N’ANIVERSÁRIO (1)

N

RIO (hoje tem pizza) – Bom, a treta do dia em Silverstone foi a seguinte: depois de 200 protestos da Renault contra os carros da Force Martin, a FIA decidiu punir a equipe rosa com uma multa de 400 mil euros (onde fica aquele símbolo de euro mesmo no teclado?) e 15 pontos no Mundial de Construtores. Os pilotos seguem com sua pontuação intacta.

O motivo da punição foram os dutos de freio traseiros, que teriam sido copiados dos carros da Mercedes do ano passado. A Renault achou a punição branda e resolveu protestar de novo. A ela se juntaram McLaren e Ferrari, que também reclamam da “Mercedes Rosa”, agora entre aspas e como nome próprio para reforçar o chilique. O pau tá quebrando. Vale registrar que Toto Wolff saiu em defesa da Racing India, dizendo que os dutos de freio traseiros, em 2019, não estavam listados como peças que deveriam ser autorais, por assim dizer. E que no fim do ano a equipe já tinha essas peças prontas para o carro do ano seguinte. E se são iguais às da Mercedes, tudo bem. Nada proibia isso. Eu não tenho opinião formada ainda. A princípio, acho que é choro de perdedor. A Haas copiou tudo da Ferrari em 2015 e ninguém reclamou. Todo mundo copia tudo que dá certo. Tem muita brecha nessas regras de construção dos carros. Quer saber? #FreeCopyPaste!

Na pista, todo mundo estranhou os pneus mais macios do lote e o destaque do dia foi Ricardão em terceiro — Hamilton ficou em primeiro e Bottas em segundo, e Lewis colocou 0s8 no Twingo amarelo; a diferença é monstruosa. Com um quinto e um sexto, a Aston Point começou bem o fim de semana. Stroll ficou um pelinho à frente de Hülkenberg, que segue no carro de Sergio Pérez. A FIA fez 5.127 testes para Covid-19 entre os dias 31 de julho e 6 de agosto e apenas o do mexicano deu positivo de novo. Por isso ele continua fora, isolado em algum lugar da Inglaterra.

E a Ferrari, bem… Charlinho ficou em sétimo e Vettel, em 14º. O alemão estourou o motor. Segundo meu informante Gola Profonda, o alemão mandou a foto abaixo para o grupo de WhatsApp da equipe com a seguinte mensagem: “Joga a vermelha no lixo e eu corro com esse outro aí, que parece rápido”. E qual a reação do pessoal?, perguntei. “Binoto tirou ele do grupo por 24 horas”, respondeu o espião.

Ah, a corrida de domingo, quinta da temporada, será chamada aqui de GP dos 70 Anos, seguindo a norma adotada pelo Grande Prêmio. E para fechar, fotinhos do dia — com destaque para a fofura das miniaturas do capacete de Lando Norris de chocolate.

Sobre o Autor

Flavio Gomes

Flavio Gomes é jornalista, mas gosta mesmo é de dirigir (e pilotar) carros antigos.

27 Comentários

  • A melhor foto tem que ser esse detalhe aqui (Flavio, não sei como postar as imagens e nem se é possível, se não der e quiser, posta aí. Direto dos stories da JMD Desings que pinta o capacete do Hulk). Como eles mesmo disseram, depois de ver, é impossível “desver”.

    https://pbs.twimg.com/media/Ee1w6sAXYAAH9UA?format=jpg&name=large
    https://pbs.twimg.com/media/Ee1w6p2XsAIKIAn?format=jpg&name=small
    https://pbs.twimg.com/media/Ee1w6pzXgAAtaQU?format=jpg&name=900×900

  • É uma copia, mais uma da F-1, a chiadeira é que dessa vez a copia foi bem feita.

    O departamento de engenharia da Racing Point é na China???

    Segue o jogo, não será a ultima vez na F-1 que um carro é copiado.

    Obs.: Achei meio fantasiosa a fala do Toto sobre a “alienigena” camera 3D

  • É tudo jogo de cena, pressão para a FIA decidir se será permitido ou não vender peças para outras equipes. Hoje algumas peças podem e outras não, tudo mal definido e cheio de brechas. Algumas equipes acham que construtores deveriam também faturar com o desenvolvimento e venda de peças , outras não, acham que equipes que compram peças não são “construtores”.

    Agora as equipes se uniram contra a Mercedes que quer vender peças, acham que assim podem reduzir seu domínio.

    O caso não é de copiar peças (no caso o duto de ventilação dos freios dianteiros), é que a RP não demonstrou que desenvolveu a peça, a Renailt usou esta brecha para provocar a discussão e precionar a FIA. Daqui a 4 dias assinarão o “Pacto da Discórdia”, e isso é tudo, money, política, tudo de ruim que a F1 tem. €, option + shift + 2. Abraço.

    • Fernando

      Acho que as equipes não se uniram contra a Mercedes não, acho que foi contra a Racing Point. Teoricamente a RP pode ficar em 2º no mundial de construtores. Teoricamente todas as outras equipes (Red Bull, McLaren, Renault, Ferrari) ficariam uma posição atrás no final do campeonato e assim receberiam menos dinheiro no ano que vem.

      Poderiam liberar a venda de tudo menos o chassi, aí teriamos um mundial de montadoras a partir do próximo campeonato. Quem sabe uma equipe não faz um catado das outras equipes e consegue montar um carro que baterá as Mercedes…

  • O Mirtão Gostosão vai fazer mais uma pole, para desespero das viúvas que ainda irão var o seu amado levar CAPOTE no recorde que elas consideravam impossível de ser superado!

  • Vivemos uma época, nos últimos tempos, de equipes extremamente dominantes: Brawn GP, Red Bull e Mercedes…

    …a Fórmula-1 finalmente mostrou o porquê do nome: foi a fórmula encontrada para só 1 faturar os títulos que cada equipe dominante lhe traz a cada ano.

  • CAMINHÃO: Esse caminhão que carrega o 147 com todo respeito ao 147 parece ser da marca DAF.
    TIÃO: Eu sendo o Tião dava uma banana pra Ferrari ou melhor 147.
    PILOTO: Do jeito que vai o comandante Amilton ganha novamente e com facilidade.
    2021 : Será o ano de maior dificuldade pois será Tião contra Amilton ou seja Mercedez × Benz.
    COPIAR : Sou de acordo de copiar os carros pois assim haveria um nivelamento de carros aí sim veríamos quem é piloto mesmo e que é chofer.

  • CAMINHÃO: Esse caminhão que carrega o 147 com todo respeito ao 147 parece ser da marca DAF.
    TIÃO: Eu sendo o Tião dava uma banana pra Ferrari ou melhor 147.
    PILOTO: Do jeito que vai o comandante Amilton ganha novamente e com facilidade.
    2021 : Será o ano de maior dificuldade pois será Tião contra Amilton ou seja Mercedez × Benz.
    COPIAR : Sou de acordo de copiar os carros pois assim haveria um nivelamento de carros aí sim veríamos quem é piloto mesmo e que é chofer.

  • Flavio Gomes: supondo que não haja nenhum problema de direito autoral, deixo aqui uma sugestão de pauta para o próximo Fox Nitro. Resumir os melhores momentos de um vídeo de 8 minutos e 38 segundos, que está no site oficial da F-1, onde vemos os atuais pilotos da McLaren, Alfa Romeo,Williams, Alpha Tauri e Haas analisando diversos momentos desses 70 anos da F-1. Surpreendentemente, quem dá mais risadas é o Kimi Raikkonen.

    Título do video: Drivers react to evolving cars, safety and fashions over F1’s 70-year history.

    A coisa toda foi dividida em quatro “capítulos”:

    1- The paddock then and now

    2- First F1 race at Silverstone

    3- Car design: good, bad and ugly

    4- Memorable Moments

    São várias imagens inesquecíveis, mas se for para escolher apenas um momento: foi muito divertido rever o que aconteceu com o Taki Inoue em 1995, no GP da Hungria.Uma cena que poderia entrar fácil fácil no programa Os Trapalhões.

  • Decepcionante tanto chilique , claro que a gritaria é porque envolve muito dinheiro no fim das contas, mas enche o saco o campeonato melar no tapetão , essa merda tinha que ser resolvida no inicio do ano , depois do pontapé inicial é um chute no saco!
    Na pindaíba que os times estão deveria logo liberar a venda do material usado pro ano seguinte, aumentaria bem o grid , acho que 26 carros é um numero ideal e seria emocionante ter uns 30 carros disputando a vaga, mais times ,mais pilotos podem ser testados , e como forma de proteger as fabricas, times independentes que compram carros não somaria pontos nos construtores.
    Seria bem interessante.

  • que liberem os rosáceos e permitam que equipes novas entrem na categoria comprando carros de temporadas anteriores! vinte carros numa categoria tão legal é uma impropriedade. tem muito piloto bom esperando um lugarzinho nesse grid.

  • Nem sempre copiar dá certo. Por exemplo, quando a equipe copia o projeto do ano anterior, ela garantidamente estará um passo atrás da equipe copiada. A meu ver, as outras equipes estão reclamando porque não conseguiram fazer um carro ao menos tão bom quanto esse da Racing Point… Aconteceu uma reclamação similar nos tempos da Brawn-GP, e olhe que ali nem foi cópia… foi uma combinação felicíssima – fruto do imponderável – que fez a Honda cair fora da F1 justo no ano em que o Ross Brawn ajudou a elaborar o regulamento da FIA de 2009. O difusor duplo foi talvez a melhor sacada da história.

Por Flavio Gomes

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

agosto 2020
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031