MENU

quarta-feira, 22 de maio de 2019 - 11:25Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10”: TRETA NO TWITTER

32 comentários

  1. Televino Desmemoriado disse:

    Corretíssimo, FG

  2. Antonio Seabra disse:

    So lamento que, quando destruíram o autódromo do Rio, para fazer o parque do Pan e depois o parque Olimpico, não houve toda essa manifestação na imprensa, nem no Twitter, nem dos pilotos, nem da maioria dos jornalistas (alguns raros escreveram contra, o Flavio e principalmente o Rodrigo Mattar, que escreveu muito), nem dos leitores.
    Agora, talvez pelo viés politico, essa discussão da construção do autódromo floresce e ganha força.
    Eu não sou a favor do autódromo de Deodoro. Mas gostaria de ter visto uma manifestação similar por ocasião da destruição do autódromo de Jacarepaguá, eesa sim um escandalo.. Ali, houve de tudo que está havendo agora: fake news, participação do governo federal, viés politico, bravatas, etc, etc, etc. Com o agravante que havia muitos interesses escusos em jogo. E as vozes que se levantaram contra forma poucas e pouco insistentes !!!!

  3. Gabriel P. disse:

    Tristes tempos em que precisamos explicar o óbvio para quem nem imagina o que seja isso.
    Tristes tempos em que pessoas defendem a mentira e quem mente, apenas por questões partidárias.
    Tristes tempos do Brasil atual em que ANTIPATRIOTAS, imbecis ignorantes e com o velho complexo de vira-latas, colaboram para destruição de um patrimônio público (no caso a Petrobrás) para poder entregar a empresa a preço de bananas para a privatização, que vai ter altos lucros e nenhum compromisso social.

  4. Sil disse:

    Olha, já tive um bate-boca aqui com o Flávio, fui meio incoerente, acabei falando bobagem e reconheço que errei.
    Já disse e repito, tanto o Massa como o Di Grassi, falam e opinam sobre aquilo que lhes convém, sempre em benefício próprio, diferente por exemplo do Piquet, que fala na lata e foda-se.
    O problema é, se manifestar contra este presidente eleito pelo Whats Up, incomoda.
    Mas o pior de tudo isso é a estória da construção deste autódromo, que não passa de uma piada…

  5. Tiago Viegas disse:

    Infelizmente essa é a era em que vivemos, a era das fake news ou Era da Pós-verdade (nem sei se é assim que se escreve…). Vence quem consegue fazer os outros acreditarem no que é dito, mesmo sem ter dados concretos, coesos e consistentes, no caso desse fantasioso autódromo, um plano com gabaritado por profissionais de engenharia. Isso sem contar o mais absurdo: a Fórmula 1 ou a FIA pegar dinheiro dela para investir num esporte em um país que está cagando e andando para a “escola” (quiçá a do automobilismo, a de pilotos e afins). Seria um autódromo que não se sustentaria nas próprias pernas. MAS…. Como é sabido que àqueles que muito se empolgam com uma novidade qualquer sobre algo que muito lhes interessam, qualquer político dissimulado entende que basta falar qualquer coisa que criem impacto que as pessoas comprem a ideia para transformá-la em verdade. Suspeito que esteja aí o porquê dessa era se chamar de pós-verdade, apenas um nome bonito para designar uma tática muito utilizada há anos pelos mais populistas e que agora atingem uma dimensão absurda não só com a rapidez de criação/nascimento como a disseminação e assimilação. É A Teoria da Bala sendo aplicada via Twitter e afins.

  6. Marcos Abreu Ferreira disse:

    Diferenças políticas a parte, concordo completamente quanto a disseminação das fake news e em relação a construção do autódromo. O autódromo não sai do papel nem morto pelo simples motivo de grana. Custa caro manter e principalmente fazer todas as reformas que a F1 pede todo ano.

    Se um dia Interlagos for privatizado ou tiver uma concessão e esses novos donos tiverem que fazer as reformas anuais da F1, quebra todo ano. Se o evento da F1 der retorno para a prefeitura através de impostos, vale a pena ela investir nas melhorias do autódromo, mas se o autódromo tiver novos donos, a prefeitura deve perder a obrigação de fazer reforma todo ano. E aí será que os novos donos terão grana para as reformas?

  7. Marcos Ferreira disse:

    A única coisa que não entendo, se a Petrobrás desenvolve tecnologia de ponta na F1, por que nosso combustível continua com chumbo na sua composição?

  8. Flavio padilha disse:

    Jornalista Flavio Gomes!!! Com todo respeito a sua opinião quanto ao acordo, há anos venho na minha página da facebook, denunciando esta parceria que não projeta pilotos brasileiro. Diferente do que você apregoa ao longo da postagem, há que se respeitar a opinião de nós brasileiros. Uma vergonha!!! Seja Bolsonaro, Tiririca, temos que cancelar mesmo esta parceria que você, lá atrás denunciou como mequetrefe e hoje é positiva. Abração e fora Bolsonaro, Lula e a todos que ofendem a soberania nacional por caminhos tortuosos…

    • Flavio Gomes disse:

      O que é que o Lula tem com isso? A Petronas por acaso impõe um malaio à Mercedes? A Shell decide quem corre na Ferrari? A Petrobras já teve seus programas em categorias menores. Teve equipe na F-3000. Fazia a Seletiva de kart — cancelada agora depois de 20 anos ininterruptos. Patrocinar uma equipe na F-1 é normal. Mas a discussão no vídeo é outra.

  9. emerson57 disse:

    Neguinho me manda MENTIRA. Sempre contra a esquerda. Ai, eu, munido de imensa paciência “dou um google”, o pai dos burros hodierno, e detecto a “fake news”. Envio ao “neguinho” (acima), ampla comprovação da farsa.
    Passados poucos dias o mesmo ASNO me envia a mesma matéria!!!
    Asno é o apelido carinhoso. Se foi por burrice é o que cabe.
    Porém, desconfio que não foi por burrice. Assim, Canalha seria mais apropriado.
    Pelo óbvio que “São todos Cunha”.

  10. murilo disse:

    O acesso quase direto e instantâneo à informação tem suas duas faces… Se de um lado “beber da fonte” trás embutida a parcialidade, ela permite também que você filtre exatamente o conteúdo ao qual quer ter acesso.

    Seleciono à dedo o que consumo. São alguns blogs, canais de YouTube, séries de TV. Porém pra não me tornar um idiota dos tempos atuais recorro à mídia tradicional para assuntos de ordem cotidiana, política, acontecimentos. Leio inclusive a mesma notícia em portais distintos e de linhas opostas… Assim corto parte do viés (palavrinha da moda) que qualquer uma delas possa ter.

    Mas… percebo a grande maioria das pessoas bebendo da fonte sem o mínimo de senso crítico. Ter que explicar pra alguém que o jornalismo cumpre o papel de filtro é o sinal mais bizarro dos novos tempos. É CLARO e óbvio que no Twitter do Bozo o Brasil está ótimo e avançando. E porque o Jornal Nacional só fala mal do MITO? Alguém está mentindo. Na maioria das vezes é o presidente, e isso é um FATO, embora há idiotas que discordem.

    Massa e Di Grassi cometeram sim um erro juvenil!

  11. Luis Marsala disse:

    Bela explicação Flávio.
    Infelizmente é o que mais temos hoje, analistas de fake., sem o mínimo conhecimento do que se esta analisando.

  12. Saima disse:

    “Fake news” é uma praga, já superou “selfie” como a palavra dos tempos atuais. Espantam, mais do que a credulidade das pessoas, a incapacidade e/ou a vontade delas de verificar a veracidade daquilo que leem ou ouvem e simplesmente tomar isso como uma verdade incontestável. E, como se não bastasse, sair reproduzindo por aí para outros tantos que também acreditarão piamente.

  13. Macario disse:

    Este vídeo é mais um dos sinais da falência da nossa sociedade. Se um colunista de automobilismo – ou de qualquer outro assunto – precisa gravar um vídeo pra explicar que não devemos espalhar mentiras, é porque vivemos em uma sociedade de perfeitos idiotas. Em um ambiente menos estúpido, bastava apontar a mentira da aberração do Planalto e pronto, todos entenderiam que se tratava de mais uma da longa lista de mentiras que o fascista solta. Mas não. Os idiotas preferem acreditar na mentira e seguem argumentando com base na mentira. Nunca me enganei com Di Grassi, mas confesso que me decepcionei muito com Massa. Assim como a questão de ter que discutir uma mentira, acho igualmente absurdo argumentar com pilotos sobre a pertinência de uma companhia petrolífera patrocinar e fazer parcerias técnicas no automobilismo. Ambos sempre viveram no automobilismo e acho impossível que não saibam dos laços com governos que várias empresas envolvidas com automobilismo têm. E é essa gente mentirosa e hipócrita que quer dar lição de moral por aí. Mais do que nunca, o Brasil se tornou uma nação de idiotas.

    • Amaral disse:

      Di Grassi consegue fazer a façanha de ofuscar uma vitoriosa carreira e a reputação de piloto talentoso e regular com uma ímpar capacidade de ser arrogante e prepotente. Tenta ser um Piquet no talento e nas palavras, mas acaba sendo um Villeneuve piorado. Também nunca me enganei com ele.
      E Massa… Foi na onda… Mas é aquela história do velho ditado “passarinho que acompanha morcego amanhece de cabeça pra baixo”.

    • Coyote disse:

      Nunca me enganei com nenhum dos dois, embora o Di Grassi seja o mais repugnante.
      Qto ao segundo comentário, dizer que o cara tem uma carreira vitoriosa é “forçar a barra”.
      São pilotos? Sim. Até eu sou piloto de kart, da mesma forma que o Olaria é conceitualmente uma equipe de futebol como o Barcelona, o Real Madrid, o Bayern de Munique etc. Então, bla bla bla… Di Grassi e Massa estão para pilotos como Piquet, Senna, Fittipaldi, Hamilton, Kimi, Schumacher, Rosberg e LeClerc assim como o time de Várzea do Padre Eustáquio do bairro Catalão em Divinópolis, interior de MG está para o Barcelona da Espanha, sim, aquele onde joga o Messi, jogou Maradona, Romário e Ronaldinho dentuço. Ou seja, para usar uma palavra da moda, são dois fakedrivers.
      Abç.

      • Zé Maria disse:

        Assinando embaixo, Coyote!
        E acrescentando também, com sua permissão, o fato de o “dis Grassa”, displicentemente, haver prejudicado a Audi numa 24 Hs de Le Mans, por conta de não ter se prevenido e, pós contusão ocorrida numa “partida de futebol”, se ver obrigado a se declarar incapacitado para disputar a prova. . .
        #pelamordeDeus!

      • Fernando Bersotti disse:

        A Audi não Zé Maria, nessa ocasião, ele correria com uma Ferrari na GTPRO.

  14. edson campos junior disse:

    Flávio, sobre o assunto atual discordo de alguns pontos do vídeo. Mas a questão é qual ferramenta vamos usar para conseguir verificar se uma notícia é ou não verdadeira? …se essa verificação demorar aparece outra notícia. Uma loucura que não sei se algum dia dominaremos.

    Já acreditar em quem? Imprensa é a pior, transmite de acordo com interesses próprios…

    • Flavio Gomes disse:

      Que tal em quem tem décadas de compromisso com a verdade?

      • edso campos juniorn disse:

        TB acho que as “notícas” são feitas para pessoal não se acostumar a pensar e sair propagando.

        Eu gostava muito do Boechat…..e vc Flavinho, qual jornalista admira e compartilha?

      • Marcelo Borges de Oliveira disse:

        Mesmo que a notícia não viesse do GP. Uma pessoa com dois neurônios consegue concluir que é uma bizarrice prometer que um autódromo NO MEIO DO NADA será construído em 7 meses. E o resto? Infraestrutura de transporte e avenidas de acesso? O Di Grassi sempre foi um mau caráter. Decepcionante é o Massa, uma pessoa geralmente ponderada em suas declarações, questionar o patrocínio da Petrobrás. Poxa! Olhem para o grid: cada grande país tem uma grande petrolífera estatal patrocinando a F1. Ou ele acha que a categoria de motores de enceradeira vai substituir a F1? É interesse da indústria, desenvolver combustível e lubrificantes. Sou do tempo que a Petrobrás patrocinava o saudoso recém falecido Carlinhos de Andrade para testar novas formulações de gasolina no protótipo Tubarão – passando dias apenas testando novas fórmulas de gasolina em Tarumã (melhor pista do Brasil).

  15. Gus disse:

    É dureza Flávio! A galera compra tudo que vê nas redes sociais e passa a republicar de forma frenética e sem um mínimo de crivo investigativo. Amigos meus – nas redes sociais – e partidários de situação/oposição, não escondem vergonha alguma em comentar e dividir notícias falsas, fantasiosas e exageradas. O que importa é que o absurdo esteja alinhado com a ideologia adotada, phoda-se se que informação seja uma asneira. Não se respeita o vocabulário, regras de etiqueta e agora se descarta o jornalismo sério…é complicado.
    Os famosos deveriam ter mais cuidado na hora de publicar e manifestar opiniões nas redes sociais, não é apenas questão de evitar a vergonha…
    Bela pauta, Flávio.

  16. Gliber disse:

    Treta é o GP fazendo força para que o novo autódromo do Rio não saia. Parece que faz questão de agorar por questões políticas. Parece ser contra a categoria que cobre… Lamentável.
    Não deve sair, 80% de chance de não sair, mas não precisa de campanha contra.
    GP é lamentável.

    • Flavio Gomes disse:

      O que seria “agorar”?

      • Saima disse:

        É um verbo, ué. Significa “fazer acontecer, tornar algo em outra coisa agora, nesse momento”.

        Eu agoro
        Tu agoras
        Ele agora
        Nós agoramos
        Vós agorais
        Eles agoram

        Ex: “estou agorando esta mensagem” = “estou tornando esta digitação em uma mensagem agora”.

    • Renato F1 disse:

      Gliber, desculpe-me, mas moro no Rio de Janeiro e passo quase todos os dias pelo bairro de Deodoro para trabalhar. Aquela área que escolheram para sediar o autódromo do Rio de Janeiro é uma área de floresta. Ao lado dela, se você notar no mapa, tem um outro terreno do exército, que não tem mata nenhuma e que serviu como local para as competições das Olimpíadas Rio 2016. Poderiam muito bem construir o autódromo em uma área já degradada, minimizando, assim, o impacto ambiental. Mas não: ficam arrumando confusão, querendo justificar a escolha de uma área com Mata Atlântica. Além do mais, já vi que o forte destes governos (municipal, estadual e federal) não é o meio ambiente. Digo isto por que quero saber: onde estão as mudas que os(as) atletas olímpicos(as) plantaram na apresentação dos Jogos Olímpicos aqui na cidade? Já era para ser outra floresta, depois de quase três anos da competição!

      Por fim, não se precisa de fazer força para que o novo autódromo não saia: quem conhece a área de construção, sabe que não dá para fazer em tão pouco tempo. Só para constar, com um Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e com o Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (RIMA) bem elaborados, o órgão ambiental tem até quatro meses, segundo a própria legislação, para fazer a análise, as considerações e, não havendo mais nada a questionar ou a acrescentar, emitir a licença. Então, sobrariam dois ou três meses para remover a vegetação, fazer a terraplanagem do terreno e a construção do autódromo. Dois ou três meses! Impossível!

    • Ricardo disse:

      Lamentável é espalhar mentiras e acreditar nesse hospício, preciso te dizer algo que pode parecer um absurdo, mas gente e o meio ambiente são mais importantes que um autódromo!!!

    • Amaral disse:

      Não é fazer força. Com certeza o GP seria o primeiro interessado para que houvesse um autódromo decente no RJ.
      O problema não é ter autódromo. É um confronto com o contexto dos fatos com o que foi dito. Não tem coerência, não tem liga. Então, por consequência, não vai rolar. É questão de lógica, lógica que é defendida pelo site com argumentos, não na força. Quem quiser se iludir não pode dizer que não foi avisado. Não tem chance de 80% de não sair. É 99,99%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *