MENU

Tuesday, 14 de May de 2019 - 20:01Autódromos, F-1

MAX GP

Dutch Grand Prix 2 bis

RIO (lindo, lá) – Zandvoort é um balneário a 10 km do aeroporto de Schiphol e a 20 km do centro de Amsterdã. Desde 1985 não recebe um GP de F-1. No ano que vem, vai receber. Importante dizer que é em 2020, mesmo, e que a F-1 confirmou, e que lá já tem autódromo, e o dinheiro está garantido. Está tudo confirmado. Não estamos falando de Deodoro ou de bozo-idiotices.

A notícia de hoje é para ser comemorada. Afinal, a categoria volta a um país com vasta tradição no automobilismo, civilizado, moderno, em vez de se curvar à grana fácil de rincões bilionários asiáticos ou do Oriente Médio. O primeiro GP da Holanda foi disputado lá mesmo em 1952 — vitória de Alberto Ascari, da Ferrari. Nas décadas seguintes, os Países Baixos fizeram sua corrida em 30 ocasiões. Na última delas, em 1985, Nelson Piquet fez a pole — a última da história da Brabham — e Niki Lauda, de McLaren, venceu — sua última vitória na carreira, tendo ao seu lado no pódio o companheiro Alain Prost e o novato Ayrton Senna, então na Lotus. Jim Clark é o maior vencedor no país: quatro vezes.

O contrato com a F-1 é de três anos. A pista está ativa, mas será submetida a obras de modernização do traçado e da infraestrutura. Segundo o diretor do autódromo, o ex-piloto Jan Lammers, nada muito radical. A prefeitura da cidade vai entrar com uma grana. Parceiros privados, também. O patrocínio-máster da corrida já está definido: a cervejaria holandesa Heineken, que tem enorme envolvimento comercial com a categoria. Importante dizer que o Bozo GP não tem pista, dinheiro, contrato ou patrocinador. E nem está no calendário.

A volta à Holanda faz todo sentido por conta da popularidade de Max Verstappen. Não aconteceria se o menino da Red Bull não fosse quem é. O Liberty Media Group, dono da F-1, não informou quem sai do calendário para a entrada de Zandvoort, mas é muito provável que Barcelona seja excluída do Mundial.

Também faz sentido. Com a queda de competitividade de Alonso e sua aposentadoria no fim do ano passado, o interesse dos espanhóis pela categoria desabou. Quem prestou atenção nas imagens aéreas da corrida de domingo notou os clarões nas arquibancadas da pista catalã.

Claro que não é legal ver uma corrida tradicional como o GP da Espanha encerrar sua história. Afinal, foram 49 GPs no país desde 1951 em cinco circuitos diferentes — 29 em Montmeló, onde fica a pista que chamamos genericamente de Barcelona, nove em Jarama, cinco em Jerez, quatro em Montjuic (que fica mesmo em Barcelona) e dois em Pedralbes. Mas também não é nenhum drama. O circuito é muito bonito e moderno, mas não costuma oferecer grandes espetáculos. E se o público local não se importa muito — espanhol ama mesmo motociclismo –, paciência.

A Holanda é espetacular e seu povo é ótimo, criativo, animado, festivo, empolgado. Verstappinho é, de longe, o maior piloto da história do país. Foram 16 os “laranjas” que disputaram ao menos um GP na F-1 e só ele venceu — cinco vezes. Dos 26 pódios do país na categoria, 24 foram conquistados por Max e os outros dois por seu pai, Jos.

A hora é essa. Que sejam corridas inesquecíveis, a partir do ano que vem. E que esse casamento dure bem mais do que três anos.

45 comentários

  1. CRSJ says:

    O GP da Holanda foi uma corrida tradicional da F-1 cheio de lances memoráveis, e essa última corrida feita por lá em 1985 que foi vencida por Niki Lauda parece até que aconteceu um milhão de anos atrás, isso por a gente não ouvir falar mais desse GP.

  2. Antonio Seabra says:

    bastaria voltar ao traçado antigo….

    • Comentarista Crítico says:

      Tem casas onde era o antigo traçado cara. O melhor seria acabar com a curva 4 e transformar o trecho que começa na curva 3 em uma longa reta até a atual curva 6. O circuito teria dois pontos possíveis de ultrapassagem e não só a não tão longa reta dos boxes.

  3. Paulo Pinto says:

    Palco da última vitória do Mito e com Prost em seus calcanhares.

  4. Sandro says:

    Espero que a famosa Curva Tarzan continue existindo…

  5. sandro says:

    Falar em “modernização do traçado” pra mim quer dizer deixar a pista uma bosta.

  6. Tales Gaede says:

    Prost de Renault RE40 em Zandvoort. Fazendo o resto do pelotão parecer F2.

    https://youtu.be/lmj0uN_DWdI

  7. Marcolla says:

    O GP de Valencia não entrou na conta da Espanha por ter sido batizado de GP da Europa?

  8. Amaral says:

    A Holanda está vivendo um momento parecido que o Brasil viveu com Emerson. Um piloto em ascensão, potencial campeão do mundo, popular e jovem.
    Some-se a isso um país civilizado e aberto a esse tipo de coisa, aconteceu o inevitável.
    Mas… Tomara que a corrida não seja uma procissão.

  9. daniel says:

    Esse Flávio é um socialista de quinta categoria, viva como tal então !!

    • Flavio Gomes says:

      Como é que deve viver um socialista na sua opinião? Aliás, o que é socialismo para você? Aliás, não vou esticar o assunto. Vai tomar no cu, rapaz.

      • jorge says:

        Rio de janeiro não tem dinheiro pra pagar os funcionários públicos, estado quebrado e os caras ainda tem coragem de vir aqui defender um autódromo só pq foi ideia do Bozo. É muita alienação

    • Amaral says:

      Sabe nem o que é socialismo.
      Deve ser igual o atual chefe do executivo federal, que diz que nazismo é de direita.
      Pior que devem vir uns mil desses por dia enchendo o saco.
      Nem ligo mais quando vejo alguém aqui sendo devidamente orientado a tomar no c#. A orientação é sempre correta.

  10. Rafael N says:

    Concordo que é bacana ver este GP de volta, toda a festa, pompa, multidões, etc…..mas DÀ PRA ULTRAPASSAR?

    Uma reta curta, circuito todo travado….e provavelmente eles irão retirar todas essas areas de escape de areia e trocar por área asfaltada em prol da segurança

    • Ricardo says:

      Pois é, pelas imagens onboard do carro do Max, no vídeo promocional da red Bull, parece ser muito estreito! Agora, não sei se é uma distorção da câmera.

      • Fernando do Amaral says:

        É muito estreito mesmo, vi o Masters de F3 lá em 2014 e imaginei se os F1 poderiam correr lá; pelo jeito, poderão ! – mas o principal ponto será a freada para a Tarzan, e também penso possível noutra freada forte, naquele S ‘quebrado’ bem no meio da imagem do post.

  11. Cristiano says:

    A vantagem de substituir Barcelona que é improvável a corrida ser pior que a espanhola, apesar de haver críticas sobre a pista ser travada, mas isso por si só não é motivo para corrida ruim. E se até o GP da Alemanha, com muito mais tradição em corridas, pilotos e equipes na F1, e ainda com Mercedes e Rosberg no auge, ficou de fora em 2015 e 2017…

    • Comentarista Crítico says:

      O GP da Alemanha deixou de ser uma grande corrida depois que o merda Alemão e o gângster do Bernie DESTRUIRAM Hockenheim. Esse Alemão merda só fez mudanças pra pior. A começar pela Pista de Osterreichring. Que era uma pista maravilhosa e foi transformada em uma pista muito curta, boba e muito fácil. Depois mutilou a fodástica Hockenheim, deixando essa coisa sem sal e sem açúcar que é hoje. E em grandes autódromos como Spa e Monza esse infeliz fez questão de deixar a marca dele, diminuindo a velocidade de ambos. Deixando a Variante Del Rettifilo de Monza do jeito que é desde 2000 e a Bus Stop de Spa do jeito que é desde 2007. Até fez bons circuitos como Sepang e Istambul e outros aceitáveis como Bahrain e China. Mas por feito estragos em pistas tão maravilhosas, além de seus circuitos terem se tornado ainda mais travados a partir de 2008, devia acompanhar o Bernie e fazer o maravilhoso favor de se retirar da F1.

      • Antonio Seabra says:

        Concordo 100% com você em relação a Osterrreichring, mas Hockenheim ??? Esse sempre foi uma bosta, com 2 retas tortas enormes na floresta, que so faziam os caras que vinham atras recuperarem como vacuo tudo o que perderam no misto (motodromo). Só pra ilustrar Clark odiava o circuito por conta disso….e, por ironia do destino, acabou morrendo lá, nas retas da floresta.
        Depois inventaram as chicanes pra reduzir o efeito de vácuo nas retas enormes. Melhorou, mas isso não fez dele um bom circuito. O Tilke só acabou de detonar.
        Zandvoort sempre foi estreito e sempre teve o problema de areia na pista, trazida da praia pelos ventos constantes da plana Holanda (aliás, zand é areia em holandês). Mas era uma pista interessante, com uma parte de alta muito legal. Pista de piloto.
        Foi mutilada, como Interlagos foi, e só ficou com curvas de baixa….A curva Tarzan é famosa (pelo nome ?), mas é um cotovelo de baixa, chato pra cacete.. Só o Gilles fez historia ali ao girar essa curva pelo lado externo, passando Alan Jones por fora, talvez na ultrapassagem mais linda da F1 em todos os tempos.
        As curvas mais interessantes eram a Panorama e as outras duas curvas de alta com nomes estranhos, uma mais perto da praia, Scheivlak, e outra, a Bos, na entrada da reta, A reta era bem mais longa.
        Zandvoort vinha sendo mutilado ao longo dos anos, e finalmente foi transformado nessa coisinha insossa que é hoje. Pista pra carros de turismo, não pra F1.
        Quem diz que Zandvoort é uma grande pista, não pensou antes de falar. Tem tradição, como Interlagos tem, mas como o nosso Templo, hoje é um arremedo do que já foi.

      • Comentarista Crítico says:

        Antônio Seabra, Hockenheim poderia não ser tão desafiadora, mas era uma pista que apesar de favorecer o melhor carro, favorecia também as disputas. Foi com o Hockenheim que você não gostava, que o GP da Alemanha tinha charme e era uma das corridas mais importantes da temporada. Diferente de hoje em dia, com esse traçado sem graça, que reflete na perda de importância do GP e ausência do mesmo por vários anos. Mas é seu gosto! Do que eu gosto nem todo mundo vai gostar. Assim como eu posso não gostar de uma pista que muita gente gosta. Um exemplo é: você diz adorar Laguna Seca. Já eu acho uma pista superestimada, que não tem nenhuma longa reta, além de uma volta de um F1 naquela pista não durar nem 1 minuto. E sobre Interlagos: Boa pista, mas não chega aos pés do que já foi. Se o S do Senna seguisse até o velho retão ao invés da reta oposta, a pista ficaria melhor e seria um pouco do que foi no passado. E não foi só Osterreichring, Hockenheim, Interlagos e Zandvoort que tiveram mudanças pra pior. Silverstone também foi outra. A pista foi uma merda entre 94 e 2009, melhorou um pouco com a versão atual desde 2010, mas ainda não chega aos pés do que era até 90. Se ao invés de criarem o trecho arena, aumentassem a atual reta dos boxes, fazendo ela seguir até a reta Wellington do trecho arena(só que a curva não poderia ser um típico cotovelo do Tilke), Silverstone voltaria a ser pelo menos metade do que já foi no passado. Mas é isso! O Automobilismo e principalmente a F1 é um esporte que nos faz olhar pro passado. E que faz a gente sempre ter vontade de olhar pra esse passado. Porque quase tudo na F1 atual é uma merda e pior que na F1 antiga. Principalmente os traçados dos circuitos(que foi o que provocou nosso debate). Pois a maioria ficaram tão ruins e travados, que faz com que os fãs do automobilismo contestem os mesmos constantemente. A frescura por segurança além de um projetor que ama cotovelos e ama diminuir a velocidade do esporte da velocidade, fez as coisas ficarem assim.

      • Comentarista Crítico says:

        Tanto que até às poucas pistas que prestam, tem algum ponto desagradável. E o pior, é que antes eram pontos desafiadores e aí, viram alvo de contestamento dos fãs. Como os pontos de Spa e Monza que eu citei. É tanta frescura por segurança que fizeram Monza, que mal baixava dos 110 km, baixar pra 70 km. A mesma grande frescura faz com que deixem aquela chicane ridícula no meio da reta mistral em Paul Ricard(o que é desnecessário. Pois a curva Signes tem uma IMENSA área de escape). Enfim brother, depois da morte do Senna a F1 virou uma boiolice sem tamanho. E a única mudança Pós 94 que prestou, foi em Montreal quando transformaram a curva Casino na longa reta que é hoje. Porque de resto, só foram mudanças pra pior que serviram apenas pra deixar as corridas com menos ultrapassagens e fazer nós, fãs do automobilismo, ficarmos cada vez mais entediados em ter que ver corridas cada vez mais chatas. Triste realidade!

  12. Fernando says:

    Infelizmente, me parece que o destino da corrida na BozoLandia sera o mesmo de Barcelona, ou do outro autodromo que porventura saia….estou para dizer que aqui, como na Espanha, a MotoGP ja tem mais fas que a F1 (eu pelo menos prefiro).
    Abracos

  13. Ed says:

    Seguindo a lógica, não estaria o GB Brasil com os dias contados? Não tem mais nenhum brasileiro no GRID. Ou somos todos HAmilton? É sério deixa eu pegar minha bandeira da Inglaterra aqui , inglês é tão bonzinho gosto muito deles, FMI, família Rothschild, VALE , BHP . God Save the Queen. A não a não agora somos todos LECLERC, diz o Galvão.

  14. ADEMIR MARIA RICHOTTI says:

    Esse circuito remete a minha infância na década de 70,quando comecei a acompanhar F1.Poderíamos tambem ter a volta de Anderstorp,Zolder,Watkins Glen…esses nomes de autódromos me fascinavam.

    • Comentarista Crítico says:

      Zolder e Watkins Glen também foram mutiladas e viraram travódromos. Trocar Spa pela Zolder atual? Não mesmo! E se tem uma pista dos EUA que já devia ter tido corrida de F1 há tempos, é Road América. Fico chocado como tantos circuitos porcarias dos EUA tiveram corridas de F1(as pistas de rua dos anos 80 e 90 e a boba pista mista de Indianápolis) e aquela maravilhosa pista não.

      • Antonio Seabra says:

        Road America (Elkhart Lake como era chamado antes), é maravilhoso, e merecia a F1.
        E tambem não dá pra esquecer que nos USA tem Laguna Seca, proxima a Monterrey na California, que é maravilhoso e igualmente merecia a F1.

        Seria melhor 3 corridas nos USA, em Austin, Laguna e Road America, do que essas corridas chatas da China, Barhein, Qatar e Sepang. E não seria por falta de grana pra levar essas 2 corridas pra lá, em detrimento de 2 das 4 citadas.,

  15. C Lins says:

    Só me preocupa o traçado travado e asfalto estreito de Zandvoort, se manterem a areia e muro próximos pode ser um GP a moda antiga, menos benevolente com erros de pilotagem.

  16. ANDERSON SANTOS says:

    Corrida por corrida em autódromo que não propicia ultrapassagem, é melhor ir para Holanda e vermos ao menos uma confusão no início da corrida por falta de conhecimento da pista. Barcelona já deu , bem que Mônaco poderia sair do calendário também !

    • Amaral says:

      Competitivamente, Mônaco não era pra sediar corrida há uns trinta anos. Aquilo é pior que andar de bicicleta no banheiro, nem na sala de casa como disse uma vez o Piquet.
      Mas… Comercialmente, Mônaco não sai nem fodendo. É mais fácil a F-1 romper com os petrodólares allahu akbar do que com Mônaco.

    • Comentarista Crítico says:

      Também queria Mônaco fora. Mas agora com o Lec-Lec na parada? Deixem a pista mais lenta disparada na parada. Inclusive acho que seria muito legal o Lec-Lec enfim conseguir sua primeira vitória no próximo GP.

  17. Carlos says:

    Mas, Flávio, será q F1 deveria ir para a Holanda? Nossa ministra Damares pode acabar vetando a construção do autódromo do Rio, ou mesmo exigindo q a categoria saia do Brasil…. sabe como é, né? Lá na Holanda eles estimulam a masturbação de bebês desde os sete meses de idade…. é cada uma nesse governo

    • Amaral says:

      Se dependesse daquela demente, jamais o atual excelentíssimo senhor presidente da república daria aquela declaração de que iria ter corrida na terra de São Sebastião. Não porque ela seja defensora do bom senso, mas exatamente pela absoluta falta dele.
      Vai perguntar pra ela o que ela acha de automobilismo pra ver que sandices vai sair dali.

  18. Mahatma Marucci says:

    GP 73, o que ficou na história: Roger Williamson e David Purley. Eu vi…

  19. Angelo de Mio says:

    Quanta admiração tenho pelos países civilizados e modernos. Educação, trabalho e ordem fazem a diferença. Infelizmente os brasileiros saberão o que é isto talvez após a próxima glaciação.

    O traçado de Zandvoort pode não ser uma maravilha para a F1 atual. Mas seria muito bom livrar-se de Barcelona.

    • Segafredo says:

      Concordo no ponto, livrar-se da Espanha……mas trocar 6 por 1/2 dúzia?

    • Comentarista Crítico says:

      Barcelona apesar de difícil ultrapassagem, na versão que tinha até 2003, era muito melhor que essa pista atual de Zandvoort. Aliás, é bem melhor uma pista difícil de passar, mas cheia de curvas velozes, do que uma pista difícil de passar e cheio de curvas travadas. Pessoal já esculhambava Barcelona antes das Tilkadas de 2004 e 2007, mas era um ótimo circuito. E era mesmo. Pois um circuito bom, pode ser bom mesmo que seja difícil de ultrapassar(a adorada Suzuka taí pra provar).

  20. Celio Ferreira dos Santos says:

    Muito bôa escolha …já pensou a arquibancada toda laranja…vais ser demais…

  21. Comentarista Crítico says:

    Esse GP só me desce exclusivamente por causa da presença do Max na F1. E não Flávio, não serão GPS inesquecíveis. Pois será mais um travódromo na história da F1.

    • Tiago says:

      Muita gente reclamando disso, alguns falando que as obras prevêem alargamento da pista em alguns pontos específicos para permitir ultrapassagens, mas a maioria prevendo novas procissões. Achei que o FG já traria mais informações sobre isso, vamos aguardar.

      • Comentarista Crítico says:

        Pra não ser uma procissão e se tornar uma ótima corrida, eu acho que deviam acabar com a curva 4 e transformar o trecho que começa na curva 3, em uma reta até a curva 6. Seria uma mudança parecida com a de Montreal Pós 94(a única que prestou depois daquele ano). E a pista ficaria bem menos travada e com dois pontos de ultrapassagem.

      • Fernando do Amaral says:

        Penso ser bobagem assumir que com certeza será procissão a corrida de F1 em Zandvoort. Um pouco demais estreita é verdade, mas alguns pilotos do grid irão achar jeito de tentar e mesmo realizar ultrapassagens, na Tarzan (curva 1) e na freada daquele S lá no meio do traçado (em seguida à Scheivlak, esta longa e aberta , em primeiro plano na foto). Pode-se esperar por chance de boas disputas sim.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *