NO PAÍS DOS SOVIETES (3) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

domingo, 30 de setembro de 2018 - 11:22F-1

NO PAÍS DOS SOVIETES (3)

rus189a

RIO (dá no saco, isso) – Ontem, terminei o texto sobre a classificação assim:

Bottas fez a pole, parabéns para ele. Hamilton errou na sua última volta, ficou em segundo. O finlandês parece gostar dessa pista e se dá bem nela. Foi onde ganhou sua primeira corrida, no ano passado. Hoje fez a sexta pole da carreira, segunda do ano. Pode ser até que vença a prova, porque a Mercedes não vai se desgastar por bobagem com ordens de equipe. Se Lewis chegar em segundo, não muda muita coisa na classificação, aumenta a vantagem um pouco menos do que poderia em relação a Vettel. E ele pode ganhar, também, pelo simples fato de que é melhor que o companheiro de equipe.

Em negrito e sublinhado, faço questão, a prova mais cabal de que, no fundo, a gente não entende é nada. Da cabeça das pessoas, não do esporte. A gente tenta tratar o esporte como esporte. Não deveria. Porque o ser humano é pródigo em ser babaca. E são humanos que comandam as coisas, no fim das contas.

O que a Mercedes fez hoje com Bottas foi uma grande babaquice, muito parecida com a da Ferrari com Barrichello em 2002 na Áustria. Alguém pode argumentar que aquela foi pior, porque a Ferrari corria sozinha e o campeonato estava no começo. Mas isso é retórica. Foi igual. Vettel não vai ser campeão. Hamilton não vai ser penta por causa dessa troca de posições em Sóchi.

Na época, lembro bem, minha artilharia voltou-se contra todos: Schumacher, Barrichello, Todt, Brawn, a cambada toda. Achava, e acho, que algum elo dessa corrente poderia ter desrespeitado as ordens ou, o que seria muito melhor, jamais tê-las cogitado. Achava, e acho, que uma atitude forte de um dos pilotos receberia o apoio de todos, menos da cúpula ferrarista. Que, em algum momento no futuro, reconheceria a babaquice daquela decisão.

O mesmo vale para hoje. O babaca-mor foi Toto Wolff. Bottas e Hamilton poderiam transgredir. Mas, no fundo, todo mundo tem medo de fantasmas.

O que é mais curioso é que no ano passado, na Hungria, Hamilton pediu para passar Bottas para tentar superar Raikkonen um pouco mais à frente, e a equipe rapidamente resolveu a situação: vai lá e tenta. Se não der certo, devolve. Não deu, e ele devolveu. Vettel venceu a corrida. E Hamilton estava atrás do alemão na classificação. Chegara a Budapeste um ponto atrás, saiu 14. O campeonato estava muito mais difícil. Uma troca ali, embora sempre sujeita a críticas, talvez até se justificasse pela situação na tabela.

Mas agora? O cara chegou à Rússia 40 pontos na frente, e em franco progresso técnico diante de uma Ferrari que parece estacionada. Precisava mesmo?

Não, claro, que não. Tudo que a Mercedes fez de digno na Hungria em 2017 com seu segundo piloto foi enterrado por uma decisão catastrófica do ponto de vista esportivo e moral. Por isso insisto: Bottas poderia ter dito não. Hamilton também. E se partisse de Lewis esse “não”, ainda melhor. Ele tem moral e peso na equipe para fazer essas coisas. Valtteri é um coitado. Entende-se, até. Corre na melhor equipe do mundo, tem uma situação confortável, a vaga caiu no seu colo com a aposentadoria-surpresa de Rosberg, é a esse papel que se presta. Mas se comportando assim, será um coitado eterno, capacho permanente. E, sendo assim, não tem de reclamar. Da próxima vez, que abra um sorriso e não fique com essa cara de bunda.

Do ponto de vista jornalístico, foi até bom que isso tenha acontecido. Não fosse assim, este GP da Rússia passaria para a história como mais uma corrida chata entre tantas. Ao menos gerou notícia e discussão. Bernie Ecclestone adoraria — era adepto do “falem mal, mas falem de mim”. Hoje é dia de todo mundo falar mal.

Wolff, o vilão do episódio, justificou a ordem de troca de posições na 25ª volta da prova pelo que chamou de “erro nosso”. Até ali, Bottas era o virtual vencedor depois de uma boa largada e a manutenção da liderança até as paradas para trocas de pneus. Naquele exato momento, ocupava a segunda colocação atrás de Max Verstappen, que largara em 19º, fazia uma linda corrida, mas ainda tinha de realizar seu pit stop. Hamilton, segundo desde o início, acabou perdendo a posição para Vettel nas paradas. Foi na volta 14, mas muito rapidamente recuperou o lugar, ultrapassando o alemão na 16ª volta sem muitas dificuldades aparentes.

O dirigente argumentou que o erro da Mercedes foi ter devolvido Lewis à pista atrás de Tião Italiano, e que para superá-lo ele teve de atacar forte o rival, fazendo bolhas num pneu. “Por isso trocamos as posições, para Bottas proteger Lewis.” O time avaliou que o segundo lugar do inglês, com as tais bolhas, estava “ameaçado” pela proximidade de Vettel — que nunca atacou o #44, porque não tinha carro para isso.

Desse momento até o final, o único interesse da corrida se voltou para as mensagens de rádio entre a Mercedes e seus pilotos. Assim que Bottas quase parou o carro para o companheiro passar, foi ao ar a ordem que recebera pouco antes de seu engenheiro Tony Ross: “Valtteri, você tem de deixar Lewis passar na curva 13″, foi o que ouviu. Logo depois, o estrategista James Vowles voltou ao rádio para dizer a ele que Hamilton tinha uma bolha nos pneus: “Há uma ameaça para ele com Vettel por causa das bolhas. Tive de fazer isso para evitar riscos”. Valtteri não respondeu nada, ao menos que se saiba pelas gravações liberadas pela transmissão oficial.

Mas, na última volta, o finlandês perguntou, sim, se a corrida iria terminar daquele jeito. E ouviu de volta: “Sim, vamos manter as posições. Falaremos sobre isso mais tarde”. Em seguida, bandeirada dada, quem entrou na linha foi Wolff: “É um dia difícil para você e para nós. Conversaremos todos juntos depois”.

O resultado dessa papagaiada foi uma sequência de imagens constrangedoras desde o momento em que os carros foram estacionados debaixo do pódio, até a entrega dos troféus. Hamilton, que venceu pela 70ª vez na carreira e abriu 50 pontos para Vettel, não fez festa e tentou fugir da entrevista obrigatória com o ex-piloto de F-1 Paul di Resta. “Foi um dia difícil”, repetiu o chefe. “Valtteri foi um cavalheiro e merecia vencer. Há uma situação da equipe, do campeonato, mas sei como é difícil para ele. Não foi uma vitória espetacular.” Bottas recebeu o abraço quase envergonhado do parceiro e também usou a expressão “dia difícil”, tentando racionalizar: “Lewis luta pelo título, então sempre temos um plano. Enfim, é assim que as coisas são”.

No pódio, Hamilton puxou Bottas para o degrau mais alto após a cerimônia formal, e ainda tentou, meio encabulado, oferecer seu troféu para ele. Valtteri, pelo menos isso, não topou a encenação. O público viu tudo aquilo com frieza. Vettel, terceiro colocado, era o único que esboçava um sorriso. Parecia dizer: “Será que esses caras precisam mesmo disso tudo para ganhar de mim?”.

Depois dos três que foram ao pódio, o GP russo teve, na zona de pontos, Raikkonen, Verstappen, Ricciardo, Leclerc, Magnussen, Ocon e Pérez. Houve uma ou outra disputa no meio do pelotão, mas nada realmente digno de nota. Max, sim, foi o responsável por uma exibição quase de gala, especialmente nas primeiras voltas. De 19º no grid, ultrapassando quem estivesse à frente em qualquer ponto da pista, chegou ao quinto lugar já na oitava volta. Chegou a liderar e só foi fazer seu pit stop na volta 43, quando voltou à quinta posição — o máximo que poderia almejar se ninguém à sua frente tivesse problemas. Mereceu o voto de “Piloto do dia” que lhe foi consignado pelo amigo internauta.

Mas se tivéssemos um “Babaca do dia” hoje, talvez a disputa tivesse mais concorrentes. O favorito Toto Wolff, porém, levaria fácil a comenda para casa.

231 comentários

  1. Ricardo Bigliazzi disse:

    Pelo menos a foto do Pódium ficou para o “Gostamos e Não gostamos”.

    O mais legal foi a postura do Vettel, com muita tranquilidade disse que achou mais do que normal o que aconteceu e que os dois trabalham muito bem juntos. Tirou de letra a situação e deu uma canelada com classe em toda a Ferrari.

    Segue o jogo, e esse jogo vale MILHÕES de dolares.

    O duro mesmo é ficar ouvindo o Galvão a delirar durante a narração.

  2. Paulo Leite disse:

    Mesmo sem piloto brasileiro, algumas boas corridas F1 justificavam assistir TV nesse assombroso ano de 2018. Depois da cafajestada da Mercedes na Rússia hoje, quem aguenta mais tanta hipocrisia nesse mundo de cafajestes ? No proximo domingo, por exemplo, assistirei a corrida no Japão mais preocupado com outras corridas. Por exemplo, que um cafajeste não seja eleito presidente.

  3. Henrique disse:

    Só faltou o Cléber Machado narrar a corrida e gritar: “Hoje não! Hoje não! Hoje sim! Hoje sim !?”.

  4. Gabriel P. disse:

    O fato é simples e um só.
    O que interessa é a grana, o lucro e o tal esporte é apenas um meio para se ter mais dinheiro e não para um suposto desenvolvimento do ser humano ou da sociedade aliás, ela que se dane, o povo, a torcida, os esportistas, a tecnologia, a ciência que se danem, o que tem maior valor é a grana que isso gera.
    Pouco importa se isso vai melhorar o mundo, se vai melhorar as pessoas, o desejo maior agora é enriquecer cada vez mais, ter cada vez mais.
    Ter de sobra o que não se precisa e certamente nem vai se usar, mas é “preciso” ter, mostrar que tem.
    O caso é que é insustentável, não tem de tudo e de sobra para todos e certamente estaremos nos matando em breve, para ter o que é do outro.

  5. Segafredo disse:

    kkkkkk…….o Schukrute levou uma enrabada categorica do negão e depois sequer conseguiu passar o escudeiro, kkkkk……segue o baile!

    #SchukruteFakedeMerda
    ………..que delícia esta ordem do Toto hoje, é a ferrada provando do mesmo veneno que implantou na f1, kkkkkk

  6. CHAGAS disse:

    Leclerc que faz parte das equipes do segundo escalão, foi o único dentre esses que não tomou volta do líder. Pilotou o fino e ainda por cima fez a ultrapassagem da corrida pra cima de Magnussen.
    Magnussen parece que mudou de nível, embora com algumas trapalhadas faz um belo campeonato.
    Renault parece ter perdido a receita do bolo, a certa altura Hulk perguntou no rádio como a Red Bull estava liderando? Deveria perguntar como Ricciardo está saindo de lá.
    Impressiona o quanto Ocon/Perez tem classificações parecidas, e ritmo de corrida iguais.
    Sobre a pauta do blogueiro, Bottas fez a pole, se não me engano fez a volta mais rápida da corrida, e tinha ritmo para vencer. Sem dúvidas era o piloto que mereceria a vitória, e pediu por ela via rádio.
    Nesse caso querer não é poder, e de novo aconteceu o episódio. Na F1 não é a primeira vez e não será a última…… porém, do jeito que foi, e favorecendo Hamilton, do alto do seu melhor nível de pilotagem na F1…. é a primeira vez.

  7. Tiago S disse:

    Chato claro, mas não diferente do que acontece no futebol, quando em prioridade ao título ou classificação determinada competição, são escalados os jogadores reservas em outras. Todo esporte profissional é orientado por custos e receitas, o resto é esporte amador ou lazer. Por isso a situação é esperada.

  8. Felipe Rodrigo da Silva disse:

    Wolf fanfarrão. Se a intenção fosse apenas proteger o Hamilton, era só deixar Hamilton passar o Bottas, mas na última volta, com Bottas lá colado, trocarem as posições novamente como na Hungria ano passado mas não… a ganancia falou mais alto, não basta os 40 pontos de vantagem do Hamilton, que seriam 43 sem essa palhaçada toda, isso faltando 5 corridas e com a Mercedes em ascensão.

  9. Bola da Vez disse:

    Caraca! Não entendo. A Mercedes posava de equipe que não fazia tramoia com seus pilotos e agora, essa!
    E não precisava isso. Vettel já acabou no campeonato! Era devolver a posição e seguir em frente! E ainda ajudaria o Bottas a buscar o vice. Questão de tempo para liquidar a fatura!
    Como dizia meu avô. é tudo farinha do mesmo saco! Não dá pra assistir. Isso não é esporte de competição.

  10. Eduardo_SC disse:

    Melhor deixar para discutir isso final do ano…se esses 7 pontos forem importantes.

  11. Flavio Padilha disse:

    Saudações amigo, Jornalista Flavio Gomes!!!
    Um grande profissional como você, que deve ter filhos, acredito que nos bastidores fizestes o capeta, como fiz, para que meu filho fosse campeão do campeonato de futsal mirim …E fomos a loucura. Valia tudo!
    Agora! A hipocrisia advinda de donos de vinícolas, vendedores de livros anuais e de patrocinadores não dá!!! Existe um mercado mundial, principalmente nos EUA, onde Hamilton é ídolo, e jamais permitiriam outro resultado, para que a marca Mercedes , fosse inferior a Ferrari.
    O campeonato está lacrado!!! Hamilton Pentacampeão
    Abraços aos Vetteletes, torcedores sem noção e pesquisem, Hamilton superou Fangio. É o maior de todos!!!

  12. Alvaro Ferreira disse:

    Palhaçada da Mercedes. E esse Toto Wolff ainda fez o teatrinho de colocar o dedo no botão de Tactics, talvez prá mostrar quem manda… Ô Toto, v ai enfiar seu dedinho no c*!!!

  13. Felipe de Almeida disse:

    Concordo plenamente com você mas nada que Ferrari e Red Bull não tivessem feito.

  14. Ignacio disse:

    Cara, qdo o Sapattos parou para o Luis Hamilton passar parei de ver a corrida e fui tomar café….Prá te falar a verdade Flavinho… hj o Rosberg subiu ainda mais no meu conceito

  15. Tales Gaede disse:

    É legítimo oferecer o boi mais magro às piranhas. Para não correr o risco de perder dezenas dos bois que irão atravessar o rio.

  16. Binotto disse:

    Toto gosta de chamar a atençao. STAR. Aquelas porradinhas na mesa, encenação etc. Hoje ele foi a estrela do dia. Chamou muita atenção. “vejam todos quem manda nessa p**** de F1 “. Falta muito pra 2021 mesmo?

  17. HElton pessoa disse:

    A F1, antes de ser um esporte, é um negócio e como todo negócio, sobrevive graças aos consumidores do produto oferecido.
    Esse tipo de atitude não é bom pra imagem especialmente para o mercado norte americano que a Liberty quer tanto atingir.
    A Mercedez ganha mas no fundo todos perdem

  18. Wagner disse:

    Flávio aqui neste blog sobre manobra da Ferrari na Alemanha: “ele mesmo fora vítima de outra ordem de equipe, na altura de 39ª volta, quando a Ferrari pediu que ele abrisse caminho para Vettel. É um negócio meio irritante, mas tem uma explicação. Kimi fizera seu pit stop na 15ª volta. Sebastian, na 26ª. Perdeu a ponta para o parceiro, mas estava detonando sua borracha atrás dele, que perderia rendimento, mais cedo ou mais tarde.”
    Mas se a Mercedes faz baixaria aí não é só MEIO “irritante” é quase um crime. Dois pesos e duas medidas ao melhor estilo de um certo narrador.
    Ps: esse jogo é sempre horrível pra F1, Não importa quem o faz.

    • CHAGAS disse:

      Cara na boa, duas voltas de diferença de pneus e 11 (ONZE) voltas de diferença, você trata de estratégias iguais?
      Nada a ver o que você escreveu. Hoje Bottas/Hamilton tinham as mesmas estratégias, o caso que você mencionou eram de estratégias diferentes.

  19. Wesley Andrade disse:

    Opinião pessoal, depois de tudo que ouvi:

    Hamilton e Bottas podiam ter dito “não” a essa ordem, mesmo que isso custassem caro a eles, tanto na questão do campeonato para Hamilton, como na questão financeira para Bottas. Mas eles são os menos culpados neste caso.

    O principal culpado foi Toto Wolff, que teve essa ideia deselegante, desnecessária, fora de hora e principalmente anti-ética, pois foi ele que abusou das armas que a equipe Mercedes tinha direito, demonstrando um perturbador medo de ver o seu campeão, Hamilton, perder o seu campeonato para qualquer outro piloto, como aconteceu em 2016 com Nico Rosberg.

    Essa atitude só serviu para manchar a sua própria reputação, a reputação dos pilotos, da equipe, o mais grave, da categoria que detém um regulamento que se prova mais equivocado com o tempo, afugentando mais fãs a cada dia que passa.

  20. Gustavo disse:

    Hamilton pra mim foi o babaca da corrida. Se era pra fazer cara de coitadinho que não concorda com o que foi feito deveria ter devolvido.

    Seria campeão da mesma forma e ainda ganharia mais simpatia do publico.

  21. Roberto disse:

    Se Toto perde o campeonato por 9 pontos Toto seria chamado de babaca por outros motivos. Racional, fim.

  22. clodoaldo lelli disse:

    bottichello

    quanto ao hamilton perdeu a chance de entrar pra historia poderia ter pisado no freio mas não o fez, num futuro seria lembrado pelos numero iguais de schumacher mas com atitude difente sem uma mancha no churriculo como o alemão que apesar dos 7 titulos tem essa amarga lembrança no curriculo que o acompanha junto com seus feitos

  23. Jose Liborio disse:

    Usei esse argumento no twitter da Mercedes. Sabe o que eles disseram: bem, vc pode só garantir que ganhamos no final então isso se justifica. Nisso vc tem razão: foda-se o esporte, agora é business e também dane-se a tal “meritocracia” pq ganha quem nós queremos.Achar que a disputa está aberta com esse boqueirão técnico que existe hoje entre Ferrari e Mercedes é tentar injustificar o injustificável.
    Também disse, no mesmo twitter que ainda bem que o Lauda não vendo essa merda que eles fizeram. Sabe o que responderam? Que Lauda estando lá os apoiaria. Espero que não pq Lauda sabe, de sua vida como piloto, o que se coloca em risco todas as vezes que se coloca um capacete e entra-se em um carro.
    Lamentavelmente a Mercedes, assim como a Ferrari, manchou a história de uma marca tão emblemática e essa mancha ng tira mais…

  24. Roberto disse:

    Quanto drama! Calma, minha gente. Por mais patrocinadores, tv, rádio e etc..Isso não passa de uma corrida de carros. Só isso. Mas hoje ficou provado que o campeonato do Nico Roseberg teve muito valor

  25. Paulo Pinto disse:

    Ross Brawn fez escola na Fórmula-1. O laureado inglês teve um bom aluno em Rob Smedley, que aplicou seus ensinamentos na Alemanha/2010. Felipe Massa que o diga. Viu aquela vitória voar para nunca mais voltar.
    O Boss, que se encontrava no GP russo, acaba de conquistar mais um aluno. E bastante aplicado, desta vez. Toto Wolff ordenou a troca entre seus pilotos e manteve a inversão, alegando um dia difícil para a equipe e para o piloto.
    Dia difícil teve o público no autódromo e televisivo, que engoliu com cara feia uma vitória trapaceada e desnecessária.

  26. Eduardo disse:

    Pura hipocrisia sua Flavio, como disso alguém aqui, querendo dá uma de Galvão Bueno.. Quem errou não foi o Wolff, mas sim o Bottas. Ora, se ele sabe da briga pelo título e ele já está fora dela, independente da diferença, teria que partir dele deixar o Hamilton passar. Além do mais, como você mesmo fala, o Hamilton é muito mais piloto que ele, e poderia, se forçasse a barra, partir para cima e passar. Mas por que forçar para passar se o outro carro é da mesma equipe? Em uma corrida anterior o Bottas partiu para cima do Hamilton e foi logo advertido para ficar na dele. Quando o título já estiver decidido para o Hamilton com 3 corridas de antecedência, aí sim, o Bottas poderá TENTAR ganhar uma do Hamilton.

  27. Cicero disse:

    Flávio, o post foi perfeito. O mais frustrante foi acreditar (eu) que eles fariam o mesmo que fizeram no GP da Hungria. Como somos (eu) bobos!!! E mesmo torcendo pro Hamilton, é imprescindível afirmar sua pequenez diante disso. Infelizmente, carreras no son mas carreras.

  28. Fernando Monteiro disse:

    A F1 está um saco? Está! É por causa das equipes? Não! É por causa dos pilotos? Não! É por causa dos altos custos? Não! É por causa da complexidade dos motores? Também não! A F1 está um saco por causa das regras babacas que imperam. Hoje a corrida poderia ter sido boa se a Red Bull não tivesse recebido punições. Hoje Max poderia ter dado um show muito maior se a regra da troca de pneus não existisse. Hoje a Honda, Renault, Ferrari e Mercedes estariam andando muito mais juntas se não existisse o congelamento dos motores. Hoje as corridas seriam melhores se cada piloto pudesse adotar qual tipo pneus usar e se os trocaria durante a prova ou não. Hoje a F1 estaria melhor se tivesse mais de um fabricante de pneus. Hoje a F1 estaria melhor se os motores pudessem ser V12, V8, V6, boxer ou 4 cilindros em linha ou escambau e etc. Hoje a F1 estaria melhor se não tivessem equipes satélites. Todo ano é a mesma coisa e corridas de automóveis em excesso viram eventos corriqueiros, e ainda por cima para enterrar a categoria inventam regras demais que tornam o esporte enfadonho.

  29. Eddy disse:

    Alguns comentários são interessantes aqui.

    É um negócio ridículo? É. Claro.

    A Force India fez também com Perez e Ocon. O Perez não deu conta e mandaram devolver a posição e ele devolveu.

    Mandaram devolver porque são gentis e honrados os chefes da Force India? Não, mas porque iria ficar ridîculo igual a mercedes.

    Então assim. Isso continuará acontecendo “discretamente” enquanto houver esse esporte. Quando alguém passa do limite do “tolerável” como a mercedes e ferrari(no passado) é que nos revoltamos.

    Então ou assumimos de vez que isso faz parte e de vez em quando alguém vai passar dos “limites” ou paramos de acompanhar.
    Em algum momento, dessa geração da F-1, teremos que fazer esta escolha.

  30. Eduardo_SC disse:

    40 pontos de vantagem é pouco pra dar bola para o azar. Será a decisão correta até decidir a bagaça. Depois libera, assim como ocorreria no começo do campeonato que ninguém sabe nada. Bola pro mato!

  31. FABIANO disse:

    Lamentável! Lewis não precisava disso…fez uma bela ultrapassagem sobre o Vettel, mas o que sobressaiu foi a “marmelada”.

  32. Marcos Roberto disse:

    Concordo plenamente com a ordem de equipe. Nao da para brincar esse ano com a ferrari. Hamilton é o melhor de todos do grid, alguma dúvida de que iria passar bottas na pista? Mas pra que o desgaste? Se embolar os dois carros da mercedes e deixar a corrida de bandeja para o vetel? Por favor, tenha paciencia hein… Se ainda fossem dois pilotos do mesmo nivel, tipo hamiton e vettel, daí realmente daria para criticar a ordem, ou então tipo senna e prost, mansell e piquet, mas nao ne, é hamilton e… bottas. Eu até acho muita soberba o bottas achar e questionar abertamente a sua indignação com tal ordem, como se estivesse a altura de seu companheiro de equipe…E outra, comparar massa com alonso, rubinho com schumacher, nao da ne… Sou brasileiro, no meu país, mas nao da para comparar…

    • CHAGAS disse:

      Faltando 10 voltas pro fim Max foi chamado aos boxes, Hamilton ficou com pista livre por 10 voltas. Não abriu de Bottas porque?
      Ambos colocaram quase um segundo por volta em Vettel nas ultimas 10, os dois pilotos estavam com ritmo pra vencer.
      Hamiltom ficou 25 voltas atrás de Bottas sem ameaçar nenhuma delas.
      Bottas fez pole e melhor volta na corrida.
      Hamilton é muito melhor que Bottas, mas nessa pista o finlandês se supera, até Hamilton sabe disso, só você que não.

  33. Oswaldo disse:

    Muito mimimi, o vettel implorou na alemanha para a equipe mandar o kimi ceder a possição para ele. Se no final o Hamilton for campeão por uma diferença menor que 6 pontos quero ver se alguem vai falar alguma coisa sobre hj.

  34. Marco disse:

    Flávio não vou aki contestar os seus argumentos, mas eu acho q temos q largar de hipocrisia, de querer levar as coisas para questões sentimentais, principalmente num esporte igual a F1 movido à bilhoes. A Mercedes gasta em uma temporada mais de 500 milhões de temerss na fórmula 1 com um único objetivo ser campeã em tudo q puder e ponto. É uma equipe e qualquer equipe trabalha para ser campea. E se no campeonato de construtores não iria fazer diferença qual dos dois chegasse em primeiro ou segundo, no campeonato de pilotos lógico q 3 pontos a mais e uma vitória é uma situação de conforto. Então quando o Hamilton fechar a fatura com certeza o bottas vai vencer. Porque o que eu queria saber é o seguinte: alguém acredita q o bottas durante um campeonato inteiro seria capaz de vencer o Vettel?? Daqui uns dias durante um jogo da seleção brasileira, em prol do esporte nós vamos impedir o Neymar de bater um pênalti num jogo de copa do.mundo, pq o Willian tá jogando bem!! Todos nós vamos concordar: Não nao, hoje não, em prol do esporte hh é dia do willian!!kkk é pra acabar mesmo. Desculpa Flávio sou seu fã, mas entrar em onda de Galvão Bueno não dá né!!!

    • Jose Liborio disse:

      Vc acha sentimental mesmo? Então quer dizer que para vc a tal ESPORTIVIDADE, a vitória do melhor piloto na ocasião com o melhor carro é balela? Caramba!!!
      Se for assim, fico feliz por ter visto Villenueve pai, Senna, Piquet, Fittipaldi, aliás, que perdeu um campeonato pq o Chapmann NÃO deu a ordem para o Petterson deixar o Fittipaldi passar o que seria totalmente justificável e poderia mencionar uma centena de pilotos que NÃO PRECISARAM disso para vencer, como o próprio Hamilton não precisa…
      Que F1 pobre! Que temps terríveis…

    • Fernando disse:

      Certamente assim como eu, você também não gostou, mas compreendeu. Vettel compreendeu. Bottas compreendeu, é um campeonato, muita coisa em jogo, enfim, já somos três!!! Hamilton não vai ser campeão por causa deste vacilo, nós três sabemos, Hamilton já é! Faz tempo! Mas somos apenas três… E o Flavio! Ela também detesta, com razão, mas sabe como funcionam estas coisas, melhor do que nós todos. Ótimo seu post “dissidente”, como os meus. O motivo do ódio ao Hamilton infelizmente ninguém tem coragem de dizer. Isso é a minha opinião, claro, nada a ver com seu ótimo comentário.

      • Flavio Gomes disse:

        Detesto quem, rapaz? Você é bobo? Entrou no meu cérebro?

      • Segafredo disse:

        É que não precisa Flavio………..desculpe, mas vc não esconde certas coisas.

      • Flavio Gomes disse:

        Vocês são uns completos retardados, na boa.

      • GuilhermE disse:

        “Vocês são uns completos retardados, na boa”.
        Isso é jeito de tratar leitor?
        O cara só deu a opinião dele. Tá doido, viu? É muita grosseria gratuita!
        “Na boa”, ganharias fácil o prêmio de “babaca do dia”.

      • Flavio Gomes disse:

        Cai fora. Trato os outros como sou tratado. Ninguém tem o direito de vir aqui me ofender.

      • GuilhermE disse:

        “Trato os outros como sou tratado”.
        Mentira!
        O leitor apenas disse que, na opinião dele, tu não gostas do Hamilton. Bastou o outro endossar a impressão e tu chamou o cara de retardado!
        É óbvio que ninguém tem o direito de ofender ninguém. Mas não foram eles que vieram aqui te ofender, e sim tu que ofendeste os teus próprios leitores gratuitamente.
        “Cai fora”? Eu sou teu leitor há 18 anos, desde a época da coluna warmup! Deixa de ser babaca! Tu és um ótimo escritor e eu gosto muito do teu jeito de informar. Quais os motivos para tanta arrogância e péssimo trato com os leitores? Isso não tem explicação!
        Falas, especialmente de maneira ideológica, que as pessoas merecem respeito. Acontece que esse discurso não sai do papel, tu és um estúpido com quem admira o teu trabalho!
        Respeite as pessoas, apenas isso!
        Boa noite.

      • Fernando disse:

        Flavio, você detesta a “atitude da Mercedes”. Você detesta “ordens de equipe”, é este o assunto, de onde você tirou a ideia de que eu entro na sua casa para te ofender? Eu não disse que você detesta ninguém, onde você leu isso??? E não entrei na sua cabeça. Relaxa .

      • Fernando disse:

        Guilherme, eu já expliquei e o Flavio publicou. Agradeço muito tua opinião e apoio, mas realmente em nenhum momento eu disse que o Flavio odeia Hamilton, Eu apenas disse que ele odiou o que aconteceu, e com razão, e que concordei com ele.

        Eu, assim como você, também não gosto da forma como ele trata quem frequenta o blog, mas é a casa dele, se ele quiser ser cabeça dura, mal educado, etc., é problema dele, nos resta aceitar.

        Veja, ele publicou minha explicação – meu texto não estava claro o suficiente, eu não sou escritor – para mim é como se fosse uma retratação, desnecessária, claro, conhecemos o Flavio e sabemos que ele é do bem.

        Enfim, agradeço novamente sua posição e apoio, mas isso tudo é corriqueiro, não devemos nos ofender, é um blog, legal é trocar informações. Abraços aos dois.

    • Adriano disse:

      Tal com você sou um grande admirador do trabalho do Flávio Gomes, mas analisando com mais cuidado o ocorrido de hoje , vi em seu comentário análise mais correta para simplificar o ocorrido no GP da Rússia.

    • Jorge disse:

      Marco, são perfeitas as tuas colocações, O Carro 77, não venceria o 5 durante todo o campeonato.

  35. Mario disse:

    Era de se esperar a ordem da equipe, afinal tem muito dinheiro envolvido. Difícil foi ver a única pessoa capaz de recusá-la dar uma de “João-sem-braço”. Acho que Hamilton perdeu muito com essa sua 70ª vitória. Sua carreira, assim como a do alemão aposentado, teve um capítulo que talvez seja difícil de apagar. O inglês ganharia muito, mas muito mesmo, sob o ponto de vista do esporte, dos fãs e da história da F1 se devolvesse a posição, ainda que esses pontos lhe valesse o campeonato.
    Assim fica cada dia mais difícil acompanhar a F1.

    • guest disse:

      Se Hamilton devolvesse a posição, entraria para a história como um… Rodrigo Caio.

    • Adriano disse:

      Tivemos momentos mais contestáveis que este ao longo da história!
      Fechada de Prost em cima do Senna em 89, fechada de Senna em cima do Prost 90, jogada de carro do Schumacher pra cima do Hill 94, jogada de carro Schumacher pra cima de Villeneuve 97. Concordo com você no que diz respeito a ética esportiva, que Hamilton ganharia muito com a devolução da posição ao Bottas. Mas ao longo dos anos, já vimos coisas parecidas, e podemos dizer que o que houve hoje no GP da Rússia, foi apenas mais uma frase que compõem as páginas deste livro magnífico que a muito vem sendo escrito; a história da F1.

    • Gabriel P. disse:

      Perfeito Mario.
      Tem muito dinheiro envolvido.
      Não é o esporte que interessa e sim, a grana que isso gera..
      Não é o torcedor que interessa e sim, o que podemos lucrar com ele.

    • Não acompanha amigo, ninguém nem sabe que você existe, não vamos sentir tua falta. Tenha certeza.

  36. JORGE BERNARDI disse:

    Botas e capacho do Hamilton e do Todo Volf e o Sr. Hamilton se realmente queria pesar a taça para o Botas PODERIA ter cedido o lugar de volta pro Botas na pista mas preferiu garantir os pontos maculado com. O Todo Volf e depois dar uma de reconhecer a vitória de Botas e oferece a taça pra ele tenho vergonha HAMILTON você jamais vai se comparar com o Senna você é uma vergonha prós Brasileiros

  37. valter disse:

    Não é a primeira vez e nem a ultima que tal ordem será proferida.

  38. JORGE BERNARDI disse:

    Botas e capacho do Hamilton e do Todo Volf

  39. JORGE BERNARDI disse:

    Hamilton e Toto Volf a vergonha da F1 de 2018 realmente Hamilton precisa disso para ser campeão

  40. joel lima disse:

    Toto está em segundo no pódio dos babacas do gp da russia. O primeiro lugar é de Hamilton, que se portou feito um dócil totó a cumprir ordens de Toto. Esses ídolos de hoje – leões de rede sociais, mas gatinhos[ ou melhor, ratinhos] quando tem que encarar a realidade. Infelizmente, palhaçadas como essa que se viu hoje só acabará quando a F1 obrigar que cada equipe tenha apenas um piloto.

    • Fernando disse:

      Estas a falar de Schumacher?

      • joel lima disse:

        Também serve no caso Schummy-Barrichello Austria 2002. A questão em ambos é que não havia necessidade nenhuma para o piloto principal aceitar a troca imposta por sua equipe. Nem falo por uma questão ética, mas até mesmo de imagem, que é tão cara – literalmente – para esses esportistas. Pegue-se o próprio caso do Schummy – que se se levar em conta a quantidade de títulos na F1 é o maior de todos os tempos – sempre quando se listam as corridas de forma sensacional que ele venceu, sempre haverá a última frase MAS, em 2002, na Austria…

      • Fernando disse:

        Sim, eu concordo com você, apenas fui irônico porque quando a coisa é com Hamilton toma proporções muito maiores do que deveria. E citei Schumacher porque, convenhamos, poderíamos citar mais de 10 “deslizes” éticos e desnecessários do heptacampeão, mas que nunca tiveram a repercussão que este caso esta tendo. Abraço.

      • Alfredinho disse:

        Schumacher se tornou o bode expiatório das viúvas. Os fãs de Senna, vendo-o no carro dos sonhos, esperavam que o brasileiro superasse Fangio. Mas a morte chegou cedo. E as viúvas não engolem até hoje que o alemão tenha conseguido tal feito.

  41. AS disse:

    Nunca fui com a cara do Toto Wolf… e vejo que estava com razao. Talvez se estivesse Niki Lauda por ali, as coisas seriam diferentes… suponho apenas.
    Mas foi uma grande trapalhada e pra quem luta por uma F1 cada vez maior, foi um enorme passo para tras…

  42. ags disse:

    Sacanagem .. esse TATU Wolf.. isso é o pior dos espermas que um esporte pode ter..
    Briatore é garoto da Febem perto desse fela germânico…
    Deve ser um momento triste.. o cara fez tudo..redondo… admiro Lewis Hamilton…. mas esse foi las buellas.. kara iu.. que vergonha……………….

  43. Moita disse:

    Tava na mão do Hamilton. Era só deixar o Bottas passar nas últimas voltas. Gosto dele, mas faltou visão de longo prazo, confiança, grandeza, espírito esportivo, Faltou tudo.

    Em 20 anos ninguem lembra quem era o Wolff, funcionário da Mercedes. Do Hamilton vão lembrar, e o dia de hoje vai fazer parte da lembrança.

  44. Piroca Jones disse:

    Realmente, decepcionante o que aconteceu hoje. Bottas deve estar arrependido até as últimas de ter renovado com os prateados pra se sujeitar a posição de “escudeiro”. Uma pena até para o próprio Lewis manchar uma temporada no qual vem guiando lindamente com um episódio desses. A ultrapassagem maravilhosa que ele fez em Vettel acabou ofuscada pela maracutaia. Broxante é a palavra que define.

  45. Fernando disse:

    Sim, quando não é necessário – como hoje – você tem toda a razão. Eu já escrevi em outro post, vou resumir. O fato é que isso que “sempre aconteceu” toma proporções épicas porque é Hamilton. A se pensar assim metade dos títulos de Schumacher (e outros campeões) valem “menos” porque foram conquistados exatamente assim, e ninguém falava disso com tanto vigor, a não ser em casos absurdos como o que você citou, alguns até concordavam. Outros 4000 casos sempre foram ignorados, quando não eram admirados (tempos do Emerson). Falar em ética num esporte que teve Senna, Schumacher, Ferrari, Alonso, Briatori, Nelsinho, ah, não dá né?

    Também não se podia falar de Massa – perdendo de propósito no Brasil – e principalmente de Barrichello que nunca pôde “de fato” disputar um campeonato. Como foi hoje eu também não gosto, mas é campeonato, de pilotos e de equipes, equipes agem assim, é válido sim! Erram? Ora é automobilismo não amarelinha, vai arriscar? Eu não gosto, mas não exagero, sem mimimi, pode? É válido? Pronto! Fim.

    Já houve época em que tiravam o segundo piloto da corrida para entregar o carro ao primeiro piloto, na tentativa de vencer! Ninguém fala disso, mas quando é Hamilton… Eu não vou explicar tanto ódio por Hamilton, porque é tão óbvio, e não se acusa sem provas, mas quem vai escrever exatamente o que você escreveu – e não falo de você, acredito no que você disse, sempre criticou isso – sabe porque detesta Hamilton.

    Só vou escrever este comentário, serve prá qualquer um que copiar você. Não resumi porcaria nenhuma.

    • Comentarista Crítico disse:

      Mas o ódio maior do blogueiro nem é por Hamilton e sim por Toto Wolf. Agora, recordes de vitória, frieza inabalável e ainda ganhando corrida com o companheiro de equipe entregando… Cada vez mais Hamilton parece Schumacher pra desespero das viúvas Sennistas.

  46. João Pedro disse:

    Pra fechar com chave de ouro, o Vettel fez o que era necessário ser feito: jogou a toalha, em um simbolismo enorme, para tampar a visão da gente em relação ao que a F1 atual é: tudo, menos competição.

    E, só uma coisa, Flavio, sobre a sua citação ao Di Resta: ele não é ex-piloto. Atualmente está na DTM e, inclusive, é o líder do campeonato, faltando duas etapas para o término da temporada.

    • Fernando disse:

      Não entendi. Fora a cena legal da toalha, quando foi que Vettel realmente teve condições de competir realmente com Hamilton? Nunca! E isso nada tem a ver com ordens de equipe – a de hoje desnecessária -, tem a ver com o fato de que Hamilton atualmente é muito mais eficiente e muito mais piloto que Vettel, e não precisava da “ajuda” da Mercedes. Vettel jogou a toalha, porque não tem como competir com o melhor, simples né?

    • Henrique disse:

      A toalha jogada por Vettel também pode ser interpretada como uma desistência do campeonato.

      • Paulo Pinto disse:

        A toalha que Vettel usou para encobrir a câmera tinha um único sentido: mostrar, num gesto simples, o modo camuflado que a equipe Mercedes utilizou para evitar explicações públicas, solicitadas pelo seu fiel escudeiro.

  47. Mansell disse:

    Não vi a corrida e entrei para saber das novas. Eu estava torcendo pelo Hamilton. Que banho de água fria. Lembrei daquela palhaçada de 2002 e 2003. Não precisava mesmo disso. Não ligo mais pra quem ganhar esse campeonato. Ótimo texto Flavio. Parabéns

  48. Alfredinho disse:

    As épocas mudam, as frases também mudam, mas a marmelada é sempre a mesma:

    GP da Áustria/2002: “- Hoje não! Hoje, sim… Hoje sim?”
    GP da Alemanha/2010: “- Felipe, Fernando está mais rápido que você!”
    GP da Rússia/2018: “- É um dia difícil para você e para nós.”

  49. Maurício Rocha disse:

    Quando esses caras vão deixar os pilotos pilotarem?

  50. Heloísa disse:

    Até difícil comentar acrescentando algo, pois vc condensou muito bem nossa indignação.
    Da minha parte, apenas encherei o Twitter dos malas com meu protesto. Amo F1, mas como fã fica cada vez mais difícil aceitar tais maquinações. Agora, na minha opinião, Hamilton é o mais culpado, pois é a engrenagem ao redor da qual tudo gira. E nos momentos críticos, o grande precisa exercer sua potência para colocar as coisas nos devidos lugares. Infelizmente, como todos os campeões, como pessoa não passa de um quitandeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>