QUEM DÁ MAIS?

SÃO PAULO (mais estrada, de Lada) – A GM, que se encontra em situação financeira pavorosa, colocou a SAAB para vender. Não apareceu comprador. A Ford também está tentando se livrar da Volvo. Não consegue. O link com a notícia foi enviado pelo blogueiro Rodrigo Romy Zeta.

O presidente da Fiat, acho que foi ele, disse outro dia que em alguns anos serão seis as montadoras sobreviventes no mundo. Elas serão donas de todas as outras, enormes grupos, incontroláveis. Isso já acontece, mais ou menos. Veja este gráfico aqui. Só que agora as grandonas estão tentando se desfazer daquilo que compraram vorazmente nos últimos anos…

E eu me pergunto: por que foram comprando tanto assim? E por que as “pequenas”, como SAAB e Volvo, se venderam por qualquer mil réis? Todas (Jaguar, Lamborghini, Mini, Nissan, Maserati, Mazda, Lancia…) sempre fizeram ótimos produtos, sempre tiveram mercado. Em nichos limitados, às vezes, mas produziam, vendiam, viviam felizes.

O problema do mundo é que todo mundo quer ser enorme. Aí não aguenta carregar o peso, desaba e não levanta mais.

Ainda bem que meu SAAB, parecido com um desses aí, eu já garanti.

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Muller
Muller
13 anos atrás

As montadoras AMERICANAS (muito diferente da situção das européias) estavam indo pro ralo há muito tempo. Essa crise está servindo como desculpa para elas se empanturrarem de dinheiro do governo americano, demitirem, enxugarem o ambiente corporativo de forma drástica sem causar muito protesto ou furor.
O estreanho é que ninguém precebe isso.

Sou fã é da Königsegg, que continua firme e forte produzindo carrinhos supervelozes quase artesanalmente. Melhor ser um pequeno notável a um gigante inerte.

Eric
Eric
13 anos atrás

E a Mitsubishi não é dona de ninguém e ninguém manda aqui.

Antonio José
Antonio José
13 anos atrás

O sistema Capitalista exige crescimento constante.
Quem pára de crescer, quebra. Bem feito.

Marcelim
Marcelim
13 anos atrás

Quando uma fábrica menor é comprada por outra maior, diminuem-se os custos de produção, engenharia e logística, já que normalmente as mega-corporações já estão presentes em praticamente todo o mundo e contam com um fantástico sistema de distribuição.

Para as grandes empresas, adquirir uma marca menor, porém mais prestigiosa visa preencher um nicho mais luxuoso que as suas marcas não atingem, com a vantagem de se poder compartilhar plataformas, motores, etc. Ou seja, vão vender produtos de maior valor agregado usando o mesmo maquinário e os mesmos fornecedores dos veículos mais “vulgares’.

Mas como todo mundo deve se lembrar do caso autolatina, nem sempre isso dá bons resultados. A Volvo passou a ser equipada com motores de Fordecos, a Saab com os ordinários motores dos Vectras e Astras da vida e por aí vai.

Do ponto de vista industrial e empresarial pode parecer uma maravilha, mas no aspecto comercial a tática se revelou um desastre, fazendo com que essas marcas perdessem seu prestígio como premium cars.

De negócio lucrativo, essas marcas tornaram-se micos dispendiosos e o resultado é esse: as grandonas estão tentando se desfazer das marcas prêmium como os ricos se desfazem de suas jóias em caso de aperto.

Citaram a BMW, dona da Mini e da Rolls Royce, mas assim como a Audi/Lamborghini, a situação é diferente: ambas já são marcas premium e produzem motores de primeira linha, que não representam um aspecto negativo nas marcas adquiridas.

Um Rolls Royce usar motor BMW não é demérito, já um Volvo usar motor Ford…

Rodolfo Machado
Rodolfo Machado
13 anos atrás

Como disse o Fabio Mantovani acima, meia dúzia de famílias vão controlar o mundo, ai eu pergunto, qual a diferença para o comunismo, se você tem só o estado como patrão ou meia dúzia de mega corporações, quem esta destruindo o lado bom do capitalismo são os próprios capitalistas e os CEOS idiotas, destruindo a pequena e media empresa que é o que oxigena a economia e é o celeiro de novos talentos, de onde vem o empreendedorismo, isso em nome da tal “economia de escala” que sufoca o mundo com mega-fusões. Um exemplo claro disso é a Microsoft, começou como uma empresa pequena e inovadora, criou o “DOS” a pedido da IBM, o que alavancou enormemente a venda dos primeiro PC’s, depois o Win 95, que mesmo dando a famosa tela azul da morte criou um padrão de interface gráfica que é referencia até hoje, depois aproveitou os louros do sucesso, estabeleceu o maior monopólio que se tem noticia na história, a ponto das pessoas pensarem que o Windows é algo “intrínseco” ao computador, acham que o Win é “fabricado” junto com o micro, quem já ouviu falar de “Linux”, “OS-2”, “Unix”, “Mac-os”, “Solaris” etc, hoje ela senta como um elefante em cima do mercado, sufocando tudo, não inova mais nada, pelo contrario, cria padrões tipo “dot net” para assegurar o seu monopólio e maquia como inovação tecnológica, e sai comprando o máximo de empresa possível, especialmente aquelas que tem um potencial inovador que possa ameaçar seu monopólio, para depois engavetar os projetos da empresa que comprou. No futuro teremos um híbrido comunismo-corporativo de mega empresas que serão nossos patrões

AndersonTS
AndersonTS
13 anos atrás

Uma coisa nesse gráfico que vi foi a Subaru não ser mais ligada a GM mas agora a Toyota. Isso deve explicar a saída dela do WRC. Prefiriram torrar o filme da Subaru no WRC do que o dela na saída da F1.
Uma coisa eu sei, os carros da Subaru nas mãos da GM eram horríveis.

Milton
Milton
13 anos atrás

Que Deus ouça o Mateus Datix…senão vou ter que começar a pensar para qual ponte eu vou…rsrsrs

Rafael
13 anos atrás

Flávio, não se trata de querer ser maior. O caso aqui é dar mais cada vez mais lucros aos acionistas, sempre eles, as divindades desse ciclo de capitalismo liberal selvagem, que felizmente parece estar acabando, mas que infelizmente deixará cicatrizes profundas em todos nós. Veja só – a empresa A compra a B, passa a usar seus motores, e cede suas caixas de câmbio. Temos, então, a tal sinergia que os CEOs adoram anunciar. Em outras palavras – A e B seguem produzindo a mesma quantidade de carros, mas precisam de menos gente pra isso. Ou seja, demitem. E aí é que está o problema. Pois os empregados são, também, os consumidores dos carros que A e B produzem. Thomas Palley, economista norte-americano, demonstrou recentemente em seminário em Curitiba que as remunerações – salários, aposentadorias e pensões dos trabalhadores – deixaram de crescer no mesmo ritmo da produtividade econômica após 1980. De lá pra cá, as remunerações estagnaram, mas a produtividade cresceu quase três vezes. Ou seja – o assalariado não tem mais a mesma capacidade de consumo de anos atrás. Assim, pra consumir, precisa de crédito. E dá-lhe oferta de crédito cheio, sem os cuidados devidos. Daí vem o subprime. E daí…

marcello baviera
marcello baviera
13 anos atrás

Gomes,tem uma reportagem que,com certeza,vai lhe interessar:na cidade de TUPÃ-SP, aprefeitura resolveu destruir a calçada histórica onde ficava uma revenda DKW,inclusive ainda tem a inscrição “DKW-VEMAG” e os participantes da comunidade do orkut CARROS ANTIGOS estão denunciando e protestando!

victor freire
victor freire
13 anos atrás

saab = svenska aeroplan aktiebolaget = aviões suecos s/a.

Alex Martins
13 anos atrás

Esta crise vai reescrever a maneira de pensarmos os negócios.
10 anos atrás a coqueluche era falar que empresa fulana se fundiu com a beltrana. Montadoras compraram outras para tomarem mercado se aproveitando da estrutura adiquirida. e se aproveitar da mesma linha de produção para fazer carros de duas marcas diferentes. Mas o que se viu foi a Ford desfigurar a Jaguar (até Station Wagon fizeram!), a Land Rover ser vendida e comprada a toda hora, a Daimler afundar a Crysler e voltar correndo para a Alemanha. Isso mostra que os governos nacionais devem fiscalizar de perto as aquisições de empresas não só pelo aspecto da proteção contra o monopólio mas também para evitar o risco da concentração excessiva de empregados e fornecedores sob as ordens de um mesmo grupo.

Di Moreno
13 anos atrás

a compra é uma questão econômica. um grande grupo tem muito mais condições de tocar um projeto de um novo carro que uma empresa pequena. veja o exemplo da Lamborghinni que agora com a parceria da Audi está fazendo os melhores carros de sua história, que além de rápidos e belos são duráveis e bem construídos.

o Grupo VW apresenta estabilidade, o problema é a administração ruim das marcas Americanas. A compra de fábricas menores pelas maiores é algo positivo para as duas.

Marcio Floripa
Marcio Floripa
13 anos atrás

FG,

Acredito que quem esteja certo, além é claro do exemplo mais forte que é a porsche, são as tambem alemãs BMW e Mercedes, muito menores em comparação com a VW por exemplo, mas que adquiriram outras marcas somente com estudo (é o caso da bmw que comprou a mini e é um sucesso, e da rolls que bate recordes de vendas, e a mercedes até se juntou com a quebrada chrysler, mas se separou antes dessa quebradeira e mantém-se sozinha).
As “gigantes” americanas, só sobreviverão se o governo ajudá-las pra sempre. voce não acha ?

Luiz
13 anos atrás

A porsche não se vendeu… aliás comprou a VW…

Diziam que iamos trabalhar menos, ia faltar emprego. Na minha área há uma carência de 120 mil profissionais só no Brasil. A crise veio aliviar o sufoco um pouco.

Veja o mercado de TI. Há 30 anos existia uma empresa só (IBM). Agora são no mínimo 10 concorrendo o mercado.

Aliás vejam o filme Wall-e, belo filme de animação. Faz uma crítica duríssima a essas grandes corporações.

[]’s

Rodrigo Duarte
Rodrigo Duarte
13 anos atrás

Concordo Flavio, todos querem ser grandes, muito grandes. E não dão conta de carregar o seu próprio tamanho, simplesmente ou não tem estrutura ou não tem mercado sei lá. O fato é que às vezes a simplicidade parece o melhor caminho, mas vai convencer os caras disso!

rubem rodriguez gonzalez
rubem rodriguez gonzalez
13 anos atrás

Flávio, no final de semana vi na discovery ou no history channel sei lá, sei que foi um deles, que a GM através de algum CEO “iluminado” mantinha um departamento de designers especializados em….. como serão os carros daqui a 30 anos….. É assim que o dinheiro vai para o ralo, não se tem mais peida nenhuma para se jogar dinheiro fora e a montadora cria um departamento de parasitas para elocubrar como os carros NUNCA SERÃO DAQUI A 30 ANOS!!! ( alguém aqui já viu os “carros” do futuro de algumas décadas atrás?, nunca deram uma no prego!!!) Chega a ser hilário ver um bando de babaquinhas presunçosos enumerando o sem número de merdas que as suas bostas automotivas terão daqui a três décadas, O programa é o maior barato, podes crer!!! tudo cheira a fraude e farsa, seria hilário se não fosse trágico, é o supra sumo do não ter o que fazer, um bando de yuppies tentando vender lotes na lua e dar credibilidade naquilo que nem eles acredita, um belo jogo de farsa com a farra do dinheiro fácil, parece que essa época está acabando, vai ser legal ver um monte de profissional incompetente voltando para aonde nunca deveria ter saído, que é o balcão de desempregados, pena que não tem mais boca para vendedor de enciclopédia barsa, vão acabar virando camelôs de produtos chineses….

fabio
fabio
13 anos atrás

Porque não oferecem estas porcarias de Fábricas para o Nick Fry, talvez ele consiga vender rapidinho, como fez com a equipe Honda, ou talvez ele mesmo as comprem. O cara é o Nick Fry ( O Grande Vendedor).

MSM
MSM
13 anos atrás

E o pior é que essa mania de poder está em todos os setores da economia mundial.
Podem me dizer o que significa a sigla SAAB? E a pronúncia tb?

Arnaldo
Arnaldo
13 anos atrás

hmmm
eh meio complicado de entender essa arvore ai…
mas aki…se a GM for pro saco, a Lada tb vai?! ^o)

Mateus Daitx
13 anos atrás

A grande questão agora é a seguinte: caso as montadoras estadunidenses não se recuperem mesmo com a ajuda do governo, provavelmente veremos o desmembramento das unidades em todo o mundo, a fim de salvar as que estão dando lucro (como na América do Sul, por exemplo). Se não me engano, boa parte disso já foi feito, e já é pouco provavel que no caso de falência da GM gringa a brasileira vá por água abaixo também.

Rodrigo Romão
13 anos atrás

Romy Zeta hahaha

O pior é que a Saab fazia carros MUITO bonitos. Eu acho a 9=5 Wagon, por exemplo, uma das wagons mais bonitas já feitas… Muito melhor que aquelas tranqueiras da GM.

MarcioVS
MarcioVS
13 anos atrás

Isso aí deve ser imposição do governo estadunidense para liberação de crédito.
Salvem os proletários com Social Security. O resto que se dane, seja sueco, japoronga ou marciano.

Do jeito que as coisas caminham, vou abrir uma fabriqueta de bicicletas.

Eric
Eric
13 anos atrás

Hahhahahahahahahahaahaaa…….quero que a Ferrari quebre logo…..so para a Porsche comprar…..como ja fez com a Lambo e outra pequena…..uma tal de VW…….

Alias FG,o seu Saab…..da ate vontade de ir ao Uruguai passear….

Léo Engelmann
13 anos atrás

Por isso que, quando um cai, leva todo mundo junto.

As grandalhonas detem as menores, e em alguns casos, uma menor é mantida indiretamente por duas grandalhonas.

Flávio Silva
Flávio Silva
13 anos atrás

Saab também, Flávio quantos carros afinal tu tens “em casa”? Uma sugestão: Você pode colocar aos poucos no site as fotos de suas máquinas. Até agora só conheci o “Old Audi” e o “Fiat Russo”.
Um abraço Flávio.

Fabio Mantovani
Fabio Mantovani
13 anos atrás

Esse fenômeno da concentração já é objeto de estudo.
Lí, não lembro mais aonde, que daqui a alguns anos, meiaduzia (é assim?) de famílias controlarão todas as empresas do mundo.

Teoria da conspiração?

vitão
vitão
13 anos atrás

eles vão fazer um concurso seguindo os princípios do FG, o primeiro colocado leva uma lanterna, o segundo o carro, e o terceiro a fábrica toda…..

Rodrigo R. M. Junior
Rodrigo R. M. Junior
13 anos atrás

Eu não sei porque, mas acho que neste caso aí, quem der menos leva…

do jeito que estão as coisas, sem trocadilhos… quem der ta fudi**

vitão
vitão
13 anos atrás

É , porque a turmiha de Turim e de Maranello vai acabar fabricando biga logo logo….