MENU

sábado, 11 de maio de 2013 - 11:59F-1, Imprensa

DE CATALUNYA (3)

gaudi003SÃO PAULO (lá vem cacetada) - E para fechar o sábado, falemos da TV. Notei a ausência do comentarista Reginaldo Leme na transmissão dos treinos de hoje em Barcelona. Não sou corporativista, longe disso. E nunca fui nem particularmente contra, nem particularmente a favor de ex-atletas fazerem o papel de jornalistas. Muitas vezes o uso desse recurso ajuda, especialmente em ocasiões sazonais — em Olimpíadas, por exemplo, quando é preciso recorrer a alguns deles para falar de esportes que não possuem equipes permanentes e especializadas nas emissoras de TV, ou sites e jornais.

Alguns ex-atletas acabam se tornando jornalistas. E ex-técnicos e ex-árbitros. Conheço vários. Vão estudar, se preparam, assumem a função. É uma continuidade legítima de uma carreira ligada ao esporte, não tenho absolutamente nenhum reparo a fazer. Poderia aqui dar uma lista de excelentes ex-alguma-coisa que viraram excelentes jornalistas. Alguns se transformaram em apresentadores, outros em comentaristas ou colunistas. São muitos mesmo: Casagrande, Glenda, Meligeni, Tostão, Jaú, Wlamir Marques, tem agora o Roger Chinelinho que está muito interessante no ar… Pode-se gostar ou não de um ou de outro, mas nota-se que se prepararam para o que passaram a fazer na vida.

Só que a lista de ex-atletas que viraram patetas no ar, como comentaristas e apresentadores, seria bem maior. Não vou citar nomes porque estou meio cansado de confusão. Essa turma ganhou espaço nos últimos tempos por conta da burrice e da estupidez de executivos que comandam as emissoras de TV. Basta falarem umas merdas e fazerem umas piadas escatológicas que, bingo!, ganham um palco e um microfone. Ou ostentarem um rostinho bonito, ou ainda um sotaque bem aprimorado no Leblon  acrescentado de algumas aparições em “Caras”. Pronto.

(Vão todos para a TV. Manda essa gente escrever 20 linhas de texto compreensível para ver o que dá.)

Por isso, confesso que me irrito quando ex-atletas tiram o lugar de quem se preparou a vida toda para fazer aquilo — apurar, comentar, reportar, analisar, escrever. Uma coisa é usar ex-atleta para acrescentar. Outra, para subtrair. Barrichello certamente tem potencial para acrescentar algo às transmissões da Globo. Era piloto de F-1 até outro dia, percebe algumas coisas, dá a visão de quem já esteve lá dentro. Burti é ótimo tradutor. Não corre de F-1 há mais de uma década, mas tem noção de alguns aspectos técnicos, claro.

Só que no grid, como repórter, não funcionou porque ninguém sabe quem ele é. E porque ele não é repórter. Não sabe ser repórter. Não se preparou para ser repórter. E aquele estilinho “vou chegando e vou falando porque sou bonitinho e conhecido no Brasil” não funciona para todo mundo. Rubens foi bem em Interlagos na primeira experiência de microfone na mão, no grid. Foi simpático e tal. Mas era mais um personagem do que um repórter. A atração era ele, pelo inusitado da função. Mas jornalismo não é assim. O repórter não deve ser a atração. Nunca. Como será daqui para a frente?

Não entendo por que não deixar um repórter de verdade trabalhar no grid. Eu fiz isso durante anos em rádio. O Fábio Seixas também. E nunca ninguém recusou uma palavrinha a nós. Basta saber fazer. Somos treinados para isso. Para fazer perguntas, para questionar pessoas. Não para dar sorrisos e tapinhas nas costas.

Enfim, nem tudo que funciona lá fora, funciona aqui. Os ingleses usam muito ex-pilotos e dirigentes em suas transmissões, como Eddie Jordan, Martin Brundle e David Coulthard. Mas o estilo da TV inglesa é outro. Primeiro, os caras são bons pacas e não passam o tempo todo dizendo amenidades. Um jornalista está quase sempre com eles fazendo o papel de âncora. E eles são treinados pelas emissoras para fazer algo mais do que soltar frases pueris e pasteurizadas, como adora a Globo — que acha necessário explicar tudo, dizer “carro de segurança” em vez de “safety-car”, que fala “posições de largada” em vez de “grid”, “RBR” em vez de “Red Bull”, tudo isso porque algum gênio lá dentro acha que todos aqui fora somos idiotas funcionais.

Nada a reclamar de Barrichello e Burti como comentaristas e palpiteiros, pois. Mas ao jornalista, o que é do jornalista. Leme tem a experiência, a vivência, a informação. Barrichello e Burti falam do que já sabem. A asa-móvel é isso. O pneu é aquilo. O câmbio é assim. O motor é assado. Não são treinados para levantar, apurar e passar informações. Reginaldo é. Foi Reginaldo, e não Burti, ou Barrichello, ou sei lá quem mais, quem revelou o escândalo de Cingapura em 2009. Foi para ele que Piquet contou, não para Burti, ou Barrichello, ou sei lá quem mais. É com Reginaldo que fluem as conversas no paddock que vão além de “e aí, beleza?” muito comuns entre ex-pilotos. É essa bagagem que ele leva para uma transmissão. E isso está sendo jogado fora em nome dessa cultura das celebridades-convidados que infesta a emissora oficial — no futebol, vi outro dia Michel Teló comentando um jogo de Champions League e um certo Naldo, que não tenho a mais remota ideia de quem seja, numa partida de Libertadores, acho.

No caso da F-1, essas celebridades ganham muitíssimo bem para dar sorrisinhos no ar. Os contratos de Burti e Barrichello batem na casa dos cinco dígitos fácil, e o primeiro dígito não é 1, nem 2, nem 3. Como jornalistas, eles são péssimos. Gravando comentários e/ou chamadas na frente das câmeras, são constrangedores. Participando ao vivo de programas de estúdio, idem. Um horror. Um festival de obviedades que acaba não justificando a presença de nenhum dos dois. Mas são da turma, ricos & famosos, celebrities, e dane-se o resto.

Não acho certo, enfim. Vocês achem o que bem entenderem.

252 comentários

  1. Pablo Muniz - Vitória disse:

    “Homem é homem, menino é menino, macaco é macaco, baitola é baitola…” Acho que era assim a música. Professores são preparados e se preparam continuamente, mas de quando em vez recorrem a algum profissional para uma consultoria, ou uma palestra, ou uma visita técnica. Idem para jornalista: eventualmente um especialista na área pode dar um apoio. É um esculacho a vários anos de estudo e preparo intenso substituir um profissional por um palpiteiro, em qualquer profissão. Assim como para ser parteira não precisa ser mãe, para ser jornalista esportivo não precisa ser atleta. Daqui a pouco teremos políticos, policiais, atletas, cantores, etc, produzindo material escrito, falado e televisivo no lugar de jornalistas.

  2. Mauro Batera disse:

    Na boa, a F1 já faz tempo que não vem agradando muitos aqui no Brasil, e com essa palhaçada que estão fazendo com o Reginaldo Leme, certamente a Rede Globo esta dando um baita tiro de canhão no pé!

    Só escutei reclamações a respeito disso!

    VOLTA REGINALDO LEME!!!!!!!!!!!!

  3. Batista Lara disse:

    Pior que isso tudo é aguentar o Galvão Bueno querendo explicar o que eles comentaram, como se o telespectador não tivesse entendido… E ainda a demora que tem ao atender a um chamado de um repórter de pista, fazendo comentários extremamente óbvios e lógicos.

  4. Adilson disse:

    Acho que o caminho é esse mesmo, pois as transmissões televisivas não são só para especializados. A audiência cai na Globo, com Reginaldo Leme sempre falando tudo o que todo mundo já sabe. Será que com ex-pilotos não subirá? Acho que não, mas também acho que vale a tentativa…

    • Pai Baô disse:

      Muito melhor a transmissão com quem já esteve lá dentro e sabe tudo da área técnica. Chega de ficar citando estatísticas no ar !!! É bom o Reginaldo ir procurando um galho novo, porque o dele pelo jeito já era.

  5. Thiago Muniz disse:

    Apoiado Flavio, abaixo aos pseudo jornalistas-pilotos; estão tirando o espaço do Reginaldo Leme, um dos mais competentes jornalistas no ramo automobilístico deste país. É o mesmo que se colocarem o Tony Kanaan por exemplo para escrever no seu blog de 15 em 15 dias.

  6. Adam disse:

    A falta do Regi é uma lástima. Como espectador televisivo, considero que o Rubens e o Burti são bons como suporte, apenas.

    Porém, fiquei surpreso com o Galvão finalmente chamar a RBR ao vivo como Red Bull, teria sido um descuido?

  7. thiago disse:

    Flávio, certa vez vi uma entrevista do reginaldo onde ele já começava a cogitar a hipótese de aposentadoria. talvez sua ausência seja o início disso… o que você acha?

  8. Marcelo disse:

    Cara, esse rubinho é fraco em tudo, como piloto queimou o filme dos pilotos brasileiros, depois de uma sequência com Emerson, Piquet e Senna, aguentar o pé de chinelo durante todos esses anos foi dose. Só entrou na fórmula um porque tinha patrocínios que o sustentavam e assim permaneceu, pq como piloto mesmo muito fraco. O massa vinha bem e o bendito do barriquebra me solta uma mola na pista para sepultar de vez qualquer chance de sucesso de um piloto brasileiro. Depois dele, que deu o mal exemplo de como um piloto nacional deve se portar, o massa teve que digerir ser o segundão da vez. Virar cagão é a realidade, o massa deu azar de ter sido sucessor desse piloto de segunda. Poderia ter voltado mais atrás no tempo e pego o bom exemplo. Agora é tarde, seu salário foi diminuído de 10 para 6 milhões, quando doeu no bolso parece que começou a dar uma melhorada (ainda tímida) em relação ao ano passado. Naquela corrida “Alonso is faster than you” deveria ter dito fuck you, i´m better than him! Ora bolas era vice-campeão, mandava a ferrari catar coquinho, com certeza iria ter equipe interessada em contratá-lo, aceitou, pegou o mal exemplo anterior e danou-se. O problema é que ele ainda vai acabar ferrando com a carreira de jornalistas que dão o sangue pela profissão dando uma de celebridadezinha ao melhor estilo BBB, tomando o lugar de bons profissionais só pela “fama” que tem.

  9. Olá! Eu assisto as corridas pela BBC ou pela Sky Sports, versões que eu baixo pela internet assim que acaba a transmissão oficial. A qualidade da transmissão é incrível e incomparável com a transmissão nacional. Mas eles sempre usam ex-atletas nos seus comentários. No caso da Sky, Damon Hill, Johnny Herbert e Martin Brundle. No caso da BBC, David Couthlard e Eddie Jordan. Acho que a presença de ex-atletas, de uma forma geral, enriquece a transmissão. Mas não posso falar sobre o caso do Barichello porque ainda não o vi no ar. Mas, de uma forma geral, achei uma boa idéia – mas não necessariamente substituindo o Reginaldo. Afinal, na Sky são três comentaristas, além do apresentador e do narrador. Vindo para somar, o Barichello é uma ótima notícia. E o que importa mesmo é a saída do Galvão!

  10. J disse:

    Concordo.

    Mas tenho notado que o Galvão agora fala “rédi bú” em vez de RBR, o que já é um progresso. E se é pra falar desse jeito jeca, então melhor falar carro de segurança, mesmo…

  11. Rafael Bilibio disse:

    Gomes,
    também sou contra Reginaldo sair. Nada justifica.

    Agora, trazer Rubinho para as transmissões talvez seja uma tentativa de reconquistar o público da F1. Todos falam mal de Galvão, mas certamente tem uma contribuição dele para que ainda a F1 no ar na Globo. Com os níveis de audiência caindo a cada ano, se fosse por isso a F1 já estaria somente no SporTV.

    Não sei, acho que é uma tentativa de mudar. Não sei até que ponto vai dar certo.

  12. Antônio disse:

    Não passou pela cabeça de ninguém que o Reginaldo deve estar adorando o fato de ter uma folga e intercalar os gps pode medo descansar um pouco são 20 gps por ano 40 viagens de avião . Gosto muito do Buryi e acho que o Barrichello vempara agregar

  13. Mané disse:

    “ex-atletas que viraram patetas no ar”.

    Inb4 alguém lembre do Neto.

  14. José Morelli disse:

    Não entendo o motivo pelo qual a Globo não pode manter Galvão, Regi, Burti e Barrica na transmissão. Os quatro trazem muita completude à transmissão.

    Eu acho que o que tinha de mudar são os repórteres de pit, o “não-sei-o-quê” Courrege e a Becker, os dois são sem graça, fazem um feijão com arroz, não têm personalidade. Enfim, são CHATOS. Parece que caíram de pára-quedas no local e ficam agindo como se estivessem aprendendo tudo. Falam com aquele sorrisinho amarelo. Enfim, os reporteres de pit da Globo são ruins, chatos, enfim, um LIXO.

    Os EUA tem exemplos ótimos em termos de reporter de pit lane, pegue por exemplo os casos de Gary Gerould, Jack Arute, Jamie Little entre outros. Tem que ser gente com perfil. Agora esse chato de Courrege aí, o cara age como se estivesse fazendo turismo ali….não tem um comentário crítico dele, a Becker de vez enquanto dá uns pitacos, mas muito de senso comum. E as vezes ela fica perdida, como é o caso dos Grid Walks que já vi dela, dela ficar gaguejando e tudo o mais.

  15. Fernando disse:

    Reginaldo Leme é um péssimo comentarista. Pode até ser bom jornalista nos bastidores, mas os comentários deles nas corridas são quase sempre horríveis e muitas vezes parece que ele tira uma soneca ali, porque se perde completamente na corrida.
    Com o Rubens e o Burti temos acesso a informações de dentro das equipes e a perguntas bem feitas as pessoas. Que pergunta inteligente o Reginaldo fazia aos pilotos ou equipes? Nenhuma. Se ele é bom para descobrir furo de reportagem, como o Crash-gate, então deixa eles nos bastidores. A F1 será um lugar muito melhor sem o RL do que com.
    E o Galvão também já passou do tempo de se aposentar.

  16. Um dia desses colocaram a Luiza Possi para comentar um jogo de futebol.

    Ela tem que fazer o que faz melhor: cantar e ser gostosa. De resto, o Casão se vira.

    Abraço.

    gatosmucky.blogspot.com

  17. Benito Ciolin Zamith disse:

    flávio gomes, vc incluiria o Mário Sérgio Pontes de Paiva nessa sua lista de ex-atletas que viraram patetas no ar??

  18. Dav disse:

    Concordo com o Texto

  19. Marcus Lima disse:

    Insuportável ver a corrida. Acho que o que ser profissional da área da é a noção de ser um detalhe, e não o prato principal. Absolutamente insuportável ver a quantidade de vezes que Burti e Barrichello falaram. Bem como a mau dosada participação de ambos: que deselegantemente ” complementavam” o que o outro falou o tempo todo. Que bosta, ficou parecendo uma aula de mecânica com uma corrida passando ao fundo. Nunca tinha visto uma corrida com tanta falação de comentarista: mais até do que o narrador. Deu saudade da humildade do Regi: que se propõe a falar apenas quando tem algo relevante a dizer. A corrida é o mais importante: e não qualquer bobagem explicativa que possa dizer algum pseudo comentarista. Se a Globo ouvir o público, será impossível sustentar tal absurdo. Preciso achar narração de rádio aqui na minha cidade ( Campinas), e desligar o áudio da tv!

  20. mauricio de freitas disse:

    Não vai demorar a F1 tambem vai para o Sport TV.Abs.

  21. Muller disse:

    Oi Flavio, o fato é que a TV aberta brasileira (jogando junto no mesmo balaio Band, Record, SBT…) ainda não entendeu que, com a queda vertiginosa na audiência por conta das TVs por assinatura, a audiência de nicho, especialista, fã do esporte em si não entra nem gosta de entrar na massa torcedora por qualquer esporte ou feito em que o Brasil esteja em evidência. Não sei dizer, ao certo, se é uma caracteristica do crescimento econômico e educacional de um país, isso de termos mais fãs do esporte e menos “massa” que só acompanha um evento esportivo pelo nacionalismo. Não sei mesmo. Vai ver é uma válvula de escape torcer por um país que dê certo em alguma coisa no exterior e esquecer como dentro tá tudo uma bosta.

    O que sabemos é: a audiência ufanista praticamente sumiu por conta do ocaso de pilotos brasileiros (realmente de) ponta na F-1. Então a Globo poderia ser a 1ª a entender que automobilismo hoje reúne gente realmente amante do esporte num domingo de manhã, e não mais a massa. E uma vez entendido isso, mudasse, mesmo que aos poucos, o perfil das transimssões, como os ingleses muito bem fazem.

    A equação é essa: menos pilotos do país bem-sucedidos = menos massa nacionalista e (sobra) mais audiência especializada fã do esporte pelo esporte. E essa equação não serve apenas pro Brasil: basta assistir por 5 min uma transmissão de F-1 E MotoGP na TV espanhola para entendê-la.

    Mas esse é um ponto. Você tocou no ponto das celebridades-pseudo-jornalistas.

    Esse ponto eu realmente me questionei: se essa é a tendência, então a audiência prefere, certo? Ser piadista ou bem-humorado não é o caso, visto que lá fora também se aposta nisso e já enterraram, de vez, o modelo sisudo de antes.
    Só me veio uma coisa à cabeça – entretenimento. A TV aberta brasileira parece ter entendido que o público prefere entretenimento a jornalismo e, com a audiência sempre baixando pras pagas, temos um surto de transformar tudo na TV em entretenimento. Os humorísticos dão cada vez mais audiência zoando as celebridades nos fins das festas. Até mesmo o jornalismo entrou nessa. São gostosas apresentando noticiários, são apresentadores de programas policiais fazendo verdadeiros shows no fim da tarde, são notícias da vida dos outros tendo mais espaços que notícias políticas, sociais e esportivas. E é aí que entra a F-1.

    A Globo parece acreditar que falar da vida dos chefes/donos de equipes e donos, dos pilotos, de quem é amigo de quem, o que faz à noite, com quem namora, etc e tal atrai mais audiência. Fornecer informação técnica perde na disputa. Perde, também, quem é fã do esporte.

    Só não sei te dizer, mesmo, se essa é uma tática errada ou se a audiência tá aumentando. Se não estiver, torçam para apostar certo. Se estiver… só vai restar pro fã ter um saco gigante durante as transmissões ou separar no orçamento mensal uma continha a mais pra pagar.

  22. Márcio Haddad disse:

    No final da transmissão Galvão falou: Daqui duas semanas com Regi e Mariana Becker. Graças.. Burti já deu o que tinha que dar, o Barrichello mandou bem!

  23. Wolfpack disse:

    Galvão hoje na corrida: Vamos deixar esta conversa de lado, enquanto o capaxo do Burti dava explicação ao vivo. O Cara deve estar com alzeimer…Perdeu o bom senso, tá gagá…

  24. Geraldo disse:

    Além de estudar, o Ruinzinho Barrichelo deve ir a um psicologo. É insuportável a fixação dele no Schumacher. Tem de reconhecer que poderia correr uns 300 anos na F1 que não seria campeão.

    • Jonathan Palmer disse:

      Idéia fixa! Ele não consegue esquecer o alemão.
      Sem falar na cavadinha ridícula que ele deu no treino de sábado, sugerindo uma vaga para ele na Williams logo após o maldonado ser intrevistado…
      Galvão, rubinho e Burti: os três patetas.

  25. perna quebrada disse:

    Qual o problema da Globo? Ta sem grana pra pagar passagem e hosapedagem pra mais um?

    Palhaçada.

  26. vitor disse:

    Nada a ver… Só porque o Rubens foi piloto não quer dizer que não pode ser um bom entrevistador e comentarista. Preconceito bobo. E como se jornalista não fosse bom piloto só por causa de sua profissão… Deixa o nome trabalhar…

  27. paulo de melo gomes disse:

    Tenho Grade admiração pelo Rubinho e Burti, acho muito legal te-los nas transmições da F1!
    Porem aconselho!!!!!!!!!!!!!!!!! Baseado em toda experiencia que tenho de anos e anos vivendo esse maravilhoso esporte, à nossa querida Rede Globo de Televisão, que tambem à muitos anos nos proporciona cada vez melhores momentos nas transmissões da F1, da Stock Car, não deixem jamais isso acontecer novamente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! A dupla GalvãoBueno+Reginaldo Leme faz parte da história da F1 na Rede Globo! Por favor meus queridos e amigos Diretores desta maravilhosa organização, não deixem isso acontecer, muito obrigado! Abraço à todos!

  28. Adriano Silva disse:

    O Reginaldo é a única pessoa que salva a narração de corridas da Vênus Platinada.
    Por essa e outras que desde o ano passado vejo a classificação no SporTV, depois de todo mundo, e escuto a corrida pelo rádio com a TV no mudo.
    Concordo com tudo que o FG escreveu.

  29. Marcelo Goulart disse:

    Acho tão ruim quanto tirar o Reginaldo Leme é a Globo nunca ter aproveitado o Lito Cavalcante numa transmissão… Infelizmente aqui no Brasil se credita aos ex-esportistas o papel de especialistas em seus esportes, mesmo que uma pessoa seja estudiosa naquele esporte por quase 40 anos… É uma lástima!

  30. Mauricio disse:

    Flávio,

    Em primeiro lugar gostaria de elogiar seu texto, que para mim é um dos melhores.

    Quanto à situação da TV Globo na transmissão da F1 tenho a destacar alguns pontos, e gostaria também de lhe fazer uma pergunta:

    1) O fato é que a Globo vai revezar o Burti com o Reginaldo nas etapas que vai fazer “in loco”, ou seja, nas etapas que vai mandar a equipe para os GP’s, que serão dez no total até o final do ano. Isto já foi revelado no blog do Vitor Martins.
    Inclusive eles próprios, Burti e Regi, já sabem de antemão quais serão as provas que irão cobrir até o final do ano. Além disso, nas provas que a Globo não mandar a equipe às corridas os dois, Burti e Reginaldo, irão participar normalmente da transmissão do estúdio. Desta feita quem não irá participar será o Barrichello.

    2) Vc conhece o Regi a bastante tempo, e escreve o anuário dele todo ano. Minha pergunta é se ele nunca te revelou que estaria para se aposentar?

    Te pergunto isto, pois só consigo ver esta mudança como uma forma da TV Globo já ir acostumando o público da F1 com a falta do Reginaldo e do Galvão. O próprio Galvão já declarou que quer se aposentar depois da Copa de 2014´.

    É por isso que lhe faço esta pergunta, já que o Reginaldo está neste negócio a mais de quarenta anos.

  31. Leo Inacio disse:

    Tem que trazer o Nelson Jr para a transmissao, este sim eh gatissimo.

  32. Roberto Fróes disse:

    “O repórter não deve ser a atração. Nunca.”
    E o que me diz do Bundão Bueno?
    Daqui a pouco, a Rede Bobo vai deixar de transmitir o GP de Formula 1, para passar o GP de Bundão Bueno…
    E é bem possível que tenha dedo dele aí…
    Ele não gostou nem um pouco – ficou p da vida – e mudou até de assunto na ultima corrida.
    Antes da largada, ele mais uma vez exumou o Senna, e passou o video daquela prova em que seu guru ultrapassou uns 7, acho, na 1ª volta.
    Por mais sensacional que tenha sido, não foi “a 1ª volta mais espetacular da história da Formula 1″, como ele encheu aquele bocão para anunciar. E o Reginaldo lembrou a ele um certo Jim Clark, que em 1965 ultrapassou 17 na primeira volta, em Nürburgring. O cara de pau ainda tentou se justificar, mas desistiu e mudou de assunto.
    Acho até que a certa indiferença que sempre tive pelo Ayrton Senna talvez se deva à antipatia adquirida através dessa figuraça insuportável…

  33. Ialdo Belo disse:

    Para quem se assustou, aqui vai a informação correta: Reginaldo Leme NÃO está fora da F1 na Globo. A sua participação foi reduzida: Regi deixará de cobrir 5 provas nesta temporada.
    Isto é bom? Não, em hipótese alguma! Acho que poderia haver um revezamento entre Burti e Rubinho, nunca entre Regi e um dos dois ex-pilotos.
    Mas, a Globo está assim, a audiência da F1 continua despencando e sabe-se lá Deus porque medidas como essa são tomadas.
    Uma pena…

    P.S. – Em tempo: isso já estava decidido desde dezembro e não tem nada a ver com a participação de Regi em programas de outras emissoras.

    • Roberto Fróes disse:

      Quem sabe a audiência está caindo devido às seguintes razões, que me fazem deixar de assistir a algumas provas?
      1- Excesso de regulamentos idiotas, como esse dos pneus para 1/2 volta, obrigatoriedade de 2 tipos de pneus, falta de treinos, asa móvel, e outras imbecilidades semelhantes;
      2- Excesso de provas no outro lado do mundo, na madrugada;
      E o maior de todos os motivos:
      3- A insuportabilidade do locutor global.
      Haja saco para aturar tanta besteira!

  34. Claudio disse:

    Engraçado Flávio, muitos que aqui comentam, desciam a lenha no Reginaldo Leme, o chamando de gagá e que faz a dupla de horrores com o Galvão Bueno, agora sacam ele do ar, colocam aquela “anta” para comentar, e choram as pitangas querendo o Reginaldo Leme de volta… bando de hipócritas. Quando o Galvão se aposentar, de fato, começarão a chorar as pitangas porque o Galvão isso, o Galvão aquilo, que a narração dele era isso ou aquilo. Eu sou a favor de uma mudança na equipe esportiva que cobre a F1. A equipe que está no Sportv poderia muito bem assumir o posto, o Lito Cavalcanti é muito bom e merecia uma oportunidade assim como o narrador, Sergio Mauricio.

    • perna quebrada disse:

      Olha, sobre o Galvão já ou vi de tudo por aqui. Contra o Reginaldo nada. É a única coisa que vale a pena na transmissão da globo.

    • Nelson disse:

      Me desculpe, mas o Sergio é muito cru.

    • Luiz Cezar disse:

      Assino embaixo

    • Mauricio P. disse:

      concordo com vc no episódio do Reginaldo e no que acontecerá quando Galvão tbm se aposentar, vai ser aquela coisa de que o cara já era folclórico e coisa e tal, mas daí dizer que a equipe do Sportv poderia ser melhor não concordo não. Sergio Mauricio pode até ter umas sacadas engraçadas vez em quando e tudo o mais, mas não vai além disso e quanto aos comentários de Lito Cavalcanti, fala sério, chega ser pior que Reginaldo, Rubinho e Burti juntos, afinal, esses dois últimos pelo menos estiveram lá dentro de um carro de corrida, não ví nenhum deles afirmando nada principalmente quando algum carro tem problemas, falam o que acreditam poder ser, nunca afirmando, como faz o glorioso Lito, que só de olhar lá da cabine do estúdio enxerga até dentro do motor e sem contar que podem bater na cara dele, mas não falem mal de piloto brasileiro, principalmente se for do Massa, ele vira bicho, afinal, piloto brasileiro não erra, o carro é que tem problemas.

  35. Alex disse:

    É uma pena. Estava demorando muito para acontecer mas levando em conta que se trata de globo não se pode esperar coisa diferente. Apesar de que já estava ficando constrangedor ver o Reginaldo Leme, geralmente sóbrio e imparcial, ter de concordar com a imbecilidade e arrogância do Galvão Bueno (este simplesmente obriga comentaristas e convidados a concordar com tudo que ele diz). De repente pode ter sido o próprio Reginaldo que, nos bastidores, quis isso.

  36. RENE FERNANDES disse:

    DE SEXTA PARA SABADO, RECEBI UM BIZÚ QUE A PROVA SERÁ
    1-KIMI
    2-MASSA
    3-MILTINHO
    É SÓ!
    DEPOIS EU FALO COMO RECEBI A INFORMAÇÃO…

  37. Matteoni disse:

    E outra: porque tiraram o Pedro Bassan para colocarem a Mariana Becker?

  38. renata dias da silva disse:

    Bom, acho o Regi o melhor e mais experiente televisivamente falando,não é possivel que a globo descatre alguém do nivel do regi para colocar pessoas que falam o que viram, Mas não entrevistam e nem questionam.O que podia acontece era ficar o trio Regi, Flavio Gomes e Fabio Seixas, ai a audiência na tv subiria muito, com a competência que estes três tem, seriam as melhores transmissões da tv.

  39. Concordo em número e grau !!!!!

  40. SIMÃO disse:

    É a merda que dá qdo temos num pais um grupo de meia dúzia de famílias que controlam os meios de comunicação. E tudo acaba ficando ainda pior qdo uma só (a nava mãe) compra tudo e quase todos, pasteuriza e insere no clubinho dos mauricinhos e patricinhas riquinhos e famosinhos. Essa turminha circula dia a após dia feliz entre os palcos do Fausto, da Ana Maria, do Luciano e da Angélica, e o povão adora assistir a tudo isso torcendo para um dia ser convidado. É a merda da televisão brasileira, para não mencionar as famosas revistas que estampam em suas páginas essa gente “fina” se deleitando em cenários de sonhos!!!! É um bando de merdas!!!!!

  41. Tássilo disse:

    Vc tem toda razão Flavio mais temos que aceitar, pq é o único jeito de assistirmos a formula 1 é por essa emissora sacana.

  42. Julio Cesar disse:

    Infelizmente é por aí mesmo FG. A Globo está apelando legal e corre o risco de queimar a cara de muita gente. No Bahrein foi vergonhoso ver o Barrichello no grid, sendo literalmente “empurrado” pela Mariana Becker. Amanhã deve ser ainda pior, pois o Marcelo Courrege ainda está se habituando às transmissões de F1, mesmo sendo um bom repórter.
    Aliás, é uma contradição na própria Globo. Pois o Sportv colocou Reginaldo Leme e Lito Cavalcanti lado a lado na transmissão da Stock Car e ficou bem legal.

  43. Adrian Newey disse:

    1. Praticamente nada do que é exibido na TV, no Brasil, pode ser considerado jornalismo. Por vários motivos, políticos inclusive, as emissoras preferem tratar tudo como entretenimento. Isso está começando a se voltar contra elas -como mostra sua queda contínua de audiência (na F-1 e em tudo).

    2. A F-1 hoje tem um público tão pequeno, e por isso mesmo “segmentado”, que a Globo já poderia fazer uma cobertura mais sofisticada, dirigida a aficionados e não à massa. Na verdade, essa é a única saída -e a Globo parece ter percebido isso. A própria instituição do “grid walk” foi uma tentativa nessa direção. Um passo que, infelizmente, acabou diluído num conjunto que se manteve péssimo.

    3. Mesmo quando era popular no Brasil, a F-1 formou poucos jornalistas especializados -e realmente bons. Mas existem alguns. São pessoas de faixas etárias e perfis variados, com um ponto em comum: não trabalham, nem querem trabalhar, na Globo.

    Por mais dinheiro que haja na mesa, todo bom jornalista tem medo de ir pra Globo. Com razão.

    E todo diretor da Globo tem medo dos bons jornalistas. Com razão também.

    • Alex disse:

      ” Praticamente nada do que é exibido na TV, no Brasil, pode ser considerado jornalismo”. Essa é uma das melhores frases que já vi. Pura verdade.

      • Jose Brabham disse:

        Outra boa do comentário, apesar de óbvia: “A F-1 hoje tem um público tão pequeno, e por isso mesmo “segmentado”, que a Globo já poderia fazer uma cobertura mais sofisticada, dirigida a aficionados e não à massa. Na verdade, essa é a única saída”

        É tão óbvio que não sei quem é a anta na Globo que está na frente do negócio (F1) e não vê isso.

    • Roberto Fróes disse:

      O ovo e a galinha.

  44. Godoy disse:

    Não sei se tem alguma coisa a ver, mas o Reginaldo Leme deu entrevista ao CQC na Band, durante a corrida de Indy em São Paulo, e sabemos como essas coisas acabam sendo tratadas

  45. Marcelo Pacheco #49 disse:

    Fa tempo que esta mesma visao. Por isso a globo ganha cadavez mais uma legiao de “antipatizantes”, incluindo eu.
    Em tempo: Tande foi um baita jogador de volei, mas como apresentador chega a ser patetico. Da pena.

  46. Marcelo Marques disse:

    Eu acho é que o Regi se cansou do Gavião arrogante. Aliás deveriam aposentar é o GV. Tá caducando já, coitado. São várias as ocasiões nas quais a própria TV mostra uma coisa e ele fala outra (entradas no box, batidas de corrida, problemas mecânicos, etc.). Se ele não consegue narrar olhando a pista e o monitor então não dá. É inaceitável a imagem mostrar uma coisa e o narrador falar outra. Agora, eu acho que o Regi tem que estar presente como comentarista ao vivo e repórter nos bastidores, pois é o melhor e pronto. Quanto ao Barrica, basta ele como comentarista em situações específicas quando conhecer na prática o funcionamento do carro faz alguma diferença: a dinâmica da corrida, as conversas do rádio. E o Burti esquece. Erra demais, correu numa outra época. Como tradutor de rádio o Barrica também serve e está mais atualizado.

  47. ederson shimizu disse:

    O Burti é um excelente comentarista, além de não querer aparecer faz comentários sempre corretos e na hora que o fato ocorre. J á o Barrica,, bom esses agente já conhece, já já vai começar com chorumelas. Abraço a todos.

  48. Marcos Alvarenga disse:

    A Globo está seguindo a onda:

    Querem ver porrada? Compramos aquele LFA, ou coisa que o valha, e fazemos também um concurso de porrada.

    Querem ver mulher pelada, palavrão e prostituição ao vivo? Sem problemas. Fazemos o Big Brother aqui. Sucesso.

    Formula 1? Tá meio chato, esse negócio. Bota uns ex-pilotos fazendo macaquices ou traduzindo transmissão de radio ou explicando sobre macarraozinho (argh) e tudo certo.

    Mas e o jornalismo esportivo sério? Com gente respeitada no meio em todo o mundo? Pra quê? Ninguém entende nada mesmo, pra dar valor. Vamos dar preferência pras macaquices, mesmo.

    Acho que é mais ou menos assim.

  49. Allez Alonso disse:

    Check this out, segundo esse site:
    http://intelligentf1.wordpress.com/2013/05/11/spanish-grand-prix-can-mercedes-win/
    Provavelmente Kimi é o cara pra corrida amanhã…

  50. Alex Alves disse:

    É o que eu sempre digo: a Fórmula consiste em um esporte onde cada piloto tenta fazer seu carro andar mais rápido que o do outro. Só não vê quem não quer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>