MENU

sexta-feira, 21 de junho de 2019 - 12:03Gomes, Grande Prêmio

“GP ÀS 10”: UM POUCO DE JORNALISMO

12 comentários

  1. Fabio FC disse:

    Neste vídeo, Galvão Bueno precisou deixar de lado a narração esportiva e informar a situação de crise da Argentina, estado de sítio, renúncia presidencial, etc.

    https://www.youtube.com/watch?v=SLdZemVrD-k

  2. Gabriel P. disse:

    Flávio
    Ou as pessoas tem caráter, vergonha na cara ou não tem.
    É o caso desse tal “jornalista” da bandeirantes, que provavelmente deve ter apoiado o vazamento ilegal das conversas da ex-presidente.
    Além da canalhice em si, o sujeito é um péssimo profissional.

  3. Fernando disse:

    Pois, a questão é “como teve acesso”, digo, quantas ilegalidades um jornalista (ou juíz) pode cometer para denunciar ilegalidades? Difícil… Não é a mesma coisa? Ou melhor, quem decide o que é do interesse público e quem pode passar por cima da lei? Você? Eu? Um juíz? Quem? Um “legalista” reclama do jornalismo “paralelo”, à margem da lei, mas quando um juíz faz o mesmo, um “ilegalista” – demais isso – reclama, fazer o que…

    • Flavio Gomes disse:

      Não, quem decide é o Twitter, o WhatsApp. Tenha dó, rapaz. Ninguém passou por cima da lei nessa questão dos diálogos. Vazaram. Jornalista checa e publica. Ponto. Quer defender o pavãozinho, faça-o em outro lugar.

  4. Gustavo disse:

    Exemplos bem diferentes. Que vc eh um bom jornalista não tenho duvidas.
    Cometer crime para divulgar um furo não me parece bom jornalismo.

    Vc divulgaria o audio da Dilma com o Lula se chegasse até vc??

    • Flavio Gomes disse:

      Ninguém cometeu crime. O The Intercept não hackeou ninguém. Recebeu os diálogos. E você não sabe como se deu o vazamento.

      • Gustavo disse:

        Pelo que sei nem vc sabe. Se soubesse teria divulgado, não.?

        Não é essa a lógica?

        Pela resposta entendi que vc concorda com a divulgação do dialogo Lula x Dilma. Que sim teve mais de um crime envolvido.

      • Flavio Gomes disse:

        Você não tem ideia do que eu sei, rapaz. E um juiz vazar conversas como fez Moro é crime, sim. O vazamento dele é fruto de crime. Aliás, dois: grampear uma presidenta da República e vazar a gravação. Quanto ao conteúdo, Dilma podia nomear quem ela quisesse para seu ministério. Isso não é crime. Crime é um juiz assumir um dos lados numa investigação quando será responsável por julgar os envolvidos. Agora não me encha mais o saco, que não tenho paciência para bolsominions, muito menos para morozetes.

  5. Flavio padilha disse:

    Saudações Flavinho ! relatos de quem passou por tudo…Em uma excursão patrocinada pela empresa em 2000, estações de metros e trens estampavam cartazes com fotos do militantes da ETA, que matava e fazia atentados pela libertação da região basca. Não deu em nada, Hoje a Espanha voltou a mandar no mundo, patrocinando tudo com seu Banco Santander, principalmente aqui no Brasil, onde vivemos o pior período de nossa história… Seus relatos são para estudantes e para quem hoje, pensa que sabe de F1 e pode frequentar seu Blog, não conhece história. abs

  6. Brabham-5 disse:

    Quero ver agora. Vamos ver quanto tempo os comissários vão levar para “analisar e decidir” se Hamilton deve ser punido ou não.
    Essa é para as viúvas Hamiltetes hipócritas.
    “Hamiltons unsafe rejoin after going off the track”
    http://carsproductions.com/lewis-hamilton-under-investigation-in-france-gp-video/?fbclid=IwAR244w_8sZJLja–TDxdeQYyHuTihhGZp_VTIOYTqWj1tpDqOxFzmy4R5nI

    • Fernando disse:

      T-R-E-I-N-O L-I-V-R-E. Nada grave, assim como a caso do Vettel no Canadá, nada grave também, mesmo em corrida, nenhum deles deveria ser punido. A diferença é que em corrida posições valem alguma coisa… Segurança? Não foi ameaçada em nenhum dos dois casos. Aceite Hamilton como o melhor, acorde, não há viúvas, ele esta vivo, feliz e vencendo, e cada dia mais!!!! Torça para Hamilton e seja feliz, porque vai piorar!!! Não seja um derrotado ferrarista, estes sim hipócritas. Haters…

  7. Gil Corrêa disse:

    Olá Flávio, boa tarde.
    Sobre a função do jornalista, é exatamente o que eu penso.;
    Vamos supor que o jornalista citado por você tivesse tido acesso aos áudios e não divulgasse… Como seria se no futuro hipotético as coisas fossem de mal a muito pior? Será que ele dormiria tranqüilo com o sabor de “dever jornalistico” cumprido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *