NADA DE NOVO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sexta-feira, 8 de março de 2019 - 0:05Tecnologia

NADA DE NOVO

RIO (alguma novidade?) – Em 1974, João do Amaral Gurgel foi ao programa de Silvio Santos mostrar o primeiro carro elétrico brasileiro, o Itaipu. Nunca vingou. Mas é uma boa história, contada no livro de Lélis Caldeira “Gurgel. Um brasileiro de fibra“.

itaipuss

27 comentários

  1. Ferrarista disse:

    Um dos principais motivos do fracasso do Gurgel foi a feiura desses carros fabricados pela empresa, que pareciam mais com mini-tratores do que carros de passeio… Quem em sã consciência compraria um carro desse pra passear com a família ou sair com alguém? Eu mesmo não aceitaria um desses nem se me fosse dado de presente, pois dá desgosto só de olhar. Se tivessem investido na beleza e no design desses carros, a história teria sido muito diferente.

    • Jaco disse:

      Não apenas o design, mas a Gurgel só produziu carros de passeio que não condiziam com a perferência do consumidor. Embora tenha muita apreciação pela perseverança do João Gurgel, a empresa falhou em acreditar que o sucesso que fez no nicho dos mini-jipes se repetiria no mercado de carros de passeio.

      Se tivessem desenvolvido um carro popular na faixa dos 3,7m de comprimento, com motor licenciado de outra empresa, tenho certeza que teriam atraído muito mais compradores.

  2. CRSJ disse:

    João do Amaral Gurgel foi tão ridicularizado no Brasil quanto os irmãos Fittipaldi.

  3. Nélio Brito disse:

    Os eleitores do atual presidente, com certeza, jamais comprariam um carro da Gurgel, pois falta a estes o verdadeiro patriotismo. Sou eleitor do Lula e comprei um carro da GURGEL.

  4. MARCELO ALEXANDRE FERREIRA DA SILVA disse:

    Nunca teve apoio do governo ! Hj os governos ” pagam ” pra gigantescas multinacionais ficarem no País….

  5. José Roberto disse:

    Se puderem leiam a biografia de Glenn Hammond Curtiss e verao como a empresa FNM é envolvida com este mago dos motores.

  6. Luis felipe disse:

    Ótima analogia

  7. José Roberto disse:

    Meu herói João Augusto Gurgel, o Tucker brasileiro, por sua causa fui estudar engenharia mecânica.

  8. Luciano Hansen disse:

    Dois Grandes. Gurgel e Silvio.
    Um dia terei um Xavante

  9. Pdr Rms disse:

    Tenho este livro, a história dele e da empresa são sensacionais.

    A Gurgel havia iniciado um grande investimento em uma fábrica no Ceará e contava com alguns incentivos prometidos pelos governos estadual e federal que nunca saíram devido a lobby das grandes montadoras. Hoje, essas mesmas grandes montadoras estão reduzindo significativamente suas operações no país.

    O governador do Ceará era o Ciro Gomes, hoje queridinho de boa parte da esquerda. Isso só mostra como independente da ideologia a classe política do Brasil é tudo farinha apodrecida do mesmo saco.

  10. Toni Righi disse:

    Gurgel era visionário mas, obviamente, imperfeito. Além das dificuldades óbvias de criar carros e uma indústria para competir contra as multinacionais ele pecou por suas ideias muitas vezes não muito boas. A fama de teimoso dele é bem conhecida.. Sempre pensei que ele poderia ter feito algum tipo de parceria com algum dos fabricantes japoneses, por exemplo. Especialistas há bastante tempo em microcarros. Teria pulado várias etapas nas questões de tecnologia, manufatura e qualidade. Este é o pior ramo para os que insistem em reinventar a roda.

  11. Moita disse:

    Hoje, na Noruega, está cheio de carros iguaizinhos a esse. Dá dó de ver a imagem acima.

  12. PRNDSL disse:

    O mais provável sobre a falência é que ele não tinha grana suficiente para as propinas necessárias …

  13. FUMIO KURIHARA disse:

    Flavio, com tantos empresários cheio da nota!!!! alguns deles, mais para benemeritos e solucionador de causas injustas, bem que poderiam pegar esse projeto e rever a sua viabilidade. Esse Amaral Gurgel era avançado para a época.

  14. Jbchaves disse:

    O título do livro diz tudo…pena que outros brasileiros de fibra estão calados ou presos!

  15. Joel lima disse:

    Essa foto é simbolica do brasil : de um lado gurgel que quis sair da mediocridade da nossa miserável elite e sonhou em produzir uma marca brasileira de carro; e do outro silvio santos e sua mediocridade e puxador de saco do governo de plantão. Passados 45 anos e o sonho de gurgel não vingou e silvio Santos conseguiu uma rede de TV do figueiredo e nao perdeu um único centavo mesmo após a quebra por fraude do seu banco o panamericano. No Brasil quem ousa fazer desse país um grande país acaba se dando mal – vide Vargas presidente eleito ( que ousou criar a petrobras ) que preferiu se matar a ser humilhado por gente da laia dum lacerda; Jk que fez o pais se industrializar ( morto provavelmente num atentado) e Lula que só sairá morto da cadeia. Agora quem quer transformar o Brasil numa grande porto rico sempre se dão bem infelizmente.

    • Fernando disse:

      Bem, já somos dois que não gostamos do Silvio S., já é alguma coisa. Eu o considero um dos maiores responsáveis pela indigência cultural dos brasileiros. Trata-se de um, digamos, malandro que deu certo. Para não falar do Baú da Felicidade, ideia do grande Manuel de Nóbrega, aparentemente “surrupiada” pelo endeusado apresentador de programas de auditório e picareta.

  16. Leandro disse:

    Era um visionário. Pena que engoliram ele e não deram chance.

  17. Carlos Couto de Castro disse:

    Flavio Gomes:

    O azar da Gurgel foi que o presidente da época não era o Lula ou a Dilma, pois duvido que a montadora brasileira teria falido. Lula sabe da importancia de se ter empresas nacionais fortes para competir com gigantes como VW, GM, Ford, BMW, Fiat etc.
    Collor e o Ciro Gomes estão entre os grandes culpados da falência da Gurgel.

    • Zempa disse:

      Itamar e Ciro. Enquanto todas montadoras receberam isenções monstruosas com os carros 1000cc. Gurgel não recebeu 1 centavo pelo motivo alegado que seu carro era 800cc. Assim, o BR800 custava o dobro dos de mesma linha.

      Não precisa se chineses ou americanos pra destruir a indústria nacional, basta os governos brasileiros

    • Emerson 1974 disse:

      Realmente. O presidente Lula quis fazer a Odebrecht e a JBS gigantes multinacionais brasileiras e deu no que deu…

    • Antonio disse:

      Bobagem, A mairo desindustrialização brasileira ocorrou nos governos Lula e Dilma. A Varig, outro símbolo nacional, faliu no governo Lula (nenhuma culpa dele)
      E os tais campeões nacionais ? Grupo EBX, JBS Friboi, Odebrecht, etc… todos levaram vantagens do governo e só ferrou com o povo brasileiro.

      Empresas como Gurgel e Gradiente faliram porque o ambiente de negócios no Brasil é hostil pra todo mundo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>