MENU

sexta-feira, 25 de setembro de 2015 - 7:58F-1

NIPÔNICAS (1)

nip0001aSÃO PAULO (já usei?) – Chuva é legal em corrida. Em treino, não. Ainda mais quando há possibilidade de, no dia seguinte, tudo acontecer no seco. Aí é que ninguém anda, mesmo.

A madrugada foi arrastada para quem ficou acordado vendo as duas primeiras sessões em Suzuka, ambas molhadas. Na primeira, só 11 carros se dignaram a ir para a pista. Na segunda, OK. Todo mundo, exceção feita a Bottas, andou. Mas pouco, evitando riscos, lidando com a água que ia e vinha com intensidade variável.

No fim das contas, Kvyat ficou com o melhor tempo do dia. Que não significa muito, considerando que a classificação pode acontecer com pista seca. O que saberemos às 3h de amanhã.

Só tenho pena, mesmo, do público. O japonês é um apaixonado pela F-1, sempre enche Suzuka, e não reclama de ficar horas parado na arquibancada vendo a chuva molhar o asfalto, mesmo sem carro nenhum passando à sua frente. Parece grato à F-1 por ela visitar o país uma vez por ano — sempre foi assim. É um dos lugares de que mais sinto saudades. Está anotado na lista de coisas para fazer nesta vida voltar a Suzuka. E logo.

Se nada de muito emocionante aconteceu na pista, teve notícia pingando aqui e ali no paddock.

Button, por exemplo. Se ontem ele não disse nada, logo depois um dirigente da McLaren deu indicações de que o inglês não quer ficar na equipe. A história está aqui.

A drenagem da pista japonesa, que foi modificada pelos administradores do circuito, não agradou muito. Massa, por exemplo, disse que está igual ao que sempre foi. “Aquaplanagem é um problema aqui”, falou o brasileiro.

Por fim, Alonso, comemorando os dez anos de seu primeiro título — você relembra aqui, na coluna “Na Garagem” de Charles Nisz —, falou que espera repetir o feito um dia, mas que “há outras categorias para ser campeão mundial”. A mensagem é clara. Seus dias na F-1 estão, obviamente, chegando ao fim. Ele está com 34 anos, sem perspectiva imediata de voltar a lutar na frente, do jeito que está a McLaren. E sempre tem um WEC esperando por você depois da esquina, com carros espetaculares e corridas idem.

36 comentários

  1. Ayrthon Boka disse:

    ´será que o Luis Roberto. que infelizmente está narrando a fórmula 1, é surdo?? por que essa gritaria toda? precisa isso? ainda bem que tem o Reginaldo Leme , o Luciano Burti. e a Mariana Becker..pra dar um refresco….parece que esse cara tá narrando futebol….uma coisa irritante…e é ruim demais!!…meu deus…

  2. Marcos Alvarenga disse:

    “Bem quente mesmo, ”
    ou Bem quente, mesmo, ?

    Essa porra tem vírgula ou não?

    Pesquisei antes e não achei nada.

  3. Paulo Pinto disse:

    Alonso comemorando os dez anos de seu primeiro título? Ano que vem, o espanhol vai comemorar os dez anos de seu último título…

  4. Joshua disse:

    E quem gosta realmente de motores, sabe que um V8 é incomparável.

    Hoje, os carros da F1 são feios, os motores V6 são sem graça e as regras são complicadas.

    Saudade da época que a Renaut sabia fazer motores…

  5. paulo disse:

    Torço muito pelo WEC, nomes como Button e Alonso, só vão fortalecer ainda mais aquele campeonato incrível.

  6. luiz carlos disse:

    A Globo só.vai.passar o q3?? De madrugada?? Sacanagem.

  7. Roberto disse:

    Flavio, você falou dos 34 anos do Alonso, que seus dias estão chegando ao fim na F1. Com qual a idade que você considera que um piloto de ponta (o cara que já tem um diferencial sobre os outros pilotos) pode seguir na F1 em alto nível, antes de iniciar um declínio físico inexorável? Eu acho que é 38 / 39 anos. Qual a opinião do pessoal também?

  8. Celio Ferreira disse:

    O engraçado na F1 que passam o ano falando em mudanças , motor, pilotos,
    equipes , novas montadoras entrando , aí quando entrar 2016, pelo jeito será
    tudo o mesmo desse ano com as ricas brigando lá na frente e as pequenas
    e médias se arrastando lá no meio para o fundo do grid.e o Bernie cada vêz
    mais rico, è nosso esporte preferido está uma lástima .

  9. Oi? disse:

    Volto a repetir: Alonso aposentou Schumi. Hamilton aposentou o asturiano. Vettel aposentará o inglês.

  10. José disse:

    Fábio, rsrs!
    Notícias do Schumi?

  11. largebeer disse:

    Caro Gomes.. esse Charles Nisz é bão mesmo !

  12. Gabriel P. disse:

    Vai entendder F1
    Agora que RBR está resolvendo sair da categoria e desprezar os motores Renault.
    Seus carros estão andando nos 1ºs lugares.
    Até Kvyat fez bonito.

  13. Ademir disse:

    é Flavio eu acho que já usou “Nipônicas” se não me engano.

  14. Kkkkk disse:

    Quando Alonso se aposentar perderemos o melhor piloto da f1 pôs Senna, mas ainda teremos o Kvyat pra torcer!

  15. Chupez Alonso disse:

    É impressão minha ou a Red Bull melhorou?

    Esta é a 2ª corrida seguida que o Kyviagem lidera o treino. Fora o pódio do Ricciardo há 3 corridas.

    E ainda vão romper com a Renault?

    Quanto ao Eletrocutando Amonso:

    Já vai tarde!

    Allez Sado!

    Chupa Allonzo!!!

    #EuRioDoÚltimo!!!

    • Fernando disse:

      Alonso não deixará saudades ! E não sou único, e junto a mim existem muitos !!! Se continuou após o episódio de Cingapura, onde Piquet Jr foi defenestrado da categoria, Alonso foi ridicularizado por portas fechadas (leia-se Red Bull & Mercedes), e nada mais conquistou depois do segundo titulo (contestável para aqueles que realmente se recordam). Bom piloto, e ponto, Melhor do Grid, nunca ….., Vettel está aí para provar, Hamilton está aí para provar…., …, etc….., etc……, etc !

  16. Diego - Floripa/SC disse:

    Sugestão: cobre in loco ano que vem para o Grande Prêmio! Não tive a chance de ler suas matérias na época em você ia até as corridas, e tenho certeza que você faria matérias totalmente fora do que a gente vê por aí.

    Gostaria de dar os parabéns ao Grande Prêmio pelo ótima matéria no Conta-giro, do Gabriel Curty. Como o pessoal da Indy, especialmente Kanaan e Castroneves, rendem ótimas entrevistas, bem melhor que qualquer uma na F1.

  17. eduardo costa disse:

    Flávio,

    Com os motores Honda fraquíssimos, há o risco da McLaren romper o contrato para 2017 e partir para um novo fornecedor ou motor próprio?

    abraço!

    Eduardo Costa

    • Gabriel P. disse:

      Parece-me triste, mas a categoria principal dos esportes a motor, não tem fornecedores.
      Pneus – Só a Pirelli e olha lá.
      Quanto a motores, Ferrari, Mercedes e Honda. e olha lá também. (Renault é incógnita)
      Aliás, parece que é só a F1 que usa essa “coisa” que antes a gente chamava de motor. E pelo jeito não despertou o interesse em nenhuma outra categoria.. Flávio também poderia falar disso qualquer dia.
      -O desinteresse do automobilismo por estes atuais “motores ” da F1.-

      Quanto as esquipes, parece que ninguém entra e nem sai.

      • Alfredo Aguiar disse:

        Eu penso que é muito cedo para uma conclusão como essa. Como também avalio como errada a introdução de 2 sistemas de recuperação de energia concomitantes incorporados a estreia dos motores V6 turbo. Tivessem sido menos radicais e usado por um período um único sistema de recuperação e teríamos mais montadoras interessadas na F1 como um laboratório.
        No entanto a tração híbrida é uma solução natural, seja pela eminente escassez do petróleo seja pela visão ambiental. É claro que tudo pode converter do dia para noite, aparecer uma tecnologia totalmente diversa e tudo isso ficar no passado,. Há algum tempo atrás sonhava se com telefones que geravam imagens em pequenos televisores, chamados videophones, apareceram os smartphones e não se falou mais nisso, ou uma fortuna gasta em New York para terem um sistema de tubos que levavam as cartas direto das centrais do correio para os edifícios, o Empire State foi construido com uma dessas redes de tubos. Apareceu o E-mail e levou a ideia pelos tubos.
        A tração dos carros é algo relativamente antigo e é natural que tenha uma evolução. Quando apareceram os primeiros carros com injeção, muitos torceram o nariz para seu uso em carros de competição, tirava do mecânico tradicional uma de suas maiores armas que era afinar um banco de carburadores. Hoje ninguém sequer imagina uma F1 carburada.
        Quem sabe quando a ideia estiver mais madura e as equipes atuais mais próximas, novas montadoras mostrem interesse pela categoria. Mas relembremos que houve uma época em que a F1 praticamente só tinha motores Ferrari e Cosworth, com uns gatos pingados Matra, Gordini, Alfa e BMW, Os cosworth carregavam 90% do grid.
        O que Mr. Eclestone tem é que aceitar que a F1 é global. mudar horários ao redor do mundo para que todas as corridas na Europa sejam assistidas em horários confortáveis e o “resto” do mundo que de [email protected] é complicado. Convencer pessoas a ficarem acordados até 2, 3, 4 horas da madruga e fazer a corrida japonesa acabar ao anoitecer para não gerar desconforto no europeus é sacanagem. Trazer novos públicos num bagulho que começa as 7 da manhã de domingo é difícil. No horário de inverno, norte Americanos teriam que acordar as 6 para assistir alguma provas.
        Bernie se adonou da F1 e todos acharam isso natural, Dita regras ao seu bel prazer e está acabando com a atração pela categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *