MASCARPONE À VONTADE

SÃO PAULO(apenas números) – A Pirelli soltou um comunicado agora há pouco cheio das estatísticas sobre a temporada. A íntegra possivelmente estará no Grande Prêmio daqui a pouco. Se não estiver, também, não fará muita diferença.

Então, vamos apenas a algumas delas:

– Pneus slicks usados: 21.400 (de 22.500 produzidos)
– Pneus de chuva usados: 2.100 (de 9.300 produzidos)
– Percentuais dos compostos: 6% supermacios, 25% macios, 21% médios, 17% duros, 18% intermediários, 11% de chuva forte e 2% de testes
– Vida média de um pneu slick: 180 km
– Vida média de um pneu de chuva: 140 km
– Mais voltas com duros: Kobayashi, 798
– Mais voltas com médios: Senna (869)
– Mais voltas com macios: Ricciardo (1.012)
– Mais voltas com supermacios: Raikkonen (237)
– Mais voltas com intermediários: Alonso (145)
– Mais voltas com chuva forte: Kobayashi (104)
– Total de pit stops no ano: 957 (sendo 16 punições)
– Média de pit stops por corrida: 47,9 (1,9 por piloto)
– Corrida com mais paradas: Malásia (76)
– Corrida com menos paradas: EUA (24)
– Pit stop mais rápido: Button na Alemanha, 2s31
– Distância percorrida com todos os tipos de pneus: 390.495 km

O time de F-1 da Pirelli conta com 52 pessoas por corrida. O HC da fábrica italiana serviu 24.132 refeições e 28.350 cafés expressos aos seus funcionários e convidados em GPs, e seus cozinheiros prepararam 314 receitas diferentes de macarrão. Também usaram 205 kg de mascarpone para fazer tiramisù.

Esse do mascarpone foi o dado que achei mais relevante. Aliás, preciso aprender a fazer tiramisù. É algo que impressiona. Bem mais do que comprar feito. Vou estudar o assunto, procurando sempre lembrar do sabor inacreditável do melhor do mundo, de uma pequena trattoria medieval de Faenza.

Comentários