Arquivodomingo, 15 de fevereiro de 2009

COM ELA, TUDO BEM

C

SÃO PAULO (caí do cavalo) – Quando pintou a história da equipe americana na F-1, desdenhei do alto de minha sabedoria de botequim. Imagina, nos EUA, no meio da crise, com a Amérika derretendo? Querem enganar quem? Bem, a essa altura está na cara que me dei mal nas previsões, o que não tem a menor importância — não é a primeira vez, nem será a última. Digo que está na cara porque a dupla...

SÓ DÁ ELE

S

SÃO PAULO (hoje, G-4) – O francês Sébastien Loeb venceu a segunda etapa do WRC, na Noruega (nosso herói Petter Solberg nem foi tão mal, em sexto). Loeb, atual multicampeão (já nem sei mais quantos títulos conquistou), não tem adversários na categoria, que corre o risco de virar palco de seus desfiles solitários. Apesar da beleza implícita do talento de esportistas acima da média (como ele...

SESSÃO PIPOCA

S

SÃO PAULO (a trilha é bárbara) – Escutando os quatro Maverick (quatro…) que compõem a categoria de Históricos V8 ontem, em meio aos outros carros da Força Livre, deu saudade das provas de musculosos que tínhamos em Interlagos nos anos 70. Aí, por coincidência, o Alan Magalhães me manda esse filmete aí, de 1969, da TransAm americana. Divertidíssimo, principalmente porque chega uma hora...

OUTRO FRACASSO

O

SÃO PAULO (não diga…) – Lembram da nova categoria da FASP, a Street Car, aberta a qualquer cidadão habilitado com carros fabricados de 1995 para cá? Pois é. Começou neste fim de semana, com a louvável (e evidentemente fantasiosa) intenção de atrair novos pilotos para Interlagos. Número de participantes: nenhum. Ainda bem. Não que eu torça contra, mas já escrevi aqui que considero uma...

LÉGION URBAIN

L

SÃO PAULO (pode?) – “Estava hoje caminhando por Paris…”, começa o e-mail do Gustavo Errante. Metido, não? Brincadeira, Paris é demais em qualquer época do ano, em qualquer tempo da história. Sorte do blogueiro que pode flanar por Paris e, melhor ainda, lembrar deste modesto blog quando passa por ele esse jipinho gracioso, devidamente clicado para que a blogaiada descubra o...

ONE COMMENT

O

Bem mais simpática que as capas cinzas que cobrem meus carros. Quando minha casa-garagem estiver pronta, todos os carrinhos terão essas capas-pop. A foto foi enviada pela “capamaker” Jackie Della Barba.

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

fevereiro 2009
D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728