MENU

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 - 16:31Autódromos

S DO CHICO

SÃO PAULO (desliguem o maçarico, obrigado) – Interessante este pequeno vídeo enviado pelo Mauro Santana. Na época da reforma de Interlagos, em 1989, que matou a pista antiga para se fazer o circuito atual, Senna sugere que a curva em S que hoje leva seu nome fosse batizada como Chico Landi. E dois ex-pilotos, Luiz Evandro Águia e Antonio Carlos Avallone, criticam as reformas. Avallone, profético, fala sobre o muro na saída da antiga Curva do Sol, que leva à Reta Oposta. “Criminoso”, diz. E Ayrton garante que as características do circuito original seriam mantidas. O que, claro, não era propriamente verdade.

74 comentários

  1. Apache disse:

    Alguém morreu no paredão?

  2. Paulo Pinto disse:

    Esse “S”, por merecimento, teria que ser rebatizado de S do Schummy. Por que? Simples, Herr Hepta venceu 4 (quatro) vezes o GP do Brasil em Interlagos.
    É o que soma mais vitórias no circuito, na F-1.

  3. Mauro Batera disse:

    Já li uma vez que o tio Bernie tinha medo que a Indy viesse correr aqui no Brasil, e este medo levou que ele destruí-se o traçado original e levando com ele o anel externo.

    Se isso é mesmo verdade, já temos um verdadeiro culpado!

  4. Fernando disse:

    Flávio, sei que não tem muito a haver mas segue um video do resumo da corrida em Interlagos em 1980. Muito legal. O interessante é que as moças da Coca são as mesmas que você postou na série Internadas. O pódio da corrida foi o mais bacana:

    http://www.youtube.com/watch?v=BmFsZd_IUVY

  5. Marcos Tavares disse:

    caramba quanta gente chata a pista de Interlagos é muito interessante sim a antiga, amigos passsou não serve pro dias de hoje, assim como não serve Hock antiga com os retoes, Spa Antiga e tantas outras.

    A Pista manteve sim traçados originais

    como tem gente chata nesse mundo

    pra mim o maior problema hoje é só existir um unico traçado
    http://theracingline.net/racingcircuits/racingcircuits/Brazil/Interlagos.gif

    exemplo se na descida do lago, tivesse uma curva a direita na junção

    • antonio seabra disse:

      A pista antiga existe ? Depende do ponto de vista: parte dela está sob uma arquibancada (no retão), no final da antiga curva do Sol há um posto de gasolina, etc…Então, na pratica a pista antiga não existe mais, posto que não tem como ser utilizada novamente, a não ser depois de uma gigantesca reforma. Quem conhece Interlagos sabe bem que foi um crime acabar com aquele traçado maravilhoso.

      O que poderia ser feito hoje era criar um traçado alternativo, ligando a reta oposta ao que sobrou do retão, fazendo novas curvas 3 e 4 (para permitir que exista area de escape dentro dos padrões atuais), e religando a reta que levava a entrada da antiga Ferradura com a retinha que hoje leva ao Laranjinha. Existem varios exemplos e sugestões coerentes/bons nesse Blog, é só procurar pra ver.

      O croquis que você anexou é incompleto (linha cinza), não mostra a alteração que foi feita entre o que era “saida da Subida do Lago” e o que hoje é a “entrada da Descida do Lago”: a curva era toda um arco de circulo, com pequena variação de raio, hoje são duas curvas, sendo a da entrada bem mais fechada. Recorra a um desenho antigo, ou a uma foto aérea da pista antiga, e voce vai perceber o que eu estou dizendo.

      Sugiro ler o artigo do Bob Sharp (link abaixo) e ver o croquis em preto e vermelho comparando os 2 traçados, atual e antigo.

      http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2011/04/uma-volta-de-maverick-divisao-3-em.html

      É claro que, com as exigências do tempo, algumas pistas necessitaram de alterações para se adequarem aos padrões de segurança, que mudaram. Algumas ficaram até melhores, caso de Silverstone e Monza. Zandvoort foi totalmetne detonado, virou um circuitnho…Outras pioraram e muito, caso de Imola e o A1 Ring, onde as curvas de alta foram “estranguladas”, e de Zandvoort, que foi totalmente detonado e virou um circuitnho…. Já SPA e Hockenheim são casos curiosos…

      SPA perdeu o trecho de muito alta velocidade, com varias retas longas, e uma passagem muito especial, que era o Masta Kink, uma curva em S de alta, que divida a reta de Masta. E o trecho antes de Stavelot, perdeu uma curva de muito alta velocidade. Mas a pista “nova” (a atual), embora tenha sido extirpada de metade de sua extensão – mais de 7 km foram cortados – ficou excepcional, preservando o Radillon e a Blanchimont, e criando algumas curvas novas muito interessantes, com a Fagnes, a Double Gauche e a nova Stavelot (curva Paul Frere !!!). Alem de tudo é muito mais seguro que o antigo, então, é seguro dizer que mudou pra melhor.

      Hockenheim era uma pista ridicula, onde tudo que eventualmente se ganhava no trecho do “motodromo”, se perdia na guerra de vacuo, nos 2 retões, entremeados por uma curva em cotovelo. Clark a odiava (e, curiosamente, morreu nela). Dai colocaram as 2 chicanes e ficou razoavel. Agora, encurtaram a pista de novo, e virou uma pistinha chinfrim…

      Embora eu não goste do automobilismo americano, hoje sou obrigado a me render ao fato que eles PRESERVARAM 2 pistas muito interessantes, comparadas as pistas que foram “castradas” no continente europeu: Laguna Seca e Road America
      (Elkhart Lake). Hoje eu reputaria esses traçados como 2 entre os 10 melhores do mundo ! Mas é só a minha opinião…

      Outro traçado excelente é o dos nosso Hermanos Portenhos. O Circuito de Buenos Aires, embora mal conservado, preserva seus traçados (são varias opçoes !), inclusive com o maravilhoso Curvon, que nos anos 70/80 era feito a cerca de 280 km/h pelos F1, coisa pra piloto bom e macho !!!

      Finalmente, voltando ao traçado antigo de Interlagos. O NIgel Roebuck contou uma passagem da primeira vez que o Mario Andretti veio correr em Interlagos (F1) , e ele foi junto dar algumas voltas de reconhecimento com o italo-americano. Depois de 4 voltas “esgulepando” o Passatinho 1.5 standard, o Mario, que já tinha guiado em todos os melhores autodromos do mundo, grunhiu entredentes: “What a beautiful and fucking damm good circuit !”.

      Interlagos antigo podia até não render boas corridas pra fins de “espetáculo de TV”, mas era um traçado idolatrado por todos os grandes pilotos ! E pra mim, quem quer ver espetaculo, deve ir pro Cirque du Soleil, e não assistir corridas de carro.

      Minha opinião. Ponto.

      Antonio

  6. Manoel disse:

    Monza é o traçado original, Spa é o traçado original, Silverstone é o traçado original e então Nurburgring e Imola, o antigo Interlagos jamais receberia a F-1, por mais de duas décadas, mais é o pensamento retrógrado do paulista e paulistano, pensa assim acabaram com o circuito, e ainda colocam a culpa no morto.

    • Nilton Marcelino disse:

      Manoel, você está enganado, os circuitos de Monza, Spa e Silverstone sofreram alterações, seus traçados não são os originais.
      Monza tinha no final da reta dos boxes, uma sequencia esquerda direita, como se fossem duas chicanes juntas, além disso a curva di Lesmos, também sofreu alterações no decorrer dos anos.
      Spa sofreu alterações na tradicional curva Bus-stop.
      Essas duas (Monza e Spa) não sofreram tantas modificações a ponto de descaracterizar as pistas.
      Já Silverstone, está bem diferente hoje em dia.
      Eu como paulistano frequentador de Interlagos e que já tive a oportunidade de guiar na pista atual, apenas acho que era possível sim, na época da reforma, não mexer ou mexer pouco no traçado antigo, conservando-o para receber as outras categorias.
      Outra coisa, “o morto”, também era paulistano!

    • Lucas disse:

      Spa é o traçado original? Silverstone é o traçado original? Nurburgring original? Bebeste gasolina?
      Cada coisa que a gente lê…

    • Pai Baô disse:

      Aaaaai Manéllllll quanta bobagem escreves !!!!

  7. Nilton Marcelino disse:

    Se não me engano, o Senna nunca correu no traçado antigo de Interlagos. Quando ele saiu do kart, foi direto para a Europa e nunca disputou uma categoria de base no Brasil, portanto, ele não tinha uma história naquele traçado como tinham o Emerson, o Piquet, o Pacce, o Ingo, o Chico Landi (Shico Landi ou Schico Landi) e outros grandes nomes do automobilismo nacional.
    Se ele tinha tanta moral assim pra mandar e desmandar na reforma do autódromo, ele deveria ter usado “a sua autoridade de campeão do mundo!” (mais uma das pérolas do Galvão!!), adaptando o traçado antigo com as necessidades para receber a F1!

  8. Raul disse:

    Senna sugeriu um S no final da reta, em descida, como a Eua Rouge e foi-se embora. Voltou meses depois e encontrou um S travado, bem o contrário do que queria, mas aí era tarde.

  9. Paulo disse:

    Caros,

    O problema não é a pista nova. A pista antiga era desafiadora e tal mas não tinha ponto de ultrapassagem, isso na fórmula 1 de hoje com tanta aerodinâmica deixaria a corrida em Interlagos bem chata. As mudanças foram necessárias mas vendo mais de 20 anos depois elas poderiam ter sido feita de uma forma diferente, principalmente mantendo o circuito antigo ainda em condições de receber corridas, principalmente de outras categorias.

    Abç a todos

  10. Yuri Nehy disse:

    Foi depois dessa reforma que a Ferradura deixou de ter o formato de uma… ferradura!

  11. antonio seabra disse:

    Quem já guiou no Interlagos “modificado” sabe que só sobrou curva de baixa. E curva de baixa não separa os homens dos meninos, como diziam o Giu e o Edgar.

    Não tem nada mais chato nesse planeta do que fazer o S do Senna: frear na medida certa é a unica ciência, pois é mister entrar equilibradinho, se escorregar na primeira perna fica fora do traçado pra fazer a segunda, e ai, lá se foi o tempo…é simplesmente chato ! A unica função dessa curva é ultrapassar com vácuo (e atualmente com DRS) na freada. E se tiver um chato daqueles que quando vai ser ultrapassado vem por dentro em todas as voltas (tipo o proprio Senna), passar por fora só se o cara da frente errar, ou se tiver muita diferença de motor.
    A primeira perna do Lago foi fechada, “estrangulada”, e virou uma curva quase de baixa. A segunda perna é rapida, mas, não se ganha velocidade suficiente entre a primeira perna e ela, pra se fazer no limite (quem sabe de F1 ganhe, não sei…). Acaba que o Laranjinha virou a curva mais desafiadora de Interlagos. Que ironia.
    A entrada do S (original) é de baixissima, sempre foi meio chata, o Pinheirinho é interessante, e o Bico de Pato é o que sempre foi , uma curva travadissima, que não te deixa sair com velocidade suficiente pra fazer o Mergulho – que é uma curva legal – pendurado, O Bico de Pato era a curva mais chata de Interlagos antes do S do Senna.
    Finalmente a Junção, também foi estrangulada: reduziram o raio da curva, e virou uma curva de baixa.
    As curvas de fato interessantes, desafiadoras eram a 1,2, 3 e 4, a Subida do Lago no traçado original e o Sol. O Sargento também era legal, com freada forte em descida, saindo pendurado do Sol, e traçado em subida. Essas foram todas “assassinadas” !

    Interlagos hoje é como aquela mulher que foi lindíssima, mas envelheceu. Ainda tem o velho charme, ainda tem a aura de sex-appeal, mas na hora de levar pra cama, quando tira a roupa, e se vê a realidade, o tesão diminui, e muito…

    A falta de curvas de alta, a falta de outros autódromos no Brasil que sejam de fato desafiadores, se reflete na falta de novos talentos. Não que eu queira incentivar ninguém a acelerar na rua, mas, descer pendurado a Serra de Petropolis dá mais braço do que ficar macerando voltas numa dessas pistas travadas que sobraram. Talvez a exceção seja Tarumã, mas eu nunca andei lá pra poder afirmar. E Cascavel.

    Faltam boas pistas, mas não com curvas de raio longo desenhadas a compasso, como Rio e Brasilia, falta recuperar Interlagos.

    E faltam pilotos (pessoas) como o Avallone, que abram a boca pra falar a verdade, doa a quem doer.

    Antonio

    • Antonio Luiz Siqueira disse:

      A melhor definição de Interlagos nos dias de hoje….”Interlagos hoje é como aquela mulher que foi lindíssima, mas envelheceu. Ainda tem o velho charme, ainda tem a aura de sex-appeal, mas na hora de levar pra cama, quando tira a roupa, e se vê a realidade, o tesão diminui, e muito…”

    • Zé Maria disse:

      Perfeita a sua análise, Antonio.
      Falou tudo!!
      Essa reforma mutilou o autódromo. . .
      Como excessões, além de Cascavel e Tarumã, acho que Guaporé (ainda existe?!?! Vai saber. . .) também tá no grupo.
      Zé Maria

      • antonio seabra disse:

        Zé , tive a oportunidade de dar algumas voltinhas (umas 5 voltas com 4 carros diferentes, e andando muito abaixo do limite) em Guaporé, que não foi suficiente pra fazer um juizo completo. A pista estava suja em alguns lugares, e os carros eram modelos de competição antigos, que deviam ser respeitados. Apesar disso, deu pra sentir que tem uma sequencia de 3 curvas antes do curvão de acesso a reta que é beeem rapida e interessante !
        Porém, a pista não tem as áreas de escape desejáveis, principalmente nos curvões de inicio e final da reta, o que a torna bem perigosa. (Veja o video do acidente com um Truck que ficou sem freio e saiu no final da reta, descendo o barranco, dá até arrepio…)

        Antonio

    • Alan disse:

      Em geral, a maioria dos circuitos antigos, que continuam a receber corridas, sofreram modificações nos traçados, visando segurança e consequentemente reduzindo a velocidade média. Posso citar alguns exemplos, como: Estoril, Monza e Spa.

      Só conheci o traçado antigo de Interlagos por vídeos e simuladores. Era bacana mesmo. Mas o atual também tem seus pontos legais: o S do Senna e a curva da Junção são bem técnicos.

    • Moy disse:

      Um certo circuito italiano tem algumas curvas de alta.
      Mas não vejo ultrapassagens nela. Os caras tiram o pé, pra não pegarem “ar sujo”.
      Talvez os caras da F1 sejam mesmo meninos … Ou não sabem guiar como nós, os comentaristas de blog.

      • antonio seabra disse:

        Um piloto inteligente e com mais habilidade natural, vai dar um espaço antes de uma curva de alta, depois faz a curva mais rápido que o carro da frente, sai mais rápido e entra na reta mais rapido. Logo o tempo de percurso dele na reta será menor, e ele chegará no final da reta mais veloz. Se calculou bem, encurta a distancia para o carro da frente, pega o vácuo e passa com mais facilidade, pois estará com mais velocidade no final da reta (claro, abstraindo do fato dele estar com uma relação de marchas curta demais, ou com muita carga aerodinâmica nos aerofolios, etc). Tinha um certo Emerson Fittipaldi que era MESTRE em fazer isso. Já regulava o carro desde os treinos pra ter uma sobrinha de RPM no final da reta, afim de usar essa possibilidade de vacuo, ter mais final e ultrapassar mais facil, durante as corridas. Quem acompanhou aquele tempo, sabe.

        Um corolário: desde a criação dos apendices aerodinamicos (asas), ficou difícil ultrapassar na saída das curvas de alta, por conta da turbulência criada em função do maior arrasto. O ar turbulento não oferece pressão aerodinamica, logo o carro de tras não pode percorrer a curva colado ou aproximando-se do da frente, sob pena de perder aderência por falta de componente vertical (força Normal). Mas, os caras habilidosos e inteligentes usam as curvas de alta pra ganhar tempo e ultrapassar na freada seguinte. Ex. tipico: sair mais forte da Eau Rouge e ultrapassar no final da reta seguinte, na freada, vide Hakkinen sobre Schummy com Zonta de sanduiche.

        Quantas vezes o locutor oficial fala “sensacional ultrapassagem na freada”, e não enxerga que a preparação foi toda feita uma ou duas curvas antes, criando espaço entre os carros na primeira, pra sair mais forte da segunda curva, aproximar na reta e…concretizar a ultrapassagem na freada PORQUE VINHA COM MAIS VELOCIDADE !

        E mais, é nas curvas de alta que um piloto mais habilidoso ganha tempo sobre os demais, e tira diferenças, quando vem tentando reduzir a distancia para o da frente. Nas curvas de baixa você só consegue perder tempo, nunca ganhar. Curva de baixa com rodas largas, pneus “chiclete” e alta pressão aerodinamica, voce tem de fazer “no trilho”, para não derrapar e criar um efeito de “freio” no carro. Isso visa permitir entrar na reta arrumadinho e colocar a potencia no chão o mais cedo possível (sem patinação das rodas de tração).

        Por fim, só pra voce entender, esse tipo de manobra em curva de alta é para pilotos com P maiusculo, e nao para “pilotos (comentaristas) de blog”, como nós.

        Bom esse assunto é tão extenso, que daria pra escrever um tratado sobre ele. O que não vem ao caso aqui. Mas só pra voce pensar um pouco: com esses carros cheios de pneus hiper largos e super aderentes, alta pressão aerodinâmica, efeito “Ventury”, ficou tão dificil “sair do trilho”, que tiveram de criar KERS, DRS e curvas de baixa no final das retas, pra permitir que existam ultrapassagens. Deviam era tirar essas porcarias, trabalhar mais com “aderência mecanica” (leia-se boas suspensões), e deixar o trabalho de ultrapassar para os (bons) pilotos !!!

        E, sim, curvas de alta separam os homens dos meninos. Esses autódromos cada vez mais travados é que permitem um piloto mediano-bom não quase nada, apenas 1 ou 2 decimos por volta de um piloto excepcional !

        Perdoem me se me estendi demais ,ou não fui claro suficiente. Se restaram duvidas, sugiro dar uma olhada nos videos de provas dos anos 70, até a criação dos carros asa, e/ou nos de logo depois do banimento da minisaias.

        Antonio

      • Zé Maria disse:

        Mais uma aula sua, Antonio.
        Obrigado.

      • antonio seabra disse:

        Zé,

        Obrigado. Mas não tenho a pretensão de ser infalivel, muito menos de dar aula !!! Apenas gosto, estudo e acompanho automobilismo a cerca de 50 anos, então, “tempo de janela” faz a gente enxergar um pouco mais longe, e se interessar mais pelos detalhes. Mas já me enganei muito sobre esse esporte, e também já falei muita besteira. Hoje eu me policio mais, analiso mais, e tomo um pouco mais de cuidado com o que falo, rs,rs,rs.

        Além do mais, o que escrevo é a minha opinião, porem sem a pretensão de que ela seja verdade absoluta pra todos. Opinião cada um tem a sua…

        Um abraço

        Antonio

  12. Renato disse:

    Só eu que acho Interlagos sensacional, principalmente por causa do S?

    Seria legal ter os trechos antigos, para outras categorias e tal, mas eu acho a pista perfeita para a fórmula 1, tanto que as corridas daqui sempre estão entre as melhores de cada temporada.

  13. Luciano disse:

    Opções de traçado é o que falta ainda em Interlagos. Tem como fazer. Poderíamos aproveitar o traçado antigo e criar um anel externo como um oval (eca) eu nao gosto mas temos que contemplar todos os gostos!

  14. Piquetada disse:

    “S do Chico Landi”…kkkkkkkkk

    Baita cagada que fizeram na pista de Interlagos, o tal “S” for criação por causa própria, piada querer dizer que era homenagem a Chico Landi.

    Fez amizade com Galvão visando marketing da platinada. Namorou com a Xuxa pra fazer um “bonito” pra galera, inventou o tal “S” pra ficar marcado na pista paulistana, lançou até revistinha infantil…

    Baita marqueteiro foi o Senna, bem que Prost e Piquet comentavam, o cara era um verdadeiro ator(adorava fazer drama na pista pra valorizar as conquistas).

    “Ayrton garante que as características do circuito original seriam mantidas”

    Onde isso herói de barro? Não tem nem como comparar pista antiga com a nova! Curva 1 e curva 2 coloca o “S do Chico Landi” no chinelo, basta ver o vídeo abaixo! Poucos pilotos conseguiam fazer 1 e 2 em pé em baixo.

    Foto da pista de Interlagos antiga:
    http://hotsites.atribuna.com.br/atribuna/fotos/blogdaf1/2_07_2010/INTERLAGOS.jpg

    GP Brasil 1977
    http://www.youtube.com/watch?v=xE6Xxsezx2c

    Inauguração do Autódromo de Interlagos
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ekFoP1lFx-s

    Luiz Evandro Águia e Antonio Carlos Avallone, criticam as reformas com razão, transformaram a pista de Interlagos em pista de autorama…

  15. Cassius Clay Regazzoni disse:

    O Senna era um puta piloto, um dos melhores que já existiram.

    Da mesma forma, era um cínico e dissimulado defensor dos interesses próprios e da emissora platinada, além de extremamente vaidoso.

    Em síntese, um grandessíssimo filho da puta que corria como ninguém.

    Ele e Alonso são muito parecidos, logicamente ressaltando que o Picareta das Astúrias não serviria para lustrar o capacete do brasileiro.

  16. Pablo Vargas disse:

    O Águia ficou melhor careca.

  17. perna quebrada disse:

    Um Gurgelzinho no fundo.

  18. Peter Perfeito disse:

    Huummm…deixa ver se entendi.

    O cara sugere uma curva em S para alterar o circuito, sabendo que todo mundo saberia (pela voz de Galvão Bueno pelo menos) que foi sugestão sua, mas numa ‘humilde homenagem’ sugere que se chame “curva Chico Landi”?

    Se o cara tinha a ‘moral’ para alterar o circuito e dar ‘consultoria’ no traçado, realmente alquém acreditaria que chamariam a curva de “Chico Landi”??? É óbvio que sua sugestão de homenagem não pegaria…

    Tão espontâneo e inocente quanto namorar a Xuxa e depois a Galisteu.

    Enfim, segue o jogo.

    • Wagner disse:

      E daí cara? Ele era o atual campeão da F1 e tinha moral pra isso. Quanto as namoradas, vc preferiria o Pelé?

      • Fernando disse:

        E dai…… que esse é o Ayrton que poucos conhecem, inclusive voce

      • AGS disse:

        pelé, jogava no santos..mas era xaupaulino roxin..

      • Pedro Araújo disse:

        Wagner, você não captou a ironia do Peter Perfeito…

        Mas, parafraseando o Louis Armstrong: If you have to ask, you’ll never know.

      • Boer disse:

        Humm… dorzinha…

      • Wagner Campos disse:

        Só acho q tem um bando de moralista por aí julgando a vida pessoal do cara e esquecendo seu papel no esporte. Alguém fala das manobras do piquet pra vencer corridas? Do caráter do Prost? Muitos dos que falam do Senna provavelmente fariam igual ou pior q ele se tivessem talento pra isso. O cara nunca foi santo, mas certamente ajudou mto mais gente que os moralistas de plantão.

      • Peter Perfeito disse:

        Caro Wagner, “talvez” houvessem mulheres MAIS BONITAS, MAIS GOSTOSAS E MENOS FAMOSAS que Xuxa e Galisteu naquela época, sei lá.

        Namorar a Xuxa, ser amigo do Galvão Bueno e visitar o “Domingão do Gaustão” é muito “clichê” não acha?

        Sou mais o estilo de Piquet e Fittipaldi. Gosto de mulher sim. E se fosse campeão de F1, viveria cercado das mais bonitas, sempre.

        Mas não PRECISARIA fazer disso um “outdoor” por aí.

        “Quem come quieto, come duas vezes.”

      • Peter Perfeito disse:

        *Domingão do Faustão

      • Wagner disse:

        Talvez hj em dia fosse mais clichê q naquela época. De todo modo o cara gostava de ser pop, fazer o q? Ele sabia jogar com a mídia de seu tempo pq sabia o poder q ela exercia nos brasileiros. Ele n era bobo, disso todos sabemos. Se tá certo ou errado n é problema nosso pq nunca tivemos q fazer esse tipo de escolha, mas a forma como ele é lembrado pela maioria prova q conseguiu o que queria. No teu caso q n acha correto é só n fazer igual q tá de bom tamanho.

        E outra, quem tem fama e dinheiro meu caro, come qtas quiser, se expondo ou n.

  19. Nilton Marcelino disse:

    Cá pra nós, S do Chico não combina! O mestre Chico Landi merece todas as homenagens possíveis, mas, tá na cara que a curva em S foi idealizada com propósito de receber o nome do seu idealizador.
    Acho que as modificações deveriam ter sido realizadas, caso contrário, teríamos dado adeus a F1 em São Paulo, porém, o traçado original deveria ser mantido.
    Uma pena!

    • Moy disse:

      Hummmm . E se existisse curva em P, seria pro Piquet? Em E seria pro Emerson? Ou quem sabe uma curva em B, pro Barrica?
      As curvas normais em C, dever ser todas pro Chico ou Cacá. Certo?
      Mas aí teríamos os cotovelos, que remetem a um A. Aí seria novamente pro Ayrton. Não vale. Nem os retões, pois remetem ao I de … sei lá.
      Ou seja, a diversão aqui é procurar pelo em ovo.
      O cara fez o dele. Se batizaram desta forma, bom pra ele.

  20. Arthur Luz disse:

    Ah, um pouquinho antes da reforma estava assim:
    http://www.youtube.com/watch?v=yO14EOO1G44

  21. David Santos disse:

    Se não me engano foi neste tal-S-do-Senna que fez a corrida de Interlagos ser a mais emocionante desde que a F1 voltou das férias de julho. Acho fantástico este trecho, pois lá se revela (ao extremo) a habilidade ou a estupidez dos pilotos!

  22. Jayme disse:

    Eis a prova do crime da morte de Interlagos

  23. David Santos disse:

    Se não me engano foi neste tal-S-do-Senna que fez a corrida de Interlagos ser a mais emocionante desde que a F1 voltou das férias de julho. Acho fantástico este trecho pois lá se revela (ao extremo) a abilidade ou a estupides dos pilotos!

    • David Santos disse:

      Putz! deu merlin!

    • Minoru disse:

      Caro David, já se vê pelo que você escreve que não conheceu o Interlagos de antes, que era muito mais DESAFIADOR aos pilotos ao ponto de criar uma legião apta a enfrentar os estrangeiros em qualquer pista na casa deles e ganhar, porque Interlagos era escola e ensinava todos os pulos do gato, o que depois dessa atrocidade que fizeram no “Templo” jamais voltou a ocorrer…

      Coincidência que depois disso nunca mais tivemos pilotos de qualidade como antes?

      Não é coincidência não…

      • A.Vandelay disse:

        Caraca, você tá responsabilizando o novo traçado de Interlagos como o culpado pela situação do automobilismo brasileiro? Eu não li isso… eu não li isso…

      • Renato F1 disse:

        Bem notado! Se fosse por isso, quando ‘mataram’ Hockenheim e Nürburgring, Schumacher deveria ser o último alemão a ser primeiro piloto.

        Estão aí Vettel e Hulkenberg para desmentir essa teoria!

      • Luciano disse:

        Nao é pela falta ou “piora” de Interlagos que não formamos mais pilotos bons. É pela falta de política esportiva. O Brasil não forma nada, esta deixando de formar ate jogador de futebol!
        O circuito antigo podia ter sido preservado, não foi a reforma que o inutilizou foi a dona CBA.

      • Mauro Batera disse:

        Concordo contigo Minoru!!

  24. Mauro Batera disse:

    Pois é Flavio, Avallone tinha razão, em 1993 Berger deu um porrão num dos treinos para o GP Brasil bem neste muro, e que foi apelidado de “O Muro do Berger”.

    Infelizmente, nunca mais o circuito antigo foi utilizado.

    Abraço!

    • Arthur Luz disse:

      Pois é, Essa reforma deu o que falar… E ainda dá!

      Se a nova reforma do circuito fosse levada realmente a sério, dava pra recuperar boa parte do traçado antigo. O problema é que não existe interesse privado pra tal reforma, e sou contra fazer uma super reforma usando somente dinheiro público.

      Dava pra fazer uma super reforma com pelo menos 3 opçoes de traçado e boxes novos, mas aí, é devaneio meu.

      No dia que a F1 deixar SP, não dou 5 anos pra demolirem o restante da pista e levantarem um condomínio com uma vila olímpica.

      abs,
      Arthur

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *