MENU

segunda-feira, 26 de outubro de 2009 - 7:21Autódromos

TRISTE FIM

SÃO PAULO (até que a morte…) – Enquanto Nuzman não ergue seu Centro Olímpico Megaultraplus no terreno de Jacarepaguá, tem gente fazendo o que não deve no que restou do circuito. Recebi de um blogueiro este endereço aqui. É um fórum de um pessoal que gosta de F-1 e que denuncia o mau uso das ruínas cariocas. Parece que por míseros “dez merréis” tem gente colocando seu Gol bolinha ou seu Monza velho no asfalto para um passeio. Só que não tem passeio algum, a turma senta a bota sem o menor preparo e, evidente, sem a menor segurança. Aí acontece o que aconteceu com o tonto aí da foto.

Como Jacarepaguá não tem mais dono, ninguém liga. Mas a Prefeitura do Rio é, sim, responsável por tudo que acontece lá dentro. E as autoridades policiais deveriam fiscalizar esses eventos, assim como a federação local, que ainda deve ter alguma responsabilidade por aquilo que acontece com coisas que andam no autódromo, imagino eu.

É claro que este post vai cair no vazio e ninguém vai fazer picas. Até que um beócio qualquer desses bata com as dez.

jaca

327 comentários

  1. MELO disse:

    Moro próximo ao autódromo de jacarepagua aqui no RIO DE JANEIRO, deram uma melhorada no mesmo mais em minha opnião foi apenas na parte interna, taparam o sol com a peneira, enfeitaram o palhaço, mas o autodromo em si esta as ruínas não tão nem ai para quem esta pagando ingresso, não tem banheiro decente, tomada para carregar um celular, as arquinbancadas (estive reparando hoje) estão lteralmente se soltando cheia de ferrugens, instalação eletrica nem existe mais, nem bebedouro,s nem uma torneira para lavar as mãos, e uma outra coisa que fiquei bem indignado hoje na formula truck foi o fato da organização ter separado uma arquibancada e meia para a torcida organizada (aquele pessoal de amarelo) que ficam batucando e fazendo zorra e creio eu ainda sao pagos pra isso, tomando os assentos das pessoas que pagam ingresso e ainda como eu são ressarchados por seguranças truculentos e mau treinados para estar no meio do publico , vejam vcs cheio de lugares no meio da tal torcida organizada e eu com meu irmão e duas crianças não podiamos sentar pq os seguranças estavam limitando a passagem para esta arquibancada, e o tal carinha ainda teve a ousadia de me mandar procurar outro lugar, sabendo ele que tava tudo superlotado, aff! bolei com ele.
    E eu gostaria que se alguém souber como de alguma forma impedirmos a destruição do autodromo me orientem nisso pois me encontro revoltado com essa ideia idiota e absurda.
    DESABAFEI.
    VALEU!

  2. Anderson Trindade disse:

    Todos estão passivos de erros então ao inveis de criticarmos devemos ser mais humanos com os nossos próximos hoje foi eles amanhã pode ser um de nois, então devemos refletir e ao inveis de crusificarmos devemos saber como todos estão.

  3. Karl disse:

    Para o povão, Panis Et Circenses, eles adorram … até eu gosto … huahuahua

  4. Rafhael Silveira disse:

    Flávio, aqui no paraná também existem alguns eventos similares a este , passeios na pista promovidos por organizações que promovem eventos. Se é passeio na pista (e não bateria de track day), deve-se ter consciencia que existe um numero elevado de carros na pista e não é a hora de andar rápido ou fazer qualquer outra coisa que coloque em risco a integridade de outras pessoas, ainda mais quando é pressuposto andar a 30km/h e não existem equipamentos de segurança. O que faltou aí foi falta de BOM SENSO por parte dos que acham que é simplesmente entrar na pista e martelar os pedais.

  5. Flavio, eventos deste tipo (Track Days) também acontecem em interlagos (no final de novembro ou dezembro, não sei ao certo, vai ter um), no qual é feita uma triagem prévia de carros e “pilotos”, com o auxílio de um instrutor.

    Se o sujeito em questão do Gol abusou de seus próprios limites, em parte isso é problema dele. É fato que, numa capotagem daquela um carro devidamente equipado com santantônio não dobraria o teto daquela forma, você tem razão.

    Agora, se pararmos pra pensar, ele não teria sido tão mais imprudente que aquele rapaz que atravessou o S do Senna com o Passat naquela etapa da SuperClassic.

    Lembro que o Nelson Piquet, no tempo da LIA e de posse “das chaves” do autódromo de Brasília, abria os portões pro pessoal acelerar lá em vez de correr na rua. Acho legal a iniciativa. Acho que Emerson, os Diniz, e o pessoal mais “antigo”, começou assim. Nem todo mundo tem dinheiro, de cara, pra fazer escola, tirar carteira de piloto, e alugar um carro pra andar. Fora que, num caso desses, o risco vai ser maior ainda porque nesses casos sim, o pessoal está lá pra acelerar com gosto.

    Tenho amigos que participam com frequências de track-days seja em Jacarepaguá ou em Interlagos, que saem de lá ilesos.

Deixe uma resposta para MELO Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>