? Fica triste não, viúva. Vais poder assistir às maravilhosas corridas da F-Indy com teu guapo guiando.

      • Segafredo disse:

        sem dúvida que foi melhor que todos os que estão atualmente no grid e melhor também que Schumacher!

      • Paulo Pinto disse:

        Melhor que o Maior do Mundo, Sennafredo?

        Hahahahahahahahahahahahahahahahahaha!

      • Segafredo disse:

        Aí vc tbm já está forçando, kkkkkkk…………….Ayrton não tem comparação!!

      • Paulo Pinto disse:

        Você não passa de uma “víúva” recalcada que vive de listas.

        Hahahahahahaha! (sete… é capote no piloto que saiu de cena).

      • André Fonseca disse:

        “Imprensa mundial”???

        HUAHUAHUAHAUHUAHUAHUAHUA

        Picaretonso só é o “melhor da sua geração” na Espanha e aqui na Terra da Banânia, por ter sangue latino e a imprensa “BRAZILEIRA” querer chamar a atenção para um produto que não agrada mais, para ganhar clicks, likes e audiência, já que o brasileiro não gosta de esporte, gosta de ver brasileiro vencendo.

        Se mudar o termo, para “um dos melhores da geração” até concordo, entrando em terceiro, anos luz atrás de Hamilton e Vettel.

        Mas jamais o “melhor da geração”.

    • Alfredo disse:

      Melhor comentário do blog

  30. Paulo Pinto disse:

    E agora, a gente vai rir de quem?

  31. Nick B. disse:

    Fla, saudadona, benhê!

    Triste não ter mais o guapo Fer no grid da F1.

    Acho que o que faltou a Alonso foi um Willi Webber na sua carreira. Talento tem de sobra. Era piloto pra 4 ou 5 canecos mundiais.

    A vida é assim. A sorte do destino que bafeja uns, seca-se a tantos outros. Inexplicável o acaso. Mas Schumacher sem Webber, Todt, Brawn seria tudo o que foi? Sinceramente acho que não. Seria grande, claro. Mas gigantesco como foi?! Hum.

    Faltou a Alonso sorte nas escolhas e um pouco mais de frieza em determinadas ocasiões cruciais em que o sangue latino berrou exageradamente mais alto que a boa e velha razãozinha da silva.

    Bitocas e vorta logo, homi.

    Nick B.
    (Inocentes, Promessas. Ave, Clemente).

  32. Plinio disse:

    Já dava piti no rádio antes, agora que vai embora vai mandar todo mundo na McLaren pra pqp. A não ser que a McLaren esteja envolvida em algum projeto futuro. Aí vai ter que segurar a onda. Ou não, uma vez chiliquento, sempre chiliquento.

  33. Wbj disse:

    Belo texto, parabens !

  34. perna quebrada disse:

    Seria legal ele passar uma temporada na Indy só pra se divertir…

    Se for, será campeão fácil, como foi o Mansell.

    Acho que nessa altura da vida não adianta e nem precisa mais brigar a toa.

    Mesmo porque os rednecks não levam desaforo pra casa…

    • Pedro Paulo disse:

      kkkkk, outro que tá no mundo da lua. Mansell foi campeão numa época em que a Indy era um circo como a F1, com disparidade entre carros e tudo mais. Vai ser engraçado ver o espanhol sofrente pra pegar top 5, andando em carros iguais, sofrendo para acertar os mesmo e os fanboys da f1 engolindo seco seus resultados medianos no primeiro ano.

  35. dc disse:

    Faltou passar o Petrov. Porra, vai pro racha, divide a curva, se bater….bateu. Mas pelo menos arriscou. Vai que o Petrov abre? Nunca entendi a falta de combatividade dele naquele GP.

  36. André Oliveira disse:

    Alonso é foda! Nada mais. E volta à F1 um dia…

  37. Luiz G disse:

    Alonso foi fantástico e não há nenhum elogio que se possa fazer sobre ele que já não tenha sido feito.

    Só pra escrever um pouco mais, aproveito pra dizer algo que todo mundo já sabe.
    Após a saída da Ferrari, Vettel tomou seu lugar na equipe italiana e também não conseguiu ser campeão nos 3 anos em que Alonso se arrastou na McLaren.

    Ok, Vettel teve mais sucesso de resultados em 20015-16-17 na Ferrari do que Alonso na McLaren, mas em 2015 não disputou o título, em 2016 não ganhou nenhuma corrida e em 2017 disputou, mas não levou porque a Ferrari, como sempre, cometeu suas Ferrarices.

    Nada é certo no esporte, mas é bem provável que Alonso também não tivesse sido campeão na Ferrari nos seus 3 anos de Calvário McLariano.

    …Porém, deve-se lembrar, ganhou mais dinheiro do que ganharia na Ferrari.
    (Ok, ok…estamos falando de esporte, e não de dinheiro, mas me refiro á sua escolha profissional).

    No fim das contas, suas escolhas foram acertadas (tirando a já citada saída prematura da McLaren em 2008, mas que também não lhe garantiria um título. Até porque, 2008 foi um ano controverso).

    Na Red Bull e na Mercedes nunca teve chances, logo, ele fez o que qualquer um faria.

    Fico na torcida que vá para a Indy. Não dá pra dizer se teria sucesso por lá, mas com certeza, o mundo inteiro estará de olho na categoria com sua presença.
    Boa sorte.

  38. Doido Veio disse:

    “Alonso is faster than you.” lol!

  39. Mauricio Henkel disse:

    Pra mim, vai tarde. Não consigo até hoje entender porque ele não foi punido também junto no caso Cingapura. Um excelente piloto, mas um grande mala.

  40. Segafredo disse:

    Mas que bosta! …….pra quem torcer agora?

  41. Jonny'O disse:

    Alonso foi testar coisas diferentes antes de anunciar sua retirada, viu a que a sua carreira tem continuidade fora da F1, e caiu fora , porque sabe que o Mclaren 2019 não vai……será?

    Acho que a Mclaren ,como disse alguns meses antes não vai gastar os tubos na F1, vai levar na boa, do jeito que der, vai estender as atuações de olho no mercado americano, fixa definitivamente a bandeira laranja na Formula Indy, A Mclaren tem ainda seus carros esporte , a Imsa faz um sucesso absurdo , e pode chamar a marca também, Roger Penske montou time por lá.

    Alonso deve saber muito mais e sabe que o caminho logico em se tratando de Mclaren é a america.

  42. Amaral disse:

    Alonso é, guardadas as devidas proporções, um Darth Vader da Fórmula 1: Escolheu um caminho tortuoso pelas circunstâncias que se desenharam no seu caminho, pagou muito caro por essa escolha, mas teve seus momentos de glória e majestade. E, tal qual o vilão icônico, é amado e venerado pela torcida, e mesmo pelos seus próprios críticos.
    Que seja feliz para onde for. E torço de verdade para que ele consiga a última peça da tríplice coroa. Não guardo ressentimentos por ele.

  43. Paulo Leite disse:

    Espetacular ‘sumário’ sobre um espetacular piloto. No mais, sem Webber, Massa, Alonso e muito em breve Raikonem, não tenho dúvidas, assistir F1 será insuportávelmente entediante. Ô mundinho chato, esse que vivemos.

  44. Paulo disse:

    1 – Dizem que o Rubinho era azarado, mas acho que Alonso, por suas escolhas, foi mais. O currículo está abaixo da capacidade dele.
    2 – Restam Vettel e Hamilton de pilotos top na categoria. Só os dois, uma pena.

  45. Almir Angelo disse:

    Ficamos livres de um grande mala na F1.

  46. Formiga disse:

    Acho que faltou tato para desenvolver a equipe. O Vettel e o Hamilton conseguiram 2 vezes, e acho que não foi sorte.

  47. Leandro Batista disse:

    Favas cantadas. O cara já está de saco cheio de ver a bandeira azul tremular para dar passagem para pilotos contra quem deveria estar disputando títulos. Não vamos eximi-lo de culpa. Seu comportamento desagregador é o grande responsável pelos seus poucos titulos(tem talento para mais). Soma-se a isso seu crescente descontentamento com o rumo da categoria. Aí foi só experimentar coisas novas para descobrir que não era na F1 que reencontraria o prazer de guiar. A partir daí, sua permanência na categoria se tornou mera questão contratual.

  48. SANDRO A FERNANDES disse:

    Vai tarde esse mau caráter.

  49. Paulo Takashi disse:

    Faltou dizer que o talento dele para pilotar é diretamente proporcional à chatice e a falta de capacidade para trabalho em equipe.. A mesma chatice que explica tantas portas que foram fechadas para ele na F1.

    • Leandro Batista disse:

      Pois é. Não dá para eximi-lo de culpa pelos rumos que tomou na categoria. Deveria ter repensado suas atitudes bem antes de fechar todas as portas lá na frente. Ele tinha talento para fazer muito mais do que fez….

    • Luiz G disse:

      Isso é verdade, mas é controverso.

      Ele teve portas fechadas na Red Bull assim como qualquer piloto que não viesse da “academia-Red-Bull”.
      De 2010 a 2013 a Red Bull era imbatível e ninguém teria chances na equipe que promoveu Vettel e o colocou onde queriam.

      Ele teve portas fechadas na Mercedes, que contratou Hamilton (outro grande piloto) e não ia querer Alonso por lá.
      Quando Hamilton entrou na Mercedes em 2013, a equipe ainda não era o que se tornou. Ok, talvez Hamilton tenha responsabilidade nesse sucesso,
      Em 2013, Alonso vinha de um vice em 2012 e ainda acreditava no sucesso na Ferrari, onde ele estava muito bem, obrigado.

      A verdade é que Hamilton fez uma aposta digna na Mercedes (onde ele já tinha contato há anos) e a aposta deu certo.
      Parabéns!

      Alonso fez uma aposta digna na Ferrari e a aposta não deu certo.
      Lamento.

      …Mas Alonso não teve tantas portas fechadas. Teve duas portas fechadas que não se abriram para mais ninguém.

      Não se pode culpar o espanhol por isso.

      • Toni Righi disse:

        Ok. Mas então porque será que a Renault, equipe que foi sinônimo de Alonso em seus dias de glória, não aproveitou a oportunidade “de ouro” ´para contratá-lo de volta???

  50. disse:

    Então, tudo maravilhoso. Só queria saber quanto ele ganhou nas bolsas de apostas de Pingapura 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>