NAS ASAS



SÃO PAULO
(emocionante) – O primeiro voo do Legacy 500 da Embraer foi feito ontem. Muito legal ver seis anos de trabalho sendo aplaudidos por aqueles que realmente o fizeram, num campo da indústria tão difícil e competitivo. Acho bacana demais a Embraer. O blogueiro Azevedo foi quem mandou.

Comentários

  • Olha, esse legacy foi o result ado do trabalho arduo de muita gente. Tenho o orgulho de dizer q um dos engenheiros responsaveis e meu irmao, ele aparece na sala de telemetria no video, parabens a toda a equipe pelo esforco o resultado ta ai.!! E viva o Brasil, todos os engenheiros Sao brasileiros, depois do voo rolou uma cervejinha basica rsrs

  • Parabéns a todos da Embraer! Orgulho meu, orgulho nosso, orgulho de todos os brasileiros!

    Viva a Embraer altaneira,
    Orgulho de nosso Brasil
    Sempre levando a bandeira
    Dos filhos de uma mãe gentil.

    Evio

  • Atuando em um nicho onde as grandes não se interessam em atuar, subsidiada pelo governo é fácil.
    Quero ver daqui para frente, agora que os japoneses, os chineses e os russos estão entrando no mercado dos jatos regionais.

  • O Brasil tem o 2o maior mercado para aviação executiva do mundo ….pode perde-lo para a China em Breve, mas ser 3o do mundo ainda é ótimo… O governo deveria estudar algum incentivo ou linhas especiais para aquisição dessas aeronaves por brasileiros … afinal de contas eles andam enchendo os caixas dos Fabricantes Internacionais … Se tiver as mesmas qualidades dos importados, seria mais interessante apoiar a industria nacional.

  • Júbilo aos companheiros que fizeram essa máquina fabulosa sair do chão…..

    E uma discussão ridícula como essa aí ( acidente ) em nada acrescenta ao momento histórico.

    Dá um tempo senhores….. Deixem os mortos em paz…..ficar medindo pipi, pra dizer quem tem o maior, não dá né….

    O desempenho desse bicho aí vai abrir um buraco de tanto auto-coçar as cabeças gringas.

    Vai deixar Learjet e Citations no chinelo.

    Deixem vir as próximas LABACE , EBACE e NBAA….

    Quero voar um bicho desses! A aviônica é bárbara (termo FG).

    Fico imaginando o que se passa ali dentro daquele cockpit, no primeiro voo dessa garça…

    Louzada e Camelier, os dois pilotos desse voo inaugural, aviadores da melhor categoria.

    Viva Embraer!

  • GENTE, NÃO QUERO SER ESTRAGA PRAZER, MAS A EMBRAER OUTRORA EX-EMPRESA 100% BRASILEIRA HÁ MUITO TEMPO É M U L T I N A C I O N A L !!!!! SE NÃO ME FALHA A MEMÓRIA DESDE OS TEMPOS DE FHC. QUEM DUVIDAR, FAÇA A PESQUISA…. INFELIZMENTE É A REALIDADE !!!

    • Observador, a Embraer não é Multinacional. Ela é Brasileira. O Capital é aberto e tem chance de menos de 50% das ações estarem nas mãos de Brasileiros. Mas isso não quer dizer que ela é Multinacional.

      Sobre os donos, peguei emprestado esse parágrafo do Wikipedia:
      Atualmente a Embraer conta com 46% de suas ações negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) e 54% de suas ações negociadas na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBOVESPA), sendo composto por 13,7% Fundos de pensão (PREVI), 6,1% Cia Bozano, 6,5% Oppenheimer Fund’s, 6,0% Thornburg Investments, 5,5% BNDES e ainda 21,9% composto de pequenos acionistas individuais pela BM&FBOVESPA e 40,3% proveniente de pequenos grupos investidores da Bolsa de valores de Nova York (NYSE).

    • Tem divisões na França, Portugal, EUA, China, Singapura, fora os centros de serviços….e qual o problema nisso? 99% do mercado dela está no exterior.

      Só a Azul compra aviões da Embraer aqui no Brasil.

  • Assistindo a video, essa demosntração toda voltada a tecnologia de ponta, full flight-by-wire, etc…mas o legal mesmo é a preservação da história da aeronáutica brasileira, das aeronaves antigas, dos Tucaninhos, Xavantes, AMX, Bandeirantes, Brasilias, etc.

    O Centro histórico que é mantido em São José é um grande barato.

    Temos que usar o passado para servir de inspiração para o futuro.

  • Do cacete!
    Uma empresa impressionante com uma história fantástica, motivo de muito orgulho.
    Tenho medo que tenha perdido o propósito que os fundadores conseguiram imprimir nas equipes até a fase de privatização.

  • Uma rápida estória sobre a Embraer: Lá por 1988 eu estava viajando num Brasília (EMB-120) da Sky West no interior dos EUA. Atrás de mim um passageiro perguntou para o vizinho “que avião era aquele”. A resposta foi mais ou menos esta: “É da Embraer. Empresa brasileira com tradição em aviões militares. O avião é muito bom e confiável”. Como engenheirinho brazuca louco também por aviões foi muito bom estar lá e ouvir aquilo de um ianque!

  • Esses caras são ótimos… na semana passada vi uma apresentação do Ozires Silva que foi realmente de emocionar…

    Tres Vivas para os Oficiais da FAB que na decada de 60/70 com um espirito visionário construiram todos os alicerces de pesquisa e desenvolvimento tecnológico que culminaram na criação da EMBRAER.

    E vem muito mais por ai… os caras (desde o primeiro dia de existencia da Empresa) sempre estão de olho nas lucunas de mercado que não estão sendo atendidas… o próximo grande sucesso da Embraer será o seu Avião de Transporte que poderá substituir a perfeição (e com sobras de desempenho) os milhares de Hercules C-130 que voam pelo mundo.

    Deve ter gente na Cesna, Learjet e demais competitores a coçar a cabeça com o lançamento do Legacy 500.

    Imperador

    • por mais otimista que eu seja substituir o C-130 é dificil hein…

      em determinadas missões um turbo-hélice é muito mais apropriado do que um jato. e o C-130J é um turbo-hélice muito bom…

      o que a Embraer deveria ter feito era ter dado continuidade no projeto de turbo-hélices e aperfeiçoado o EMB-120 Brasilia para estar concorrendo com o ATR-72 e DASH 8-400…

  • Parabéns a EMBRAER e a equipe. Espero que o George e Daniel transmitam a toda a equipe nosso orgulho desta empresa que, como já disseram, tem no Eng. aeronáutico Ozires Silva um de seus expoentes.
    Não vou lembrar o ano e nem a Feira, mas passei no stand da Embraer e pedi se havia um folheto do Tucano ( que ainda mal havia sido lançado). A alegria do senhor ao ver que “alguém” sabia do projeto foi muito legal. Mostrou os dados técnicos, a relação custo/benefício do “melhor avião de treinamento da época” etc. Gente competente,apaixonada e comprometida dá nisto que assistimos.

  • Po Flavio, foi legal demais o dia de ontem.

    Sou Engenheiro aqui na Embraer e participei diretamente desse Programa.

    Valeu muito o esforço que tivemos para fazer esse avião voar. Vocês não tem idéia do tempo que leva para os aviões deixarem as “pranchetas” e virarem algo concreto.

  • Me amarro na Embraer e sua história. Os Bandeirantes, os Tucanos o projeto do Caça AMX…Pena que não fabrique um triciclo como a sua concorrente direta, a Bombardier. O Spider é lindo demais! Sonho de consumo!

      • Negativo!
        Eles foram uma parte do problema, porém, se os pilotos tivessem deixado o TCAS ligado, tanto o Legacy, como o 737-800 da GOL, receberiam uma alarme coordenado, que indicaria as direções e altitudes a serem seguidas, à tempo para evitar a colisão. Mesmo se todo o sistema de radar brasileiro estivesse inativo.
        Esse sim foi o fator mais importante, da causa do acidente

      • TCAS não é e jamais será para separação em voo.
        Esse papel é do controle, que no acidente foi omisso.
        O Legacy havia sido autorizado a voar naquele nível.

      • O TCAS dá o alarme, caso duas aeronaves estejam em rota de colisão, o alarme é simultâneo e coordenado nas duas aeronaves. Manda uma subir e outra descer para que não haja a colisão.
        Separação só acontece em terminais, ou no tubulão – as 4 aerovias que ligam São Paulo/Rio.
        Se os pilotos não tivessem desligado, poderia todo o resto ter falhado que não ocorreria o acidente.

    • tipico comentário de quem nunca estudou Aviação na vida…

      nem todo americano é idiota e nem todo Aviador Americano é idiota. o que aconteceu com o episodio LegacyXGol aconteceria em qualquer lugar com os 2 Pilotos envolvidos. visto que as Aerovias Superiores nos EUA e no Brasil seguem as mesmas leis…

      • Argumento ao exímio conhecedor de aviação que eu me refiro especificamente aos pilotos/homicidas Joseph Lepore e Jan Paul Paladino que pilotavam o resistente jatinho Legacy envolvidos no acidente com o Boeing da GOL.
        Sim sou conhecedor sim de aviação PP aliás.
        Não disse que todo americano é idiota -acho que você precisa tomar lições de interpretação de texto – e discordo com o que você disse que isso aconteceria em qualquer lugar porque a julgar pelas mesmas leis das aerovias internacionais os pilotos do legacy deveriam estar com o transpounder ligado, o que não foi o caso.

      • Eu tambem estudei aviação e nos paulistinhas não tinham radio e o aeroclube não tinha radar.Seria este o caso do avião da embraer?A torre de controle não monitora os voos por radar e estava sem radio ou os nossos controladores é que foram irresponsaveis?Alias a pouco tempo a tv mostrou varios controladores perdidos no ingles e deixando pilotos estrangeiros malucos.Mas como sempre os GRANDES BRASILEIROS estão sempre certos como acontece com nossos pilotos de F1.Acorda PACHECÃO!!!!!!

      • PP.

        ou seja, os termos CTA, UTA são coisas ainda distantes do seu vocabulário PRÁTICO…

        aerovias internacionais o caramba (leis das aerovias internacionais? no Brasil? onde?), “Aerovia internacional” é aquela que cruza oceanos ou o polo sul, vem sob a designação “NO FIR AIRWAY” ou “INTERNATIONAL AIRSPACE AIRWAY”, ou ainda de acordo com a classificação da FAA são designadas por “CTA/UTA International”…

        existe somente uma lei de aerovias na ICAO. a que delimita os limites “padrão” dos tipos de aerovias, o restante é feito de acordo com cada pais…

        se está no Brasil é aerovia brasileira, se está nos EUA é aerovia Americana e fim de conversa. embora sejam parecidas tem suas diferenças sutis, nos EUA as aerovias superiores tem nivel mínimo no FL180 (contra o FL245 no Brasil) bem como designações (“Victor” e “Jet” nos EUA)…

        você já parou pra pensar que embora culpados eles podem ter achado que estavam em uma aerovia “E”? porque nos EUA tem isso e nelas o controlador é responsável pelo monitoramento de tudo, inclusive do Transponder…

        e já que foi problema do Transponder. porque os controladores não alertaram os Americanos? simples assim, imagem de radar primário sem sobreposição do radar secundário significa sem transponder…

        tão fácil alertar “….verifiy your transponder and reset to Mode C…”

        isso poderia ter sido verificado ainda no APP São Paulo, se houve falha no transponder a aeronave deveria ter sido obrigada a pousar em Brasilia…

        tão simples…