DOIS MOTORES

SÃO PAULO(difícil) – Burburinho da semana lá fora. Bernie estaria trabalhando no sentido de permitir um motor “alternativo” na F-1, para garantir a permanência de Red Bull e Toro Rosso no grid. V8 aspirado? Turbo, mas sem a sofisticação (e chateação) dos dois motores elétricos acoplados ao de combustão?

Considero a proposta quase inviável, tamanha seria a necessidade de equalizar os dois tipos. Mas é bom lembrar que no passado já conviveram motores turbo e aspirados na F-1. Nunca se sabe…

Comentários

  • Engraçado.
    A F1 não deveria ser o top dos top do automobilismo de competição.
    Se é assim, que se acabem com todas regras exceto as de segurança e que cada um faça o carro como quiser, com o motor que quiser.
    E que vença o melhor e ponto.
    Teremos 50 equipes, 100 pilotos. ótimo
    Mesmo porque, qual a graça de ser campeão, se a competição mesmo, fica restrita a 4 ou 5 carros (se tanto..)????
    Assim haverá realmente competição em todos sentidos.

  • Dar pra coexistir tranquilamente os atuais turbos com os V8 2.4 aspirados.

    Em todo caso, caso haja um desequilíbrio, existirão soluções para todas as situações:

    1-Se os V8 forem melhores que os turbos, basta limitar os giros daquele, como aconteceu com a Toro Rosso em 2006, que correu com um Cosworth-V10 3.0 frente aos V8 2.4

    2-Se os turbos já estiverem melhores que os V8, basta criar um torneio paralelo, uma nova versão da Copa Jim Clark/Troféu Colin Chapman envolvendo as equipes que adotarem os motores aspirados e que, em regra, serão as que possuírem os menores orçamentos.

  • Quero só ver o contorcionismo para dizer a Ferrari, Mercedes, Renault e Honda o seguinte: voces gastaram milhões para desenvolver estas traquitanas , bem agora joguem tudo no lixo e usem um bom e velho v-oitão!
    Vai ser hilário!

  • Me desculpe, Flavio, mas a sua colocação me parece um pouco, digamos, não verdadeira.
    Você diz que, no passado, já conviveram motores turbo e aspirados na Formula 1, e diz isso com um ar de exceção.
    Ora, isso sempre foi a regra! Os dois tipos sempre conviveram. Dentro de certas regras – geralmente limites de cilindrada – cada equipe usava o motor que bem entendesse.
    Desde o tempo em que a Formula 1 não tinha sequer esse nome…

  • Bom dia !

    Acho que seria legal se vingasse essa proposta. Eu acho que quem tivesse grana (Mercedes, Ferrari, Renault e Honda) poderiam continuar utilizando e desenvolvendo os motores V6 híbridos em seus carros …

    Já equipes independentes que tem grana (Red Bull, Toro Rosso e talvez a Williams) poderiam abraçar a ideia do tio Bernie e utilizar de motores V6 Biturbo 3.5 com um kers barato, como da Cosworth ou de uma montadora disposta a fazer o trabalho. Já as que tem grana curta, Force India, Sauber, Manor ou novas equipes … Poderiam utilizar um V8 aspirado com um kers simplificado também, criando uma sinfonia de turbos de tipos diferentes e aspirados muito interessante.

    Enfim, acho que equalizar isso tudo pode dar muito trabalho a FIA, FOM, Equipes e Fabricantes, mas pode ser feito sim, basta querer …

    Abraço

  • F-E + F-1 + WEC, ou híbrido ou elétrico ou com “unidades de força”, acabou, é o futuro, não veremos mais motores aspirados ou turbo “normais” nas categorias importantes. Quem quiser cheirar gasolina e escutar V8s terá que ir aos USA, enquanto é tempo.

  • Eu nao entendo pq na wec as coisas funcionam, tem mais de um tipo de motor na mesma categoria, são motores chatos/complexos e recordes de pista são batidos, ninguém fala “motor de gp2”. É muito confuso

    • Eu vou tentar te ajudar.
      A WEC é um campeonato de construtores, aquele que fizer o melhor carro ganha.
      A Formula 1 é um campeonato de pilotos, o que vale é o heroísmo dos pilotos. Portanto a equalização dos diferentes construtores é importante.