Comentar

FOTO DO DIA

RIO(hoje é simbólica) – Enviada pelo Paulo Jorge Lagartinho via Facebook, que conta:

Flavio, junto uma foto tirada hoje no Rallye de Portugal que tem tudo para se tornar histórica. Foi tirada na Universidade de Coimbra que, como você sabe, é uma das mais antigas do mundo. Esta é a biblioteca Sanjoanina da universidade, do século XVIII. Todos os pilotos do rali estão na imagem, de autoria de André Lavadinho.

ralicoimbra

Comentar

DESAFIO DO DIA

Alguma boa alma poderia nos dar uma explicação minimamente razoável sobre a origem — e o destino — deste… automóvel? A foto foi enviada pelo Alexandre Neves.

loucuraloucura

Comentar
Comentar

DICA DO DIA

RIO(memórias) – Parabéns ao Fernando Silva e ao Gabriel Curty pelo resgate da história de Cristina Lopes Afonso, hoje vereadora em Goiânia, que em 1986 foi vítima de tentativa de feminicídio em Curitiba, tendo 85% do corpo queimado pelo então namorado. Um dos que acorreram para ajudá-la foi Niki Lauda.

O criminoso foi condenado em fevereiro. Deste ano. Sim: 33 anos depois.

laudafunerals

Comentar
Comentar

DESAFIO DO DIA

Quero ver quem adivinha que carro é esse e qual a sua história. Quase morro ao ver tanta beleza junta.

612676

Comentar

ATÉ DÓI

RIO(na alma) – Saiu no “Silodrome“, excelente página para malucos como nós. Uma coleção de 11 Ferraris ficou abandonada por uma década num terreno baldio no Texas, na cidade de Lakeway. Elas pertenciam a um advogado rico que lá por 2011/2012 ficou doente e alugou um galpão de um amigo para deixar lá os carros enquanto fazia tratamento — eram 13 Ferraris e dois Rolls-Royces.

Por alguma razão os aluguéis deixaram de ser pagos e o indigitado tacou tudo num terreno, ao relento. Desgraçado.

Depois de longa batalha na Justiça a família do advogado conseguiu retomar a posse dos carros. Os Rolls e duas Ferraris sumiram. A notícia boa é que a comunidade ferrarista conseguiu dar um destino a todos eles. Foram vendidos e serão restaurados.

doeunalma (2)
Foto: Silodrome
Comentar

SOBRE DOMINGO DE MANHÃ

mond199q
Hamilton e o boné homenageando Lauda: vitória dedicada ao austríaco

RIO(hoje sim) – Foi tudo por Lauda no fim de semana monegasco que terminou com mais uma vitória de Hamilton no campeonato, a quarta no ano. Muita gente ainda torce o nariz para a choradeira do piloto durante mais de 40 voltas da corrida, reclamando dos pneus, da escolha da Mercedes, da vida dura que o inglês supostamente teve para segurar Verstappen.

Bem, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. Achei exagerado, mas quem sou eu? A equipe admitiu o erro ao optar pelos pneus médios em vez dos duros no pit stop e rasgou elogios a Lewis. “Só ele conseguiria fazer o que fez”, derreteu-se Toto Wolff. “Ele nos salvou.” Eu diria que ele só fez o fez porque era em Mônaco, mas é óbvio que isso não tira seus méritos. Se elogiamos Senna contra Mansell (1992), Bernoldi x Coulthard (2001), Ricciardo contra rapa (ano passado), elogiemos, igualmente, esse moço que dirige divinamente. Ainda que às vezes ele passe a impressão de que adora um drama para valorizar o que já tem um valor absoluto per se.

Parabéns a Hamilton. Foi, sim, uma vitória maiúscula. Mesmo tendo amplificado as dificuldades, não dá para afirmar que qualquer um faria o mesmo. Afinal, com pneus ruins as chances de erro aumentam. E ele não errou. Isso é fato.

A FRASE DE MONTE CARLO

mond199t
Lewis com o capacete de Niki Lauda

“Foi uma das corridas mais difíceis da minha carreira. Não sei como ganhei. Achei que ia bater, estava brigando muito com o carro. Pensei: ‘O que Niki faria?’ Eu sabia que ele estava olhando por mim. Com Niki do meu lado, conseguimos.”

Lewis Hamilton, 77 vitórias na carreira, três delas em Mônaco

A monotonia do GP reacendeu as discussões sobre o fato de Mônaco ser uma corrida anacrônica, que não comporta mais esse tipo de carro. Todo ano é a mesma coisa. Mas não é a única pista do mundo onde temos corridas ruins. E algumas são muito boas, então vamos parar com essa conversa inútil. Primeiro, porque Mônaco não vai sair do calendário nunca. Depois, porque quase sempre acontece alguma coisinha para animar.

Se é verdade que na maior parte das quase duas horas de prova nada muito relevante aconteceu, não é menos verdade que dá para listar alguns momentos interessantes, a saber (e ilustrando com fotos belíssimas que tive o trabalho de selecionar a dedo, como se colhesse uvas para fazer um bom vinho — de onde tirei essa frase idiota?):

1. A LARGADA DE SAINZ JR.

O espanhol estava em nono no grid e ganhou duas posições lá pelos lados do Cassino logo na primeira volta, manobra difícil que ajudou a McLaren a repetir sua melhor colocação no ano, um sexto lugar — no Bahrein, foi Norris. Acho que dá para dizer que foi a melhor corrida do jovem Sainz Velocidad na temporada. Ele, pelo menos, achou isso.

mond199e
Sainz Jr.: bela largada, repetindo a melhor posição do time no ano

2. O ESFORÇO DE LECLERC

Depois da cagada da Ferrari no sábado, não restavam muitas opções ao menino da cidade, 15º no grid. Nas minhas contas, ele passou uma McLaren na Loews (Norris, creio), uma Haas na Rascasse (Grosjean) e tentou repetir a traquinagem com Hülkenberg. Ocorre que Romain, que o chamou de “camicaze” pelo rádio, estava dormindo. E Hulk, não. Aí se tocaram, seu pneu furou e acabou tudo. Mas ele tentou, e a gente curte quando alguém tenta algo em Mônaco. Porque quase sempre dá merda e é divertido.

mond199n
Acorda, Grosjean! Quando acordou, Leclerc já tinha ido, numa ultrapassagem muito bonita

3. A MELHOR VOLTA DE GASLY

Como acontecera na China, Gasly estava longe demais de quem estava na frente e distante o suficiente de quem estava atrás no final da corrida. Distâncias seguras para parar, colocar um jogo de pneus dos mais gosmentos entre os disponíveis e fazer a melhor volta e, assim, ganhar um ponto extra. Nessa relação de forças de 2019, o francês vai se ver nessa posição mais vezes ao longo da temporada. Porque o normal tem sido Mercedes, Ferrari e Verstappen sumirem na frente, deixando-o sozinho com o bom carro da Red Bull isolado do resto — o resto é composto por uma maçaroca de McLaren, Alfa Romeo, Toro Rosso, Haas, Renault e Racing Point, todas juntas (a Williams nem gente é). O legal é que fica todo mundo torcendo para conseguir. O ruim — para ele — será quando não conseguir. Para os registros: virou 1min14s279. A segunda melhor volta da prova, de Bottas, foi cronometrada em 1min15s163. Bem longe.

mond199 (2)
Gasly para para colocar pneus macios: segunda melhor volta do ano, mais um pontinho extra

4. A TENTATIVA DE VERSTAPPEN

A paciência até que surpreendeu. Aliás, Max tem se mostrado um piloto muito maduro neste ano. Ficou lá, escoltando Hamilton, um tempão. Mesmo sabendo, havia bastante tempo, que tinha uma punição de 5s para pagar. Talvez esperasse por um erro do inglês, já que tinha uma visão privilegiada de seus pneus. Achei que poderia ter fustigado um pouco mais, ainda que essas coisas, em geral, não funcionem bem quando o piloto à frente é muito bom. Mas eu faria isso, daria umas fritadas de pneu, colocaria de lado na Loews, gesticularia para as câmeras, ensaiaria um teatrinho — e provavelmente me daria mal. Verstappinho só foi tentar mesmo na antepenúltima volta. E quase deu uma merda federal, porque tocaram rodas e poderiam estar ambos submersos no Mediterrâneo a essa hora. Mas no fim não deu em nada. E ele ainda foi deslocado de segundo na pista para quarto na classificação por conta do pênalti — nem reclamou, inclusive.

mond196
Verstappen parte para cima de Hamilton na saída do Túnel: uuuuuuhhhhh!

5. O QUASE-ACIDENTE DE PÉREZ

Bom, só vou citar aqui como algo “divertido” porque não teve consequência alguma. Para ser honesto, não teve nada de engraçada a desatenção dos normalmente impecáveis fiscais de pista de Mônaco quando o mexicano saiu dos boxes com sua Force India, ou seja lá que nome tenha isso, após a troca de pneus. Os caras estavam na pista limpando uns pedaços de borracha e e fibra de carbono deixados pelo caminho por Leclerc e quase foram atropelados. Pérez mencionou o episódio sem críticas muito veementes, porque sabe que os caras são bons. E demonstrou alívio por nada de grave ter acontecido. Acho que isso não passou na TV, mas não tenho certeza.

mond199r (2)
Pérez e os fiscais: por pouco não acontece um acidente grave na saída dos boxes

Putz, acho que este rescaldão já está longo demais. Ninguém manda escrever na mesma semana do GP, né? As memórias estão frescas. Então vamos logo ao…

NÚMERO DE MÔNACO

Plat_13…corridas sem pontuar a Williams completou em Monte Carlo, sequência iniciada em Singapura no ano passado. É a maior série negativa da história do time, que será ampliada enormemente nesta temporada — já que Kubica e Russell só serão capazes de marcar pontos se todos os demais forem abduzidos num domingo desses — ainda assim, precisarão contar com alguma dose de sorte. Os últimos pontos da Williams foram marcados no GP da Itália de 2018, com Stroll em nono e Sirotkin em décimo. A Williams ficou 13 corridas sem pontuar pela última vez entre as temporadas de 1977 (11 provas) e 1978 (duas). Que fim horrível.

Bom vamos terminar logo essa bagaça.

Nosso cartunista oficial Marcelo Masili também fez questão de lembrar de Lauda com sensibilidade e delicadeza depois de Mônaco. Lá do céu, Niki vibrou com mais uma vitória de seu pupilo.

sobremasilimon19

E fechando os trabalhos…

sobremon191
Toro Rosso: “double points”

GOSTAMOS – De ver a Toro Rosso >>> com seus dois pilotos nos pontos, Kvyat em sétimo e Albon (bom mesmo) em oitavo. Desde o GP da Espanha de 2017, 42 corridas atrás, que a equipe não pontuava com dois carros — na ocasião, Saunz Jr. foi sétimo e Kvyat, nono. Outro dado notável: foi a primeira vez que quatro motores Honda se colocaram entre os oito primeiros num GP desde a Hungria em 1988. Naquela corrida, Senna e Prost fizeram dobradinha com a McLaren, com Nakajima e Piquet, da Lotus, em sétimo e oitavo. Todos empurrados pelos motores japoneses. Que um ano antes, na Inglaterra, fizeram 1-2-3-4 com Mansel, Piquet (ambos da Williams), Senna e Nakajima (da Lotus).

mond199b
Kimi: fica que vai ter bolo

NÃO GOSTAMOS – De ver <<< Kimi Raikkonen comemorar 300 GPs com uma atuação tão apagada da Alfa Romeo. Ele chegou em 17º, e Giovinazzi terminou em 19º. Um horror. A única coisa boa no fim de semana do time ítalo-helvético foi o bolo que levaram para o finlandês.

 

Comentar

BUS STOP

Niterói, 1957. Que cor linda!

bustopnit

Comentar

Blog do Flavio Gomes
no Youtube
MAIS VISTO
28:13

MEU CARRO TEM NOME DE CASTELO!

Wartburg é o nome do castelo na Alemanha onde Martinho Lutero se escondeu da perseguição dos católicos em 1517 para traduzir a Bíblia para o alemão em 1521. E é também o nome de um dos carros ...

02:54

BEM, MERDINHAS (6)

No programa de hoje, o assunto principal será a resposta aos sennistas histéricos que me esculhambaram depois do "Sincerão" do UOL. Mas falaremos de muito mais!...