SPA EM CHAMAS (2) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 23 de agosto de 2018 - 19:20F-1

SPA EM CHAMAS (2)

tchaufi

RIO (esquisito) - Racing Point Force India é o nome da nova equipe da F-1 erguida sobre os escombros do time rosa que, finalmente, teve finalizada a venda de seus ativos ao consórcio liderado por Lawrence Stroll. Se isso não acontecesse, Pérez e Ocon corriam o risco de não entrar na pista amanhã para a abertura dos treinos na Bélgica.

Com isso, a Force India morre e perde todos seus pontos no Mundial. Os pilotos mantêm sua pontuação. A Racing Point — nome horrível — começa do zero. Aqui tem toda a explicação formal para o arranjo.

Acho, só acho, que diante da situação excepcional a FIA poderia manter os pontos e apenas mudar o nome da equipe. Ou nem isso, manter Force India até o fim do ano e vamos em frente. Ano que vem os novos donos poderiam dar o nome que quisessem. É sacanagem com o time em si — seus funcionários, pilotos, engenheiros, técnicos, mecânicos. Sem os pontos obtidos até agora, o que sobrou dessa equipe não terá direito à grana que teria em 2019. Por que punir todo mundo? Vendeu, vendeu. O que se fez na pista até agora não deveria ser apagado, especialmente porque significa reforço ao orçamento da nova organização.

Mas ninguém está reclamando, aparentemente, porque a chance de nem correr em Spa era grande. Agora, resta saber quem estará em seus carros em Monza, semana que vem. Lance Stroll, se quiser, pode assumir um dos carros rosa imediatamente — afinal, a equipe é do pai dele. Basta conversar com a Williams. Nesse caso, quem dança é Ocon, já que Pérez participou das negociações que resultaram no salvamento da Force India.

26 comentários

  1. CRSJ disse:

    O certo seria a Force India terminar com os seus pontos mantidos e a Racing Point Force India começar do zero, mas sei lá qual é a jogada desses cartolas que se bobear estão levando um por fora nessa morte e ressurreição antecipada da Force India.

  2. Gustavo disse:

    Mas a “Force India” tem equipamento para passar a Williams e Sauber nos pontos. Será que nem mesmo assim eles podem receber o dinheiro da oitava colocação ?

  3. Paulo F. disse:

    Esta é fácil ! A mudança imediata de nome se justifica pois os credores de VJ teriam preferência sobre TODA a grana que entrasse na equipe.
    Agora calote dado, parte-se do zero!
    Mas o que, pelo menos até o momento, ninguém falou é quem vai bancar o desenvolvimento do carro novo para o ano que vem? E vamos ver aonde chega a aventura de Stroll.

  4. Andre disse:

    Do jeito que as coisas são na F1, até o Pérez pode rodar.

    Esse pessoal pode ter muita grana, mas a criatividade é zero. Que nome horrível.

  5. Ricardo Santiago disse:

    Vergonha vai ser se, mesmo com meio campeonato, a RP terminar o ano à frente de Toro Rosso e McLaren…

  6. cesar disse:

    Mas seria muito legal o menino sTROLL ir para Force India e o Kubica tirar leite de pedra na Willians e terminar o campeonato na frente dele. Ahhh mas seria muito legal. kkkk. Moleque insolente esse stroll.

    • Alowlt disse:

      Kubica não tira leite nem de uma vaca mais. Talvez nem da caixinha longa vida. Acabou. Não entendo a idolatria e a segunda chance pra este cara. Foi um episódio triste o acidente dele, mas quantos não encerraram a carreira assim? Tão especulando de tudo desde que stroll comprou a force india, mas se for racional basta trocar lance e ocon de lugar. Agrada stroll e Mercedes. Fim.

  7. Fabricio C. Leite disse:

    Interessante, perdem os pontos, etc. Mas zeram os motores? Não, continuam contando. Ou seja, foi feito apenas um arranjo para as demais aceitarem. Parece um remendo de regulamento. Para mim isso é ruim.

  8. Marcelo Uchoa disse:

    Alguem me explica?
    Se a equipe perdeu todos os pontos e não vai faturar a grana no final do ano, pq precisa manter o nome “force india”? Ou não precisa e decidiram que esse nome é legal?

  9. Antonio Carlos Mello Cesar disse:

    Este consorcio, não comprou a equipe e sim seus ativos, maquinas, equipamentos, carros etc… A Force India como pessoa juridica, faliu.
    Trata-se, portanto, de nova equipe e caso os pontos fossem mantidos, abriria brechas jurídicas, para times com classificações inferiores, questionarem na justiça os pontos, afinal a premiação é poupuda..
    A informação correta, não é caso de regulamento, mas de questões legais…

  10. Pdr rms disse:

    Até o final do ano a Force índia ultrapassa Williams sauber e Toro Rosso. Só vai perder posição para a McLaren.

  11. E o dinheiro que a Force India teria direito, vai para quem? Neste caso seria dividido entre as equipes? Se for isso faz sentido a decisão da FIA, se o dinheiro fosse para o caixa da nova equipe a gritaria seria geral por parte dos outros times.

  12. Alvaro disse:

    A regra de perdas dos pontos é ridícula, mas foi a maneira da incompetente Mclaren e da morta de fome Williams aceitarem que a “nova” equipe pudesse participar e elas tentarem receber um trocado a mais no ano que vem, patético partindo de equipes que um dia foram dominantes. Lembrando que dinheiro não é problema para o grupo comprador.

  13. Luciano Hansen disse:

    Opino que mesmo iniciando agora a R.Point vai terminar o ano com mais pontos que Willians, Sauber, Toro e mais alguma. Vai receber uma grana para o ano que vem, mas Pai Lawrence tem grana. Não está precisando economizar.
    Como narrava Silvio Luiz “Olho no Lanceeeeee”, opino que na equipe R Point vai fazer bem mais pontos. Ano passado pegou pódio e vai estar entre os 10 mais seguidamente.

  14. joao calango disse:

    Então, os pontos da antiga Force India não foram para ninguém? Como se a equipe não tivesse disputado a temporada de 2018?

    Minha nossa, a Formula 1 dá nojo!

  15. Eduardo_SC disse:

    Até Strollha Racing ficaria melhor que Racing Point

  16. Gabriel P. disse:

    Flávio
    Estou enganado ou é um fato muito raro acontecer isso.
    Mudança de nome de equipe no meio do campeonato ?
    Aliás.
    E a numeração dos carros continuam a mesma ?
    Se acaso Stroll for para “nova” equipe, a Williams perde os pontos e o piloto também?

  17. Leandro disse:

    “Por que punir todo mundo? Vendeu, vendeu.”

    Penso o mesmo, já que toda estrutura, carro, fábrica, etc se mantiveram, qual a diferença de mudar o nome, para quê zerar?

  18. Thales disse:

    Eu acho que é mais simples do que parece…mudando agora, os possiveis pontos de agora em diante,se converterão em money ano que vem…se nao mudasse, seria tudo em vão…chegaria com pontuação maior ,porém seria inutil…zerando o saldo e ficando a ver navios… agora fato é que o nome é fraquinho…faltou uma graninha pra uma agencia ,sei lá…

    • Gilberto h disse:

      É isso. Só fazer as contas. Estava em 6° no mundial, alguma chance pequena de tentar 5° ou 4°. Começando do zero agora e com o carro que tem, nao vai ser dificil voltar a 6° antes do fim do ano. Quase um pit stop grátis no fim da corrida, aquele que o piloto para quando está a mais de 30 segundos do cara de trás e não tem chance de chegar no da frente.

  19. Andre H Tamura disse:

    Seria ridículo Ocon ficar sem carro para pilotar. A Mercedes tem talento para descobrir pilotos, mas também parece ter o dedo podre para mantê-los na categoria. Inacreditável que Stroll, Sirotkin, Ericsson e Hartley estejam na F1 e Wehrlein não. Pior ainda se a F1 perder Ocon. Ainda bem que LeClerk parece estar no caminho certo e não corre o mesmo risco dos mercêdicos. Gasly, sei não…

  20. guest disse:

    Que tristeza! Essa foto lembra o que fazem com aviões acidentados: pintam os logotipos e demais inscrições.

    Quanto aos pontos, é uma regra estúpida essa, que não permite a mudança de nome de uma escuderia. Fruto do “Pacto da Concórdia”?

    • Paulo Pinto disse:

      Regra estúpida? A F-1 está cheia delas.

    • Fernando disse:

      Não foi apenas uma mudança de nome. A Force India faliu e apenas a estrutura da equipe foi vendida para Lawrence Stroll e o tal consórcio. A “Empresa” Force India não conseguiria cumprir o regulamento (correr em Spa), por isso perdeu os pontos. Os pilotos não. A equipe nova é outra equipe, não é a Force India, e não terá direito a receber a tal graninha que as equipes dividem, acho que só em 2020 poderá receber. Mesmo assim o consórcio achou esta solução – comprar o espólio – melhor.

    • João Daniel disse:

      Foda-se. Eu continuo torcendo para a Force India como faço há anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>