TRI IN SAMPA (26)

SÃO PAULO (parabéns) – Uma palavrinha sobre Massa. Poucos esportistas têm uma capacidade tão grande de levar porrada e ficar de pé. Felipe é um desses. Apanhou muito na primeira metade da temporada. A imprensa italiana queria que ele fosse expulso da Itália ou que a Camorra cuidasse do assunto. E não eram apenas críticas. O tom era de ofensa, mesmo. “Gasta pneus e gasolina da Ferrari e não entrega nada de volta”, diziam.

No Brasil também foi espancado. Motivos havia, até. Enquanto Alonso se desdobrava, ganhava corridas e juntava troféus, o brasileiro se arrastava melancolicamente. Foram 11 pontos nas primeiras oito corridas. Alonso marcou 111 no mesmo período.

Ninguém apostaria um centavo na renovação de seu contrato, mas ele renovou. E fez uma segunda metade de campeonato exemplar. Fechou o ano com pontos em dez corridas seguidas. Marcou 99 do total de 122 (81,1%) nessa parte da temporada. Subiu ao pódio duas vezes, uma delas hoje.

E chorou, o que não é muito do seu feitio. Chorou porque sabe como foi difícil atravessar a tormenta. Massa é um dos caras mais honestos e trabalhadores que conheço nessa porcaria aqui. E o único — repito: único — dos que conheci (falo dos brasileiros, claro) que nunca fez bico ou torceu o nariz para jornalista nenhum que, por uma razão ou outra, o esculhambou, detonou, crucificou, encerrou sua carreira antes do tempo. Sempre tratou a todos com respeito, cortesia, simpatia e sinceridade. Jamais cobrou um elogio ou contestou uma opinião.

É o mesmo moleque, igualzinho, que conheci na F-Chevrolet. Faz o dele, cuida da sua vida, sabe o que é relevante e o que não é.

Foi bonito vê-lo no pódio hoje. Fez uma corrida fabulosa, apesar das dificuldades no início, depois de uma largada muito bonita mas que resultou em pouco. Seria o segundo colocado se Alonso não estivesse precisando do resultado. Mostrou à Ferrari que é homem de equipe, leal e correto. Há quem conteste o que pode parecer submissão em algumas situações (eu mesmo não engulo algumas coisas, como aquela corrida da Alemanha em 2010, por exemplo, uma maldade do time), mas é preciso compreender como funcionam as coisas antes de falar besteira. A F-1 não é para amadores. A Ferrari, menos ainda.

Massa termina o ano em alta, e tudo que posso desejar é que passe as férias tranquilo e comece 2013 sem peso algum nos ombros. E se tiver lugar sobrando na garagem que construiu em Botucatu, tenho alguns carrinhos para mandar para lá. Pode ser meu Fiat 147, que não tenho usado muito.

Comentários

  • Não Gosto do Alonso desde os episódios de espionagem na Mclaren em 2007, e de sua fofocas (dona Pepa das Astúrias). E Singapura 2008 só confirma o seu mau caráter. Ele foi o maior favorecido.. Impossível que não sabia de nada, que é isso! Deveria ter sido muito bem punido. Quem não recorda o destrato dele em relação ao piloto Felipe Massa no rádio da Ferrari, quando Massa não estava dando passagem no lamentável GP da Alemanha de 2010 dizendo “eu não acredito nisso!” e outras coisas… Mas também choca a submissão de Felipe, como a declaração após o GP de Monza deste ano (Eu trabalhei para a equipe, tentando ajudar o Fernando, que é como tem que ser. Sempre fiz isso e vou fazer quantas vezes forem necessárias)
    Massa é um bom piloto, provou isso, infelizmente corre numa equipe arcaica, fascista, onde o parâmetro não é campeonato mundial de pilotos e sim de construtores, bem diferente atualmente da Mclaren (não sei na Red Bull) por exemplo .