GOOD, GOOD NEWS | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quarta-feira, 10 de outubro de 2018 - 22:58Automobilismo internacional

GOOD, GOOD NEWS

RIO (elas, sempre elas) – Adorei saber da criação da W Series, um campeonato de monopostos, europeu, só para mulheres. Acho que elas podem tranquilamente correr contra homens. Mas o preconceito e a característica muito masculina do esporte inibem a participação das meninas. Que possam mostrar seu talento entre elas, então, e a partir daí, quem sabe, mais garotas se animem a entrar nesse mundo.

20181010441388_DpHwurOWsAAz0UP_O

21 comentários

  1. Robson Santos disse:

    Tendo a ver essa situação por uma ótica bem simples, sem machismo/feminismo.
    Creio ser uma questão de simples educação: meninos ganham carrinhos de brinquedo e bola, meninas ganham bonecas e panelinhas!
    Quando crescem, nota-se a diferença – meninas tem mais dificuldade em se adaptar, por nao ser algo “comum” para elas.
    Comparativamente, um homem tem uma dificuldade maior para, simplesmente trocar uma fralda!

  2. Gabriel disse:

    Vou falar a verdade! Já vi muitas mulheres correrem. Danica, Simona, Giovana, Beatriz…
    Mas a melhor de todos os tempos será Juju Noda!
    Podem anotar! Ela vai detonar esse campeonato! Pode colocar ela aí com 14 anos mesmo. Aí ela vai pra fórmula 2 e poderemos ver o potencial da menina. Pelo que tenho acompanhado, ela tem crescido muito.

  3. Rodrigo disse:

    Tá, na minha cabeça eu vejo como uma categoria de acesso às categorias de acesso; então não teremos F1 feminina, FE feminina ou WEC feminino. Mas seria o caso das RedBulls, Ferraris etc abraçarem também as minas nos seus respectivos plantéis de formação de pilotos e coisas do tipo. Do contrário viraria um, sei lá, Grammy Latino (dsclp) do automobilismo, tipo “Vamos criar um evento só pra eles, assim se sentem incluídos e de quebra não enchem o saco”. É válido tentar.

  4. Alfredinho disse:

    É o espaço que elas estavam precisando. Vai depender do público e eu já estou nessa, e principalmente dos patrocinadores. Vamos torcer!

  5. Jonny'O disse:

    Já teve categoria de mulher no Brasil não? acho que na F Fiat, algumas corridas, não lembro direito. E já teve pelo mundo a fora algo parecido, acho que pode valer pelo lado promocional apenas, quanto a algum movimento acho uma bobagem,

    No automobilismo a mulher pode correr contra o homem , já provaram isso, mas são poucas , este é o maior problema, deixem elas em paz, as que gostarem de corridas, que venham correr.

    O mundo está estranho, as vezes querem o mesma cadeira e as mesmas pessoas querem cadeiras diferentes outras vezes, não entendo mais.

  6. Carlos disse:

    Existe algum profissional da área da saúde com um ponto de vista abordando se o grau de exigência física de uma categoria como a F1 coloca os homens em vantagem?

  7. Thiago Sabino disse:

    Boa iniciativa.

    Mas vai ser uma A1 da vida…. não sei se vai ter vida longa não. Tenho minhas dúvidas.

  8. leandro oliveira disse:

    Que ótima idéia ! Logo terá mais torcida que os homens, tal qual no vôlei e no tênis feminino…
    E, num futuro, podendo mostrar competência, estarão competindo também com os homens !

  9. A. Coyote disse:

    A única resposta que tenho – alguem me perguntou algo? – é que mulheres no automobilismo não vão alterar nada, quero dizer, não vão piorar o esporte como alguns ou muitos acham. Elas serão pilotos sujeitas às mesmas regras do jogo.
    O que eu não sei é se o significado da criação de uma categoria exclusiva para elas era necessário, se vão abrir mais portas ou fechar e coisas assim.
    Idealmente acredito que se elas tivessem acesso ao kart como os garotos e isso se estendesse para as demais categorias seria mais natural do que partindo de uma categoria diferenciada.
    Mas o tema é mto novo para bater o martelo.
    De qualquer forma gostei.
    Abs.

  10. Rafael Friedrich disse:

    Já estou me acostumando com as havaianas, fórmula bonitinho, vai ser o êxtase assistir.

  11. Lobod3Angr@ disse:

    Já estava na hora, sempre torci para que as mulheres ingressassem na F1. tinham presença constante na Indy, por que não na F1? Deixem as moças mostrarem o talento delas. Oportunidade a F2, Formula E, Moto GP e onde mais quiserem, isso pode chamar público, marcas e patrocínios. Enfim, já que idealizaram uma categoria só para elas, pode ser uma porta aberta, desejemos sucesso =)

  12. Danir disse:

    Eu penso que é uma frescura que tende somente a aumentar o abismo entre os sexos, Uma questão ideológica. Existem diferenças de estrutura fisica e de temperamento que de certa forma coloca as mulheres em desvantagem com relação aos homens em alguns esportes. Não se trata de preconceito ou sexismo. Se as mulheres quiserem competir em igualdade de condições entre homens, com certeza terão dificuldades. Existem coisas em que as mulheres podem superar os homens, mas quando se trata de força física ou reflexos e mesmo agressividade e enfrentamento de riscos, os homens estão melhor aparelhados fisica e psicologicamente por tratar-se de sua estrutura biológica. Que corram e se sintam felizes e prestigiadas, mas na minha opinião será como se comparássemos uma corrida de F-1 ou protótipos com uma competição de F-2 ou Gran Turismo. Mas pode aplacar os espíritos de algumas pessoas que pensam que no empoderamento é mais importante do que a feminilidade que tanto nos agrada e atrai. No meu trempo de juventude as mulheres eram poderosas por nos dominarem com o jogo de sedução. Hoje elas se sentem poderosas falando caralho e se comportando de forma mal educada e grosseira, como se fossem homens, especificamente da classe dos estivadores. Definitivamente não é o tipo de mulher que eu aprecio como companheira, e olhe que minha mulher é do tipó braba que me faz ronronar como um gatinho. A propósito os garotos que pensam que são garotas poderão competir como está acontecendo em alguns esportes femininos, destroçando as mulheres geneticamente originais? Creio que ficarei com a F-1, Protótipos e Moto GP. E algum babaca vai me chamar de preconceituoso por não ser politicamente correto e ter opinião própria.

    • Mauro Oliveira disse:

      Você não é preconceituoso, é só machista mesmo
      E a tia Michelle Mouton joga poeira no seu machismo
      https://www.youtube.com/watch?v=Xe0uPHIpQEo

      • Danir disse:

        Você não entendeu nada. Eu sou pelas mulheres, mas não pelo feminismo. Sou contra o machismo , mas acredito na virilidade. Penso que pelas diferenças biológicas, mulheres excepcionais na competição automobilística podem surgir, mas nunca como regra ou como resultado estatístico superior. Nada contra elas nem nada com o machismo. Homens e mulheres são diferenciados biologicamente e não há como esconder estas diferenças. Eu pessoalmente acredito nas diferenças e sou a favor destas diferenças, acreditando que agir com cavalheirismo e fazer a corte não desvalorizam em nada ou diminuem a figura da mulher. Para mim, machistas são pessoas tão boçais quanto as feministas, que tentam reverter uma situação de fato por uma ilusão. Mulher que fala palavrão e que tenta se masculinizar, é tão tranqueira quanto um homem que cospe no chão, quer dar porrada em todo mundo (normalmente são covardes) e não sabe ler um texto de duas linhas. Nos dois casos eu estou fora. Só isto. Penso que você não leu meu texto com o cuidado com que vou ler o texto da sua tia.

      • Danir disse:

        Acabei de ver o(s) videos sobre sua tia e não mudei de opinião. Uma piloto de Rally excepcional que estatísticamente não muda o universo da competição automobilistica e não nega a minha conjetura sobre o que pode acontecer com a feminilidade destas supermulheres. Ela tem seu valor, deve ser respeitada, mas nem por isto eu definiria a escolha de uma companheira por sua expertize em competiçoes de rally.

    • Giovanni disse:

      Concordo com seu comentário.

      E apesar de eu achar uma ideia válida, a chance de dar certo é semelhante ao futebol feminino, outro esporte preponderantemente masculino.

    • Carlos disse:

      “No meu trempo de juventude as mulheres eram poderosas por nos dominarem com o jogo de sedução”…
      Putz!
      Nem vou falar que você é machista ou preconceituoso.
      Mas é anacrônico. Ainda bem..

      • Danir disse:

        Pois é meu caro Carlos. Já sou meio usado, com 67 anos de bagagem. Posso te dizer que quando conquistávamos uma mulher que nos seduzisse, a sensação era muito boa. Não precisava haver sacanagem envolvida. Hoje em dia você vê a garotada indo para as baladas para ver quem beija mais na boca, ou então indo a um baile funk onde a mulherada se oferece sem nenhum pudor, ou já no primeiro encontro vai para a cama com um parceiro que nem conhece direito ou sabe se há uma afinidade. Eu me lembro que até nas boates, havia um jogo de sedução e não era raro que alguem saisse com uma das “moças da noite” sem precisar pagar pelos seus favores. Tudo baseado na gentileza, na atenção e no respeito humano. Sob este aspecto eu posso dizer que concordo com você que devo ser anacrõnico, ou talvez romantico. Por outro lado me diverti muito e realmente às vezes fico chocado com a vulgaridade e falta de traquejo que campeiam entre a garotada atual. Está mais para um açã0 instintiva de animal no cio do que um gesto entre pessoas educadas e pertencentes a uma civilização humana. Quanto às mulheres na direção, já vi algumas que fariam inveja à maioria dos homens que se julgam pilotos, mas seu número sempre foi reduzido e não acredito que seja somente por não terem oportunidade. Daria para falar bastante sobre o que já vi a respeito e o que penso provocar estas diferenças. Sem machismo, sem preconceito, sem anacronismos. Saudações

Deixe uma resposta para murilo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>