SALTIMBANCO

nelsinhodivulgSÃO PAULO (encruzilhadas) – Por mais que negue, e que siga com o discurso de que a Nascar isso, a Nascar aquilo, a carreira de Nelsinho Piquet na principal série americana acabou. Já desde o fim do ano passado sua participação nas provas das três categorias ianques (Truck, Nation e Sprint) era absolutamente incerta, com uma possibilidade de fazer uma corrida aqui, outra ali, mas nada de concreto.

Depois, Nelsinho falou sobre seus planos de fazer aquelas provas de rali não sei das quantas. Nem sei o nome direito, RallyCross, talvez, me parece mais exibição do que coisa séria e competitiva. Aí, acertou para correr na Stock em dupla com Átila Abreu na primeira corrida da temporada. E nada de fechar com time algum de categoria alguma relevante para 2014.

Hoje, Rodrigo Mattar replica informação divulgada na Itália de que Piquet Pimpolho vai correr na Blancpain Sprint Series, a versão de corridas curtas de GT do campeonato que tem também a Blancpain Endurance Series com o mesmo tipo de carro. Blancpain é uma marca de relógios caros que patrocina o campeonato, criado em 2011 com organização da SRO, e que neste ano sucede o Mundial da FIA GT — competição da qual no ano passado participou o BMW Team Brasil com Cacá Bueno, Allam Khodair, Ricardo Zonta e Sérgio Jimenez, equipe tocada por Washington Bezerra e Antonio Hermann.

E é nessa equipe que Nelsinho vai correr. Está escalado para testes em Nogaro na segunda-feira ao lado de Cacá. É segredo de polichinelo, já. Piquet Júnior deve mesmo disputar esse campeonato, na falta de coisa melhor — e o campeonato não é ruim; só que está longe de ser uma categoria top para um piloto que trilhou o caminho da F-1, a ela chegou, depois pulou para a Nascar sonhando fazer carreira nos EUA e, de repente, se viu a pé.

Isso, sim, está em questão. Piquezinho virou um saltimbanco das pistas, mais ou menos parecido com Jacques Villeneuve, com a diferença básica de que o canadense foi campeão na Indy, venceu as 500 Milhas de Indianápolis e foi campeão mundial de F-1. Depois disso, podia fazer o que quiser, correr até de patinete, que não precisava dar muitas satisfações a ninguém — como não dá, mesmo. A trajetória de Nelsinho é bem menos vitoriosa e mais dramática. Afinal, ele foi alijado da F-1 por conta de um dos maiores escândalos da história do automobilismo. Se aprumou, encontrou um rumo, cantou esse rumo em verso e prosa e, agora, parece que perdeu o rumo de novo.

Nelsinho, não fosse Cingapura/2008, poderia ter ido longe. Mas se perdeu. E não pode culpar ninguém por isso.

Comentários

  • Piquetzinho se queimou bastante na F1 pelo que ele fez como piloto : quase nada.
    Muito lento em classificação, de corridas era melhorzinho mas errava muito.

    Depois de dispensado da Renault, ele teria que praticamente recomeçar na F1 em outro lugar. Era um piloto com alguma bagagem e que não vivia uma situação ideal na Renault, algo cristalino para todos.

    Mas ele e o pai preferiram dinamitar todo o esforço feito por ambos nos anos anteriores para chegar a F1 em busca de uma vingança de algo na qual ele foi conivente para fazer, e que se discordava, não deveria ter aceito. Seria demitido da equipe mas não queimado da F1.

    Agora está aí fingindo que é piloto e não um playboy endinheirado como vários por aí que participam de corridas. É uma pena, potencial ele tem, basta ver o que fez na GP2.

  • Já falei aqui e repito, aqueles que falam do Alonso se referem sempre aos assuntos extra pista, porque na pista o cara é o melhor. Podem dar seus chiliques, remoer 2008, 2010, sei lá. Mas dentro da pista você não vê o cara sendo sujo. Desafio alguém a encontrar uma manobra desleal, um brake test, uma espremida sacana, uma batida proposital. Qualquer manobra que coloque a integridade de alguém em risco. Ficar em 2014 relembrando 2008 é coisa de fofoqueira mal amada, fazer juízo dos fatos sem saber o que é verdadeiro, somente lendo (em português) notícias que são ventiladas com a bunda no sofá. Leia isso, em português, se depois dessa ainda assim vomitar merda pelo teclado, aí é falta de QI mesmo.
    http://www.gazetaesportiva.net/noticia/2012/08/motor/nelsinho-se-apaixona-pelos-eua-e-acha-normal-massa-levar-fumo.html

    “Foi muito bom e muito ruim. O lado ruim não foi que ele é o melhor piloto da atualidade, mas sim porque estava em uma equipe carente de vitórias, que estava sofrendo. Eles precisavam agradar o Alonso o máximo que pudessem, pois sabiam que se o caro não tivesse desempenho, iriam perder o Alonso para uma equipe melhor. E isso não foi legal para mim, pois quando entrei foi nessa época. Considero-o o melhor piloto na Fórmula 1, e sempre quando estive com ele, nunca fui sacaneado. Nunca tive nenhum problema com ele. Sempre que pedi, e ele me ajudou. Pelo lado do Massa, não tem muito que fazer. Ele é osso duro e é o melhor no momento. A situação é difícil, mas é tentar fazer melhor possível seu trabalho e não há mais o que fazer”, finalizou. – See more at: http://www.totalrace.com.br/site/noticia/2012/07/nelsinho-sobre-alonso-ele-e-osso-duro-e-e-o-melhor-no-momento#sthash.AVkynEL6.dpuf

    Os pilotos são unânimes, Alonso é o melhor:
    http://www.foxsports.com.br/noticias/126187-nelsinho-aponta-excompanheiro-alonso-como-melhor-piloto-da-f1
    http://www.lancenet.com.br/minuto/Nelsinho-Piquet-Alonso-piloto-F-1_0_1015698551.html
    http://www.totalrace.com.br/site/entrevista/2012/11/alonso-seria-campeao-de-sauber-diz-nelsinho-piquet

  • não sei não..pode até ser que ele fosse longe mas sempre passou a impressão de que faltava alguma coisa. Alternava muito. Quanto à Nascar, bem… os americanos que a dobrem e enfiem naquele lugar. Até eu que gosto de tudo quanto é categoria de automobilismo sentia SONO ao ver aquilo. 99% do prova é monotonia absoluta. No final eles dão um jeito de embolar e então acontecem as tradicionais porradas que o publico americano tanto gosta. Do ponto de vista humano, mesmo que não tenha tanta falsidade e pilantragem quanto na F-1. E, por outro lado, dá toda a pinta de ter todos os problemas que estamos cansados de saber: o público da nascar é formado pelo americano típico: chucro, racista, xenófobo, rotulador, marrento, belicoso..enfim a visão do inferno. Basta ver antes da cada prova: tem sempre o tradicional espetáculo de horrores com direito hino nacional, bandeirinha, desfile militar, discurso de homenagem a soldado e por aí vai. Muito pior do que fanatismo religioso. Espero que o Nelsinho encontre caminhos melhores quem sabe consiga alguma categoria tipo endurance, DTM, sei lá.

    • Paulo, na F1 certamente já aconteceram trapaças bem piores que a cometida pela equipe do Nelsinho e ninguém foi punido, mas Nelsão, numa atitude desatinada de ira e superproteção em relação a sua cria, acabou cavando a cova do próprio filho na F1 ou seja, se for pra colocar as coisas em termos de “destino” eu diria que o triste destino de Nelsinho foi o de ter um pai capaz de fazer aquilo que fez…….

      • Sinto dizer que você está equivocado, ms. O Cingapuragate é considerado o maior escândalo da F-1. E tão bem arquitetado e executado, que ninguém desconfiou.
        Se não fossem os Piquet, jamais saberíamos a verdade. Seria o “crime” perfeito.
        Acredito que essa tramoia mexeu no campeonato, pelo simples fato de que, não acontecendo, não haveria a “correria” em direção aos boxes (a mangueira viajou porque o mecânico, com certeza, ficou pressionado pela presença do Ferrari de Raikkonen atrás do Ferrari do Massa, no box da equipe. A ausência do “pirulito” acabou sendo uma agravante no acidente).
        Sem o acidente premeditado, cada carro da equipe entraria na área dos boxes em tempos distintos e, mesmo sem o “pirulito”, a mangueira não iria “pedir carona”. Massa venceria ou faria pontos suficientes para levantar o campeonato de 2008.
        E não teríamos o “campeão da última curva”…

      • Não dava pra ser mais burro que estacionar na Rascasse. Mais um filhote de Briatore. Pelo menos na pista Alonso não faz dessas, Hill e Villeneuve que o digam.

  • O episódio da F1 foi na F1 e os americanos estão cagando pra F1…o automobilismo deles é deles e não se sujeitam aos humores da fia….dão lá uma beiradinha e pronto….o problema do Piquezinho e falta de consistência e resultados…..é um problema atual crônico dos brasileiros de um modo geral, são inconstantes e isso pesa muito. Tomara que ele se encontre logo afinal é mais um brasileiro e devemos querer mostrar serviços e sermos bem vistos em qualquer lugar que resolvermos competir, nem que seja futebol de botão..

  • Segundo o piloto a razao da saida deve-se aos patrocinadores, que ja nao viam na Nascar uma categoria interessante para eles. Parece que estavam apostados em ir para a Formula E. Mas entao e estranho que ele nao se tenha inscrito no clube de pilotos da nova categoria. Parece que a empresa do pai patrocina uma das equipas e isso poderia ser uma otima porta de entrada.

    Quanto a saida da F1, fala-se muito do episodio de Singapura mas a verdade e que desportivamente as coisas tambem nao tinham corrido muito bem. Isto porque ele tambem nao foi muito bem aproveitado. Em 2006 lutou com Hamilton pelo titulo da GP2 mas so em 2008 o Briatore apostou nele para a F1. Esse ano em que ele esteve quase parado fez diferença, refletindo-se negativamente nos resultados. Alem disso entrou numa Renault que estava por baixo e onde Alonso tinha toda a atençao e prioridade. Tivesse ele enfrentado circunstancias mais favoraveis e seria mais um que podia ter uma boa carreira na categoria maxima. Nao seria um fora de serie (na GP2 e preciso lembrar que Hamilton era estreante e Nelsinho ja estava na sua segunda temporada), mas faria certamente muito mais do que fez.
    Portanto nao foi o episodio de Singapura/2008 que o impediu de ir longe na F1. Singapura foi sim o golpe de misericordia numa carreira que ja estava algo comprometida.

  • Oxente! E era pra ele ficar sentado e esperando ser recontratado ou o lobby dos colegas de profissão fazer efeito? Tipo aconteceu com um colega de “imprença” recentemente?
    Que nada! Quem não depende de ninguém e tem competência, corre atrás. Se errou ou não.
    Quem tem família pra sustentar, procura oportunidades. Mesmo que outros o julguem de “saltimbanco”.

  • É uma pena… mas do jeito que as coisas estão se encaminhando, a impressão que dá, é que no máximo em 2015 o Nelsinho e o Bruno Senna vão voltar para o Brasil e correr na Stock… que pra categoria, e até mesmo para os dois (no atual estagio que a carreira de ambos se encontra), seria uma boa.

  • Sinceramente acho que o escritor dessa matéria deveria ler mais antes de afirmar coisas que nem sabe direito, pois o mesmo não tem conhecimento que o Global Rallycross é uma das series de corridas que mais cresceu nos últimos anos. É uma competição bem séria e muito competitiva com varias equipes de fabrica, que na ultima temporada contou com tantos nomes de peso entre eles os ex-pilotos de F-1 Scott Speed e Nelsinho Piquet, o campeão do WRC e do Rally Dakar Carlos Sainz, o campeão da DTM Mattias Ekström e varios outros campeões, e que nessa temporada também contará com vários superstars incluindo o campeão mundial de F-1 Jacques Villeneuve.

    • Negativo, o Rally Cross é um brindeira, sim. Daqui a 5 anos não vai mais existir e ninguém mais vai lembrar disso. Tem equipes apoiadas por fabricas e caras como Ekstrom e Loeb por conta de um boom de popularidade digno de modas passageiras e por ter provas no meio do X Games, que, convenhamos, vive de modas passageiras.

  • Sobre o episódio em Cingapura, que todos nós sabemos como e por quem foi tramado, seus cumplices e suas consequências no andamento campeonato daquele ano, pode-se concluir:

    Bom caráter e talento nem sempre estão na mesma pessoa !
    Tal pai, tal filho !

    • Le petit Piquet sacaneou o campeonato do Massa. Não fosse Singapura aquele ano da F1 estaria eternamente vestido de verde amarelo. Isso vai ficar nas costas dele pela eternidade.

      • Massa errou em outras corridas, Sydnei. É a mesma coisa quando falam dos erros da equipe, o Crash Gate atrapalhou, a Ferrari atrapalhou e ele se atrapalhou também.

  • Ele tentou… Da maneira dele, mas tentou… Acertou, errou, porém os erros falaram mais alto, como no caso da briga com o Brian Scott, na brincadeira com o Parker Kligerman, na comemoração com o bandeira do Brasil… Nelsinho não é nem um pouco carismático, e muito vão dizer que o Kimi tb não, mas comparações são infrutíferas… Sinceramente, nunca acreditei que ele fosse fazer uma carreira brilhante na Nascar, teria um momento ou outro de glória, como já comentaram aqui, no máximo. Ele agora vai se divertir, seja no GRC, seja na Blancpain, seja no kart, mas, acredito, sem compromisso de “fazer história” em uma categoria. Lógico, posso estar enganado, mas por hora é isso que visualizo… Boa sorte a ele…

  • Uma pena mesmo, sempre o considerei rápido e constante. Pra quem não lembra, sempre ficou 2 ou 3 décimos atrás do Alonso. Grosjean e Massa muitas vezes ficaram muito mais longe do espanhol.

    E na Nascar creio que teve politicagem. Ele foi bem e poderia evoluir muito mais.

    O Nelson agiu com o fígado, não com o cérebro. Quando ele saiu da Renault, daria para encaixá-lo em outra equipe e hoje poderia estar até em um cockpit bom. Uma pena

  • Nelsinho tinha mesmo que voltar a tentar a carreira na Europa. Correr em círculos, com carros pesados, contra rednecks, morando em Charlotte cheio “gordinhas” por todo lado… Ou correr de GT pelas principais pistas da Europa e morar em Monaco com uma mulherada bonita de inspiração ? Torço para que ele galgue categorias e quem sabe chegue numa WEC, Le Mans, etc. Aliás, ele seria uma excelente opção para o DTM !!!

    • Comentário extremamente preconceituoso de quem provavelmente nunca assistiu 10 minutos de Nascar! A Nascar é extremamente competitiva e qualquer um mesmo num carro ruim consegue mostrar seu talento. Há brigas pelo 1o. e pelo 30o lugar na mesma intensidade. Assisto F1 e digo que isso sim ultimamente tem sido chato. As corridas são uma verdadeira procissão. O problema do brasileiro é achar que oval não presta, que o que os Yankees tem não presta. Presta é esse lixo de automobilismo nosso que morre a cada dia. Monopostos praticamente não existe. Se os dirigentes fossem realmente inteligentes, aproveitariam a onda dos Stock cars pra preparar pilotos para a Nascar!

  • Ficou sem lugar na Nascar por que encarou um americano.
    Ter ou não talento lá não é importante.
    Americano é assim, acha que manda e manda.
    Brasileiro é assim, bundão. Quando aparece um que peita todos acham que o cara
    e incapaz . Vejam na politica e também no esporte

    • Ele não deu certo na Nascar simplesmente pq não levou a categoria a sério. Achou que era mais talentoso que todos e se ferrou. Torci muito pra ele mas faltou a gana de querer vencer sem desistir no 1o. obstáculo que apareceu. Cade a tal carreira que ele falou tanto?

  • NASCAR é pior do que Stock, um monte de pilotos ruins que só servem para ficar correndo em círculos, com um público formado por aqueles caipiras branquelos racistas nojentos enchendo a cara. NASCAR truck, pela tradição americana das picapes, é ainda pior.

    Vai correr em alguma categoria profissional, sua família já tem dinheiro, não precisa ficar ganhando dinheiro correndo nos cafundós dos judas com um monte de gordos brações.

    • Se os pilotos da nascar são ruins, pq ele não chegou lá botando tempo em cima deles, como fez o Mansell quando foi para a Indy? Nelsinho sempre foi ruim do pé direito.

    • Por isso que o Brasil não vai pra frente. Boa são as nossa categorias né? onde na principal (Stock car) menos de 50% dos pilotos vivem financeiramente disso. Boa é nossa escola de monopostos, onde só restou a F3. Antes de criticar algo procure conhecer. O Nelsinho perde muito mais ao desistir da Nascar. A Nascar não precisa nem um pouco dele.

  • O Nelsinho iria correr em Baku ano passado quando a data coincidia com a Data da Stock. E só lembrando que a categoria tem 7 provas e ele ainda está tentando fazer algumas provas neste ano na NASCAR.

    • Gostaria muito que fosse verdade a entrevista que ele deu. Mas acho a Nascar já era. Ele fechou portas por lá. Não vai ser tão fácil voltar, até mesmo pq ele não está demonstrando vontade nenhum de voltar pra lá. Vide Miguel Paludo que ficou a pé esse ano mas continua morando na Carolina do Norte e negociando com equipes por lá. Enquanto isso o Piquet fica inaugurando sorveteria e perambulando por aí. Desse jeito fica difícil.

  • Não acredito que o Nelsinho tenha ficado sem carona na Nascar por causa do entrevero que ele teve na etapa de Richmond com o Brian Scott e mecânicos dele. Se fosse por isso acho que ele seria “misteriosamente” demitido ou perderia o patrocínio ao longo do ano.

    Me recuso a acreditar nessa xenofobia que a Nascar tem com estrangeiros, se fosse assim o Montoya não passaria tanto tempo na categoria (e olha que ele não respeitava ninguém lá) e o Marcos Ambrose que se sair da Nascar vai ser porque ele que quer voltar a correr na V8 australiana.

    Acredito que o Nelsinho tenha perdido o foco mesmo e tenha visto que as coisas na Nationwide não foi bem como ele imaginava, se ele quer mesmo fazer carreira na Nascar que passe por cima das dificuldades que aparecerem, mas não, preferiu mudar radicalmente..

    • Concordo plenamente com você. Ele perdeu o foco quando viu as dificuldades. Faltou viver as dificuldades a pleno pra depois pensar em conquistas. Ele estava pensando somente em conquistas. Se existisse Xenofobia os Mexicanos não estariam crescendo. O automobilismo mexicano investiu em Nascar. Usa o nome, pilotos sobem e se desenvolvem e os resultados vão sugindo devagar, um passo de cada vez. German Quiroga está consolidado na Truck Series. O Daniel Suarez tem ido etapa a etapa e hoje é lider da KN East que é a principal divisão regional da Nascar.

  • Como em 99% das vezes você foi perfeito.

    Ele tomou a decisão de participar daquela vergonha. Aquele papinho de que foi pressionado e conversa furada. Filho de quem é, de família milionária, não era nenhum coitado que estaria dirigindo táxi na segunda-feira.

    E o que é pior, quase enfiou lá o sobrenome que leva que é de um dos maiores da F1. Seu pai, antes de tudo sempre foi HOMEM pra dizer não para o que não queria e não concordava. Não é unanimidade, eu sei, mas ninguém pode discordar que ninguém nunca botou a cara com Piquet pai sem levar chumbo.

    Sem contar que queira ou não, influenciou diretamente do resultado do campeonato daquele ano, ferrando com o Massa. Li outro dia outro blogueiro dizer que é exagero dizer que Massa perdeu o campeonato ali. Discordo desse blogueiro.

    Se fosse inteligente, teria dito não e denunciado. Sairia fortalecido demais e teria vaga em outra equipe, porque como todos sabem, o Briatore é figura odiada em tudo que faz. Talvez seja boa praça com amigos, mas envolveu grana, esse canalha não tem nenhum tipo de escrúpulo.

    Esse moleque não vai fazer falta nenhuma. Quem dera um Nasr tivesse as chances que ele teve.

  • deveria estar claro para alguns pais que talento não é algo transmitido geneticamente mas o pior de tudo e o que ainda continua incompreensível pra mim foi o fato de como Piquet (nelsão), sendo gato escaldado e conhecendo de perto o lado insalubre (podre) da F1, foi cavar a cova de seu próprio filho na F1 ou melhor dizendo agora com esse post do Flávio Gomes, cavou a cova do próprio filho no automobilismo mundial ao fazer aquela denúncia contra um sujeito como Flávio Briatore ….

  • Temos que lembrar que a Nascar uma categoria de extrema elite, um clubinho bem fechado made in USA. Montoya sempre teve reconhecimento em solo americano pelo que fez na Formula Indy, depois foi para a F-1. Retornou ao USA dessa vez pilotando para Nascar, teve mais fiasco que sucesso, tanto que esta voltando pra Indy.

    Como piloto Nelsinho tem condições de fazer bonito no USA, mas será que a Nascar quer isso? Melhor tentar Formula Indy, impressão é que os americanos querem a Nascar só pra eles…

  • “Afinal, ele foi alijado da F-1 por conta de um dos maiores escândalos da história do automobilismo.”

    É disso que eu falo há tempos. Escândalo esse capitaneado pelo maior picareta, sem vergonha e mal caráter da história da F1: Fernando Alonso. Esse mafioso que também já se envolveu no caso de espionagem da própria Ferrari quando corria na McLaren é a escória da F1 e deveria ter sido alijado do esporte junto com Briatore e Nelsinho.

    • O “capitão” desse escândalo no foi Alonso, foi o Briatore. E ele foi excluído da F1. O alonso foi só o beneficiário, que gostou muito do ocorrido e teria ido pro túmulo com essa se não tivessem descoberto. Ou então contado daqui a 20 anos, e todo mundo daria risada, que nem aquela do Milton Santos e o pênalti contra a Espanha em 1962.

    • Eu pensava que era só eu que detestava o Alonso e que achava ele um tremendo de um picareta. Isso porque ele saiu de fininho do caso de espionagem de 2007 e do caso da batida de Cingapura em 2008. Sempre dizendo que não sabia de nada, mas no final das contas, tudo servia para beneficiá-lo. Quem garante que ele não sabia? A palavra dele?

      • Não se esqueçam que os 2 campeonatos que ele papou foram com fraudes. A Renault dele tinha controle de tração embutido no sistema de injeção, quando este recurso já era proibido pelo re
        gulamento da F1, tanto é que a FIA determinou uma ECU padrão para se livrar da falcatrua da Renault/Briatore/Choronso.

      • Isso mesmo Sydnei, ainda tem a questão dos campeonatos de 2005 e 2006. E junto com essa questão do controle de tração que você citou, se não engano ainda tinha algo relacionados aos amortecedores de massa, mas quanto a isso não tenho lembranças exatas.

      • Provar as coisas faz bem pra tornar seu comentário levado a sério.

        E as acusações aqui, para a infelicidade de vocês, são vazias. Nada disso foi provado.

      • Ainda bem que o Brasil é o país da copa. Lendo os comentários, vejo que brasileiro não merece ter piloto na f1. Estamos anos luz de distância de uma inglaterra, alemanha, até finlandia. Cada povo tem o esporte que merece. O nível dos comentários aqui é de doer.

      • O pobrezinho não sabia, Cézar. Uma vítima inocente que corre o risco de ter sua carreira denegrida por esse lamentável episódio.

        Com licença. Preciso escrever uma cartinha para o Coelhinho da Páscoa. Quero ganhar um ovo bem bonito, recheado com saborosos bombons.

      • rsrsrsrsrs, boa Paulo! Tem gente que é cego e não vê que nessa história toda o maior beneficiado foi o chorão espanhol.

        Nelsinho bateu para quem ganhar a corrida de Cingapura? Não me venham com essa de que alguém faria uma merda desse tipo para beneficiar outrem, sem que o beneficiado não saiba. Só que faz uma bondade para outra pessoa sem que ela saiba é pai e mãe no natal, que compram presente para os filhos e dizem que foi o papai noel.

      • Dois manés discutindo um julgamento de uma corte suprema e competente. Se os condenados não reclamaram no tribunal esportivo nem na justiça comum, por que a decisão foi errada? A FIA julgou e condenou os culpados. Alonso foi absolvido. Mesmo que ele soubesse, como acho que sabia, não houve ação ou omissão que caracterizasse qualquer delito por parte do piloto espanhol. O resto é especulação das traídas-mor. O choro é livre.

      • Se ele sabia (e você admite), é cúmplice na tramoia. Tão culpado quanto os demais envolvidos.
        Não à toa, ganhou o apelido de “Dick Júnior”.

        Obrigado, Vicellez, por usar o apelido que criei para os fãs do Massa.

      • Dick júnior, o Master é quem? Como cúmplice se ele não participou, não houve conduta do Alonso. Ele fez o que, largou mais leve pra ganhar posições no grid? Foi lá e ganhou a corrida? Pense um pouco, não tinham provas, já seu Shumacher foi condenado e perdeu todos os pontos do mundial, conduta antidesportiva. E pior, por bateu pra ser campeão duas vezes… Não seja hipócrita. Nem vou discutir o controle de tração que a FIA não achou mas todo mundo sabia que tinha. Pra você não tinha, a FIA não achou. Sobre o Alonso, ele sabia mesmo a FIA não descobrindo… É melhor parar de comentar aqui mesmo.

  • Já vi tanta trapaça pior na F-1, com campeões mundiais envolvidos até em espionagem, que acho que o Nelsinho devia ter uma nova chance na F-1. Bom piloto, talvez tivesse ficado calado seria melhor, e tem tanto idiota pilotando um F-1 porque tem dinheiro, acho que o Nelson devia ajuda-lo novamente a tentar uma volta ao circo, ele ainda tem idade pra isso. Alonso espionou, mandou e foi responsável por isso, e ainda está lá, E as politicagens do Gean Ballestre, que com certeza já está no inferno, isso ninguém lembra.

  • FG,
    foi um pecado o erro de escolha de Nelsinho, lá no escândalo de Cingapura. Nelsinho era piloto de ponta, andava lado a lado com Hamilton na GP2. Um pecado mesmo, pois tinha tudo para ser campeão na F1… mas é a vida!!!!!
    Abr
    Simão

    • Sim, penso o mesmo! Pelo menos com a imprensa, nos tempos de F-1, foi de difícil convivência, deixando de falar com os repórteres por várias vezes, após as corridas.

      • Nesse ponto concordo. Acho q pela questão de toda a base dele ter sido feita com equipes montadas pelo pai ele não parece mto saber lidar com equipes que não giram em torno dele.

  • Nelsinho não teve mais oportunidade na Nascar Truck e na categoria “maior” por quê?

    Tava incomodando tanto assim? Por que não aceitou dedo na cara de um mané que foi tirar satisfação depois da corrida? Se certo ou errado naquela ocasião, cada um terá sua versão, baseado na sua “simpatia” pelo brasileiro.

    Mas que americano não suporta ser encarado, ainda mais no que acha que “manda” ou “é melhor” isso é fato. Um novato mostrando bom trabalho na pista e sem medo dos “medalhões” ou de um piloto americano querendo bancar valentão, é pecado mortal. Pecado mortal numa categoria AMERICANA.

    Os resultados dele não foram tão ruins. E tem muito piloto ‘pasta de amendoim’ que só serve de coadjuvante, sem o mínimo talento que faz carreira no automobilismo americano.

    Podem procurar na classificação do campeonato da Nascar Truck americana.

    Ou faltou grana mesmo? Americano patrocina latino americano que ainda não foi campeão por lá? Acho que não.

    Acho que a cada vez mais escassa presença de pilotos na F1 e a dificuldade de pilotos jovens chegarem numa equipe pequena ou média para ser titular, já é um sinal da “moral” que os pilotos brasileiros vem perdendo desde 1995. Nem sobrenomes como Senna e Piquet conseguem abrir portas melhores e mais estáveis no automobilismo internacional.

    Uma pena. Voltamos ao estágio “pré-Fittipaldi”.

    • Eu só reforçaria um ponto no que você falou. Os resultados dele foram bons! Nem de perto chegou a ser ruim. Ganhou corridas, andava na frente com um equipe mediana, mas tenho certeza que o fato de ser brasileiro, correndo lá numa categoria eminentemente americana, que tem pouca abertura para pilotos de outras nacionalidades, acabou influenciando. E não é aquele sintoma de inferioridade que muitos acham que temos na Formula 1…

      • Tenho minhas duvidas……. os americanos patrocinam sim pilotos de outros países……Helinho e Tony K , Gil de Ferran foram e são famosos ,queridos e são reconhecidos por lá.

        Só que é claro…pra isso tem que ser ponta , vários estrangeiros já tiveram chances na Nascar , mas a verdade é que os americanos dominam e suportam aquela overdose de ovais …….algo insano.

        Mas creio que se o cara vence uma ou outra de vez em quando não é o suficiente pra Nascar….se for mais ou menos …que seja um americano …oras.

      • Mas é isso, a Indy sempre foi mais internacional que a Nascar. Esta é a categoria dos americanos e eles começam desde pequenos lá, vide o próprio Pietro Fittipaldi que começou numa categoria específica para crianças. É diferente da relação com a Indy. Acho que isso influencia sim nessa pouca permanência de estrangeiros por lá…

    • O seu comentário, infelizmente, está muito enganado. Nelsinho Piquet não conseguiu se manter na Nascar porque os resultados foram medíocres. Muito pouco pra uma categoria onde a concorrência é talvez a mais alta do automobilismo “sans” F1. E não, os americanos não torcem só por americanos, eles gostam de vencedores, de onde quer que venham. Estive ano passado em Baltimore, assistindo a corrida da Indy, e presenciei isso. Mesmo com pilotos americanos em condições de vencer, a torcida era pelo Scott Dixon, que lutava pelo título. E não é porque ele é neozelândes, todo mundo desceu a lenha no Will Power. Baseado nesses fatos, acho que dá pra concluir que seu texto, ainda que de forma não-intencional, é na verdade um tratado sobre o brasileiríssimo “complexo de vira-latas”.

    • Verdade, tem cara lá na Truck, e até mesmo na Nationwide, que larga, dá algumas voltas, se mete em alguma confusão e depois vai par casa. O problema deve ter sido grana mesmo.

    • Acho que ele enjoou dos fórmulas, só pode… Porque seria um caminho naturalíssimo, e a Indy ia jogar qualquer grana que eles tivessem nos pés do cara. A Indy viraria um WWE, e ele seria o vilão… Americano adora isso.

  • Culpar ele podemos se for vem bem, Flavio…. Mas realmente o atual momento de sua carreira vai alem de 2008, Renault e Alonso…. Foi uma vergonha o que ele fez lá…. E dias melhores nao vieram…. Tem que aceitar e ser resiliente…. Foi um vacilao, sem duvida e nos anos seguintes nada de relevante promoveu .. Entao fica como está… E só resta lamentar

  • Piquetzinho realmente era um talento.
    Me lembro que com um carro duas ou três versões atrasado conseguia ficar a apenas 0,2s do Alonso.

    Agora o Piquezao foi meio burro. Não devia ter jogado a merda no ventilador quando o filho foi mandado embora da Renaut. Devia ter esperado o mesmo se arrumar em outra equipe e deixar esta história para um livro, depois que o menino se aposentasse.

  • Flávio, o que aconteceu? ele simplesmente desistiu ou não convenceu os americanos? pelo que eu acompanhava, ele vinha trilhando um caminho muito bom na nascar… uma pena porque talento para guiar este cara tem.

  • Acho que ele faria sucesso na Indy. Ele é um bom piloto, sempre se destacou nos circuitos mistos da Nascar. Nos EUA a Indy é bem menor que a Nascar, mas no Brasil ainda damos mais importância para a Indy.

  • Ele não seria grande coisa na Nascar mesmo! Poderia ganhar uma corrida ou outra, mas nunca seria campeão. Seria uma mistura de Juan Pablo Montoya com Cristian Fittipaldi…

  • Um campeonato mundial de GT realmente não é algo ruim para quem saiu da F1 e não teve lá grandes resultados. A questão é: qual categoria é top para quem saiu da F1 e não quer mais correr de fórmula? DTM? WEC? Não vejo outra muito melhor. Rubens Barrichello, com uma carreira muita mais sólida na F1, saiu para correr numa categoria nacional, que é a Stock Car, sem chancela FIA.

    O objetivo do Nelsinho ainda é a Sprint Cup. Vai fazer o possível para continuar por lá. Tanto é que vai continuar morando nos EUA.

  • Imagino que Piquet (pai) sinta ao ver a carreira do filho perdida por um mau passo, o mesmo que Djavan escreveu na letra de “Faltando um Pedaço”:

    “Comparo sua chegada com a fuga de uma ilha:
    Tanto engorda quanto mata feito desgosto de filha”

    • Em 2012 fez uma boa temporada na Truck series, ganhou 2 provas e ainda ganhou sua corrida de estéia na Nationwide em Elkart Lake (misto).
      Em 2013 demorou para assinar e ficou com o pior time da equipe(mecânicos), que sempre errava nos pitstops e o deixava para trás.
      Considerando que a Turner Motorsports, que era uma equipe de ponta na Truck é no máximo mediana na NWS seus resultados minguaram e os acidentes se repetiam devido estar andando mais no pelotão de trás.
      Para terminar, os sócios do time brigaram, dividiram a equipe e os patrocinadores sumiram do mapa.

    • O Paludo continua nos EUA, mas li em algum lugar que ele ou sua equipe perderam patrocinadores, e com isso o brasileiro ficou a pé; talvez faça uma ou outra corrida na Truck Series neste ano….