Arquivoquarta-feira, 19 de março de 2014

AMANHÃ, SEM FALTA

A

marcelogomes

SÃO PAULO (todos lá) – Reproduzo convite do MG Club que julgo imperdível para amanhã, quinta. E para quem não puder ir, tem um mês de exposição pela frente.

O MG Club do Brasil convida seus amigos para o vernissage da exposição do ilustrador Marcelo Gomes, dia 20 de março, quinta-feira, às 20h, na Galeria Ornitorrinco, Av. Pompeia, 520. O artista já fez duas exposições na sede do MG Club e confeccionou as ilustrações dadas como troféus nas 1000 Milhas Históricas Brasileiras 2013. Um craque, compareçam!

É arte de altíssimo nível. Tomara que dê para sonhar com alguma dessas obras. Como a do cartaz, essa Mercedes Flecha de Prata impecável e maravilhosa.

CRESCENDO…

C

SÃO PAULO (olha…) – Trulli, D’Ambrosio, Heidfeld, Bruno Senna, Sato, Bourdais, Buemi, Alguersuari… A lista de pilotos confirmados para a primeira temporada da Fórmula E só cresce. E ganha corpo. No quadrinho publicado pelo Grande Prêmio contei 18 que, de algum jeito, passaram pela F-1 — como titulares ou, ao menos, pilotos de testes.

É coisa pacas. Os carros podem não fazer barulho. Mas a categoria está fazendo.

RÁDIO BLOG (2)

R

E enquanto o Fiat Uno enseja canções, hum, singelas como a mostrada alguns posts abaixo, na Hungria a banda Beyond compôs este heavy metal chamado “The Car of the Devil (Trabant Song)”. Sim, temos estilos diferentes… E tem mais coisa muito boa com o carrinho de tema, como essa aqui. Rock puro. Sorry, periferia.

ENCHE O TANQUE

E

Jean Benoit mandou a foto. Curioso… A família que me hospedou por anos para o GP da França, na cidade de Varennes-Vauzelles, era Benoit, também. Será que são parentes? Bem, vamos ver se alguém sabe onde ficava o encantador postinho Esso. Quem sabe ele ainda existe… 

essobenoit

DICA DO DIA

D

SÃO PAULO (outro mundo) – Anos 60. No rastro da “descoberta” do Oriente pelos Beatles, hordas de jovens hippies resolveram explorar o outro lado do estreito de Bósforo. Istambul era a última fronteira “europeia”, por assim dizer. Dali em diante, o desconhecido. Numa época de tensões internacionais por causa da Guerra Fria, mas de relativa paz em terrenos minados como Índia, Paquistão, Afeganistão, Síria e Líbano, a turma ia do jeito que dava: de moto, a pé, de carona, de carro…

Marcos Alvarenga mandou a dica deste site com pequenas histórias daqueles loucos anos e com fotos maravilhosas.

Podem viajar à vontade por aquele velho planeta, que era bem melhor que o que temos hoje.

messynessy

GRATIDÃO ETERNA

G

SÃO PAULO (que chegue logo) – Vejam as fotos acima. Em Passo Fundo, Paulo Trevisan deve inaugurar em setembro o novo pavilhão do Museu do Automobilismo Brasileiro. Não deem muita importância ao site desatualizado. É que nos últimos anos Trevisan empenhou tudo que podia e não podia para construir o Prix Hotel e, anexo a ele, a nova casa de seu acervo impressionante de carros nacionais de corrida. Internet fica para depois. A vida real é bem mais legal.

Pode ser que atrase um pouco essa inauguração, porque a parte interna vai demandar muito trabalho e é uma das etapas mais difíceis dessa obra. Além dos carros, há todo um projeto museológico que inclui áreas multimídia, arquivos, exposições, memorabília, iluminação, áudio-visual, literatura e muito mais. E não dá para deixar de comentar a beleza do prédio, com uma volumetria toda especial, um marco arquitetônico para o país. Vai virar uma espécie de Meca para quem gosta de corridas. E são muitos, podem ter certeza.

Quem nos acompanha aqui conhece bem o tipo de coisa que Trevisan vem fazendo nos últimos anos, e aquilo de que ele é capaz — como, por exemplo, encomendar ao Toni Bianco um Fórmula Júnior e o Carcará II.

Sua coleção é, mais do que bela, importantíssima. Dá para dizer, sem medo nenhum de errar, que Trevisan salvou (e salva a cada dia) a memória do Brasil nas pistas. Sem ele, tudo teria se perdido por aí. Tudo.

Devemos gratidão eterna ao Paulo.

FOTO DO DIA

F

Para começar bem a quarta, que tal a equipe Vemag seguindo para Interlagos puxando um Fórmula Júnior? Quem seriam os cabras dentro do carro? Onde será esse trecho da cidade? E que carro era esse de onde foi tirada a foto?

equipevemag2

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil, onde ficou até dezembro de 2020. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

março 2014
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031