TOP JORDAN

tglineup

SÃO PAULO(tenho minhas dúvidas) – Dificilmente o “Top Gear” da BBC repetirá o sucesso de sua formação original, desfeita após o chilique de Jeremy Clarkson com um produtor no ano passado. Mas os caras estão tentando, e é claro que o novo programa terá uma cara diferente e muito própria, a julgar pelo time escalado e divulgado hoje pela emissora britânica. A estreia está marcada para maio.

A novidade positiva é Eddie Jordan. OK, era especulado, mas como confirmaram agora, aproveitemos para comemorar. Porque o velho irlandês é uma figura divertida e muito boa de câmera. Assim como era um grande dono de equipe, também — morro de saudades de times como a Jordan, a Minardi e outros menores que disputavam o Mundial com enorme dignidade.

A pilota alemã Sabine Schmitz, conhecida como a “Rainha de Nürburgring” (saiba por quê aqui), é outra que promete. Será a primeira mulher a fazer parte do elenco fixo do “Top Gear” em 15 anos, é engraçada e guia bem. Stig também continua, garantia de boas risadas.

[bannergoogle] Mas o resto, sei lá… A apresentação estará a cargo de dois atores, Chris Evans e Matt LeBlanc. Bom, são populares e ligados em carros, devem segurar a onda, pelo menos. Mas duvido que cheguem perto da turma que foi para a Amazon. Os outros dois são Chris Harris e Rory Reid. Harris é um jornalista que faz relativo sucesso com vídeos sobre carros no YouTube. Confesso que nunca achei nada demais em suas produções. Reid é outro “youtuber”, esta praga da modernidade. Foi escolhido a partir de uma espécie de concurso em que os candidatos tinham de enviar vídeos de 30 segundos para impressionar os produtores.

Ambos são fãs declarados da série e se dizem inspirados por ela. Pode ser que eu caia do cavalo e que sejam ótimos — a produção ajuda, mais de US$ 1 milhão por episódio –, mas me parece que apelar para “youtubers” num programa como o “Top Gear” seja acreditar um pouco demais nas redes sociais e no poder da internet.

Tem coisa muito boa na rede? Ô, se tem. Mas tem muita babaquice, hedonismo em estado bruto e gente de TV seduzida por números do Google Analytics? Tem também. Basta ver as merdas que fazem sucesso no Brasil nesta curiosa categoria de “youtubers” — Kéfera, Whindersson Nunes, Chris Figueiredo, Isabela Freitas, Felipe Neto, gente que fala de si própria ou sobre o nada absoluto para milhões de adolescentes embasbacados.

“Youtubers” e “instragamers” são fenômenos que para mim ainda carecem de uma boa explicação. Empresas se deixam levar pelos dados estrondosos de visualizações, despejam fortunas nesses garotos-propaganda e eles estão aproveitando a onda e enriquecendo.

Acho ótimo, embora considere o conteúdo que produzem uma porcaria — é difícil compreender que cinco milhões de pessoas se interessem pelo nome que a menina quer dar ao seu cachorrinho, ou pela reação do menino a um peido no elevador. Mas tal conteúdo não é exatamente pior que o produzido por décadas pelas emissoras de TV que concentravam as verbas publicitárias. No fundo, é tudo uma porcaria só, com a diferença de que agora tem mais gente produzindo as mesmas porcarias, milhões de pessoas com suas câmeras digitais e smartphones, e meia-dúzia, por alguma razão, faz muito sucesso e enriquece. Antes, quem enriquecia eram os donos das emissoras de TV, também eles uma meia-dúzia. Sendo assim, é preferível ver a molecada saída do zero ganhando dinheiro com suas bobagens do que saber que os magnatas históricos de sempre etão se tornando cada vez mais milionários.

Eu tenho a impressão — só impressão, vejam — que esses sucessos monumentais fazem pouco mais para uma empresa anunciante do que apresentar números gigantescos a elas e satisfazer seus marqueteiros. Nada garante que a audiência consuma os produtos que eles mostram, mas também nada garantia que a Nestlé venderia mais leite condensado se colocasse uma anúncio na novela das oito. Imagino que as grandes corporações tenham pessoas preparadas para analisar esses dados e o resultado das ações que patrocinam. Que sejam todos felizes.

Só que daí a pescar em vídeos pueris do YouTube dois caras para participarem do “Top Gear” vai uma certa distância. Repito: posso estar errado e eles se tornarem um sucesso milagroso. Mas lembremo-nos que Jeremy Clarkson, James May e Richard Hammond não saíram dessa plataforma em que todo mundo se acha engraçado e acredita que o mundo se interessa pelo que fazem e pensam. Seu talento é de outra natureza. Bem maior, inclusive. E anterior ao YouTube.

FAZENDO JUSTIÇA…

Creio que ao citar os “youtubers” que mais fazem sucesso no Brasil eu tenha cometido injustiças ao chamar todos de “merda”. Não são. PC Siqueira, por exemplo, foi atirado na vala comum sem fazer parte dela. Jout Jout também. Por isso tirei seus nomes da lista e peço desculpas. Como disse, tem muita coisa boa na internet, também — embora as piores sejam as mais vistas.

Comentários

  • esse PC Siqueira é um mala. outro desprezível é o caue moura.
    no mais, youtube é livre e democrático qualquer imbecil pode postar e assistir.
    isso está assustando a mídia corporativista

  • Oi Flavio,
    Vc se enganou, só existe 1 ator, o Matt LeBlanc do Friends. Existe o Chris Evans ator americano, mas não é o selecionado.
    Já esse Chris Evans selecionado para o Top Gear, é um jornalista apresentador de programas de Rádio e TV com muita experiência assim como Vc, MyFriend!!!

    Abs

  • Rotular o Chris Harris simplesmente de youtuber uma foi tremenda bola fora.

    Harris é um jornalista automotivo respeitado e piloto, já participou inclusive de provas como as 24 horas de Nurburgring.

    Flavio, aposto que voce não gostaria do Chris Harris referir-se a voce como “um blogueiro qualquer” que participa de um programa na Fox.

    É mais ou menos o que voce fez com ele usando o termo youtuber de forma pejorativa….

  • Uma pena que na Inglaterra eles não tenham um youtuber como o Marcelo Tonella. Não tenho conhecimento de outro canal onde se veja uma retífica completa de um motor VW a ar, dicas de manutenção no melhor estilo “faça você mesmo”, serviços de pintura, carburação e muitas outras coisas. E o cara não se restringe a linha VW a ar. Tem Maverick, Chevette, manutenção de moto, mobilete, enfim, pra quem curte antigomobilismo é o canal a se acompanhar. Fora que o cara é um figuraça (não indicado para direitistas) e faz o programa acompanhado de sua filha de 16 anos. Mas falando do novo Top Gear, sei não… Pensando bem o Eddie Jordan tem carisma suficiente pra carregar o programa nas costas. Tomara que dê certo.

  • Infeliz essa comparação do Chris Harris com qualquer merda que faz sucesso no youtube. Ele é jornalista de verdade, escreveu ou escreve para várias revistas a anos, e como o próprio FG, investe na internet, o trabalho dele é muito bem feito.

    Além do fato de guiar infinitamente melhor que Clarkson, Hammond ou May.

    Duvido que o FG continue indiferente a ele depois de assistir esses vídeos:

    https://www.youtube.com/watch?v=HKp7BrfOpEU

    https://www.youtube.com/watch?v=gJkYDol6vW8

    https://www.youtube.com/watch?v=mXgWWNJVdYA

    https://www.youtube.com/watch?v=hNnsSRIWqbI

    https://www.youtube.com/watch?v=n1SLQsUVb48

  • Complementando o NÍCOLAS BORGES e outros, o Chriss Harris tem uma bela bagagem em mídia impressa e só recentemente – há uns 3 anos – iniciou carreira solo usando o YouTube como principal plataforma de divulgação. Acho ele muito bom para analisar o comportamento dos carros, ainda que seus vídeos muitas vezes abusem das derrapadas e expressões monossilábicas. Dá para ver que ele é apaixonado por carros, e não só por “super máquinas”. Um dos vídeos mais legais que ele já fez é sobre um 2CV que ele comprou e usa de vez em quando.
    Mas que o trio antigo vai fazer falta, ah isso vai! Estou esperando a Amazon lançar o serviço aqui no Brasil!

  • Flavio, boa tarde.

    Lendo seu post, verifiquei que você citou Chris Evans e Matt Le Blanc como atores. Como não vi na foto o Chris Evans, ator conhecido de Hollywood, fui pesquisar e descobri que o Chris Evans que você citou (o ruivo alto ao lado de Le Blanc na foto) não é ator, e sim um conhecido apresentador britânico, que inclusive já apresentou o Top Gear em 2002. Christopher James Evans, é o nome dele, e não tem nada em comum com o Chris Evans ator, que faz o Capitão América nos cinemas. Sendo assim, tive a impressão que a aposta “hollywoodiana” na BBC é mesmo o Matt Le Blanc. Vamos torcer que seja um sucesso.
    Ah, aproveitando: a versão americana do Top Gear, é bastante divertida.

    Grande abraço.

  • Assim como no Youtube, a TV não fica muito longe disso, concordo contigo Flávio, são poucos que possuem conteúdo e carisma para expor o que pensa…tomara que o novo Top Gear seja diferente ao antigo, pois se copiar, não terá a mesma graça e talento sobre o original.

    Nada substitui os originais. (só o dinheiro, brincadeira.)

  • Esse fenômeno “youtuber” me parece ter uma explicação bem simples: aparentam ser “gente como a gente”, com gostos semelhantes e “produzem conteúdo” bem direcionado, sem maiores delongas em um ambiente em que teoricamente “qualquer um” pode fazer o mesmo . E… bom, as aspas estão ali porque existem as “networks” que, de uma certa forma, gerenciam estas pessoas nesse meio promovendo esses canais, fechando acordos publicitários, essas coisas. Uns são usados como exemplo de sucesso, e uma multidão tenta replicar isto…

  • Eu tenho um pouco de fé quanto ao novo Top Gear, mas só vendo mesmo, quanto aos youtubers, infelizmente vamos ter que conviver com isso é uma tendência para chamar os mais novos ou o público que fugiu para o youtube. Por que convenhamos entre as merdas do youtube e as merdas da TV, eu prefiro o youtube.

  • Os novos personagens, individualmente são grandes figuras. Será interessante (e uma incógnita) o resultado. Eu particularmente gosto do Chris Harris. Sobre o PCSiqueira, não vale o que gato enterra.

  • O Cris Harris é excelente, com certeza está muito mais preparado/atualizado para avaliar os carros que os velhos dinossauros que faziam mais humor inglês do que realmente analisar de forma técnica e comportamento dinâmico dos carros. Junto com a Sabine e o Stig já estava de bom tamanho. Realmente o restante é pra fazer comédia, totalmente dispensável. O Joey, quer dizer, Matt LeBlanc, é um entusiasta mas nada mais que um ator… Eddie Jordan? Really??? Aguardemos.

  • As piores são as mais vistas? então não são piores porque os youtubers não tem uma “Globo” para lhe darem força, criaram sua própria força por isso devem ser bons. Porcaria não vai pra frente, dura pouco.

  • Flavio, entendo sua opinião, mas o mundo mudou muita coisa já acabou e os tradicionais”saudosistas” como vc, ainda tentam visualizar um caminho que no passado era unico para se chegar em algum lugar.

    Exemplo esta aki mesmo no GP, hoje qual seria a probabilidade de um programa de TV existir como o Padock GP na TV, vc critica a F1 de se fechar as mídias sociais e critica quem esta na midia social?

    Seria o youtuber uma pessoa que consegue ser mais carismático e dinamica que os tradicionais jornalistas?

    Enfim espero que Top Gear siga e bem, seja com quem for.

  • Olá Flávio, tudo bem?
    VocÊ reconheceu que pode estar sendo injusto.
    Eu acho que foi bom dizer isso. alguns dos nomes mencionados não merecem essas críticas.
    Sobre o PC Siqueira, quando houve aqueles protestos de 2013, em que muitos não sabiam porque estavam protestando, ele vlogger postou um vídeo bastante didático explicando o que são os termos esquerda/direita e o papel da mídia.

    Dê uma olhada:
    http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2013/06/24/imperdivel-pc-siqueira-da-aula-show-sobre-esquerda-direita-globo-e-movimentos/

    Às vezes é importante ser assertivo como você é, mas os erros, quando cometidos, ficam bem piores quando se é assim.

    Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,.
    Atenágoras Ŝouza Silva.

  • Gosto das suas opiniões e da sua pessoa, Flavinho, mas não curto quando fazes generalizações como no caso do YouTubers e ainda mais promove listinhas sem conhecer as pessoas.

    PC Siqueira e Jout Jout são EM MUITO TEMPO dois ícones da juventude que são politizados, de esquerda e não são meros idiotas como alguns colocados aí na lista (O Felipe Neto e a Kéfera, por exemplo, ainda que sejam bons atores).

    Recomendo esse vídeo do PC Siqueira sobre o papel da Globo nos protestos de 2013 e feitos no calor do momento: https://www.youtube.com/watch?v=UiVDtWb7K48

  • Quem acompanha o Fifith Gear já teve a oportunidade de vê a Sabine Schmitz, ela guia muito, além de ter bom humor.
    O Eddie Jordan realmente é uma boa aquisição, alguém sabe se ele vai continuar cobrindo a F1 pela Sky?
    Os outros vamos torcer pra dar certo.

  • Gosto muito do Chris Harris. Prefiro assistir a um review de carros dele do que qualquer review publicado em revistas brasileiras e boa parte das revistas internacionais, mas isso é questão de gosto.
    Quanto aos youtubers citados, é só lembrar o quanto de sucesso que as novelas da Globo fazem e logo entender como essa gente se propaga por aí, infelizmente.
    No final, torço para que o programa seja bom. Nada melhor do que uma boa concorrência para que o trio que já é bom tenha que se esforçar ainda mais na Amazon para fazer jus à fama.

  • Olá Flavio. Desculpe o “off-topic”, mas achei isso interessante: Esse cara aí anunciou uma McLaren MP4-15 (dito 2003, o que é estranho já que o MP4-15 é de 2000…) no eBay, e segundo o anúncio, a mesma está localizada no Brasil! Você tem conhecimento desse carro estar por essas terras? Seria interessante se um dia alguém fizesse um levantamento de quantos carros de fórmula 1 estão no Brasil, a la Indiana Gomes…

    http://www.ebay.com/itm/2003-Formula-1-Race-Car-McLaren-Mercedes-Benz-MP4-15-SSC-96-Kimi-Raikkonen-/182017455775?forcerrptr=true&hash=item2a6115f69f:g:5wMAAOSwe7BWuOz1&item=182017455775

  • Não gosto, acho os testes dele muito coisa de moleque (cantar pneu, derrapar, etc…), mas esse Chris Harris deve ter bons contatos. Vi uma vez ele testando o P1 em Yas Marina e outro teste em Algarve dum McLaren (Não lembro se é o MP4/12c ou o P1) contra a La Ferrari e o Porsche 918 (esse teste com equipes das 3 fábricas preparando os carros).
    Não é qualquer um que arruma umas paradas dessas.

  • Concordo, FG.

    O Hammond era radialista, na própria BBC. O Clarkson escrevia em jornais, e o May trabalhava numa revista de carro – onde, aliás, protagonizou um episódio impagável (https://en.wikipedia.org/wiki/James_May#Dismissal_from_Autocar).

    Hoje, basta ser popular. A questão não é o meio onde se é popular, se é youtube, site, jornal, revista, o que for. A questão é que antes havia um filtro – você passava pelo crivo, e recebia orientação, de jornalistas mais experientes conforme ia se desenvolvendo. Havia um conhecimento coletivo do que fora feito antes, noções de certo e errado que evoluíam – e, claro, eram amiude ignoradas, mas existiam.
    O jornalismo possuía a chamada cultura profissional.

    Hoje, não. Hoje basta o número de acessos. Por isso tudo está piorando.

  • Além de guiar muito, o Chris Harris é um excelente jornalista automotivo, com boa experiência em mídia impressa (revistas Autocar e Evo) antes de fazer os vídeos que o deram mais fama, exatamente como o trio “clássico” do TG. Pouca gente consegue transmitir tão bem quanto ele o comportamento e as reações de um carro. Às vezes, ele nem precisa falar, só acelerar do jeito que o grande Bob Sharp resume brilhantemente: “Como se deve!” E não precisa ser um supercarro de 1.000 cv. É lindo ver ele tirando tudo de um fabuloso Porsche 356 cupê 1953 em Goodwood: https://youtu.be/rc6qB_Kwn9M
    Como otimista que sou, acho que essa fauna tão variada de apresentadores vai compensar a falta da química incrível entre os três mosqueteiros que a gente se acostumou a ver por tantos anos. O mais importante é que agora teremos mais um programa fodão de carro.

  • Andei lendo alguns comentarios na propria postagem do Facebook do Top Gear e reparei que o Eddie Jordan não agrada a maioria dos britanicos (ou pessoas que assistem F1 na BBC).
    Como logo logo teremos o velho Top Gear na Amazon nao tem porque nao dar uma chance pra essa nova fase do Top Gear da BBC. Quanto mais programas desse genero melhor

  • Dae Flavio tudo bem?

    Entrando nessa linha de programas eu assisti esses dias e gostei bastante na Discovery foi o Carros Alucinantes com Brian Johnson do AC/DC. ´É um programa decente , bem contada as historia de cada carro. como nasceu como evoluiu e para onde vai na atualidade. Ponto negativo para quem te dificuldades com inglês é a dublagem. Mas nada que tire a graça dos episódios.

    Abraço!

  • Tenho a impressão que o fenômeno “youtubers” está relacionado com a diferença de conteúdo produzido por eles e o conteúdo que se encontra na TV. É raro, quase impossível encontrar na TV, tanto na aberta quanto na fechada, programas falando sobre o mundo dos games, por exemplo. Com isso, muita gente está aproveitando o espaço do Youtube para abordar sobre esse e outros temas não encontrados na TV. Acredito também que a qualidade dos “youtubers” melhorarão com o passar do tempo amadurecimento desses usuários. Muitos deles precisam aprender, por exemplo, a fazer uma pesquisa e um estudo mais minuncioso sobre os assuntos que desejam tratar.

  • Não sei nem se o problema maior é a origem desses dois novos apresentadores. A primeira coisa que pensei, quando vi a foto, foi: “pra que tanta gente?”. Eddie Jordan, Chris Evans e Matt LeBlanc, na minha humilde opinião, estaria de bom tamanho. E o Stig, claro. Agora, SEIS apresentadores? SEIS? Acho que vai ser tão bom quanto o Top Gear americano. Resta torcer para que haja uma forma de assistir ao programa de Clarkson, Hammond e May.

  • Oi Flávio. Acho a mesma coisa. A BBC e os críticos de jornais sempre tentaram mudar o conceito geral do Top Gear, vide as piadas que o Clarkson fazia a cada início de temporada com o que era dito no intervalo.

    Teve até o Top Gear Dog na oitava. Imagino que fizeram as infelizes oficinas e verificaram que diversificando ia ficar legal. A Globo fez isso em um programa matinal colocando uns 20 “globais” e foi um fiasco. Mas a BBC é outro nível.

    Acho que o motivo é que o Evans (que não é ator, mas apresentador da radio BBC) não estava aguentando o tranco das gravações (imagine fazer a viagem pela Síria que o trio fez em 2009?). Assim colocando mais gente dilui um pouco o trabalho.

    O legal é que teremos 2 programas o Top Gear Original da Amazon e o da BBC, que é completado na minha playlist pelo Fifith Gear e o Mundo dos Classicos (que estão passando no Discovery Turbo).

  • Tava pensando nos nomes que você alistou e, em comum entre (quase) todos, encontro um ponto em comum: são humoristas. Kéfera é atriz, Whindersson Nunes é comediante, Felipe Neto virou dono de uma produtora de vídeos humorísticos. Nâo são donos de um humor rico, e inteligente (apesar de algumas das esquetes promovidas pelo grupo de Felipe Neto serem excelentes – diferentemente dos vídeos de câmera na cara que o tornaram famoso). Jout Jout é uma exceção – soa engraçada, mas a jornalista carrega com ela muito mais uma veia de divulgação do feminismo, o que acho que a colocaria bem à parte da lista que você colocou.

    No mais, os números gerados pelos youtubers são basicamente alimentados por 13-24 anos de idade. São uma massa que tem bem mais tempo de conexão, e consequentemente, geram números gigantescos. Se bem que, olhando pros anos 90, pros anos 80 e mais para trás, eram as estrelas da TV, os pop stars da música, os nomes do rádio… Apenas um reflexo da sua época.

    Quanto ao Top Gear, estou curioso pra ver se vai ter o objetivo de fazer um novo público, ou segurar o telespectador tradicional.

  • não conheço essa turma do you tube brasileira.

    mas conheci o tal PC Siqueira através de outro meio, e na minha opinião pelo menos esse tem conteúdo no que fala. é tipo um cronista do cotidiano, igual qualquer colunista de jornal ou blog.

  • Sou pioneiro no Youtube, posto vídeos por lá há quase 10 anos. Quando comecei era apenas para ajudar as pessoas a aprender artesanato, não tinha lucro nenhum. Depois o Youtube passou para o Google e começou a monetizar os vídeos, e a render uma graninha. Tenho mais de 1 milhão de acessos/mês e rende em meses bons algo entre U$$ 900 a U$$ 1.000. Como vem do exterior é preciso que um banco para comprar estes dólares e pagar em reais na minha conta e cobram por isso, ainda tem a mordida do leão que não tem como sonegar. Em meses como janeiro e fevereiro cai pela metade pois é férias e os anunciantes não querem desperdiçar seu investimento. Tem gente que fala que ganha milhões e como estou há anos no negocio sei que não é bem assim.

  • O Chris Harris pelo menos me da a impressão de guiar mais do que os 3 antigos apresentadores do Top Gear, é mais engraçado, e tem experiencia de guiar super carros em diversas excelentes pistas e estradas. Junto com o Jordan, pode dar um bom caldo. Os outros, não sei.. Parece ser gente demais para um programa só….