MENU

Thursday, 8 de October de 2015 - 17:01Sem categoria

MUDANDO DE MÃOS

SÃO PAULO (fim de uma era) – Eu achava que Bernie iria recomprar o que tinha vendido da F-1. Mas, pelo jeito, a categoria vai mesmo mudar de mãos. Stephen Ross, dono do Miami Dolphins, e um fundo de investimento do Catar estariam por trás da aquisição. Os detalhes foram publicados pelo “Financial Times”. Valor da brincadeira: o equivalente a 33 bilhões de dilmas.

Não sei bem o que pensar.

26 comentários

  1. Victor says:

    Pense que a F1 vale 3x menos que a contabilidade criativa do governo

  2. Francês says:

    O Brasil piorou terrivelmente depois que deixou de copiar os europeus para copiar os americanos. Onde americano põe a mão, prepare-se para entretenimento à la Homer Simpson. Temo pela americanização da F1, os carros de fórmula deles são horríveis. Se americano meter a mão na F1, acabou.

  3. Brabham-5 says:

    Não sei bem explicar porque, mas um AMERICANO (Estados Unidos) mandando na F1….hum, não acho lá uma boa idéia.
    Preferia ver nas mãos de empresários europeus HONESTOS e ex-dirigentes de equipes.
    Empresário americano, “Xeiques” e príncipes árabes, não confio não.
    “Paraquedistas” milionários caindo no comando da F1, sem nenhum envolvimento emocional com o esporte, só para lucrar e “ostentar”, acho muito arriscado.

  4. Simplesmente, acabou a F-1 como conhecemos.

  5. Paulo F. says:

    Bernie é muito vivo!
    Vai vender por 33 recomprar por 5 e vender novamente por Deus sabe quanto!

  6. Marcos José says:

    Será que o próximo objetivo “deles” é ter as 500 Milhas de Indianápolis na F1 (e é por causa disto que o Gene Haas decidiu entrar na F1!?) e levando junto também Long Beach (e comprando a Indycar também para fazer uma espécie de fusão no futuro)!! É esperar para ver…

  7. Ricardo Cardoso says:

    Independente do novo dono o Bernie Ecclestone continuaria sendo o “manager” da F1.

    Sei não mas continuaria sendo mais do mesmo. Quer dizer, com a diferença que agora catarianos (é isso?) e americanos podem dizer que são donos da F1.

    • João says:

      Ele é um cara que só pensa no dinheiro e a venda é a concretização do negócio, pq ele tá vendendo um negócio por “10” que já valeu “10” mas que hoje vale 8, e com propensão a se desvalorizar ainda mais se nada for feito. Como ele sabe que ele não tem tempo de vida suficiente para fazer o que precisa, ele aproveitou que tem alguém interessado, pra vender por um valor que ele acha que vale. E além disso, continua mandando pq ele tem o know-how, apenas não faz pq o negócio dele é dinheiro.

      Ou seja, bota toda a grana no bolso e se daqui pra frente der o negócio se desvalorizar, o dele já está garantido.

  8. Celio Ferreira says:

    Será que os Haas ja sabia , por isso entrou na F1, dono da F1 americano , uma
    equipe americana, Austin etc… etc… . Americanização da F1 , que sempre foi
    européia

  9. Glauco Tavares says:

    Sempre da para piorar um pouco mais! Onde o Americano chega impõe suas vontades e costumes… já posso imaginar corridas de F1 ainda mais chatas! Um festival de bandeiras amarelas, acidentes, carros de mesma equipe com pinturas diferentes, pilotos que pagam para fazer meia temporada ou ate mesmo uma unica corrida, corrida em oval, circuito de rua em Nova Iorque… enfim tudo oque agrada ao publico americano e degrada a grande maioria dos fãs de automobilismo…
    Lamentável…

    • Ricardo Cardoso says:

      Pra que um dono americano ia querer impor o que já ocorre na NASCAR e na F-Indy?

      Agora, que seria legal carros da mesma equipe com pinturas (e claro patrocinadores) diferentes seria muito legal.

      Quanto as corridas em ovais, bem, acho que isso ia aumentar os custos pois os carros de F1 necessitariam mudanças técnicas para correr em ovais (ou não.)

      Circuito de rua em Nova Iorque? Dificil por ser Nova Iorque, mas se for um circuito de rua com bons pontos de ultrapassagem, por que não?

      Talvez o único ponto que acho que concordo é com relação ao piloto pagar pra fazer uma parte da temporada. Mas seria totalmente a favor que equipes tivessem a liberdade de não fazer a temporada completa.

      • John Player says:

        Ah é! Imagina a Ferrari e a McLaren cada carro da equipe com uma cor diferente…
        Que bela merda né?
        A primeira idéia para começar matar a F1 de vez.
        Só falta não ter corrida quando chove, e passar a correr em também em pistas ovais e pistas de aeroporto.
        É o fim da picada.

    • Fernando says:

      Perdão querido, mas lamentável é seu comentário. É possível ser antiamericano sem escrever bobagens.

  10. Gustavo says:

    A venda ou não, para mim

    • Gustavo says:

      …, não faz muita diferenca, agora o que UM SER HUMANO na idade de Bernie quer com 33 bilhões de dinheiros brasileiros, ou vá lá, 8 bilhões e uns quebrados do dinheiro do TIO SAM?

      • Rogerio says:

        Garantir o futuro dos tataranetos???

      • João says:

        Pq ele é dinheirista, investidor. O negócio dele é ter lucro. Olha o Warren Buffet: quase 90 anos de idade, tem uma fortuna de uns US$ 80 BILHÕES e continua investindo grana, comprando empresas.

        Então pra ele, se vender a F1 é lucrativo, ele vai vender. Simples.

  11. Robson Levy says:

    Se rolar mesmo é agora q a Red Bull não sairá. Vai perder muita visibilidade com o aumento de interesse americano e chinês!

  12. Jonatas says:

    Bernie vende, mas será que larga o osso? Não largou até hoje.

  13. Renan says:

    Se você olhar o caos que o time de Miami está desde que ele comprou o time, não vejo muita melhora na situação

    • Marcos says:

      Ia comentar exatamente isso.

      O Stephen Ross é criticado amplamente pela torcida do Dolphins por algumas medidas polêmicas que tomou na condução do time. A maioria argumenta que ele “não entende do esporte” e confiou em pessoas erradas.

      Por outro lado, ele é bem ambicioso e está investindo do próprio bolso para reformar o estádio dos Dolphins: a primeira fase foi feita entre a temporada passada e essa (demolição e reconstrução das arquibancadas e áreas internas), a segunda fase começa após essa temporada (construção da cobertura e novas rampas de acesso).

      Ele sabe valorizar o patrimônio, mas também preserva a história. Talvez seja uma oportunidade para a F-1 retomar os GPs nas pistas clássicas e ter uma maior competitividade.

  14. Ricardo says:

    É o ciclo da “gourmetização” da F-1 se fechando. A F1 já estava pop,, vai ficar mais. Tenho 57 anos e desde os 13 acompanho a F1. Hoje não tenho o mesmo entusiasmo mas em compensação o saudosismo é cada vez maior. Enfim vida que segue.

  15. Felipe says:

    Pior que esta não fica….rsrs

  16. Segafredo says:

    Seria ótimo para o esporte se a F1 saísse das garras alemãs! Desde que assumiu o controle em 1997 só dá eles seja com motores ou com pilotos e mais recentemente com uma equipe…..Argh, que nojo!

  17. Totiy says:

    Por isso que ele nao tá nem ai se a Red Bull recolher os carros em definitivo !

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *