Carros que eu gosto: Twingo

SÃO PAULO (CHI-0022) – Depois do 2CV, mais um da lista dos carros que eu curto. E, por coincidência, mais um francês. Que, em alguns anos, será um clássico, com certeza, pelo design revolucionário e suas soluções técnicas sensacionais.

Trata-se do glorioso Renault Twingo, lançado em 1993 e em produção até hoje com mínimas mudanças.

Quando a Renault inventou o Twingo, fez uma pesquisa de cores na indústria de brinquedos, porque queria uma paleta semelhante à usada em carrinhos de plástico.

Chegou-se, então, ao padrão de quatro cores básicas: vermelho claro, amarelo-mostarda, verde-água e roxo. Depois vieram as outras cores mais tradicionais e mais aceitas pelo consumidor médio, como branco, preto, prata, essas coisas.

Em 1994, comprei um, vermelhinho. E, da Europa, trouxe vidros elétricos, rádio, maleta porta-luvas e outros acessórios, todos originais.

Era uma graça, meu Twingo. Vendi em 1997, mas devia ter guardado. Outro dia o vi passar pela avenida Ibirapuera. Era ele mesmo, a placa é inesquecível. Mas estava no outro sentido, senão eu saía atrás e comprava.

Aliás, quando a Renault anunciou que ia deixar a F-1, escrevi uma coluna tendo meu carrinho como personagem. Isso foi em junho de 1996. Dez anos se passaram, e hoje vejo que não devia ter vendido o Twingo por causa da F-1…

Comentários

  • ola anigo.

    pelo o que vi aqui partilhamos o mesmo gosto… bbem isto e assim eu tirei a carta de conduçao ha muito pouco tempo e o meu pai dicidiu darme um carro, desde logo escolhi um renault twingo , depois de meses a procurar o meu poai la consegui o renault twingo… ainda nao vi o carro ele diz que o verde do carro e muito claro.. Amigo o que esta aqui em cima e o seu e a cor e mesmo essa?

  • o twingo é carro p/ quem tem sensibilidade de ver arte na criaçao, a maioria os babacas gostam de ferrari, no brasil gol palio etc ou seja sempre a mesmice e não consegue ver a arte de um bellair cadilaque e digo dos anos 50, em seus rádios no mínimo deve tocar axe, funk, forro universiotário etc.. de acordo com seus limitados gostos… e como diria nelson rodrigues” a unanimidade é burra”.

  • É um senhor carro, caro FG. Aliás, eu não tive um, tive dois! O primeiro era de 94, verde-água. Prenda dos meis (então) 18 anos. Outro detalhe: o carro veio para as minhas mãos no dia 25 de Abril, ou seja, seis dias nates do Senna morrer…

    Troquei por outro, tres anos depois. Este era bordeaux, de 95, com vidros eletricos. O chato desta versão era a caixa de velocidades, que era um pouco perra. Lembro-me que para por a quinta, era um inferno. Por causa disso, a minha mãe (co-proprietaria do carro) ficou com alergia à quinta velocidade…

    Mas de resto, o carrito nunca me deixou “na mão” (como vocês dizem). E ao contrário do que se passa aí no Brasil, aqui em Portugal é um carro relativamente popular, ainda se fabrica e tudo…

  • Carro bom, muito econômico, estaciona em qualquer vaga, tem motor suficiente (subi a serra da Imigrantes várias vezes com ele e deu para o gasto), retomada razoável.
    Só sofre um pouco quando o ar-condicionado (de série, não é item opcional) está ligado e tem de encarar a subida da Rocha Azevedo.
    No mais, uma boa compra.
    Fôssemos movidos só à estética e o Eco Sport seria um SUV de primeira!

  • Caramba Gomes, eu tive tambem um Twingo vermelho 94, alias foi o primeiro carro que comprei com meu proprio dinheiro, isso lá em 1999 no auge dos meus 23 anos, mandei pintar os parachoques da cor do carro, ficou lindo.
    Lembro que tirava maior onda, pois tinha um importado e a chave do carro era verde, coisa que hoje em dia é normal. rsss
    Bom carro para a cidade, tambem tenho saudade, estou até pensando em comprar um para a minha esposa.

  • Por carro estranho e pequeno sou mais o Gurgel Supermini ou BR 800. Tive um BR 800, fazia 22 km/l na estrada, ninguém queria roubar (deixava aberto em qualquer lugar), muito divertido de dirigir – parecia um kart pelo entreeixos curto. Pena que brasileiro não dá valor ao santo de casa e a Gurgel acabou falindo.

  • Sem tempo para comentar.
    Ao Vicente M. e todos .Pois eu gosto do Vangard. Na realidade acho-o horrivel, com suas linhas quadradas. Mas quanto mais feio, mais eu gosto. Gosto de todos. Porque o bonito, aqueke que agrtada na generalidade, é o óbvio. É como mulher. No fundo, no fundo, sou como o Mansel: gosto de mulher feia.É. Claro que sei o que é bonito, mas uma mulher ou um carro não tão bonito, sempre tem algo para dar. Talvez eu goste deste exercicio de tentar ahar beleza escondida. Sempre tem um determinado ângulo, uma determinada curva, num a determinada posição que te agradam. Ou então as coisas que passamos juntos.
    Como se vê, carro e mulher, pra mim são iguias: trato-os com todo o carinho e respeito. Todos e todas.
    Abs

  • Eu acho o Fiat Stilo mais feio, lembra uma variant daquelas antigas. O Twingo eu e um amigo meu que tinha loja de som automotivo chamavamos de sapinho, quando entrava na loja a gente dizia, olha o sapinho aí.

    o interior parecia que tinha sido fabricado pela Lego ou Estrela, parecia de brinquedo.

    Ah! já ia esquecendo, a gasolina nesta época custava R$ 0,55 e o barril de petroleo U$10,00.

    Bons tempos que com 20 reais eu ia uma semana pra faculdade e sobrava gasolina.

  • FG,
    Vamos iniciar uma campanha para que a Renault volte a importá-los.
    O carro é excelente e, até o momento, continua o menor por fora, com o maior espaço interno.
    Como dizem os franceses Gènial!

  • Roberto Brandão:

    Concordo com a assertiva de que gosto não se discute, lamenta-se. Tem outra que pode fazer par com essa citação é aquela manjadíssima de quem ama o feio bonito lhe parece. Já imaginou se todos ficassem babando pela Ana Hickman ou pela Juliana Paes, o que seria das feias? E nesse ponto, apesar de tudo ser relativo, da física einsteiniana à beleza exterior, prefiro lembrar da frase de Vinicius ao se referir á beleza as mulheres.. “As feias que me desculpem mas beleza é fundamental”.

    Essa frase se aplica a tudo, da beleza das mulheres às formas das carrocerias dos veículos. Mas não vamos discutir por causa disso, se você gosta desse carro, que bom, a Renault não errou tanto assim. Apenas eu me reservo o direito de achá-lo … esteticamente desagradável …. na mesma linha do Kangoo, Berlingo e outras jóias da indústria francesa, que já nos presenteou com carros como o Citroen Ami e Dyane.

  • As vezes fico pensando o que passa na cabeça de uma Renault por não fazer propaganda de um carro desses no Brasil… ia vender que nem agua… O meu tem airbag duplo, cd com comando no volante, ar condicionado, tudo eletrico, farol com regulagem de altura… além do espaço interno e da versatilidade tão copiada pelos concorrentes… E pra piorar, quando eu comprei era mais barato que um Celta pelado… Vei entender…

    Abraços a todos que conhecem e gostam desse magnifico carro que foi lançada haa 13 anos e ainda é mais moderno que muitos carros tidos como novos…

  • ADORO ESTE CARRO!
    O mais inteligente que já tive. Ainda tenho, minha filha está usando.
    Em casa, é uma verdadeira briga para pegar o carrinho! E olha que tem carro para todos!
    Prático, inteligente e econômico.
    Quando tiver mais grana, mando reformar todo o meu.
    Não vendo, não dou, não empresto.
    Vicente Miranda : Gosto não se discute; quando muito, lamenta-se.

  • Já começo a duvidar da sanidade mental do escriba doistempista e de alguns blogueiros. FG dosta de DKW, Lada, Kombi e agora … Twingo. Jason baba por um Chevy 51 e Ford Prefect. Só falta aparecer alguém que adore Standard Vanguard e/ou TatraPlan.

  • Sempre gostei desse carro, apesar da maioria detestar. Gosto de carros com desenhos ousados, diferentes, e por isso que aqui em casa estamos no terceiro Ka (1.6, delícia de andar e ótimo de curvas, quem tem sabe disso); gosto muito do Clio também apesar de muita gente detestar. Gosto desses carros citadinos,

  • pOutz!!! Agora vc me descpecionou!!! Não acredito que você goste desta azeitona. Não sei se ele presta, por isto só posso criticar a aparência. Que é pra la de horroroso…. Mas ai fica a pergunta. FG: Qual a vantagem de se comprar uma “bulita” destas???

  • nosso amigo FG deve estar montado na grana … deve ser a 10º vez que em seus post’s ele escreve ” se venderem eu compro !” . Se bem que como ele nunca compra , pode ser que a grana seja 1 só , os desejos é que são muitos …

  • Vendi o meu em julho desse ano. Lindo, preto, com várias coisas que os outros chamam de noviaddes. Banco que vira cama, banco traseiro deslizante e principalmente a porta que quando aberta, não leva o espelho retrovisor…

  • Também gostava do Twingo. Um vizinho comprou um roxo na época e eu fiquei doido com o carro. Pequeno por fora e enorme por dentro, e com ar condicionado!!!

    Também sempre gostei dos carros estranhos. em 97 comprei um Ka 1.3. Tirando o tamanho, foi um dos melhores carros que já tive. Pelo menos o motorista ele tratava muito bem, e como era solteiro na época, era isso que importava, mas ele foi embora num atropelamento a um macaco de caminhão (?!) que estava jogado na estrada.. :(

    Também gostava do Atos e de todos os carros diferentes que aparecem hoje..

    E não posso deixar de comentar o valor do ônibus… 0,80 centavos… que piada.. hehehe

  • Detalhe: “Onde vou arrumar dinheiro para uma Mercedes, que não seja o ônibus que pego de vez em quando e custa oitenta centavos?”..ônibus por 80 centavos!!!!!!…ôôô tempo bom…2,30 é uma mixaria…

  • Minha mulher tirou um Twingo 94 Okm, roxo, completo, com ar condicionado.
    Na época tinha um motor 1.2, bem valente.
    Nunca nos deixou na mão, foi trocado apenas em 2000.
    Eu gostava dele porque tinha um bom espaço interno. Em conforto ainda dá de 10 a zero na concorrencia.

  • Beleza hein seu FG, trazendo muamba ! pagou imposto ? eu trouxe um par de faróis auxiliares para o Civic da ex- (acho que foi aí que começou a minha antipatia por carro japonês) , mas os caras da Infraaero abriram a mala e roubaram. Fiz um escarcéu mas não adiantou muito. Depois disso, nunca mais . So compro no freexopis.

  • Sempre gostei desses carros que fogem do comum, que são diferentes do resto. Carros que fogem dos padrões, ainda que seja só pela cor diferente.
    Mas aqui no Brasil esses carros são rejeitados porque não têm tanto valor na hora da revenda. E com isso vamos vivendo a ditadura dos Gol, Palio, Celta e etc, todos prata ou preto.
    Eu, então, fico com meu Ka. Podem falar o que quiser desse carro, mas que ele nunca me deixou na mão e é uma maravilha para pegar uma estrada cheia de curvas, isso é. Quem já dirigiu um sabe do que estou falando.