PAPAI RESOLVEU | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

terça-feira, 7 de agosto de 2018 - 18:11F-1

PAPAI RESOLVEU

SAINT-BRIEUC (quase no fim)E papai comprou a equipe. Lawrence Stroll lidera um grupo de empresários, fundos, investidores, sociedades anônimas, firmas desconhecidas e sei lá mais o quê que salvou a Force India da falência.

Era esperado. É lá que seu filhote vai correr no ano que vem. Muito provavelmente com Sergio Pérez como companheiro, já que o mexicano se envolveu pessoalmente no processo que levou o time à condição de administração judicial por parte do governo da Inglaterra, onde ele está registrado.

A lástima técnica e esportiva em que a Williams se transformou cansou a beleza do bilionário e do menino Lance. E vai se transformar também em lástima financeira. Sem o dinheiro de Stroll e do principal patrocinador, a Martini, que está de saída, o que será da equipe do velho Frank?

Diferentemente da Force India, a Williams não se salva com um comprador, apenas. Isso porque ela já não é mais apenas uma escuderia de corridas. Virou um grupo de tecnologia que atua em outras áreas da indústria e tem na F-1 um de seus negócios — não sei se o maior em termos de receitas; de despesas, certamente.

Há alguns meses rola uma conversa de que a Mercedes teria algum interesse em assumir a Williams como uma espécie de time B. Claire Williams, esse desastre de gestão, falou que nem pensa nisso. Mas admite deixar a cabine de comando se alguém disser que a culpa pela penúria é dela. A família vive em conflito permanente, já que seu irmão Jonathan nunca engoliu a opção do pai pela moça, em detrimento dele.

Será um período de enormes tormentas em Grove, podem apostar. Estamos em agosto, e a Williams não tem rigorosamente nada para 2019. Nem dinheiro, nem pilotos, nem patrocínio, nem um corpo técnico digno de estar na categoria. O roteiro é bem conhecido por garagistas que acabaram sucumbindo à realidade, como Ken Tyrrell, Guy Ligier, Giancarlo Minardi e tantos outros.

21 comentários

  1. Luiz Carlos Barbosa disse:

    O bicampeão mundial Fernando Alonso anunciou que não irá correr na Fórmula 1 na temporada 2019.
    O piloto da McLaren anunciou sua decisão na terça-feira, a meio da pausa de verão da F1.

    “Depois de 17 anos maravilhosos neste esporte incrível, é hora de fazer uma mudança e seguir em frente. Eu aproveitei cada minuto dessas incríveis temporadas e não posso agradecer o suficiente às pessoas que contribuíram para torná-las tão especiais.” Alonso disse.

    “Ainda há vários grandes prêmios para esta temporada, e vou participar deles com mais comprometimento e paixão do que nunca.

    “Vamos ver o que o futuro nos traz; novos desafios emocionantes estão chegando. Estou tendo um dos momentos mais felizes da minha vida, mas preciso continuar explorando novas aventuras.”

    Alonso vem debatendo o futuro do seu grande prêmio em meio à frustração com um segundo período não competitivo com a McLaren e com o monopólio dos resultados das equipes na frente.

    O espanhol foi autorizado a perder o Grande Prêmio de Mônaco 2017 para fazer sua estreia no Indianápolis 500, e ele desafiou a vitória na famosa corrida antes de se aposentar.

    O chefe da McLaren, Zak Brown, disse: “Fernando não é apenas um excelente embaixador da McLaren, mas também da Fórmula 1″.
    “Seus 17 anos no esporte, como indiscutivelmente o piloto preeminente de sua geração e, sem dúvida, um grande F1, adicionaram outra camada à rica história da Fórmula 1″.

    “Há um tempo para todos fazerem uma mudança e Fernando decidiu que o final desta temporada será dele.

    “Nós respeitamos sua decisão, mesmo que acreditemos que ele esteja na melhor forma de sua carreira.”

  2. Bola da Vez disse:

    O papi do Strollino poderia se candidatar a uma cadeira na Fia. Seria bem vindo, acredito eu.

  3. Pablo Vargas disse:

    A Williams em 41 anos, vai acabar e tem gente que ainda não aprendeu a falar o nome dela.

  4. jairo faria disse:

    Srs. eu também concordo que “a coisa” na willians foi um pouquinho perto demais do “ralo”, mais há que se ater ao fato que os caras estão de pé ( …menos o Franck) até hoje,.. e onde muita gente simplesmente fechou as portas, eles estão lá,. eles continuam lá,… então quem sabe como sobreviver,… ( Franck esta na F-1 desde o inicio do anos 70 gente!!!) e sempre deu um jeito,… e eu não acredito que eles simplesmente vão “fechar”…. ah sim,. vão tirar algúm coelho da cartola,… e nesse momentos em que muitos falam em “fim de carreira” eu acredito que os caras estão se mexendo e cuidando do futuro,… 2019 eu acredito que estarão lá de volta,.. com algo diferente,… porque a dose de erros,.. parece usaram todos,… (tomara!) eu torço para a Willians no grid em 2019, sendo Willians,…

  5. GASTAO disse:

    Relativamente aos pilotos que pagam para correr, acho que não tem nada de mais. A F1 é um negócio como outro qualquer.

    A maior parte dos pilotos de certa maneira pagam, pagaram ou pagarão para correr, na medida em que levam/levaram/levarão patrocinadores para as respetivas equipas (nota: em Portugal considera-se que “equipe” é um galicismo desnecessário).

    No entanto, a história mostra que algumas apostas não foram, digamos, bem sucedidas, como podemos ver numa matéria, que tomo a liberdade de postar aqui.

    https://www.topgear.es/noticias/motorsport/7-peores-pilotos-pago-f1-que-ruina-287655

  6. Fernando disse:

    Estes empresários que geram milhares de empregos e agora salvaram mais 400 não deveriam ser tratados da forma ridícula que estão sendo tratados aqui. Piquet fez isso com seu pimpolho. Muitos pais investem nas carreiras dos filhos, é natural, é ótimo para qualquer esporte. Espanta quando um site dedicado ao esporte, ao automobilismo, ridiculariza investidores que pretendem salvar uma equipe, não importa o motivo – que no caso é absolutamente normal -, ou, o automobilismo. Ridículo é o GP e sua raivinha dos “ricos”.

  7. Czar disse:

    Lawrence Stroll pegou a Willians em um patamar técnico bem superior, enfiou dinheiro a rodo e a equipe foi parar na lanterna do campeonato.

    O que impedirá que a Force India tenha exatamente o mesmo destino?

  8. hermes de meneses pires neto disse:

    O problema dela é que a sua gestão é apenas financeira.
    Ela pensa em como faturar mais naquele exercício financeiro.
    Ela não pensa em longo prazo.
    Então, se este ano vamos ganhar mais vendendo os assentos e mantendo técnicos envelhecidos, faremos isso. Resultado? Naquele ano deu um lucro bom. Mas, sem bons pilotos, bons técnicos e bons resultados, os patrocinadores se afastam, e ela se vê mais dependente ainda de pilotos pagantes, e o circulo vicioso só se aprofunda.
    Faltou ao velho Frank pensar na gestão esportiva, ao escolher o sucessor.

  9. Paulo F. disse:

    Gomes para sua relação de equipes defuntas: Cooper, Surtees, e por que não a Brabham e Lotus.

    Creio firmemente que a F1 não é a divisão de maior rentabilidade da empresa de Sir Frank.
    Pior que isso só utilizando o motor de cortador de grama da Honda!

  10. CRSJ disse:

    O Papai Stroll está certo, e quem não faria igual a ele nesse caso?

  11. Paulo Pinto disse:

    Papai comprou uma vaga para o filhinho correr na F-1. Quando viu que a vaga não estava mais dando resultado, comprou uma equipe.

    E ainda tem gente que diz que “dinheiro não é tudo”. Bem, é quase tudo.

  12. Cenzi disse:

    Vai se desenhando um fim melancólico para a Williams. E eu acho uma pena que a Force India tenha chegado a esse ponto e que o Vijay Mallya não tenha conseguido se desenrolar dos problemas. Só espero que essa turma de endinheirados consiga dar continuidade ao bom trabalho da equipe.

  13. Jonny'O disse:

    Por mim a Williams não faz falta, pode fazer com relação ao grid, mas não por qualquer ligação emocional com ela, nos tempo de vacas gordas o time jamais mostrou compaixão aos times fracos, a Williams sempre se posicionou de forma contraria as menores , tipo, aqui ficam os fortes, pois bem!

    • Alvaro disse:

      Perfeita a análise, na época das vacas gordas, a Williams sempre se considerou acima de tudo, principalmente com relação aos pilotos que foram campeões mundiais em seus carros, sacaneou a maioria deles após conquistarem o título, como exemplo, Jones, Rosberg, Piquet, Mansell, Villeneuve e Hill, o unico que não foi sacaneado no anoe seguinte à conquista do título foi o Prost que decidiu abandonar. Tinha sempre o discurso de que com Williams qualquer piloto seria campeão do mundo, ainda para completar construiu aquela cadeira elétrica que matou o Senna. Já vai tarde.

  14. Ale disse:

    Uma dúvida que não consegui tirar em site nenhum: Com esse “salvamento” a Force India terá direito ao dinheiro que a F1 divide com as equipes todo ano? Ou perdeu pq entrou em processo de falência?

  15. Danir disse:

    Eu vi um documentário sobre a Willians na Internet, onde a Claire Willians falava um monte de abobrinhas e já mostrava diversos sinais de sua incompetência. Não sei se o irmão seria melhor, mas pior seria muito difícil. Uma pena, pela tradição que está sendo jogada no lixo. Se ela tivesse um mínimo de esperteza, teria tentado negociar com o Stroll pai, mesmo considerando que o garoto é fraco.

  16. Alexandre Neves disse:

    A Williams, como de certa forma descrito no final da matéria, é vítima dos atuais tempos da F1. Não é de hoje que as equipes tem administração absolutamente profissional, são verdadeiras corporações, e nem isso serve para garantir vitórias e disputa de títulos, é só lembrar da finada Toyota. Por outro lado, sem citar as grandes, veja a organização empresarial e o desempenho da Hass. Os dias de “time de garagem”, quer se goste ou não, ficaram no passado.

  17. Carlos Albuquerque disse:

    “Santo-Brioco”?

Deixe uma resposta para Carlos Albuquerque Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>