“GP ÀS 10″: ROLÊ COM PIQUET | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019 - 11:57Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10″: ROLÊ COM PIQUET

25 comentários

  1. CRSJ disse:

    Muita coragem do Piquet de voltar a Indianápolis em 93 um ano depois do grave acidente.

  2. Lagerbeer disse:

    Nelson foi um dos melhores capítulos da F1 ! Quantas historias !

  3. Irinaldo Barros disse:

    FG, Piquet é um excelente acertador de arro, coisa que HOJE,não temos mais na F1 – acho que não mais em nenhuma categoria…

  4. Saulo Lábaki Agostinho disse:

    Flávio, sugestão para a vinheta: pq não coloca o som da partida de um dos seus DKWs? Se for o de corrida, melhor ainda.

  5. Andre disse:

    Meu tio tem uma pequena transportadora e o Piquet fez uma visita lá para oferecer seu GPS.
    Todos comentaram que ele foi a simplicidade em pessoa, tirou fotos, deu autógrafos, brincou com os caminhoneiros, comeu bolo caseiro, enfim, o Piquet é um cara simples que é um GÊNIO das pistas.
    Quem não gosta dele é porque não aceita seu jeito de falar o que pensa, de ser autêntico, de fazer piadas, de não falar que entrou em túnel transcendental em volta rápida rs.
    O cara ganhou até de um inglês fera (Mansell) numa equipe inglesa, portanto aprendam a valorizar mais o nosso gênio tri-campeão.

  6. Brabham-5 disse:

    Imaginem se fosse o Senna chegando depois do acidente de Indianápolis, de muletas ou cadeira de rodas, se a assessoria de imprensa – e a Globo – do cara já não teria espalhado a noticia da hora do vôo, e na hora do desembarque o aeroporto estivesse lotado, a viuvada levando as flores, todo aquele circo…
    Entrando ao vivo direto no “Plantão do JN”…

  7. Brabham-5 disse:

    Quem ama o estilo Senna, Neymar, Hamilton de ser (e de ser ídolo), jamais vai entender e apreciar Nelson Piquet.
    Eu acho até bom.
    Sou fã de Nelson Piquet desde 1981, desde que comecei acompanhar a F1 (com 10 anos de idade), e é bom saber que os fãs de F1 são diferentes desse outro tipo de “torcedor” de esportistas e pilotos “heróis emotivos”, fazendo o marketing do bom mocismo.
    Se tem uma coisa que Nelson Piquet nunca foi, nunca será é esse tipo de idolo-ator-estrela-marqueteiro-midiático que se vende como humilde mas longe das câmeras adora fazer parte de uma elite de privilegiados e tem alergia ao contato dos fãs.
    Nunca se vendeu como “herói nacional”, como “vitima”, como “símbolo nacional”.
    Nunca teve rabo preso por ninguém. Nunca se colocou em situação que precisasse elogiar quem ele não queria elogiar.
    Nunca foi um mal perdedor. Nunca foi de mimimi.
    Sempre falou o que quis, um cara livre.
    Nunca precisou ter medo de ser quem ele é.
    Autêntico. Real. Sem falsidades.
    E FOI UM PUTA PILOTO DE F1.

  8. Roberto Torres disse:

    Não esqueça dos bonés.

  9. Ricardo Cosme disse:

    Passando pra lembrar você de procurar os bonés.

  10. Emmanuel disse:

    Revoltante foi ver o Burti, domingo de manhã, praticamente pedir desculpa pela antologica ultrapassagem de Piquet sobre Senna em 86, na Hungria! Tentou justificar de todas as formas! Pneus novos, carro melhor etc… Só não deu pra explicar como Piquet colocou um F1 de lado, por fora, como se fosse um kart!

    • Brabham-5 disse:

      Esse Burti é um almofadinha idiota que não viu a F1 dos anos 80.
      Outro mané que mesmo passando pela F1 sempre dá uma escorregada nos comentários durante as corridas.
      Mas para mim o mais revoltante e INEXPLICÁVEL é, depois de ouvir o que Burti relinchou sobre essa ultrapassagem de Piquet sobre Senna, o Reginaldo Leme não CORRIGIR esse boçal, no ar, ao vivo!
      Te garanto que se Senna tivesse feito a mesma manobra sobre Piquet ou outro piloto, COISA QUE NUNCA FEZ, nunca fez uma manobra igual a esta de Piquet, quando Senna estava na McLaren – MELHOR CARRO, MELHOR MOTOR E DE PNEUS NOVOS – a Globo, o Galvão Bueno, o Reginaldo Leme, o Luciano Burti toda hora estariam lembrando da tal ultrapassagem e tratando com pura obra de talento do piloto.
      Mas, como foi o Piquet, que nunca foi “o favorito da casa” e dos pilotos brasileiros playboyzinhos que chegaram a F1 nos anos 90…
      Se fosse´Senna, o Alonso, o Hamilton fazendo a mesma manobra, endeusariam.
      Mas fato é: Mesmo com “o melhor carro, com o melhor motor, com pneus novos ou ‘usados’”novo, NUNCA OUTRO PILOTO FEZ UMA MANOBRA IGUAL. Seja em Hungaroring ou qualquer outro circuito.
      Por isso não conseguem engolir essa (e outras) do Nelsão.

  11. Emerson disse:

    Flavio, e um prazer ver vc falando de fórmula 1. Assisti vários vídeo do Airton e agora do Piquet. Queria que vc falasse mais da direção assistida q o Senna usava no acidente. Porque q ela deu pane. e porque q a Williams usou ela sendo q era irregular.

  12. Euclides v.de Aquino disse:

    Gosto da sua visão de automobilismo você e parte do negocio, apesar de Ser PT
    eu te respeito e deixo esta questão de lado,porem quando você lembra dos tempos bons de Interlagos você me faz viajar para la tempos bons pois tinha
    30.000 pessoas para ver campeonato paulista de tudo que corria a folha da tarde dava ampla cobertura agente via o Piket como se batizara largar em ultimo por conta de um motor fundido na classificação digo ultimo de 25 inscritos e passar na primeira volta em 5 e antes das 5 voltas vinha se pegando a tapa com o Guarana com Chatobriand e outros pelo primeiro lugar tenho 65 anos adoro este negócio te respeito pois você vê este negócio com a mesma visão que eu abrç . Sou do tempo que piloto iniciante era ( PC ) sou negrão e
    PC negrão só o da Mercedes que é fora da curva guiei os formulas do PATI e só.

  13. nelson gerent disse:

    Corrigindo: o ano foi 1994 e não 1992.

  14. nelson gerent disse:

    Grande Piquet. Fui testemunha também em uma ocasião em 1992 na inauguração do kartódromo de Londrina – PR, onde o Piquet acompanhava de perto o Nelsinho que viria a se sagrar campeão naquela corrida. Após os treinos no sábado a turma do kart e o pessoal do automóvel clube de Londrina fez uma rodinha de bate papo com o Piquet e ficamos mais de uma hora em pé ali nos boxes enchendo o Nelson de perguntas e ouvindo suas histórias. Nem parecia que estávamos com um tri-campeão de F1 tamanha a simplicidade e sua atenção à todos nós.

  15. Jeferson disse:

    Adorei todas as histórias, mas, com certeza, a da cadeira de rodas é a melhor.

    Sou muito fã do Piquet, e gostaria que ele vivesse 150 anos, mas sabemos que isso não vai acontecer.Então, acho que já passou da hora de algum jornalista e/ou escritor tentar convencer o Piquet a dar uma longa entrevista visando um livro, uma biografia autorizada. Eu possuo 4 livros sobre o Emerson Fittipaldi, 5 sobre o Senna, e apenas um sobre o Piquet: Eu Me Lembro Muito Bem, que tem apenas 168 páginas. Nelson Piquet merece um livro de , no mínimo, 700 páginas.

    Massa e Rubinho: a probabilidade deles voltarem algum dia para a F1 é de apenas 0,000000000000000000001%. Portanto, o ciclo deles na categoria máxima do automobilismo já está fechado.Então, acho que também já está na hora de sair uma biografia completa dos dois. Eu gostaria de saber alguns podres da Ferrari que ainda não foram revelados

    • Brabham-5 disse:

      “Eu possuo 4 livros sobre o Emerson Fittipaldi, 5 sobre o Senna, e apenas um sobre o Piquet”
      Pois é meu amigo. Benvindo ao Brasil e o seu “dedo podre” para escolher e valorizar seus heróis.
      Não há duvidas que se Piquet escrevesse uma auto-biografia sem censura, teria muito mais histórias para contar do que Senna e Fittipaldi somados.
      Se para alguns Piquet não é melhor piloto brasileiro na história da F1, como já disse Flavio Gomes, “é o mais interessante de todos”.

      • Jeferson disse:

        Censura é uma palavra que não combina, não tem nada a ver com o Piquet. Se ele se animasse a escrever sua autobiografia, com 200% de certeza nenhum assunto seria censurado. O problema é que algumas editoras brasileiras não teriam coragem de publicar as histórias mais “cabeludas” que o Piquet tem para contar.

  16. Milton Eller disse:

    Grande Nelson Piquet!!! um dos (senão o melhor) acertador de carros da F1,

  17. Moita disse:

    O bordão podia ser alguma coisa como “vamos abrir os boxes” ou “boxe aberto”. Ou “pista aberta”.

Deixe uma resposta para Flavio Gomes Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>