Arquivoquarta-feira, 14 de março de 2012

AÍ SIM!

A

SÃO PAULO (seria lindo) – Olha que notícia legal! A presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, disse que está tudo muito adiantado para que o país volte a receber a F-1 a partir do ano que vem, numa pista de rua em Mar del Plata. Os detalhes estão aqui. Eu amava de paixão a corrida de Buenos Aires. Mar del Plata é uma cidade deslumbrante. Se isso acontecer, é de soltar rojão...

SAAB LIVES

S

SÃO PAULO (que lindo) – Fernando Renault avisa: a SAAB vive nas pistas, num dos campeonatos suecos de Turismo, o TTA. As equipes Flash Engineering e Team Tidö vão colocar quatro modelos 9-3 na pauleira e pela primeira vez em 40 anos vai haver um embate direto entre SAAB e Volvo nas pistas, pelo que entendi lendo esse link aí em cima. A SAAB Parts vai fornecer as peças necessárias. Lá, como...

ESQUISITICES

E

SÃO PAULO (e pur si muove!) – Um monte de gente me mandou hoje a notícia de que aquele tal de DeltaWing, dos mais estranhos chassis apresentados à Indy dois anos atrás para a fornada de 2012, e que acabou não sendo escolhido, vai correr em Le Mans. Uau. Motor Nissan 1.6 turbo, com 300 hp. Mas como pesa 500 kg, gasta pouco e come menos pneu, pode ser interessante para uma prova de 24 horas...

BRIGA OU NÃO BRIGA?

B

SÃO PAULO (boas risadas) – O mais divertido de 2012 vai ser acompanhar a Ferrari. Já está engraçado antes de começar o campeonato. Primeiro, Pat Fry diz que pódio nas primeiras corridas do ano, nem pensar. Alonso e Massa fazem muxoxos quando chamados a falar sobre as qualidades da F2012. Agora, Domenicali fala que o time vai lutar pelo título, ainda que o início da temporada possa não ser...

ERA ASSIM…

E

SÃO PAULO (rápido, muito rápido) – E eu não poderia ir pra casa sem mostrar isso aqui: a cara do site quando ele foi ao ar, no final de 1996. Essa versão da página é de 1998. Encontrei num site de arqueologia internética que recupera páginas antigas. Uma viagem no tempo. O link da página abaixo está aqui. Algumas páginas internas estão vivas, ainda. E tem uma linha do tempo que permite ver...

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG