VÃO SE CATAR (5)

Hamilton e Gasly na primeira fila: novo grid no Catar

ITACARÉ (vixe) – Saiu agora. Verstappen perdeu cinco posições no grid. Bottas perdeu três. Sainz foi perdoado. Os três foram chamados à direção de prova ontem por terem desrespeitado bandeiras amarelas quando Gasly furou o pneu no final do Q3.

O espanhol da Ferrari apresentou sua telemetria e provou que tirou o pé, reduziu a velocidade e não fez nada que justificasse um castigo. Se livrou de qualquer punição. Bottas pediu desculpas, disse que não viu mesmo a bandeira e aceitou o pênalti sem reclamar. Cairia de terceiro para sexto no grid.

Max alegou que não teve sinalização de bandeira amarela no painel, nenhum aviso sonoro, e a Red Bull falou que o sistema eletrônico dos comissários tinha sido desligado 34 segundos antes. Os comissários demonstraram “simpatia” pelos argumentos, mas recorreram aos itens do regulamento que dizem que os pilotos precisam dirigir sozinhos, sem ajudas externas, e têm a obrigação de ver e respeitar as bandeiras. No caso do holandês, eram bandeiras amarelas duplas agitadas, e não a simples imobilizada como a que Bottas não viu. Bandeiras duplas indicam mais perigo ainda, e por isso a pena foi maior: cinco posições. Verstappen, portanto, cai de segundo para sétimo.

O grid revisado, então, ficou assim: Hamilton na pole (com pneus médios), Gasly em segundo (de macios), Alonso em terceiro (macios também, sua melhor posição de largada desde o Brasil/2013), Norris em quarto (também com pneus macios), Sainz em quinto, Bottas em sexto, Verstappen em sétimo, Tsunoda em oitavo, Ocon em nono e Vettel em décimo.

Faísca na largada não sai mais, mas Gasly, com macios, pode aprontar para cima de Lewis. Max deve estar bufando, mas punições por bandeiras amarelas normalmente são preto no branco, não tem muito como contestar. Eu disse ontem no “Fórmula Gomes” que achava um exagero punir esses pilotos com Gasly encostado na lateral da pista, na reta, sem oferecer perigo algum. Mas refaço minha opinião. Se for provado que o sujeito viu a bandeira, que ela foi mostrada na hora certa, não tem o que fazer. Argumentei, ontem, que a equipe poderia dizer que ela foi mostrada depois, que o piloto passou voando e não houve tempo de tirar o pé, algo assim. A Red Bull até tentou. Mas as bandeiras estavam lá.

Verstappen que engula o choro e tente se recuperar.

Comentários