IMAGENS DO JAPÃO (6)

SÃO PAULO – O acidente foi muito feio. O carro de Bianchi entrou debaixo do trator. O santantonio foi arrancado. Jules foi operado durante a madurgada. A FIA fala apenas em “traumatismo craniano”. Estas fotos foram extraídas da página do meu amigo Luca Bassani no Facebook. Infelizmente, não conheço o autor, mas já estou tentando levantar o nome. A última foto mostra o desespero de Sutil. Aqui há um vídeo feito por um torcedor, meio distante do local, é verdade, que mostra o atendimento ao piloto.

Comentários

  • A F1 tem umas coisas muito estranhas mesmo. O final de semana todo foi de muita tensão por conta da eminência de um furacão com rajadas de mais de 200 km/h para o dia da corrida. Surgiram boatos de que a corrida poderia ser realizada no sábado, depois que a largada seria antecipada, depois que os pilotos não haviam sido consultados sobre as possibilidades, o que pra mim já é um erro grave, pois são eles os responsáveis pelo espetáculo – lembrei do filme Rush em Nurburgring.
    Mantiveram o horário e felizmente o furacão não deu as caras, mas teve chuva, muita chuva diga-se, houve muito zelo por parte da direção em só liberar a largada após a pista apresentar grande melhora, e ainda sob bandeira vermelha uma cena do Bianchi limpando/secando o capacete agachado chamou minha atenção.
    Lá pela volta 40 a chuva apertou novamente e ficou muito escuro, eu particularmente não recordo de uma corrida com tanta escuridão – teve Malásia em 2009, porém sob bandeira vermelha.
    Infelizmente aconteceu o pior, um grave acidente com o piloto Bianchi, que poderia ter sido evitado de várias formas, até mesmo no momento da batida do Sutil com a intervenção do safety car.
    O final de semana mais tenso e enigmático dos últimos anos terminou de maneira trágica e melancólica, mesmo que Bianchi se recupere, torço e acredito que irá se recuperar, não mudará o fato das decisões da F1 pesarem sempre para o lado comercial em detrimento aos desejos de quem faz o espetáculo, mesmo que isso coloque em risco a vida de um ser humano.
    Sei que muitos vão discordar da minha opinião, até pq as condições de pista não foram tão ruins qto se previa caso o furacão atingisse o local, porém se um piloto com 12 anos de experiência diz 5 voltas antes do acidente que a pista estava perigosa é pq estava perigosa, e as atenções deveriam se redobrar, assim como acontecera na largada.

  • Muita gente critica Nascar e Indy pelo excesso de bandeiras amarelas, mas a Formula 1 não pode mais deixar de seguir o exemplo – não tem problema a corrida durar mais, ou disputas serem interrompidas, o importante é a segurança de todos.

  • Um carro de F-1 parado na área de escape é muito mais seguro que um trator. Não sei se estou pensando certo, mas sempre achei errado essa pressa que existe em retirar um carro que escapou em um curva e ficou por lá. Se um já perdeu o controle e saiu naquele ponto, é bem possível que outro também faça o mesmo, e com um trator no caminho tudo fica mais perigoso.

  • Muito triste, Jules tinha um futuro pela frente, poderia talvez até se tornar campeão, caso conseguisse estar no lugar certo e na hora certa. Infelizmente a vida é assim mesmo, agora a luta de Jules é pela vida.
    Espero que ele possa melhorar, e mesmo que fique impossibilitado de voltar ao automobilismo, possa ter uma vida normal, possa se manter na Fórmula 1 ligado à uma equipe de alguma forma, possa casar, ter filhos, enfim, é isso que espero que aconteça com Jules Bianchi.
    E só pra não se esquecerem, foi uma baita cagada da direção de prova ao não chamar logo o safety-car, e permitir uma corrida em uma situação perigosa desse tipo. O risco de uma tragédia é sempre existente, e por pouco não aconteceu com Jules. Era melhor terem terminado a corrida logo, mesmo que para isso tivessem que dar a pontuação pela metade. Muito melhor do que destruir com a carreira de um piloto.

  • Faz 42 anos que acompanho o automobilismo, e ontem à noite tive um pressentimento estranho que faz tempo não sentia antes de uma corrida de f1. Pensei “alguma merda diferente vai acontecer nesse GP do Japão aí”. Depois me deu vontade de gravar um vídeo para desabafar, tava muito estranha a sensação… No final falei ” ah, que nada, devo estar imaginando coisas”. Pra piorar, coisa que raramente acontece comigo, perdi a corrida ao vivo na TV, e por segurança como sempre faço, programei para gravar, e aí descobrí que deu piripaque no receptor e não gravou nada!!! Bem, rezo para que esse menino o Bianchi se recupere…PQP de pressentimento!!!

    • Acho que seria mais para o acidente que vitimou Helmuth Koinigg no Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1974, exatamente 1 anos após o acidente de Cevert, no qual o piloto austríaco morreu instantaneamente após ser decapitado pelo guard-rail.

  • É a segunda vez no ano que havia claramente a necessidade de colocarem o safety car na pista e não colocaram, a primeira foi na Alemanha quando colocaram em risco fiscais para tirarem um carro atravessado na reta principal, agora na segunda deu no que deu. É preciso ter mais cuidado com a segurança das pessoas envolvidas numa corrida do que em não alterar o resultado dela colocando pessoas em risco.

  • María de Villota…
    De uma forma parecida, chocando-se com caminhão ou veículo de apoio, e coincidentemente na mesma equipe.
    E quer saber? Automobilismo é perigoso, envolve risco de morte e quando é hora é hora, não há o que se fazer. Muitas vezes, o acidente não parece tão grave aos olhos de quem vê mas… vide Dale Earnhardt.

  • Flávio, só gostaria de parabenizar a todo o site pelo trabalho hercúleo que está sendo feito na cobertura do acidente do Jules.
    Fazem 15 anos que acompanho o site e graças a Internet nós temos como saber de tudo sobre o automobilismo em geral onde essa cobertura está sendo sensacional.
    Além disso, nós como visualizadores (nem sei se é isso que posso chamar os visitantes do site) vemos que o site proporciona a livre expressão de cada um e a abertura de espaço para quem quiser se posicionar. O maior exemplo pra mim é o caso do Renanzinho do Couto que tem menos tempo de vida do que o site e virou um ótimo colunista.

    Um grande abraço, FRANCISCO CRUZ – CURITIBA

  • F-1 vai entender… Falam tanto de segurança nas pistas e não colocam um safety car enquanto tem um trator tirando um carro de lugar perigoso que já tinha um carro batido pelas condições na pista e por isso a chance de se repetir era grande. Depois falam do automobilismo americano que tem bandeira amarela “por qualquer coisa”.

  • Na hora pensei que um fiscal tinha sido atropelado, Sutil já tinha saído do carro a um bom tempo, mas não entendi aquele carro de serviço atrás do Safet-Car. Em seguida um fiscal gesticula desesperadamente e alguém na Globo fala que a ambulância estava na pista. Em mais de 30 anos assistindo F-1, não me lembro de ambulância e Safet-Car juntos na pista. Só depois veio a notícia que Bianchi tinha se acidentado no local. Aí deu para ver que ele podia ter batido no trator, pancada foi muito violenta. Esse tipo de acidente já era pra ter acontecido muito antes, observe Michael Schumacher no vídeo abaixo(1:36), por pouco não entrou embaixo de um trator, GP Brasil 2003.

    http://www.youtube.com/watch?v=jwgWbUS8oNU

    Fica a torcida pra que o piloto se recupere o melhor possível…

  • Melhoras ao Bianchi. Não gosto destes mistérios, imagens suprimidas e essas coisas. Faz pensar que estamos diante de algo que vai além de um “traumatismo craniano”.

    Bem agora que ele estava cotado para uma vaga de titular na scuderia que o auxiliou em sua formação.

    Coisas da vida.

  • Baita sucessão de erros esse fim de semana. Desde sábado de manhã venho comentando com amigos a falta de bom senso da FIA (e dos administradores do autódromo) de não antecipar a corrida para sábado. É incrível o disparate de manter o agendamento normal de uma corrida sabendo que um tufão iria passar por aquela região. Podia ter feito a corrida no sábado e, na hora do tufão, todos estariam longe dali: pilotos, mecânicos, jornalistas e tudo mais. Pior ainda: nem pra adiantar a corrida no domingo!!!!
    Sobre o trator, acho que já disseram o que penso: mais um absurdo. Me lembro que antes usavam gruas ou guindastes, sei lá, mas sempre fora do circuito em si, atrás das barreiras de proteção. Por que pararam com isso? Custos??
    Ok, falar depois da merda é fácil, mas convenhamos: rola muita, mas muita grana ali pra ter esse amadorismo nessas situações… []s

  • A gente que gosta muito de automobilismo passa o dia com essa sensação estranha, não boa. Nesse momento dá até medo de ler ou ouvir as noticias que vem sobre o garoto. Espero mesmo que ele supere esta fase dificil. Pelo santantonio amassado e o capacete intacto, apesar do choque violento, dá p’ra ver que este salvou a sua vida.

  • Fatalidades acontece. mas incompetência está sempre aí, por que o diretor
    não deu bandeira vermelha no acidente deSutil, pois a chuva tinha apertado,
    e a posição do trator,e do carro era perigosa . Que Deus ajude o Bianchi.

  • Vi por diversas vezes o proprietário deste blog criticar o excesso de bandeiras amarelas nas corridas “made in USA”. Pois bem, se no instante do acidente Charles Whiting mandasse hastear a amarelinha…

    Safety cars (ou pace cars) são chatos, mas necessários.

  • Blz Flavio????
    Sera q era so eu ou todo mundo sabia q um dia isso acabaria acintecendo?
    Shumacher no Brasil ja era um aviso..
    Esses guindastes e tratores adaptados p resgates d carros na beira da pista, nao deveria ter uma protecao em sua volta? Como uma saia d metal ou algo parecido… Para evitar q o carro entre dbaixo dele em caso d colisao?
    Se nao fizerem alguma coisa, nao vai ser o ultimo…
    Abraco

  • Pelo que se percebe nas imagens é que ele escapou de traseira e batei na parte de trás do guindaste, com a batida, o santo antonio deve ter sido arrancado e batido em sua cabeca na parte de trás. Um acidente lamentável. Irresponsabilidade da Fia.

  • Não entendo nada de segurança de F1, mas o santantônio não poderia ter cedido não é? Aqueles testes todos não podem prever algo parecido? Apesar de não ter imagem o acidente não parece ter sido mais feio que o de Kubica em 2007 a julgar pela escapada de Sutil. Foi no mesmo lugar logo a velocidade deveria ser parecida, até menor pela bandeira amarela no local.

    Este acidente faz remeter ao post de dias atrás tratando da INDY considerando a adoção de cockpits fechados. Não sei se resolveria no caso de hoje mas toda proteção possível é sempre bem vinda.

    • Normalmente não serem mostrados replays, e principalmente a presença de pano branco pra ocultar o resgate, significa possível violência gráfica nas imagens, como presença de sangue, que não parece ter sido o caso, ou simplesmente alguma imagem perturbadora, como espasmos do piloto ou ele estar desacordado/visivelmente em estado grave.

      Indicativo de problemas também é a equipe de extri]cação no local. São acionados sempre que o piloto não pode sair por conta própria, ou ser removido só pela equipe médica.

  • É uma merda!!! A F1 estava há mais de 20anos sem acidente fatais e espero que continue assim. Porém, é triste ver a carreira de um talentoso e promissor piloto encerrar-se de um modo tão EVITÁVEL!!! O que ocorreu NÃO foi “fatalidade”, “acaso do improvável”, “obra do destino”, “acidente de corrida” ou quaisquer outros eufemismos que venham a usar. O que ocorreu foi UMA IRRESPONSABILIDADE! Mesmo que o bólido fosse fechado e com rodas cobertas (como já vi algumas propostas para os F1 do “futuro”), por mais fibra de carbono, titânio, tungstênio, vanádio, diamante, “nanobuckybolas”, o estrago teria sido semelhante. Por quê? Por uma simples questão de Mecânica Geral (transferência de energia entre corpos). Acidentes não acontecem! Eles podem e DEVEM ser evitados!!! Então, pergunto, como se pode permitir que um veículo (ainda por cima, um TRATOR) transite no mesmo local por onde giram máquinas com cerca de 700[kgf] e em velocidades de 100[m/s]??? Eu estava no setor G-Curva do Sol em Interlagos, quando algo idêntico aconteceu com o Schummy (sem o desfecho trágico, obviamente). E alguém ainda lembra do acidente onde o carro de Heidfeld chocou-se com o Medical Car na saída do “S” do Senna? E o acidente do Tom Pryce na AFS em 1977? Muito bem, o que esses acidentes têm em comum? Leis básicas da física E DO BOM SENSO foram quebradas,,, Simples assim.

    • Concordo claramente em todos os aspectos com voce.

      Com certeza, a FIA foi irresponsavel em deixar um veiculo sem condições de segurança no mesmo sitio onde os competidores estavam.

      Por varias vezes vimos isso (Alemanha/2014, Coreia/2013, europa/2007, Brasil/2003) so pra lembrar.

      Na F1 não é costume dar bandeira amarela na pista com o safety car, quando existe elementos estranho na pista que comprometam a segurança de outros carros. Nisso as corridas da NASCAR e F Indy prezam mais pela segurança do que a F1.

      Espero que agora os senhores Herbie Blash e Charlie Witting adotem postura mas cautelosa nesse sentido.

    • Também vi a imagem do resgate já com o Santo Antônio arrancado. Me leva a crer que a parte teve que ser removida pela equipe de extricação para retirar o Jules do carro. Ou que realmente foi arrancado no acidente, e simplesmente posto em cima do carro pelos fiscais após a remoção do piloto.

  • Imagens chocantes, impacto terrível,e a FIA “escondendo” as imagens do acidente,não tem como esconder os fatos e a cagada que são estes tratores tirando acidentados da pista,como sempre tem que acontecer algo sério.