FÓRMULA E X FÓRMULA 1

SÃO PAULO (digam tudo) – Não há dúvidas sobre o interesse que a Fórmula E despertou em sua primeira temporada. Como não há dúvidas sobre a importância e a popularidade da F-1 com seus 65 anos de história — completados ontem, inclusive, porque o primeiro GP da história aconteceu em 13 de maio de 1950 em Silverstone.

A questão é: os elétricos estão superando os queimadores de gasolina no coração dos fãs de automobilismo?

Pedro Marum defende a F-E, Renan do Couto defende a F-1. Em dois textos no Grande Prêmio, eles falam sobre as categorias de monopostos, pode-se dizer, mais importantes da atualidade. Alain Prost, tetracampeão de uma e pai de piloto na outra, defende mudanças na F-1 e elogia o campeonato que seu filho disputa. “Temos mais liberdade”, diz. É uma opinião de peso.

Quero saber de vocês, agora, o que acham.

Subscribe
Notify of
guest
69 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo
Marcelo
7 anos atrás

Simples, na F-E há disputas de posições o tempo todo, a corrida começa sem sabermos quem vai ganhar e os lugares onde correm são legais. A F1 está usando umas pistas sem tradição nem importância, carros que não ultrapassam sem a horrenda asa móvel e está muito previsível.

Marcio
Marcio
7 anos atrás

Formula E com aqueles carros tartarugas não empolgam nada. Até assisto as corridas, mas acho muito devagar, parece realmente que eu ganharia aquela corrida com meu i30 de tão lerdos que são os fórmulas E.
Eu assisto a FE por curiosidade, mas sou muito mais a F1 mesmo com todos seus problemas de hoje.

John Player
John Player
7 anos atrás

Eu até estou gostando da F-E.
Não gosto dos circuitos mutilados e desse motorzinhos fracos que tem que trocar de carro no meio a corrida. E os retardatários andando devagar demais pra não acabar a “carga” da bateria?
O fato é: Nenhum alemão fá de automobilismo deve se importar com a F-E.
Ele vai preferir as categorias de turismo e a F1, obviamente.
A F-E é uma especie de premio de consolação pra quem não é feliz com a F1, pilotos e torcedores que não são alemães, ingleses…hehehehehehe.

Brabham-5
Brabham-5
7 anos atrás

A F-E só está agradando por 2 motivos:
1 – Bom nível dos pilotos do grid;
2 – LEMBRA A F1.
Agora, esse motores silenciosos, FRACOS (o piloto tem de parar para trocar de carro durante uma corrida, e tem de correr em circuitos curtos) e o traçado truncado de alguns circuitos lembram o que há de pior na F1 atual.
Tanto a F1 quanto a F-E tem de melhorar.
As duas melhorando estes pontos negativos atuais, a F1 continuará mais importante e mais interessante.
A primeira coisa que a F-E deveria mudar é ter motores mais resistentes, que aguentem uma corrida inteira em circuitos maiores. Isso é TECNOLOGIA.
A F-E ganhou espaço e destaque. Mas não alcançou a F1.
Para mim, tomou o lugar da F-Indy na minha ordem de preferência.
As corridas de F-Indy são CHATAS DEMAIS. Não consigo me “adaptar”.
F1 >>>> F-E > F-Indy

roxxon valdez
roxxon valdez
7 anos atrás

já assistí duas corridas da F-E. mas os carros, o motor e a pintura e tudo o mais confesso que não me deu tesão. e a F_1 tá difícil de assisitir????não dá mais tesão???tá dificil nem com viagra ou LSD na retina tá dando tesão. e ainda tem aquele lance do narradores e toda a sua pataquada repetitiva. é só começar a transmissão e lá vem as conversas de lembranças de acontecimentos que se repetem, os mesmos, todos os grande prêmios. então o que não renova morre e tomara que a F-E se renove sempre e não insista em violentar a paciência de quem gosta do esporte.

Anselmo Coyote
Anselmo Coyote
7 anos atrás

Uma coisa é comparar as histórias das duas categorias, uma com 65 anos e outra com 7 meses. Outra é saber até quando é possível viver só de história.
A história está lá, em cada corrida, cada lance, cada barulho. Mas, e as disputas, a competição, as rivalidades e revanches que vão aparecendo aqui e ali na FE, apimentando a bagaça? A F1 não quer isso, não trabalha para isso e o seu declínio é escancarado. Não tem público, não tem paixão, não tem pilotos carismaticos, entrevistas espontaneas… apenas assessores de imprensa. A coisa atingiu um grau de assepsia tal que está virando um picolé de chuchu.
É uma pena. Adoro F1. Mas ela vai perder.
Talvez seja hora das equipes de F1 começarem a investir na FE para não perderem o bonde.
Abs.

Rafael
Rafael
7 anos atrás

Eu sempre fui fã da F-1.
Fã mesmo! Assistia as corridas pelo prazer de ver o automobilismo acontecer e se desenvolver no seu ápice.
Mas essa F-1 atual (de uns 5 anos pra cá) acabou com tudo isso.
Hoje, quem continua acompanhando, assiste porque resiste à esculhambação que a F-1 virou. Só por isso! Não há mais tesão. Não há mais paixão. E o amor vai acabando…
A F-E é interessante. É cativante! É tudo o que a F-1 não está sendo!
Aposto nela, justamente porque cumpre a sua proposta.
Vamos ver….

Fernando Passos
Fernando Passos
7 anos atrás

A Formula E tem muito para melhorar ainda, mas só o fato do carro não ter tanta dependência aerodinâmica facilita os pilotos andarem mais juntos, principalmente porque são poucos os circuitos com curvas de alta.

Fábio 77
Fábio 77
7 anos atrás

Não sei se existe mesmo essa comparação (F1 x FE). Algumas pessoas talvez “forcem” essa comparação por outros interesses… por exemplo: tentar dar a audiência ao canal que transmite a FE (coincidência??).

Thiago Moyses
Reply to  Fábio 77
7 anos atrás

Até o site da Globo começou a noticiar os acontecimentos das corridas da FE. E lá na própria Globo muitos comentários favoráveis à categoria. A Globo iria ignorar, principalmente por ser transmitida por uma concorrente, mas está ficando tão comentada pelas disputas, por seu sucesso, que até a Globo sucumbiu e resolveu cobrir. Vale para reflexão.

abraço

charles
charles
7 anos atrás

Eu acho que deveriam separar muito bem as coisas, por exemplo: F1= motor à combustão, nada mais; FE=eletricidade e outras firulas.

mario
mario
7 anos atrás

O que eu acho?

Eu acho que nem você acredita que teve coragem de perguntar isso.
“A questão é: os elétricos estão superando os queimadores de gasolina no coração dos fãs de automobilismo?”

A F1 tem que piorar muito para que isso aconteca, piorar tanto que chegue até o ponto de ter carros elétricos.

Jacob Lindener
Jacob Lindener
7 anos atrás

Não. Para mim, os elétricos não superam os motores à combustão.
Agora, a Fórmula 1 de hoje compete com o desfile dos caminhoneiros no dia do motorista ou alguma procissão motorizada em termos de emoção. Em termos de disputa, a F-E, e várias outras categorias, dão de dez na F-1.

Mauricio Camargo
Mauricio Camargo
7 anos atrás

F1 é melhor mas neste momento….

sinval
7 anos atrás

sem duvida
nao se pode deixar de gostar da F1
da noite pro dia, é uma categoria onde
cresci falando de F1 , e vivi acredito que
os melhores anos da F1.
porem se é o regulamento, os caras ,
a ma politica e o diabo a quatro nao tenho
tamanho conhecimento pra desabonar.
porem infelizmente hoje a F1 esta uma merda
em todos os sentidos, a F -E por outro aspecto
encanta por que os proprios resultados e as
corridas é que estao crescendo os nossos
olhos , se é a formula ideal , sabe se la,
mas que esta muito mais gostoso de
se ver esta.

Alberto
Alberto
7 anos atrás

Gosto da FE, bem como das demais competições sobre 2 e 4 rodas. Acredito que o sucesso da FE tem a ver com a perspectiva de desenvolvimento da tecnologia elétrica viável, com o “fator novidade”, aí incluída a propalada liberdade de desenvolvimento, com os custos – tanto para as equipes quanto para os torcedores – e sobretudo com a qualidade do grid.

Fossem os zé-ninguéns da GP2 pilotando os carros, ninguém iria querer saber. O grid reúne vários pilotos que poderiam tranquilamente estar substituindo aqueles da F-1, com exceção dos fora-de-série Hamilton, Alonso e Vettel. E o que os torna tão interessantes aos olhos do público? O fato da maioria já ter pilotado um F-1. Essa é a medida da relevância indisputável da F-1.

Posto isto, já se aqui e ali sobre a perspectiva de carros e motorizações diferentes, disputas entre montadoras, um caminho aparentemente inevitável para qualquer categoria que pretenda ser bem-sucedida, e ao mesmo tempo o caminho que levará ao desequilíbrio entre equipes, aumento de custos, politicagem, decisões que beneficiam as partes mais poderosas em detrimento do interesse comum, e tudo aquilo que conhecemos tão bem. É o paradoxo do automobilismo.

Eu vejo uma coisa curiosa nisso tudo. Já se começa a falar em carros diferentes, me

Titus
Titus
7 anos atrás

Corrida de carro com ronco de autorama? Não dá…

Fabio
Fabio
7 anos atrás

A F-E é como aquele jovem piloto que chegou fazendo meia duzia de boas corridas e já virou o novo Senna. Fala serio… daqui a 65 anos conversamos sobre isso…

JONAS
JONAS
Reply to  Fabio
7 anos atrás

Se daqui a 65 anos ainda usarmos motores primitivos, como são os de combustão interna, talvez ainda existam corridas de F1 com motores fumacentos e barulhentos, mas talvez não exista mais platéia, ou o planeta…A evolução tencológica aponta pra diminuição da emissão de carbono, então……..

Thiago Christao
7 anos atrás

Eu diria release the beast na F1, deixem os caras inventarem o que quiserem , sem limite tecnilogico mas com limite no orcamento, como o disse o DC na columa dele, tudo fica
Cada vez mais rapido e mais moderno e a F1 nao pode andar pra tras ….

Celio Ferreira
Celio Ferreira
7 anos atrás

O futuro vem de forma inexorável,energia limpa, e a f1 sempre foi o centro
tecnológico de desenvolvimento , portanto os aspirados a combustão já
eram. Quanto aos FE , quando atingir 300 K/PH , ( como o protótipo ELLICA)
japonês, certamente haverá a fusão F1 e FE, e no fururo ouviremos apenas
o assobio dos propulsores eletricos ( como no WEC ).

JONAS
JONAS
Reply to  Celio Ferreira
7 anos atrás

É isso aí! Motores a combustão interna são primitivos.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
7 anos atrás

Nem a pau, pra mim essa FE é outra que desaparece em alguns anos. Carros ridiculos de feios, sem velocidade, do jeito que está pra mim zero interesse.

Rafael Bilibio
Reply to  Luiz Fernando
7 anos atrás

Também não gosto.

Teles
Teles
7 anos atrás

Acho interessante observar que, 60% dos pilotos do Grid da FE hoje, possuem talento suficiente para estarem na F1 atual.
Outra observação,os pilotos da F1 atual não possuem torcida como a algum tempo atras.Motivo,são todos iguais nas atitudes e no minimo de talento.
Abração!!

marcelo silva
marcelo silva
7 anos atrás

A F1 está quase chegando na F-E : lenta e sem barulho…!!

Alessandro Silva
Alessandro Silva
7 anos atrás

Acho que carro elétrico é com a Formula E e carro hibrido e com o WEC. A Formula 1 tem de se concentrar em fazer carros com motores à combustão e pronto! Pode até deixar os turbos 1.6l sem ERS, KERS e toda essa bobagem elétrica, trazer de volta os V8 aspirado e misturar tudo como em 1983. Seria bem divertido as diferentes estratégias de cada equipe em rasão dos diferentes tipos de motor.

Anselmo Coyote
Anselmo Coyote
7 anos atrás

A FE não levará o mesmo tempo que a F1 levou para se desenvolver tecnologicamente. Pois já nasceu em um berço tecnologico. A evolução ds fotografia digital em 10 anos superou a da fotografia tradicional em 100 anos. Todo o caminho trilhado pela F1 em termos aerodinâmicos, telemetricos, desenvolvimento de borracha de pneus, uso de materiais especiais como titânio e fibra de carbono etc não terá de ser novamente percorrido. O nó górdio ainda é a autonomia, mas existem mil caminhos para contornar isso até que seja resolvido. É preciso atrair o público, mas a publicidade evoluiu também e a evolução dos meios de comunicação é hoje a maior já vista.
A FE é o futuro presente, inexorável. Poderá ser ultrspassada e substituida por outra categoria, mas não será a F1.
Abs.

Marcelo
Marcelo
7 anos atrás

(digam tudo), lá vai…

“os elétricos estão superando os queimadores de gasolina no coração dos fãs de automobilismo?”

No coração dos pachecos sim, onde tem piloto brasileiro brigando por título, tem pacheco aplaudindo. Quando ao aspecto técnico, tem chão pra Fórmula E ficar no mesmo nível da…GP2, que por sinal, tem boas corridas. Formula 1 é campeonato mundial, é o topo da categoria máxima do esporte a motor.

Depois de dez anos poucas pessoas vão lembrar quais foram os campeões da Fórmula E no passado. O que foi aquilo que fizeram na pista de Mônaco? kkkkkkkkkkkkk, nem em época de autorama fiz coisa tão ridícula. A BMW tirou até sarro, só entra na categoria quando a bateria aguentar uma prova completa.

Os carros da F-E só tem força no plano? Se a pista tiver aclive como Mônaco, fodeu? kkkkkkkk. O que posso dizer do visual dos carros? Medonho de feio! Carro de corrida pra mim tem que ter escapamento, barulho faz parte do espetáculo. Coloca uma vitrola no cockpit da F-E, mais duas cxs de som nas laterais do carro…bota som nesse autorama!!!

Assisti a primeira corrida e rachei de rir com a “velocidade” do carro na reta. Deixei a categoria de lado, e só voltei em Mônaco porque Piquet e Di Drassi se estranharam fora da pista. Essa Formula E não serve nem pra corrida de meninas, é muito fraca. Pode ser boa de marketing, mas isso pra mim não é corrida de carros.

Mete duas baterias de caminhão FNM, triplica a potencia, e bota o som da vitrola no volume máximo. Vejo F-E como ‘cabide de emprego’ pra quem esta fora da F-1 e F-Indy…

Prefiro as corridas do WEC, DTM, Indy, GP2 e até Stock-Car. Estão fazendo muito oba-oba com essa categoria, mas ela não é nada disso, pode até melhorar, mas vai levar tempo! E posso afirmar, quando não tiver pilotos brasileiros, acabou interesse dos pachecos no Brasil.

Solução, coloca um motor de DKW ao lado do motor elétrico(inventa um filtro pra eliminar a fumaça). Resolvido o problema pra subir ladeira em Mônaco, resolvido também o problema da vitrola. Qual som abaixo você prefere?

https://www.youtube.com/watch?v=UM1xmGRgzI0

https://www.youtube.com/watch?v=pRR2oUPfUGI

Marcio
Marcio
Reply to  Marcelo
7 anos atrás

hahaha, assino embaixo
carro lento demais, o Usaim Bolt corre mais que eles. muito chato.
Não sabia que o carro é fraco e não aguenta a subida de Monaco. Odiei o que fizeram na pista, muito sem graça mesmo.

Fernando Lima
Fernando Lima
7 anos atrás

A F-E vem apenas fazendo o que a F1 deixou de fazer há algum tempo: Cativar/encantar seu fã, que é quem realmente a mantém viva. Consequentemente, não consegue conquistar novos fãs…e se o sr Bernie não se importa com isso, mesmo com a queda geral de audiência pela tv e de público nas arquibancadas, deve lembrar que sem público nem audiência, os patrocinadores também começam a debandar, o que pode começar a acontecer em breve (O energético Red Bull vai bater asas???).
Especificamente no Brasil, que ainda rende um bom público em Interlagos (mas já foi melhor…), tem o agravante do declínio técnico que chega a ser assustador das transmissões pela tv…eu mesmo tentei assistir o GP da Espanha, mas mudei de canal…tava insuportável…realmente o pessoal do “plim plim” perdeu a mão…

Aliandro Miranda
Aliandro Miranda
7 anos atrás

Essa disputa nem sequer existe. A F-E é promissora e tem boas corridas, e só isso. Está muitíssimo longe da F-1 não só em termos de popularidade, mas de tudo.

Menos…

Alex
Alex
7 anos atrás

F1 é gigante e tem por tradição ter a elite dos pilotos (mesmo que sejam só uns 5 pilotos), ainda é melhor que F-e.
Mas se continuar do jeito que está, vai entrar rápido em declínio.

Victor Cotrim
Victor Cotrim
7 anos atrás

ALGUEM AI sabe se alguma tv brasileira vai mostrar O WTCC em nurburgirng esse finds?

Everson Abreu
Everson Abreu
Reply to  Victor Cotrim
7 anos atrás

Passa no Fox sports 1 ou 2. Só não sei se será ao vivo.

Pepe
Pepe
7 anos atrás

Na minha modesta opinião, os F1 já são hibridos com cada vez mais eletricidade e eletrônica embarcados, logo, logo, os “queimadores” vão ser apenas co-adjuvantes e cada vez mais, a tecnologia da eletrônica vai se impondo à força bruta, haja visto que os próprios pilotos testam muito nos simuladores, ou seja, cada vez mais os F1 se aproximam dos vídeo-games e vice-versa, prova é que qualquer garoto com um pouco de preparo “senta a bota” no F1 como qualquer veterano, ou não ?

JP
JP
Reply to  Pepe
7 anos atrás

No ponto. O pessoal está preso a um conceito antigo, do tempo em que carro de F-1 tinha um motorzão e um carburador babando gasolina pelos lados. A F-1 é mais “E” do que “1” hoje em dia e a questão não é barulinho x barulhão, é questão de regulamento, pista, competitividade.

Fernando
Fernando
Reply to  Pepe
7 anos atrás

Concordo, sair da idade da pedra não é fácil, e sob o comando do Bernie piora muito. Os “queimadores” já morreram e esqueceram de enterrar – uma pena, eu também gosto – mas o futuro é híbrido e depois será elétrico. Para a F1 isso é um parto, demora, é uma pilha enorme de problemas, se agarrar ao passado é o pior deles.

Também não acho que a FE é comparável à F1, são animais diferentes, quando a F1 superar a troca de paradigmas será a categoria top que sempre foi, e voltará a ter o sucesso que hoje a WEC e a FE tem com seus híbridos e elétricos.

Hehe, e agora nós temos por aqui pachecos e viúvas de V8s beberrões, isso sim é novidade.

Julio Cesar Ruthes
Julio Cesar Ruthes
7 anos atrás

Pra mim a F1 é inigualável. É igual a time do coração. Por pior que esteja, sempre será a minha preferida. Mas isso não impede de achar que outras categorias tenham corridas mais acirradas, em alguns momentos, como a F-E.

Marcelo Feitoza
7 anos atrás

Os rapazes mandaram superbem nos textos e não seria diferente. Há bons argumentos dos dois lados e a F1 segue num patamar acima das demais… por enquanto. Se não se coçar, corre sim o risco de se tornar totalmente desinteressante, porque pouco interessante ela já está.
O mundial de Endurance vai bem e a F-E foi o maior achado (depois da corrida de abertura, quase que abandono de vez a categoria, mas dei uma segunda chance e não me arrependi) dos últimos tempos. O grid é bom, com muita gente que de alguma forma passou pela F1. Alguém pode dizer: “ah, mas se fossem tão bons, lá ainda estariam”. Discordo totalmente. A gente que acompanha essa bagaça há tempos (no meu caso, há vinte e tantos) sabe que, salvo raríssimas exceções, o sujeito pagando ou não só chega lá se for bom. Se consegue se firmar ou não, aí já é outra história. Buemi, Piquet Jr, Senna Sobrinho, Vergne, Di Grassi, Alguersuari, Trulli, etc, etc, não são menos pilotos que Grosjean, Nasr, Carlos Sainz Jr, Max Verstappen, Ericsson, Perez, Kvyat, Merhi e Stevens, por exemplo. E sempre vai existir os espetaculares, como Vettel, Hamilton, Alonso. Isso em qualquer época.
Dessa forma, imagina o que estariam fazendo Vettel, Hamilton, Alonso, Kimi, Bottas sem todas essas amarras que a F1 criou pra si nos últimos dez anos!
Fico cá imaginando o mundo ideal, tipo naquela corrida em Punta, com esses caras dividindo rodas, largando pedaços de asas pelo caminho e brigando até o fim pela vitória.
A liberdade, o estilo meio “low profile” dos bastidores e as disputas da F-E são tudo aquilo que a gente gostaria de ver na F1, e não essa categoria insípida dos últimos tempos.
É bacana ver isso nos elétricos, como é bacana ver a proximidade com o público na Indy, ou as montadoras liberadas pra pensar e sair pro pau no Endurance; ou, um entrevero como aquele entre Piquet Jr e Di Grassi em Monaco, simplesmente sensacional. Se isso é na F1, o pessoal anda tão higiênico ultimamente que perigaria ter que pagar dez flexões por desrespeito.

Torço por uma F1 sem frescurites de motor; com liberdade aerodinâmica, sem punições desnecessárias, com cada um escolhendo o pneu que der na telha, enfim, com emoção!

Ubaldir Jr.
7 anos atrás

Olha, que o campeonato dos carrinhos elétricos está muito mais “divertido” de assistir, isso não há dúvidas. O formato ficou interessante, a disputa apenas em pistas de rua também foi uma sacada legal, a tecnologia “modernosa” é um chamariz a mais e, em termos de Brasil, a transmissão mais profissional acaba por também melhorar o espetáculo, pois ninguém aguenta mais a forçada de barra da equipe da Globo para dar alguma emoção artificial às corridas (quem viu o Galvão questionar se o Hamilton ia aguentar na pista com o penúltimo stint até o final sabe do que falo), sem falar no ufanismo idiota que dá nos nervos.
Mas é preciso muita calma nessa hora. A F-E ainda vai precisar de muita história para se firmar no cenário mundial de forma perene. A F-1 pode até passar por um momento complicado (passou também logo após a morte de Senna e nos anos de domínio completo de Schumacher/Ferrari – quem não se lembra da corrida de 6 carros em Indianápolis?), mas é algo já estabelecido, e consegue mudar de rota de tempos em tempo para se restabelecer.
No fim, o que penso é: há espaço mais que suficiente para as duas categorias. A F-E está sendo um ótimo destino para vários (bons) pilotos que perderam espaço na F-1 pelos mais diversos motivos, mas que ainda possuem muita “lenha pra queimar”, e mesmo para outros que não encontram vaga nos limitadíssimos postos de que a categoria máxima dispõe.
No fim das contas, qualquer categoria cujo os bólidos são mais padronizados, com poucos (ou apenas um, como na F-E) fornecedor de chassis e outro de conjunto motriz, possui grande potencial para proporcionar disputas mais parelhas, o que a F-1, por conceito, tem extrema dificuldade de gerar.

Glauber
Glauber
7 anos atrás

Carros iguais, unidade de força iguais, pneus iguais.
Mas uma das grandes coisas responsáveis por este belo espetáculo é que temos inúmeros bons pilotos que não chegaram à F-1 ou deixaram a F-1 por falta de grana, e agora proporcionam este espetáculo.
Outra coisa: a F-E é muito mais lenta que a F-1, e proporciona corridas sensacionais. Isto prova que a falta da velocidade na F-1 não é o pivô dos problemas.

hendrix
hendrix
7 anos atrás

formula E depois da 3° corrida, quando os engenheiros entenderam todo o potencial do carro as corridas ficaram super emocionantes.
só acho q a engenharia dos carros do tesla seria + interessante, a bateria sob o assoalho do carro q uma bateria grande acoplada ao motor no eixo traseiro (Type C). tb poderia ter um método de tocar a bateria no box e não trocar o carro, mas aí o desenho atual de bateria ao lado do motor seria mais condizente.
como a F1 está num mundo muito + distante de desenvolvimento, a engenharia se limita ao ponto + fraco do carro, no momento os pneus, a Michelin poderia voltar e termos uma competição de pneus, mas pra ficar mais condizente ao desenvolvimento de ponta poderia ser pneus “normais de rua” como da formula E e como testado ano passado.

Deni Williams
7 anos atrás

Não é nem preferência sobre os motores, e sim pelas disputas.
E também a imprevisibilidade: você nunca sabe quem vai ganhar.

Pdr Rms
Pdr Rms
7 anos atrás

Obviamente que não há comparação em termos de tradição e importância, mas é certo que a F-E tem colhido muitos acertos e hoje é uma categoria que me dá muito mais prazer de acompanhar que a F-1, por isso sou um ferrenho defensor e entusiasta da mesma.

Como se não bastasse fazerem tudo certinho, ainda deram sorte de já no primeiro campeonato haver uma rixa ferrenha entre dois pilotos conhecidos e da mesma nacionalidade que até o momento disputam o título ponto a ponto, o que só traz mais emoção e publicidade à categoria.

Neste momento, minha única crítica à F-E se dá com relação ao traçado de alguns circuitos com poucos pontos de ultrapassagem. Nesses circuitos houve disputas mas ficou mais ligada a outras questões como a necessidade de alguns pilotos em economizar a bateria.

No mais, só posso desejar vida longa à F-E e que incomode e roube cada vez mais espaço da F-1 pois quem sabe assim os seus cartolas resolvem mudar.

Diego
Diego
7 anos atrás

Acho que a FormulaE tem ido muito bem nasceu com um belo conceito de se aproximar dos fãs e explorar um mercado de corridas que era praticamente inexistente, de carros totalmente elétricos. Mas ainda não se provou, passando por momentos de crise, de domínio de um piloto/equipe, etc. A F1 é legal pq é história sendo escrita a cada GP, isso não é pouco. Mas tb não é suficiente para turma achar que a categoria vai ficar nos corações, pela simples inércia do que já foi um dia. Não vejo necessariamente uma “competição” entre as duas, mas se eu tivesse hoje que apostar um tostão furado em uma delas, seria na elétrica.

Alfredo Junior
Alfredo Junior
7 anos atrás

Corrida de automóvel tem que ter carro a gasolina ou metanol. Carro elétrico é pra cidade, mas esporte a motor não. Não pode levar um encostãozinho quelá se vai carenagem, o carrinho feio. Fórmula 1 é tradição, precisa ser melhorada,pelo amor de Deus voltem os circuítos tradicioais!

Paulo César_PCB
Paulo César_PCB
7 anos atrás

Seria o “caso tostines” ?

A Formula E, vende mais ingresso porque é baratinho ? Porque tecnicamente é mais interessante ? Porque é novidade ? Porque são equipes diferentes ? Porque tem pilotos melhores ?

E a Formula 1 ? Não vende ingresso porque é caro ? Porque todo mundo já sabe como é? Porque sempre tem mais do mesmo ? Porque o Bernie tá velhinho gagá e não muda nada ? Porque agora só tem carro com motorzinho de dentista ?

O tempo é o senhor da razão, só se saberá depois de águas passarem………

Paulo César_PCB
Paulo César_PCB
Reply to  Paulo César_PCB
7 anos atrás

O espectador simples, o torcedor pacheco ou o aficionado, quer é ver disputas, briga de pneus e tintas. Pouco importa a categoria.

Um exemplo interessante : https://www.youtube.com/watch?v=7PMUvqKIiQg

Alex
Alex
7 anos atrás

Eu acredito que a F-E ainda está muito longe da F1. Entretanto seu início está sendo promissor, sensacional até. O que conta a favor da F-E é sua proposta de categoria com equilíbrio de forças, além, é claro, de usar somente motores elétricos. O ponto negativo é que os carros são muito mais lentos e menos potentes do que os carros das principais categorias do automobilismo, o que diminui muito a emoção das corridas.

George
George
7 anos atrás

O maior sinal da importância da F-e foi o silêncio absoluto da Globo no noticiário do final de semana, apesar de dois brasileiros liderarem o campeonato e os dois conquistarem o pódio na etapa de Mônaco.
Preferiram noticiar a participação brasileira no Blancpain Sprint Series (who?)
Outro sinal importante (e aí observo com tristeza, pois gosto do trabalho dele) é o silêncio de seu amigo Fabio Seixas sobre o campeonato, talvez em razão de o site dele (e ele próprio) estar atrelado às Organizações Globo.

Tiago Pereira
Tiago Pereira
7 anos atrás

Não entendo como colocam a Fórmula E sendo mais importante que a Fórmula Indy. Tem nem como comparar, sério.

ZandoPP
ZandoPP
7 anos atrás

Acompanho as duas categorias e a minha impressão é que na Fe temos disputas e na F1 temos um desfile…

Não se trata de qual tecnologia é mais avançada. Para o público consumidor, o que interessa é o espetáculo proposto.

O produto F1 não vende mais disputas, enquanto o Fe vende…

Por enquanto…

Fabio
Fabio
7 anos atrás

Considerando a F1 real, que existiu até meados dos anos 2000 – porque essa de hoje é só um simulacro daquela -, não há comparação; a F-E estaria no mesmo patamar de uma F3, uma categoria de acesso, talvez. Agora, como fazem questão de tornar a F1 cada vez mais intragável, pasteurizada e artificial, o modelo da F-E é mais atrativo hoje.

josé
josé
7 anos atrás

Problema da F1 é a horrível divisão da grana aliada a circuitos toscos e carros com quinquilharias demais. A FE é mais simples e talvez só por isso muito melhor.
O bom é ver disputa, não Marussia andando menos que fusca e Mercedes fazendo dobradinha sem nem suar.

alexandre ganso
alexandre ganso
7 anos atrás

Na minha opinião: carro elétrico é ecologicamente correto, mas não tem ronco. Já os carros a gasolina perderam a graça tentando ser o mais ecologicamente correto possível. Tendências, conceitos, vanguarda, tecnologia sustentável… tudo isso é muito legal, mas corrida de carro tem que ter velocidade e barulho de carro de corrida. Então quem eu acho que esta levando vantagem nessa historia são algumas equipes do WEC… carro meia calabresa / meia mozarela competitivos com tecnologia de vanguarda. Isoladamente a F.E e F.1… deixam a desejar….

Chupez Alonso
Chupez Alonso
7 anos atrás

Eu prefiro F1.

Que também é elétrica!

É só lembrar do Eletrocutando Amonso!

Ricardo Talarico
Ricardo Talarico
7 anos atrás

Corrida boa não precisa de ronco ou barulho nem de velocidades estonteantes.
Claro que esses “detalhes” ajudam, são um “plus a mais” , mas o que atrai público
é competitividade, disputas equilibradas.
Tem corridas de kart de aluguel, com aqueles motores de garapeira, que são sensacionais, super disputadas.
Acho que os corações dos fãs tem espaço para muitas categorias, mas ter carros andando juntos, aquela sensação de que se desgrudar o olho vai perder algum lance é o que faz a diferença.
Acho que isso só é possível simplificando os regulamentos, técnicos e esportivos.

Abrax !
Tala

Eduardo - SP
Eduardo - SP
7 anos atrás

A F-E, por ora, não chega aos pés da F1. O que me leva a assistir a F-E é o mesmo sentimento pelo qual assisto a Nascar: curiosidade, aliada ao gosto por automobilismo.

Gostar, gostar, é F1, mesmo com todos os problemas da categoria. Pode ser que isso mude um dia, mas, até o presente momento, não fez nem cócegas.