MENU

quarta-feira, 4 de janeiro de 2006 - 17:56Automobilismo brasileiro, DKW & cia.

O VÔO DO CARCARÁ

Muita gente não tem noção de como foi importante o Carcará, e do que representou o recorde batido em 1966. Aos que pediram mais detalhes, é só clicar aqui para ler a história completa do carro pilotado por Norman Casari.

Na primeira foto abaixo, o dia do recorde (Crispim colocando os pneus de Vemaguet na frente). Nas outras, um aperitivo do Carcará 2 que está sendo feito por Toni Bianco para o museu de Paulo Trevisan, de Passo Fundo. Uma verdadeira obra de arte.



17 comentários

  1. PedroJungbluth disse:

    na verdade o motor preparado do carcará, que tinha 104 hp, engripou um dos cilindros, perdendo muito da potência. Os 212 foram atingidos ainda assim com muita raça.

  2. Ney disse:

    Gozado, que o Marinho atingiu, cronometrado, quase 210 Km/h, na rodovia do café, na melhor fase dos Malzone. Era de se esperar mais do Carcará, como se dizia, 230 Km/h, pelo menos. Eu até acredito que o Norman não tenha conseguido acelerar tudo, por causa dos pneus, ou outra coisa qualquer, por isso ficou nos 212.

  3. Cláudio Orestes. disse:

    O genial Jorge Lettry “e seus Blue Caps”(Rino Malzoni, Anísio, Marinho, Crispin, Norman… – nossa, que turma!!!) podem ser comparados aos Beatles. Em 1966, nenhum deles tinha noção que iam entrar para a História, os inglêses foram até reconhecidos por Sua Majestade. Mas, após 40 anos, nossos “Heróis” ainda não mereceram nem uma plaquinha no local da grande façanha. Só mesmo o iluminado do Paulo Trevisan para resgatar um pouco da memória do nosso automobilismo e torço para que o seu projeto chegue bem próximo do Carcará original.

  4. lucas disse:

    Esse carcará… se os americanos do final dos anos 60 o vissem… parece um disco voador! E de construção bem simples pelo desenho.

  5. PedroJungbluth disse:

    é verdade. Se for para fazer um carro para bater o record de velocidade (qual seria o record brasileiro atual?) teria que colocar um V12 quadriturbo mesmo…
    Interessante seria deixar o carcará igual, com direito a pneu diagonal resfriado no rio mesmo, pra ver que velocidade se atingiria hoje… Provavelmente menor, já que o malucão Casari não está ai mais…

  6. Ney disse:

    Imagino que o motor seja mantido original, e isso não é nada difícil, existem vários em perfeito funcionamento. O que não será fácil, será reproduzir os mesmos cavalinhos originais, que o antigo gerava, a não ser que chamem o Crispim. Quem já viu um motor DKW de perto, sabe que não era qualquer um que tirava os tais cem HPs daquela maquininha barulhenta. Nem bomba d’água existia, era por convecção do calor. Distribuidor com tres platinados, era o horror de qualquer mecânico, para regular. Carburação, mais ou menos enrrolada como de um kart, afogava à toa.
    Realmente, não era fácil…

  7. Luiz disse:

    Sei não, acho que esse Carcaralio foi inspirado no Match5 do Speed Racer rs rs rs
    Brincadeirinha, FG… amigo! amigo!

  8. Carlos Trivellato disse:

    Bem, ironias a parte, resgatar um projeto como esse deve trazer uma satisfação bem particular, afinal, são condições muito distintas das disponíveis na época. Acredito que manter as características técnicas o mais próximo possível das originais, traria ainda mais interesse por parte dos entusiastas.

  9. PedroJungbluth disse:

    Sim, essa foi uma dúvida minha, afinal as linhas são idênticas, o carro parece estar sendo reproduzido (inclusive por um colecionador) e não desenvolvido. Então seria um Carcará, não um Carcará 2, como se fosse um modelo seguinte.

  10. Stefano Modena disse:

    Sim , Carlos ! Foi visto ontem , terça feira saindo de uma Boate Gay no centro de S. Paulo as 7:00 da manhã com umas “amigas” ! Parecia estar bem e com um largo sorriso…

  11. Carlos Trivellato disse:

    Bom dia !

    Ví a curiosidade pelo motor que será usado no novo Carcará, afinal, ele será uma réplica ou um carro de linhas “retrô” para lembrar o original? Caso seja uma versão melhorada, um teste comparativo com os resultados da versão antiga seria bem interessante. Alguma pista do “santo graal” Flávio?

  12. PedroJungbluth disse:

    104 hp, pelo que li agora

  13. PedroJungbluth disse:

    Bem, o motor do Carcará tinha 97 hp quando bem preparado, poderíamos imaginar um moto 4 cilindros com 120, 125 hp fácil…

  14. Ney disse:

    Pedro, quem comentou sobre o motor DKW de quatro cilindros, fui eu, mas não tinha, com certeza, 125 HPs. Eu chutei, no maximo 105, o que seria razoável, considerando preparação de particular. Verdade que tinha dois Webber duplos, mas não era o Crispin quem mexia…
    A propósito, o piloto que bolou essa encrenca, Celsinho Gerbassi, ganhou uma do campeonato carioca, chegando com o Norman Casari, em segundo, fungando no seu cangote. (Na verdade, o Norman deu uma errada, perdendo tempo e a corrida, numa rodada pra fora da pista). Abs.

  15. PedroJungbluth disse:

    Puxa, o que eu queria saber mesmo é que motor vai ser utilizado no Carcará 2.
    Teve um amigo nosso que citou um motor DKW com 4 cilindros, perto dos 125 cv.
    Ou será que usaremos algo mais moderno?
    Para manter o motor leve e a alta potência, podia que sabe usar um motor de moto esportiva…

  16. bruno mantovani disse:

    Pioneirismo….numa época sem internet, até msm tv era coisa dificil……projetado pelo maior computador da terra, o cérebro humano. E de um brasileiro.
    o Brasil podia ter dado certo…

  17. Daniel disse:

    Legal, parabéns ao Paulo Trevisan pela sua dedicação em manter sempre viva essas lembranças. Um dia ainda vou conhecer sua coleção. Abraços!

Deixe uma resposta para Ney Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>