MENU

sexta-feira, 16 de março de 2012 - 14:56Indy, IRL, ChampCar...

MEU PÉ DIREITO

SÃO PAULO (chuta que é macumba) – Tem um negócio em corrida que nem todo mundo sabe. Na maioria dos carros hoje, mesmo nos de Turismo, o pedal de embreagem foi praticamente extinto com a adoção de câmbios de engate eletrônico que usam borboletas atrás do volante ou alavancas para troca sequencial. Isso fez com que muitos pilotos passassem a frear com o pé esquerdo, como faziam no kart.

Na F-1 é famosa a história dos problemas de adaptação de Barrichello ainda na Jordan, lá em meados dos anos 90. Ele teve enormes dificuldades para passar a frear com o pé esquerdo e continuou, durante muito tempo, brecando com o direito. Nisso, seu companheiro Irvine acabou se impondo ao brasileiro em muitos treinos e corrida.

Depois o brasileiro foi-se adaptando, a ponto de se tornar, digamos ambidestro em questões de frenagem. Mas sempre com carros que permitissem o uso do pé direito para frear, o que fazia com que eles tivessem algumas mudanças nas posições de pedal em relação aos carros de seus companheiros de equipe que usavam exclusivamente a canhota para o breque. Rubens sempre preferiu frear em linha reta, não tão dentro da curva, e para isso o pé direito bastava. Na medida em que os freios foram ganhando mais e mais eficiência e fazer a curva brecando passou a ser algo comum, ele passou a usar o esquerdo também.

Faço essa longa digressão para contar que a Indy está oferecendo, em seus novos chassis, a opção de freio com o pé direito e com o pé esquerdo, sem que nenhuma mudança estrutral tenha de ser feita nos carros. É só posicionar os pedais ao gosto do freguês. Dario Franchitti, por exemplo, comemorou. Disse que nunca se habituou 100% às frenagens com o pé esquerdo. Barrichello poderá fazer uso do recurso, também, dadas suas preferências pela direita.

E para quem acha que isso é um detalhe irrelevante, sugiro que, um dia, tente frear seu carro de rua com o pé esquerdo para ver se é fácil e se se acostuma rápido. Mas não esqueça de colocar o cinto. E aproveito para perguntar aos felizes proprietários dos chatíssimos carros automáticos: vocês, que não trocam mais marchas, brecam com o pé esquerdo ou ele só serve, atualmente, para descer do carro?

145 comentários

  1. lamh disse:

    Frear carro automático com pé esquerdo é mole! Quero ver a galera do kart frear o kart com pé direito.

  2. Marcos Aldred Ramacciotti disse:

    Tinhamos um opala 74 automatico, essa era fácil usar o pé esquerdo para brecar. Mas no começo foram alguns trancos, mas depois fui pegando o jeito. Hoje em dia se eu usar o pé esquerdo para brecar não tem mais trancos, mas os carros mais novos acho mais fácil usar o pé direito. Mas no meu velho opalão depois aprender a usar o pé esquerdo eu achava incomodo brecar com o pé direito.

  3. Robert disse:

    Eu uso o pé esquerdo para frear!!!

  4. Flavio,

    Você não falou do Fred Flinstone, que costuma frear com os dois pés.

    E já que não estou fazendo nada, aproveitei para contar quantas vezes você se referiu ao tema do post. Eis o relatório:

    Frear = 5 vezes
    Frenagem = 1 vez
    Frenagens = 1 vez
    Freio = 1 vez
    Freios = 1 vez
    Freguês = 1 vez

    Nos comentários foram mais cinco menções ao verbo em questão.

    abs

    Luciano Marino
    Cuiabá, MT
    http://louconaopublicitario.blogspot.com/

  5. Hugo disse:

    No automático, o pé esquerdo serve p/ pisar o apoio do pé.
    Além disso os carros automáticos também tem modo econômico…
    Sem falar do conforto…
    Se bem que, se eu tivesse a grana, optaria por um câmbio sequencial.

  6. enko disse:

    p.ara mim que tive experiência no automobilismo e tive caro automático frear coim o pé esquerdo no dia a dia é facil, assim como trocar marchas sem embreagem, tanto ascendentes como descendentes.
    é só uma questão de costume
    normalmente quem estáo meu lado no carro e vê pela primeira vez eu fazer isso fica meio assustado, desconfiado, pensando: será que eu vi ele fazer isso?
    mas na segunda vez eu explico e até ensino, e fica tudo bem.

  7. Flavio Bragatto disse:

    Não, Gomes. Para um motorista de automático, o pé direito é tão insignificante, que se lhe for arrancado, não sofrerá em nada, o seu modo de dirigir.

    Ah, mas as montadoras já se preocuparam com isso e fizeram uma espécie de pedaleira fixa no carpete para o motorista poder se apoiar e não perder a pratica.

  8. Adriano Silva disse:

    Freei com o esquerdo, numa rua deserta, a 30 km/h, e quase bati a cara no volante.

  9. Rene Santos disse:

    Nos simuladores eu ainda me perco no começo, mas é questão de treino. No carro de verdade já testei e é bem estranho frear com o pé esquerdo, mas não achei muito ruim não, se um dia eu tiver um automático vou tentar me acostumar, acho que diminui o tempo de resposta.

  10. Eduardo Holanda disse:

    Eu sabia que na indy faziam isso então, desde a primeira semana com um carro automático já comecei tentando com o pé esquerdo e me adaptei na hora, hoje uso bastante quando estou com pressa pois freio e acelero rapidamente usando os dois pés que já estão em prontidão. É só questão de usar uns dias ou aptidão mesmo. Não sou canhoto. Um abraço a todos.

  11. Sansquer disse:

    Eu chamo meu automático de carro de Saci, pois o pé esquerdo só descansa.

  12. Rafael Chinini disse:

    JESUS!! além de apertar bem o cinto, veja se não tem ninguém atrás, pq vai bater!!!

    mesmo com carro automático (quando guiava um), usava o pé direito..o esquerdo era muerto!

  13. Andrea di Sattrini disse:

    Pe esquerdo so serve para descer do carro.

    Carro manual é um grande barato, gosto de mudar de marcha, controlar mais o estilo de direção, mas com trânsito pesado este prazer vira suplicio, o pe chegar a formigar de tanto cansaço.

    O tiptronic ajuda um pouco nesse sentido.

  14. Leo Freitas disse:

    Frear com o esquerdo demandaria muito tempo… tá loco

  15. Beraldo disse:

    Já tentei fazer isso uma vez, depois de jogar um tempo no fliperama…É muito engraçado como o seu cérebro interpreta as coisas, no simular do fliper, eu conseguia dozar o pé sem problema. Mas na hora de fazer a mesma coisa no carro, atolei o pé como faço na embreagem…E aí, só ouvir o pneu cantar. Ainda bem que estava devagar, pois é negocio é tenso. Mas foi interessante constatar como nosso corpo/cérebro reage a situações diferentes.
    Ah..o freio do fliper tinha pressão, era bem parecido com o de carro normal.

  16. Neto Temporão disse:

    No meu caso, num carro de rua, o pé esquerdo só serve pra descer do carro mesmo, hehe. Mas em simuladores (videogame) é rápido pra se adaptar ao uso do pé esquerdo pra frear e na troca de marchas sequencial.
    No dia-a-dia, acaba sendo automático usar o pé direito no carro de rua e em seguida usar o esquerdo num simulador, tão natural que nunca tinha chegado a questionar essa dificuldade. Lógico que não estamos falando aqui centésimos de segundo ganhos com isso ou não, mas que acaba sendo meio sem pensar, natural, isso acho que é.

  17. Wolf disse:

    se for frear com o esquerdo, é bom colocar o cinto mesmo! HAHAHAHAHAHAHA

  18. josé disse:

    só admito carro automático (prá andar na cidade) e não uso o pé esquerdo.

Deixe uma resposta para Luciano Marino Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>