MENU

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009 - 15:21F-1

ERRO MEU

SÃO PAULO (errou, conserta) - Cometi uma injustiça com Bruno Senna no post abaixo ao afirmar que ele mentiu ao Grande Prêmio na semana passada. Retiro tudo que disse, porque receio que parti de um princípio equivocado. Para afirmar que ele mentiu ao meu repórter, eu teria de acreditar piamente no que escreveu a “Autosprint”. E Bruno nega que tenha dito à revista italiana que já tem um contrato assinado com a ex-Honda. Argumenta que suas palavras foram mal interpretadas.

O primeiro-sobrinho falou agora há pouco com outro jornalista do site, Victor Martins. Negou que tenha assinado contrato com a ex-Honda e que tenha dito à revista que assinou. Não tenho motivo algum para duvidar dele. Nem da revista, por supuesto, mas como não falamos com o autor da matéria da “Autosprint”, e falamos com Bruno, ficamos com a palavra dele, que deve saber mais de sua própria vida que qualquer jornalista.

Pode ser que Senna esteja indo à Inglaterra exatamente para assinar o contrato (ele também nega), e é bem possível que o faça nos próximos dias, assim que clarear a situação da equipe. E se assinar, não significará também que eu estava certo em chamá-lo de mentiroso, nem que a revista acertou ao antecipar algo que, segundo o piloto, ainda não aconteceu.

Assim, peço desculpas a Bruno Senna e a sua assessoria. Não tenho problema algum, nenhum drama de consciência, em me desculpar com quem sou injusto. Precipitei-me, e creio ser o mais correto aceitar o erro.

70 comentários

  1. Roberto disse:

    Flavio, quando achei que você ia ficar no Q1 por ter ido passear na brita. Você rapidamente assumiu novamente o controle e voltou para pista.
    Parabéns ao piloto jornalista.
    Moral da história:
    Nas derrapadas das pistas e da vida, o importante é ter braço e cabeça.
    Com sua atitude, você demonstrou que tem os dois.
    Um grande abraço.
    Roberto, o amigo das terras altas.
    PS: Você foi rápido dessa vez, hein?

  2. josé disse:

    Parece que o sobrinho é parecido com o tio,não na pilotagem,essa fica a desejar ,mas no marketing é igual ou melhor.

  3. Fernando disse:

    Oi Guilas, agora entendi a sua bronca, e neste sentido concordo plenamente com voce em ficar indignado quando a “coisa” descamba para o nivel do ataque e achincalhe pessoal ( como já havia observado no post anterior sobre o tratamento jocoso que muitas vezes foi dado ao Rubinho e à iniciativa pioneira dos irmãos Fittipaldi na formula 1) . Comportamento digno dos fracos e invejosos que do alto da própria incopetência em realizar algo usam a lingua ferina para depreciarem aquilo que no fundo bem gostariam de ser e fazer. Como diz o velho ditado ” Quem desdem é porque quer comprar”.

    Um grande abraço e saudações a este povo hospitaleiro de Santa catarina.

  4. Guilas disse:

    Réplica ao Fernando.

    Inicialmente, dispenso o tratamento de “senhor Guilas”. Apesar de respeitoso, contrasta com a informalidade, o ambiente amistoso costumeiramente reinante no blog e a minha pouca idade (27 anos). Assim, podes me chamar de Guilas ou Guilherme.

    Não me referi diretamente a ninguém quando perguntei sobre os detradores do post anterior. Sou péssimo em guardar nomes, leio as opiniões e não costumo me lembrar quem as proferiu.

    De todo modo, como respondeste à minha pergunta, sinto-me na obrigação de replicar.

    É verdade que muitas das coisas ditas no “calor dos fatos” deve ser ponderada. O FG errou e assumiu. Sinceramente, não esperava outro comportamento dele, porque apesar de não concordar com mais da metade de suas opiniões, sei que se trata de um profissional de índole irretocável.

    A minha bronca é com o preconceito sofrido pelo Bruno Senna por ser sobrinho de quem é. É muita ignorância alguém dizer que “se ele chegar, vai chegar porque é sobrinho do Ayrton”. E tem um monte de blogueiro que escreve esse tipo de coisa por aqui.

    Sinceramente, quem fala isso não conhece patavinas de automobilismo e negócios (que, embora convirjam em alguns pontos, são diametralmente semelhantes). Se nome e dinheiro, por si só, implicassem êxito na F1, ainda teríamos Cristian Fittipaldi e cogêneres nas pistas da categoria máxima do automobilismo.

    O Bruno Senna ainda não conquistou nada, é verdade. Mas, isso não o impediu de, apesar do pouquíssimo tempo de automobilismo, estar às portas da F1, ser vice-campeão da GP2 ano passado e colocar tempo no Di Grassi durante os testes na Honda (por favor, sem teorias conspiratórias).

    Entende? Minha indignação é dirigida àqueles que, de antemão, estão a secar a carreira de um moleque que anda bem independente de ter o sobrenome Senna, coisa que, você há de concordar comigo, foge ao “calor dos fatos”.

    Abração, Guilas (Floripa).

  5. ALEX B. disse:

    Apesar da excessiva badalação em torno do NOME deste rapaz, que ainda “tem muito feijão pra comer” antes de pilotar para justificar esta atenção toda a seu NOME, Flavinho, como se diz aqui no sul, “Tu és novo guri, ainda te recuperas!” e toca o baile… O importante é admitir e pedir desculpas pela precipitação, o resto…

  6. Marcelo de Castro disse:

    É por isso que a cada dia que passa te admiro mais cara. Parabéns pelo, sempre, excelente trabalho.

    Marcelo – Curitiba

  7. Dyego disse:

    É sempre bom, antes de sair escrevendo “coisas”, apurar como se deram os fatos.. Pq para chamar alguem de “mentiroso”, tem que ter total conviccao daquilo que está falando..
    Como vc mesmo falou (pode ser ate que vc esteja certo), mas nao acredito que Bruno teria motivos pra mentir, ate pq a situacao da Honda nao parece ser clara, e nao seria mto provavel surgir um contrato de algo q nao parece claro.. mas enfim, isso em nossos olhos, pois pode ser ate que ja exista um contrato. De qqr forma, é bom ter mais cuidado antes de escrever determinadas coisas..

  8. +rafael+ disse:

    Cadê os piquetistas fanfarrões cheios de pose?

    Deixem o garoto trabalhar! Ele é competente!

  9. Rodrigo Duarte disse:

    Eu me divirto com as tiradas do FG em relação ao “maior mala da história desse blog”, segundo suas próprias palavras. Com tantos malas por aqui, sem dúvida é necessário muita competência para tal façanha.

  10. Fernando disse:

    Respondendo ao Sr. Guilas:

    O missivista deste blog, com muita coragem, força de caráter e humildade se retratou com relação ao tumultuado episódio envolvendo o piloto Bruno Sena.
    Muitos de nós que acompanha este blog, e que no calor do momento nos solidarizamos com o Sr. Flávio, de algum modo encampamos a bronca.
    Eu particularmente ( que talves até seja um dos DETRATORES citado por V.SA.) , até procurei achar uma razão pelo “atitude e comportamento” até então apregoada ao Sr. Bruno Sena. Particularmente não acho que atentei contra a moral do mesmo, “porem” continuo acreditando, que muitas vezes as atitudes de alguns pilotos com a “imprensa especializada” realmente decorrem dos fatos que ali escrevi.
    Sr Guilas, o senhor muito bem sabe que errar é humano e perdoável (desde que não envolva a vida de terceiros), e que atitudes inflamadas de momento é uma das caracteristicas não muito recomendável do comportamento humano ( vide as torcidas de futebol, as discussões políticas e relgiosas), que devem na medida do possível serem evitadas. Mas Sr. Guilas a intransigência, a caça feroz as bruxas é um comportamento insensível que deve ser evitado, sob o risco de a qualquer momento o “mesmo” se voltar contra nós.
    Deixemos em PAZ aqueles que se deixaram levar pelo calor do momento, pois acredito que o fizeram em solidariedade ao missivista deste Blog, e tal como o Sr. Flavio, neste momento reconheceram o lapso em que incorreram.

    Um grande abraço.

  11. CorredorX disse:

    Alguém já recebeu uma mensagem como essa? “Você está publicando comentários rápido demais. Mais devagar.” Mais devagar equivale a quantos minutos?

  12. CorredorX disse:

    Tá bom, tá bom… mas na próxima serão 80 chibatadas em praça pública e sem direito a gemer.

  13. ricardo disse:

    É como na velha parábola do travesseiro de penas, relembrada amiúde nas faculdades de jornalismo. Para quem nunca a ouviu, é assim: a calúnia, a difamação e a injúria são como um travesseiro de penas que você rasga no alto de uma torre e espalha ao vento. Se você se arrepende e tenta recolher o que espalhou, ainda que leve muitos anos, jamais conseguirá reunir tudo. Ou seja, mesmo que você admita o erro, peça desculpas, jamais vai atingir a todos os que leram a acusação original.

  14. Roberto Borges disse:

    Boa!

    É por isso que gosto do seu trabalho, do seu blog e sua pessoa, caráter!

    Abraço

  15. Márcio Pecego Heide disse:

    Caro Sr. Flávio Gomes,

    Por sorte, clientes não me faltam… pq tem sempre alguém que difama ou injuria alguém chamando-o de mentiroso gratuitamente.

    E então, já arrumaram algum crime para o garoto do “fusca amarelo”?

    Pois é, mesmo que ele tivess matado alguém, não iria para a cadeia! É, a impunidade é dura!

    Sabe, deveriam fazer uma lei proibindo a burrice, assim o problema do mundo estaria resolvido, o Sr. não acha???

    Fraternas saudações.

    OBS: apesar do Sr. gostar de espinafrar todo mundo, inclusive a mim, continuo seu fã!

  16. MARCELO BATISTA FRUTUOSO disse:

    Cara você está muito acelerado, paciência que a temporada de automobilismo logo começa para nós fâs, para os jornalistas, comentaristas e pilotos como você!! Parabéns, mas não esperava nada diferente do FG.

    Um abraço.

  17. JBCarneiro disse:

    Lí seu post “Começou Mal” e também acusei o Bruno Senna, sem analisar devidamente o fato. Depois lí os desmentidos e esclarecimentos no Grande Premio e ví que havia cometido um engano.
    Tudo relacionado à Honda, na F1, hoje em dia tem que ser analisado com cuidado pois algo dito de manhã, poucas horas depois é desdito, ou negado veementemente. Acho que o melhor é esperar até que surjam mais noticias.
    É semelhante à política onde nega-se categóricamente um fato, durante meses, e no final é o que se negava que acaba se concretizando.
    Os negócios e transações na F1 envolvem quantias milionárias, interesses comercias e mercadológicos de grande porte. Grandes corporações. E, talvez, por isso tem que ser realizados no maior segredo possível, justamente para que se concretizem. Ou se não se concretizarem nada foi dito ou prometido. E assim grandes interesses corporativos, ou sei lá o que, são preservados.
    Pode ser isso…

  18. Guilas disse:

    Ué, onde estão os detratores do post anterior?

  19. Souza disse:

    Depois reclamam que pilotos sao arrogantes e que so falam por assessoria de imprensa. pois os pilotos estao certissimos.
    tem muito jornalista publicando besteira por ai.
    nao acredito em nada que leio. na maioria das vezes o fulano ouviu dizer e publica como certeza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>