F-4, UMA BOA

SÃO PAULO (opção) -Recebo informe do querido João Alberto Otazú sobre o início do Campeonato Sul-americano de Fórmula 4, no Uruguai. Sim, F-4. Que nada mais é que a antiga F-Futuro criada pela família Massa alguns anos atrás, e que não vingou no Brasil.

Otazú conta que o paulista Bruno Baptista, de 17 anos, com um bom currículo no kart, será o representante do país na competição. A primeira das dez rodadas duplas acontece neste fim de semana na cidade de Mercedes. A pista tem 2.970 m de extensão e fica a 278 km de Montevidéu, perto da fronteira com a Argentina.

219326_392494_1brunobaptista_formula4_press

Os carros, para quem não lembra, têm chassi francês Signatech feitos em fibra de carbono, com câmbio Sadev sequencial de cinco marchas e motor Fiat 1.8 de 16 válvulas e 150 HP. Para a molecada brasileira que não tem onde correr, segue sendo uma boa alternativa. Não tenho valores, mas o fato de as provas acontecerem aqui perto, com carros moderninhos, deve facilitar as coisas.

O calendário da F-4 Sudam é o seguinte:

6 de abril – Mercedes (Uruguai)
4 de maio – El Pinar (Uruguai)
22 de junho – Chaco (Argentina)
3 de agosto – Termas de Río Hondo (Argentina)
24 de agosto – San Luís (Argentina)
14 de setembro – a confirmar (Argentina)
28 de setembro – La Pampa (Argentina)
19 de outubro – Curitiba (Brasil)
9 de novembro – Piriápolis ou Rivera (Uruguai)
14 de dezembro – a confirmar (Argentina)

Comentários

  • O primeiro passo para quem sai do kart sempre foi em um campeonato regional. Salvo uns e outros mais “afortunados”. Em geral, era nos regionais que se fazia um “currículo”, adquiria experiência em veículos com câmbio, suspensão, asas, etc. Não acho que o melhor caminho para quem sai do Kart seria a F4. Tanto pelo custo, quanto pelas características do equipamento. No mais, o automobilismo brasileiro precisa de incentivo, existem profissionais que tentam sustentar suas famílias, já perdemos o Autódromo de Jacarepaguá sob a omissão de quem poderia e deveria lutar pela sua existência. E tudo começa nos regionais.

  • Negócio regionalizado? Vc está, novamente, mal informado! Tanto na Formula RS quanto na Formula Jr competem pilotos de vários estados brasileiro. Tem piloto de SC,PR, SP,MG, RJ, RS, SE e mais um estado do nordeste q nao lembro agora…
    Informe-se melhor, amigão!!!

      • Puts! é mesmo Flávio… só corre em Guaporé, Tarumã, Santa Cruz do Sul, Velopark… é que aqui no Rio Grande do Sul a gente tem 4 autódromos… diferente de SP que só tem 2!!!
        Mas tudo bem esse ano, vamos correr tbm no Uruguay, em Rivera! Tem categoria nacional ai q nao corre em 5 autódromos! A questão é correr em varia pistas ou é ter q correr no centro do pais pra ser uma categoria digna da tua admiração?
        Por sinal.. vem aqui e tenta fazer a curva 1 de Tarumã flat pra vc ver o que é a coisa!!
        Esse teu descaso com as formula do Rs esta bme cheirando a dor de cotivelo, hein!! kkk

  • Vc está muito mal informado ou não tem interesse em promover o automobilismo brasileiro! Uma vez que temos no Ripo Grande do Sul duas categorias de fórmulas, a Fórmula Rs e a Fórmula Jr, muito acessíveis, com bom grid, e com etapas realizadas no Brasil mesmo, inclusive com uma etapa a ser realizada no autódromo de Rivera no Uruguai.
    Olha pega muito mal pra vc essa atitude. Depois vem dizer que os gaúchos são bairristas!!!

  • Flávio. Roberto Pupo Moreno, que é um cara que não entende muito de carro de corrida, veio aqui no RS na abertura do campeonato, viu as categorias correndo e fez a seguinte análise. “Acho importante o jovem que sai do kart pegar um desses carros, mais mecânicos, que ele vai sentir como se comporta, aprender com funciona e não pegar uma máquina com borboleta, computador e grudada no chão”….

    Agora, pode ser com carro reaproveitado da Fórmula Fiat e regionalizada no Uruguai (que em termos de território e população é do tamanho do RS), mas não pode ser regional no Brasil? Para constar, Fórmula 1.6 e Fórmula Junior somam mais de 30 pilotos e boa parte deles vem de Campinas, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais… “Mais regionalizado”??

      • Opinião todos podem e devem ter! Vc não pode é fechar os olhos pra uma iniciativa que esta salvando a categoria de formulas no Brasil e fazer pouco caso de uma “baita” iniciativa dos organizadores destas categorias. e ainda por cima ficar incentivando pilotos a ir competir fora do Brasil quando aqui se tem duas ótimas categorias de formulas!!
        Vc acha maravilhosa a iniciativa dos Uruguaios? Beleza!
        Divulga a tua opinião.
        Mas não pode dizer: “Para a molecada brasileira que não tem onde correr, segue sendo uma boa alternativa. “

      • Pode ter a opinião que quiser, mas é uma lástima um cara com boa abrangência de público como você espinafrar categorias brasileiras que produzem corridas de qualidade e com preço acessível e dizer que não existem opções no país….. Vem andar num Fórmula RS e pergunta para a gurizada que pilotou por aqui se eles “não aprenderam nada”…

        Os Fórmula Ford serviram para mandar três gerações de pilotos para o exterior e agora não servem por serem antigos? Qual a diferença brutal entre um kart da década de 1990 e um dos anos 2000? O aprendizado que proporcionam é o mesmo…

        Só andam em Guaporé e Tarumã? Pois bem, andam também em Santa Cruz e vão andar em Rivera no Uruguai… É uma seleções de pista que abrange quase todos os desafios do automobilismo…

  • A “molecada brasileira que sai do kart” tem pelo menos duas opções no Brasil: Formula Junior e Fórmula RS, ambas no Rio Grande do Sul e que neste ano terá uma etapa no Uruguai.

      • Chassis antigos que estão constantemente atualizados, e que se prestam perfeitamente para o fim de categoria escola à molecada que sai do kart. E 4 autódromos, inclusive um estrangeiro, que proporcionam um belo aprendizado.

      • O que noto nessa categoria que não existe muita rotatividade no que acompanho esse ano está bem apagada do que já foi, e um negócio que os próprios gaúchos se autoelogiam em algo que ninguém fora do RS ou mesmo fora da turma deles se importa muito exceto um ou outro que vai andar la porém são pilotos que não vão a lugar algum a nível de f1 ou indy, mas em um ponto concordo com o Flávio o pacote técnico tirando a injeção já se tornou bem ultrapassado com chassi de mais de 30 anos de uso câmbio de corcel e pneus já consagrados pela falta de resistência estrutural. O ponto bom e que de vez em quando conseguem juntar 15 ou 20 carros e se vangloriam por isso como maior grid das Américas mas esquecem dos grids de mais de trinta carros na Formula Vee por exemplo, mas como disse no mundinho lá dos pampas eles acreditam que são o melhor produto mas fora da turma deles ninguém liga.

  • Conheço o garoto desde pequeno, sou amigo da família. Ele é tranquilo, focado, daqueles que observam muito, escutam bastante e falam somente o necessário. Tem apoio da família, gosta do que faz e se dedica. Um potencial a ser observado.