ENIGMA DO DIA

Vamos ver se a velharada daqui sabe mais sobre esse Fusca santista… Gustavo Delacorte mandou a foto.

delacortefusca

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
claudio estevam cavallini
claudio estevam cavallini
7 anos atrás

Bom dia!
Gostei muito de ver a foto do meu fusca no blog do FLÁVIO GOMES.
Agradeço o Flávio e aos amigos que comentaram sobre as corridas, tenho muita saudades dos velhos tempos.
No meu face tem um album “ADRENALINA PURA” com 200 fotos para recordar as corridas que levavam publico para interlagos.
Um grande abraço a todos.
Cláudio Estevam Cavallini.

Ricardo Mallio Mansur
Ricardo Mallio Mansur
8 anos atrás

Pois é, falei tanto e não disse o nome do piloto: Claudio Estevam Cavallini, um grande representante da cidade de Santos!

Ricardo Mallio Mansur
Ricardo Mallio Mansur
8 anos atrás

Excelente piloto, rápido e também muito regular para provas longas. Correu de Div. 3 Com componentes nacionais, de Puma 1600, de Div. 1 quando foi 2º colocado na Classe A nos 500 Quilômetros de Interlagos. Também correu na fantástica Div.3 na época mais disputada da categoria em 1974! Tem também um disputadíssimo 1º lugar na mais longa e difícil prova de Endurance do mundo, as 25 Horas de Interlagos e posteriormente desclassificado por interesses puramente comerciais de uma grande multinacional. Correu também de Fiat, Super Vê e novamente numa prova longa, as Mil Milhas de 1985, na equipe Alpi/Sultan, um honroso 6º lugar, após uma demora de mais de 20 minutos no box! Sempre foi destaque em todas as categorias que disputou. Pilotaço!

QUIM MIRANDA
QUIM MIRANDA
8 anos atrás

so para lembrar de quem era o preparador deste carro….MOTORQUIM….o qual ganhou o troféu de melhor preparador com este carro e CLAUDIO CAVALLINI PILOTO..

Antonio Freire
Antonio Freire
8 anos atrás

É o Claudio Cavallini, bota dos melhores e boa praça. Tivemos ‘encontros’ na D3, Super Vê e Fiat. Grande figura!

Antonio Freire
Antonio Freire
8 anos atrás

É do Cavallini, bota e boa praça, mas ainda assim ‘freguês ‘ dos gaúchos na D3, Super Vê e Fiat, hehe…

jan crispim
jan crispim
8 anos atrás

tem um outro, da mesma epoca, vermelho c/listas horizontais brancas muito lindo tbem,

Jefferson Antonio Pereira
Jefferson Antonio Pereira
8 anos atrás

Acompanho o automobilismo desde os anos 60, a principio pensei em Emerson Fittipaldi ( pelo desenho do capacete ) imaginando umas voltinhas no divisão 3 em Interlagos. Não cheguei a conhecer o Claudio Cavallini.

sergio
sergio
8 anos atrás

Bom dia, Flavio
Bons tempos aqueles. Ver esses foquetes passarem em fila indiana à partir da Ferradura, os carros com mais cilindradas – dogdes, mavericks,opalas – mas horríveis no misto. A vingança das “barcas” começava no Café e ia até a entrada do miolo.Grandes fim de semana em que meu pai entrava com seu dekadabliu bege, estacionava de ré bem próximo do ultimo degrau da arquibancada na reta dos boxes, abria o porta malas e começava com um piquinique, ou seria pi quini que , ou pik nik, aqueles que foram os melhores dias que passei com meu pai.

Fernando Carvalho
Fernando Carvalho
8 anos atrás

Não sou especialista , mas o rebaixo no capo deveria trazer resistência aerodinâmica ….
E viva os “Pinicos Atômicos ” !!!

Danilo Candido
Reply to  Fernando Carvalho
8 anos atrás

Engano seu, serviam na verdade para “otimizar o fluxo de ar”.

Fernando Carvalho
Fernando Carvalho
Reply to  Danilo Candido
8 anos atrás

para onde….????

Mario Souto-Maior
Mario Souto-Maior
8 anos atrás

D3 do Claudio Cavallini.
Aqui tem mais fotos.
http://ruiamaraljr.blogspot.com.br/search/label/Claudio%20Cavallini

Pablo Vargas
Pablo Vargas
8 anos atrás

Cavallini correu na Divisão 3 e na Fórmula Super Vê na primeira metade da década de 1970. Depois, parou de correr. Voltou a correr o Brasileiro de Marcas com um Fiat Oggi da equipe Alpi em 1984, reparem no “trabalho aerodinâmico” feito no carro. Essa era uma das coisas mais legais da Divisão 3: ver três dezenas de Fuscas correndo entre si e nenhum ser igual ao outro. Os preparadores usavam e abusavam da criatividade, criando cortes e formatos diversos de pára-lamas, tampas do motor e do porta-malas, etc.
Fonte : Pandini Gp

Pedro
Pedro
Reply to  Pablo Vargas
8 anos atrás

Meu pai comprava carros na Alpi do meio da dec. de 80, até inicio dos anos 90. Vi alguns Fiat Uno preparados por lá. Tinha até um adesivo com um Fiat Uno de competição que colavam nos carros que saíam da concessionária. Atualmente, no local há um estacionamento e um edifício. Bons tempos.

Pablo Vargas
Pablo Vargas
8 anos atrás

O Cláudio Cavallini era um bota Santista, com esse Fusca correu até Mil Milhas.
[img]http://3.bp.blogspot.com/-0S4m3AGghrs/Uotun8X_F9I/AAAAAAAAfko/0maGj7DVPJA/s1600/532438_201821129921358_589687459_n.jpg[/img]

Ricardo Sarmento
Ricardo Sarmento
8 anos atrás

Não tenho certeza, mas o nome do piloto era Cláudio Cavallini.