RUBENS, O REPÓRTER

SÃO PAULO(por que não?) – Todo mundo que viu, e com quem conversei, disse que foi bem legal a participação de Barrichello como repórter na transmissão do GP do Brasil pela Globo. Não assisti, porque estava no ar na rádio.

A ideia de usar um ex-piloto de F-1 no grid não é nova. E funciona bem. Os ingleses, principalmente, fazem isso com maestria. Os pilotos conhecem os veteranos, muitas vezes correram contra eles, e costumam atendê-los com mais paciência e cortesia do que aos jornalistas. Em geral, são amigos. E não se deixa um amigo falando sozinho.

Pelo que me contaram, Rubens teve jogo de cintura, iniciativa, bom-humor e, na cabine, foi bem nos comentários. É evidente que, no grid, ele acaba sendo recebido com muito mais reverência do que Burti — que disputou apenas 15 GPs, um em 2000 e 14 em 2001. Daquela época, sobraram apenas Button, Raikkonen e De La Rosa. Os demais não conviveram com o atual comentarista global e piloto da Stock Car, e mal o conhecem. Assim, o resultado não é o mesmo do que, por exemplo, quando é Coulthard a empunhar um microfone (o que ele faz pela BBC, e muitíssimo bem).

Vocês viram? O que acharam?

Foto Instagram de Rubens Barrichello

Comentários

  • Rubens se saiu muito bem como reporter e comentarista.
    Improvisou textos com maestria, brincou, perguntas interessantes, foi muito bem recebido no grid, comentou muito bem durante toda a corrida.
    O problema lá é o Galvão ….

  • A única coisa chata na transmissão é que é meio desperdício você ter dois ex-pilotos de Fórmula 1 – sendo um deles o cara que mais disputou GPs – se o Galvão acha que sabe mais que todo mundo… A participação do Rubinho foi excelente, mas ele falava bastante, e isso incomoda muito o Galvão (vide o caso Pelé na Copa-94).

  • Eu acho que a inclusão do Burti a melhor coisa que a globo fez para as transmissõs pois com ele temos depoimentos tecnicos bem relevantes deixando a locução para os reporteres de carreira, mas realmente.. que o barrichello foi muito bem não existe a menor dúvida, tem cacuete para transmissões de F1 também.. assim como no tenis no futebel de salão volei etc.. ter um ex profissional do esporte faz toda a diferença. .

  • No momento em que Webber e Alonso atacaram Massa, no inicio da prova, Galvão afirmou que Massa teria colocado o carro estrategicamente em uma posição para fazer com que El Fodon de las Asturias ultrapassasse os dois. O Rubinho em cima do lance contrariou o Galvão, dizendo que era impossível pensar nisso sob aquela pressão. Isso já valeu o bico do RB.

  • Eu acho que a Globo devia contratá-lo. E Rubinho deveria aceitar, em vez de ficar dando cabeçadas na porcaria da Indy.

    Além do mais, o Burti é muito pacheco e ferrarista. Bom comentarista, mas Barrichello entende mais dos carros modernos, foi melhor piloto, melhor acertador de carros… Se a Globo quiser valorizar o produto, tem que contratá-lo. Ontem.

  • Achei muito bom. Muito à vontade. É uma função onde cabe algumas presepadas que ele gosta de fazer.
    Deu para ver que era querido por onde caminhava.
    Ele se divertiu e acredito que o grid também tenha gostado da presença dele.

  • O Rubens foi muito bem mesmo atuando como repórter, mostrou muita desenvoltura e não “tremeu na base”. Um dia após citei no twitter (com citação à ele) o fato de no momento que ele foi tentar entrevistar o Schumacher, ele ignorou solenemente a presenção do Ross Brawn. A resposta dele foi:

    “@rubarrichello caraca…ele tava la? Nao vi mesmo…muita gente falando no radio”

    Só que ao passar pelo Ross Brawn, o Rubens fala um “oi” para uma moça que estava ao lado do Ross Brawn. Se existe alguma diferença entre eles, não vai poder interferir em um futuro trabalho fixo de jornalista.

  • É assim mesmo. O cara se aposenta e tem que continuar fazendo “bicos”. Mas nesse caso do RB é outra coisa, pessoa bem de vida e bem remunerado. Enquanto que no anonimato, aposentados sofrem e infelizmente tem que partirem e se sujeitarem a “bicos” com salário miserável.

  • Oi FG
    Gosto do Rubinho.
    Eu como surdo (real) entendo bastante de expressão corporal e foi nitido que as pessoas do grid adoram o RB, ao menos em publico. Um dos que mais demosntraram isso foi o pai de Hamilton.
    RB ainda teve o bom senso em não invadir o “momento do Schummy” quando não se aproximou do carro do alemão.
    Abraços,
    Harry