SE PANGS (5)

sepangs5SÃO PAULO(café, café, café!) – Foi ruim, a corrida. Porque pela primeira vez desde o dia em que o Infalível escolheu Kuala Lumpur como cenário para o vídeo de Noé no HolyTube, não choveu no horário previsto. E sem chuva, tivemos um dos GPs da Malásia mais chatos de todos os tempos, ou pelo menos dos que me lembro.

OK, não me lembro de muita coisa, já deve ter tido corrida pior em Sepang, mas essa foi ruizinha, mesmo. Andei lendo que Villeneuve fez alguns comentários sobre o atual estado de coisas da F-1 à imprensa italiana, e ele disse que hoje em dia tem corrida nas três primeiras voltas, todo mundo tenta ganhar algumas posições, e depois os pilotos passam o resto da prova economizando gasolina.

Bem, pode ser um pouco exagerado, não sou tão pessimista assim. Acho que erraram a mão no novo regulamento, acho que esses motores complicados são desnecessários, mas continuo achando que o campeonato pode ser bom. Ainda tem espaço de crescimento para equipes como Ferrari, McLaren, Red Bull e até a Williams. O domínio da Mercedes é claro e cristalino, mas nada garante que será assim o ano todo.

Sejamos otimistas.

Mas também não vamos enxergar beleza onde não há. A prova de hoje só foi bonita, mesmo, para os mercêdicos, que fizeram sua primeira dobradinha na F-1 desde 1955, quando Fangio e Taruffi terminaram o GP da Itália nas duas primeiras posições. Mais números, para não deixar passar nada: Hamilton pontuou pela 100ª vez na carreira, ganhou seu 23° GP e empatou com Piquet nas estatísticas e já é um dos 11 maiores vencedores da história. Dedicou o resultado às vítimas do misterioso 777 da Malaysian que desapareceu sem deixar rastros.

malp1ham

Foi uma vitória tranquila e absoluta. Três paradas, melhor volta, pole, e só não liderou de ponta a ponta porque salvo engano Hülkenberg fechou uma voltinha em primeiro, por ter adiado seu primeiro pit stop.

Rosberguinho, que poderia ameaçar o parceiro, não o fez porque Comandante Amilton estava num daqueles dias perfeitos. O alemão largou bem e assumiu a segunda posição já na primeira volta. Mas nunca chegou perto do inglês. O pódio foi fechado por Tião Alemão, distante, também, que teve momentos incríveis na largada: foi ultrapassado por Ricardão e começou a gritar “Multi 21! Multi 21!”, até recuperar o lugar na quarta volta.

Ricardão, coitado, vive dias de inferno astral. Perdeu o segundo lugar da Austrália, perdeu o terceiro lugar para Vettel no início, aprumou-se, estava firme e forte em quarto, mas quando fez seu terceiro pit stop seu mundo desabou. Liberaram o rapaz sem prender direito a roda dianteira esquerda, tiveram de puxar o carro de volta, ele caiu para 14°, quebrou a asa, furou um pneu, pagou um stop & go por ter sido liberado de maneira perigosa, abandonou a quatro voltas do fim e ainda tomou uma punição para o Bahrein, perda de dez posições no grid, por conta do pit stop desastroso da Red Bull.

Mesmo assim, era todo sorrisos nos boxes, porque é um cara do bem. “Sou positivo”, falou. “Adoro o que faço e é um privilégio estar aqui. E é muito legal disputar corridas lá na frente, é um negócio que vicia!” OK, Ricardão, é isso aí, a vida é bela, nada de ficar para baixo.

Outro bafejado pelo infortúnio foi Kevin Magnólia, que tocou em Raikkonen na largada, furou o pneu do finlandês, tomou um stop & go e dois pontos na carteira, precisou trocar o bico… Enfim, um desastre. Mesmo assim, terminou em nono. Mas se odiando. “Não tenho desculpas, lamento pela equipe, meu mau resultado é culpa exclusiva minha”, disse, pedindo desculpas pelo rádio ao time, à Dinamarca e à Escandinávia toda, autoflagelando-se implacavelmente enquanto seu pai Jan tomava uma cerveja e consolava o menino. “A vida é assim, meu filho. Um dia é da caça, outro do caçador, em casa de ferreiro, espeto de pau, água mole em pedra dura tanto bate até que fura, quem tudo quer…”, e parece que está filosofando até agora, para desespero dos convidados da McLaren que não desejam ser deselegantes e por isso ainda não o deixaram falando sozinho.

A corrida foi insuportavelmente chata até pouco depois de sua metade, com posições inalteradas na frente e muito espaço entre todos os pilotos. Até que veio um rádio de Raikkonen: “Está chovendo num lado da pista!”, disse com eloquência o ferrarista, brigando nas últimas posições com carros da Marussia, Caterham, Ssangyong e Lada. Não tinha chuva nenhuma. Alguém cuspiu da arquibancada, ou atirou um copinho de água para o alto. Era tudo mentira. Só para animar o povo diante da TV.

Vettel chegou a se aproximar de Rosberg e esboçou uma briguinha pelo segundo lugar, mas desistiu antes de tentar. A dez voltas do fim, Massa encostou em Bonitton pela sexta posição, mas o mclariano resistiu. Alonso, em quinto, passou batido por Hulk na volta 53, já que o forceíndico estava com os pneus em frangalhos por ter optado por dois pit stops. Reassumiu o quarto (e discretíssimo) lugar e lá terminou. E tirando a babaquice da Williams com Massa e Bottas, nada mais aconteceu, a ponto de a TV malaia, na última volta, mostrar por longos segundos a emocionante disputa entre Grojã e Raikkonen pelo 11° lugar. Menção honrosa para a Caterham, com Koba-Mito em 13° e Sonyericsson em 14°. Se pans, a equipe marca um pontinho neste ano. Basta se manter na pista e esperar pelas quebras que serão numerosas, ainda, neste início de campeonato.

E fim de papo, com a zona de pontos na Malásia composta por Comandante Amilton, Rosberguinho, Tião Alemão, El Fodón de la Quarta Posición, Incrível Hulk, Bonitton, Massacrado, Sapattos, Magnólia e K-Viado, este pontuando pela segunda vez em seu ano de estreia. É bem espertinho, esse rapaz, e se eu continuar chamando-o de K-Viado posso me dar mal. Rosberg lidera o campeonato com 43 pontos, seguido por Hamilton (25), Alonso (24), Button (23) e Magnussen (20).

Domingo que vem tem Bahrein. A corrida neste ano começa às 18h locais, então vai ter crepúsculo, sol se pondo no deserto, iluminação artificial, o locutor vai dizer “um show de imagens pra você!”, se pans vão aparecer silhuetas de camelos e beduínos, essas coisas das arábias.

Tomara que tenha corrida boa, também. Essa da Malásia ficou devendo.

Comentários

  • A F 1 chegou ao fundo do poço. Um dia depois de uma corrida o que se falou no mundo foi o rádio da Willians que ofuscou a vitória do Hamilton e a recuperação pelo menos momentanea da Red Bul. Monospostos que não fazem barulho, economia de combustivel, conciência ecológica, rádio o tempo todo, jogo de equipe, meu conceito de corrida é carros barulhentos, queima de combustivel, fumaça e óleo para tudo que é lado e piloto fazendo por sí só sem jogo de equipe ao estilo cada um por sí, acelerar até ganhar ou quebrar.
    Sei que não faz parte do assunto, mas com a finalidade de informação o Velopark tido como o maior complexo do esporte a motor da América Latina quebrou, sem competição para este ano e em contra partida este ano teremos duas provas que fazem parte do calendário de Endurance do Rio Grande do Sul acreditem na pista de Rivera/Uruguai quem se inscrever ganha U$$ 300,00 de ajuda de custo e estadia a ser confirmada e premiação em dinheiro.

  • Aquela taxa de consumo de combustível mostrou algo que me chamou a atenção: os carros da Williams estavam sendo bem mais econômicos que os outros à frente deles. Excesso de zelo? Regulagem ruim que provocou isso? Nem nas 10 últimas voltas dava para tirar o motor da dieta? Também com uma parada a menos nos boxes… Achei que a equipe esqueceu como andar na frente e só descobriu que poderiam ser melhores quando já estava acabando a prova.

  • Justo agora que os carros fazem pouco barulho, o Massa não ouviu o pedido da equipe. Se fosse o Alonso…
    Bom quando à corrida, também achei sonolenta. Pra mim, esse vem sendo o grande dilema da F1. Mudam-se regras a cada instante, mas está faltando emoção. Nas últimas temporadas, salva-se a primeira com a asa móvel. Uma pena, pois a atual geração de pilotos é muito boa!

  • Será que o Massa não assinou um daqueles contratos de segundo piloto que todo mundo jurava que nunca existiram e que estão desde ao menos a era de Piquet e Senna? Se assinou, pode/deve descumprir ordens?

    • SERÁ QUE VOCÊ NÃO CONSEGUE VER NA LATERAL DA WILLIAMS QUE TEM DOIS PATROCINADORES BRASILEIROS ; UM É O “BANCO DO BRASIL e o outro é a ” PETROBRAS ” e ao que me consta nenhum da Dinamarca com sua enorme população de pouco mais de 5.5 milhões de pessoas(gigantesco mercado,muito interessante a grandes patrocinadores),O campeonato mundial de formula 1 é uma competição individual,e para ser campeão,soma mais ponto o melhor classificado e campeonato das equipes é diferente e no caso como os carros estavam 6/7 tanto fazia um como outro estarem nas posições que os pontos seriam os mesmos,entendeu ou necessita de um desenho para entender.Agora é um absurdo usar patrocínio brasileiro e querer beneficiar a outro de um país com população pouco maior que a região metropolitana de Belo Horizonte,num país que já é a oitava economia mundial já esta passando da hora de boa parte de seus nativos largarem o complexo de “Vira Latas ” que vem desde 1500. E outra coisa ;menino bonzinho normalmente é “frutinha”,e homens respeitados são aqueles que fazem seu caminho e não se deixam conduzir por terceiros,porque ás vezes no meio do caminho ganham um ponta pé no grande e flácido “POPÔ”.

  • Se eu fosse o Bottas teria tentado ultrapassar de tudo que é jeito. Já que a equipe queria isso, ele poderia forçar tudo, e caso o Massa fechasse a porta e desse merda, toda a equpe ficaria do seu lado pois a equipe ordenou isso e os pilotos sabiam.

  • Terminada a segunda corrida do ano as dúvidas ainda são maiores que as conclusões.
    Conclusões:
    A Mercedez dá um banho na concorrência e Seu Hamilton demonstra que está numa grande fase. Achava que, pelo fato dele exigir muito do equipamento, ele destruiria os atuais bólidos feitos com uma espécie de cristal e que Rosberg se daria melhor, mas parece que as flecha de prata se acertaram muito bem no regulamento das power unit complication total. Interessante isto ocorrer após o desligamento de Ross Brawn.

    Bastião já começa botar as manguinhas de fora. Dava até dó na comparação da Red Bull com a Mercedez, mas mesmo assim ele foi o melhor dos demais. Aos detratores do rapazote uma amostra do que ele é capaz. Engraçado que não encontrei nenhum expert de videogame dizendo que Lewis ganhou por causa do foguete que tem nas mãos.

    A idade vem demonstrando que as mudanças são cada vez menos aceitas. Este ronco (soluço ou assobio) dos motores é de matar, mas talvez tenhamos saudade dele quando algum burrocrata de plantão estabelecer que os carros serão puxados por juntas de bois com regulador de fluxo de estrume no fiofó. No desenho dos carros isto aconteceu de um ano para o outro, pois os horríveis carros com escadinha são verdadeiras beldades perto dos carros pênis, tamanduá ou forcado de hoje em dia.

    O que não concluí:

    A real diferença entre Alonso e Kimi, pois o segundo foi tocado e foi para último, mas não demonstrou poder de reação, tanto que terminou atrás da Lotus do Romão e praticamente em últimos, pois atrás só as nanicas com Koba na frente neste campeonato.

    O episódio de Massa – sem comentários, mas também o cara não ultrapassa ninguém, parece eu na BR 101 com um uno 1.0.

    Não concluí também se estou gostando menos da F1, por conta de tantas mudanças, corridas em horários pouco favoráveis, pistas modorrentas e pilotos burocráticos. Tomara que Manussem e Kviat nos pontos por duas vezes seguidas seja um sopro de esperança de que tempos melhores virão. Será?

    • Ok, Lewis só ganhou porque tem um foguete nas mãos. Repetindo o que eu disse ano passado sobre o Vettel: aproveitou o melhor equipamento que tem em mãos.
      Agora é a hora em que você admite isso sobre o carro da Red Bull do ano anterior e que se fosse o Hamilton ou o Alonso na equipe dos energéticos teria ganho fácil também…

  • Ola amigos, moro em Miami e por aqui o canal que passa a F1 eh a NBCSN NBC Sports Network, vale ressalrtar que a transmissao eh excelente, oponto baixo sao somente a enorme quantidade de comerciais, o pessoal eh bacana, capazes e amantes da F1. Disse tudo isso para dizer que ateh eles acaharam a corrida boring. Depois da 3a volta realmente nao tinha nada mais interessante para ver e ai mudei de canal e fui ver a Indy (em tempo passaram ao vivo mas vi o VT). Considerando que nos ultimos 30 anaos sempre tivemos o predominio de alguem, com raridades como 2012, faz 30 anos que a F1 ta meio chata, a gente gostava pelo Senna, mas nem sei como passamos pelos anos do MS. Assim o que esta acontecendo agoranao eh nehuma novidade em se tratando da F1. um abraco

  • Prometi a mim mesmo, nunca mais mais acordar as 5 da manhã para assistir um corrida.
    Ferrou com meu sono no domingo.
    Vou assistir a reprise da Sportv sem saber o resultado
    Ganho mais assim. Corrida chata, sem ultrapassagens

  • Teu texto é muito melhor que a corrida,kkk.
    Acho que está certo o Villeneuve, pelo menos uma vez.
    A corrida já é chata, com o Luis Roberto é pior ainda. Se não for com o Galvão que seja com o Cleber Machado, ontem ele teria dito: Hoje não, hoje não, hoje nãããooo.
    Ainda bem que o Massa reconhece o defeito, informado no final da transmissão: ele não consegue definir as ultrapassagens rapidamente e acho que baixa a auto estima dele que o cara desiste. Só tentou uma vez em cima do button.

  • Ontem me convenci que a Willians não vai ser campeã tão cedo, e não é pelo que seus carros ou pilotos podem render.

    A equipe deuxou os pilotos a corrida inteira economizando combustível, para que???

    Para sobrar para o Barhei? por causa da conciência ecológica???

    Por burrice mesmo….

    Outra questão de burrice…. mandar a frase tão temida de Massa. Até na Ferrari falaram com melhor jeito a frase. O Massa é sempre mais rápido que o Bottas, dai na única corrida que não é já querem colocar o moço na frente. Um pouco mais de sensibilidade e esperteza para estes ingleses….

  • Toda corrida até o fim desse ano poderia ser como foi essa de Sepang: Hamilton vencendo. Não interessa se é procissão ou se é disputado, interessa cruzar a linha de chegada em primeiro.

    E o Alonso… PQP, ô sujeito pra ter sorte, nunca vi. Se é pra furar um pneu da ferrari, fura justamente o de Kimi. Se é pra ter um parafuso frouxo no pit stop, é do carro que terminaria na frente dele. Na primeira corrida, Hamilton abandonou, Ricciardo foi punido e Alonso ganhou mais algumas posições.

    Se contrataram Kimi pra botar pressão nele….tsc tsc tsc, Kimi tá com salário em dia, vai só cumprir tabela e tomar vodka. E assim, continuam dizendo que Alonso vai tirando leite de pedra.
    Nada disso, ele tem é muita sorte!! (e um pouco de talento, reconheço)

  • O Alonso é um monstro mesmo!
    Mesmo com esse carro bizarro da ferrari, ele está em terceiro na classificação geral apenas 1 ponto atrás do segundo!
    Coitado do Kimi, tá tomando um vareio!!

  • A corrida foi meio “devagar” mesmo.
    Chata até p/ mecânicos da RBR que desconcentraram e só serviu para f… o Ricciard.
    Como sempre o Alonso deu sorte de novo, era p/ chegar em sexto, um deu azar e o outro era uma force india.

    • Engraçado que são sempre os mesmos que tem sorte e sempre os mesmos que tem azar. “Por trás desta loucura, existe um método”, já diria um filósofo que não sei mais quem é.

      O mais bizarro são os patrioteiros não repararem nos padrões repetitivos e persistir chamando competência de “sorte” e incompetência de “azar”.

  • O Massa ganhou o meu respeito depois de mandar o engenheiro e suas ordens safadas de equipe pra PUTA QUE O PARIU. O mundo da F1 só valoriza os pilotos egoístas e insubordinados, senão vejamos exemplos de casos mais recentes:

    Ano passado Vettel estava atrás do Webber e segundo as ordens de equipe da Red Bull os pilotos deveriam manter as posições, no entanto o q aconteceu? Vettel não quis nem saber, mandou todos da equipe pra casa do caralho, ultrapassou o Webber e seguiu rumo a vitória e ao tetra-campeonato e ainda tá correndo na Red Bull em 2014 com status de 1° piloto! E o Webber? Fez bico, ficou emburrado, deu birra pq o Vettel desrespeitou a equipe e hoje está aposentado da F1 com status de fiel escudeiro e será lembrado para sempre como eterno segundo piloto. Muito triste…

    Também ano passado temos outro ótimo exemplo com o Kimi na Lotus. Acho que todos se lembram das ordens da equipe mandando o Kimi abrir passagem para o Grojã… Kimi xingou o engenheiro de tudo que é nome, mandou Grojã passar por cima e terminou a corrida na frente! E onde o Kimi tá esse ano? Foi promovido a piloto Ferrari e vai encher ainda mais os bolsos de dinheiro!

    Temos muitos outros exemplos no passado que piloto bonzinho e obediente não tem vez na F1, portanto, se o Massa quiser ser algo que preste na F1 tem mesmo é que desrespeitar essas ordens vagabundas de equipe e colocar o folgado do Sapatos bem no lugar dele!

  • hOJE FOI CHATO, nao valeu o sono perdido…. podemos concluir que Ricardao e’ um bom piloto MAS E’ AZARADO PRA CARAMBA!!!!! epodemos mais uma vez concluir que massa corre porque se submete a tudo!!!!

  • Em 2012 a Pirelli criou pneus que mudavam muito o desempenho durante a corrida.

    Foi a temporada mais disputada doa últimos 20,25 anos. Disputa artificial, mas mesmo assim uma disputa.

    Aí o povo reclama do pneu, reclama… E a Pirelli faz uma borracha mais ‘conservadora’.

    Resultado: voltam as procissões.

    A Formula 1 evoluiu demais pra ter competitividade por meios próprios. Sempre vai ter dominadores, a não ser que o regulamento force a barra, como em 2012.

    E eu prefiro uma competição artificial a corridas como a que vimos hoje.

    • Agora me diga: quando não houve dominadores? O Clark já vencia abrindo um tempão para os outros.

      Pessoal coloca a disputa de Villeneuve e Arnoux como se fosse corriqueiro e ignorando que nem valia a primeira posição. Se for assim, prefiro Massa x Kubica na chuva em 2007.